Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Seleções da Copa de 2010: análise tática da Eslovênia

13 de maio de 2010 3

Prima-pobre da Europa, a seleção da Eslovênia tem um grande trunfo para a disputa da Copa do Mundo de 2010: a definição de um time titular. O técnico Matijas Kek repete a escalação desde as eliminatórias – foi assim quando eliminou a Rússia no mata-mata da respescagem, e também na vitória de 4 a 1 sobre o Catar em amistoso realizado no primeiro amistoso de 2010.

Esta é a escalação-base da Eslovênia: Handanovic; Brecko, Cesar, Suler e Jokic; Radosavljevic, Koren, Kirm e Birsa; Dedic e Novakovic. Certamente, poucas pessoas conhecem e acompanham estes jogadores na temporada europeia. Mas uma equipe que consegue eliminar a Rússia do mago Guus Hiddink tem de ser respeitada, e observada sem desdém.

Novakovic é o principal jogador. Veste a camisa 11, mas é atacante de área. Forte, e com certa habilidade, atua da esquerda para o meio. Faz gols e prepara jogadas para quem se aproxima. Ele defende o alemão Colonia – esta é uma característica dos eslovenos: transitar por clubes de “segundo escalão” do futebol europeu (por isso são pouco reconhecidos por aqui).

O sistema tático é o 4-4-2 em duas linhas de quatro jogadores. Amparado nos princípios que sustentaram seu surgimento, nos anos 70, em Anfield Road. A Eslovênia atua com linhas próximas e recuadas, aposta na solidez defensiva e na força física para amarrar o adversário, conta com abnegação tática de todos os seus jogadores, e busca a saída veloz.

Nesta estratégia de concessão da posse de bola ao adversário, para fazer a transição ofensiva rápida, a Eslovênia varia entre progressão pelos lados do campo e a bola longa para os atacantes. Novakovic e Dedic retém a bola para a aproximação dos wingers – Kirm e Birsa – e se a jogada não funciona, a recomposição defensiva é imediata.

Matijas Kek convocou 30 jogadores na pré-lista. Confiram:

Goleiros:
Samir Handanovic – Udinese (ITA)
Jasmin Handanovic – Mantova (ITA)
Aleksander Seliga – Rotterdam (HOL)
Jan Koprivec – Maribor

Defensores:
Bojan Jokic – Chievo (ITA)
Marko Suler – Gent (BEL)
Bostjan Cesar – Grenoble (FRA)
Branko Ilic – Lokomotiv Moscou (RUS)
Matej Mavric – Koblenz (ALE)
Dejan Kelhar – Brugge (BEL)
Elvedin Dzinic – Maribor
Miso Brecko – Colonia (ALE)
Aleksandar Rajcevic – Koper
Suad Filekovic – Maribor

Meio-campistas:
Andraz Kirm – Wisla Cracóvia (POL)
Andrej Komac – Maccabi Tel-Aviv (ISR)
Rene Krhin – Inter de Milão (ITA)
Mirnes Sisic – Giannina (GRE)
Darjan Matic – Rapid Bucareste (ROM)
Dare Vrsic – Koper
Dalibor Stevanovic – Vitesse (HOL)
Robert Koren – West Bromwich (ING)
Aleksander Radosavljevic – Larissa (GRE)
Valter Birsa – Auxerre (FRA)

Atacantes:
Milivoje Novakovic – Colonia (ALE)
Zlatko Dedic – Bochum (ALE)
Zlatan Ljubijankic – Gent (BEL)
Nejc Pecnik – Nacional (POR)
Miran Burgic – Solna (SUE)
Tim Matavz – Groningen (HOL)

Comentários (3)

  • Rodrigo diz: 13 de maio de 2010

    Cecconi, sei que tu és setorista de Inter. Mas uma análise tática do melhor jogo de futebol do ano – preciso dizer qual foi? – viria muito bem, não é? Um abraço.

  • Daniel Hoppe diz: 13 de maio de 2010

    Acompanho bastante o Campeonato Alemão, e os três jogadores que atuam na Bundesliga são bons. O Miso Brecko é um excelente lateral direito, não é apoia tanto, mas é excelente na marcação por esse lado. Os dois atacantes também devem ser respeitados, tanto o Dedic, como o Novakovic, que é o homem-gol do 1. FC Köln.

  • Vinicius Ryazantsev diz: 14 de maio de 2010

    Esse Koren é bom jogador, joga no West Brom recém promovido pra premier league

Envie seu Comentário