Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Seleções da Copa de 2010: análise tática dos Estados Unidos

14 de maio de 2010 7

O blog Preleção encerra a análise do Grupo C da Copa do Mundo de 2010, na série diária sobre as 32 seleções que vão à disputa na África do Sul, com uma constatação curiosa: os quatro integrantes desta chave atuam com duas linhas de quatro jogadores. Já vimos o 4-4-1-1 da Argélia, o 4-4-2 ortodoxo da Inglaterra, pátria-mãe deste sistema, e o 4-4-2 da Eslovênia. Agora, é a vez do não menos convencional e britânico diagrama tático dos Estados Unidos.

Os Estados Unidos, do técnico Bob Bradley, jogam no 4-4-2 em duas linhas de quatro jogadores. O sistema já foi utilizado na Copa das Confederações em 2009, com uma variação para o 4-1-4-1 – leiam aqui - a partir do recuo de um dos atacantes, que empurra o meio-campista central marcador para a sobra entre defesa e meio-campo. Nos amistosos realizados em 2010, entretanto, os EUA não apresentaram esta variação, e partiram sempre do posicionamento inicial com dois atacantes.

O time está praticamente todo definido. A linha defensiva tem os zagueiros DeMerit e Onyewu, e os laterais Spector (direita) e Bocanegra (esquerda) – no amistoso contra a Holanda (derrota por 2 a 1 no início deste ano, fora de casa), Bob Bradley não contou com Onyewu, e escalou Bornstein no lugar.

O meio-campo parece ter três titulares absolutos, e uma posição em aberto. Os wingers são os talentosos Donovan (esquerda) e Dempsey (direita), com experiência adquirida por vivência de Premier League, onde a função é muito utilizada. Por dentro, Bradley é o meio-campista marcador, mais à direita e pouco recuado. Falta definir o apoiador, o box-to-box, meio-campista centralizado que faz a saída de jogo: na Copa das Confederações jogou Clark, mas nos amistosos deste ano Torres – nos vídeos aos quais assisti, e nas reportagens que li durante a pesquisa sobre os EUA – teve bom desempenho.

O ataque reúne o centroavante Altidore e o atacante Findley – que faz o recuo central sem a bola para auxiliar no combate à saída adversária. A estratégia é o “default” do 4-4-2 britânico: compactação das linhas sem a bola, bloqueando simultaneamente os lados e a entrada da área com marcação por zona em pares (um na bola, outro na cobertura); transição ofensiva veloz pelos lados com os wingers, ou no lançamento vertical direto para os atacantes.

Bob Bradley convocou 30 jogadores na pré-lista. Poucos atuam nos Estados Unidos. Há muitos atletas de Premier League, incluindo o excelente goleiro Tim Howard, titularíssimo da equipe. A preparação norte-americana tem início no domingo, em Princeton, e no dia 1º de junho o treinador divulga os sete cortes, e os 23 atletas garantidos na Copa do Mundo.

Confiram a pré-lista dos Estados Unidos:

Goleiros:
Brad Guzan – Aston Villa (ING)
Tim Howard – Everton (ING)
Marcus Hahnemann – Wolverhampton (ING)

Defensores:
Carlos Bocanegra – Rennes (FRA)
Jonathan Bornstein – Chivas USA
Steve Cherundolo – Hannover (ALE)
Jay DeMerit – Watford (ING)
Clarence Goodson – IK Start (NOR)
Chad Marshall – Columbus Crew
Oguchi Onyewu – Milan (ITA)
Heath Pearce – Dallas
Jonathan Spector – West Ham (ING)

Meio-campistas:
DaMarcus Beasley – Rangers (ESC)
Alejandro Bedoya – Örebro (SUE)
Michael Bradley – Borussia Mönchengladbach (ALE)
Ricardo Clark – Eintracht Frankfurt (ALE)
Clint Dempsey – Fulham (ING)
Landon Donovan – Los Angeles Galaxy
Maurice Edu – Rangers (ESC)
Benny Feilhaber – Aarhus (DIN)
Stuart Holden – Bolton (ING)
Sacha Kljestan – Chivas USA
Robbie Rogers – Columbus Crew
José Torres – Pachuca (MEX)

Atacantes:
Jozy Altidore – Villarreal (ESP)
Edson Buddle – Los Angeles Galaxy
Brian Ching – Houston Dynamo
Robbie Findley – Real Salt Lake
Herculez Gomez – Puebla (MEX)
Eddie Johnson – Aris Thessaloniki (GRE)

Comentários (7)

  • Pedro diz: 14 de maio de 2010

    Cecconi, não precisa publicar esse coment….podia fazer uma análise do jogo entre Grêmio e Santos…..mostrando as variações que ocorreram na partida e o que na minha opinião foi um dos maiores equívocos do Silas no comando do tricolor, a entrada no 3-5-2. Um abraço…

  • Carlos diz: 14 de maio de 2010

    Bah, e o cara que foi comparado ao Pelé, um tal de Freddy Adu não tá nem entre os 30 dos EUA e nem sei aonde tá jogando agora… o que uma comparação desnecessária(que deve ter gerado muita pressão sobre ele) e a fama não fazem com um “craque” hein…
    Mas, indo ao assunto do post, acho que essa seleção possa beliscar umas quartas-de-final, quem sabe algo a mais, visto que eles acharam um sistema bom pra comportar seus bons wingers e o Altidore, que é muito forte e faz um baita pivô pro Donovan ou Dempsey. A minha dúvida paira sobre o box-to-box yankee, nunca o vi jogar e não tenho a mínima ideia quanto a sua técnica e capacidade tática. A zaga não compromete e até vai bem. Olho vivo no Onyewu, é forte e, pelo que me lembro, é bom na bola aérea.
    Valeu pela série de posts Cecconi, tô curtindo muito saber como jogam as equipes da próxima Copa.

  • Leonardo Sander diz: 14 de maio de 2010

    Cecconi me parece que o Donovan está no Everton(ING), e não seria melhor o uso dele como armador central? mudando o esquema, podia ser um 4-3-3: Howard; Spector, DeMerit, Onyewu e Bocanegra; Bredley, Torres/Clark(Box-To-Box), Donovan(Armador central), Dempsey, Findley e Altidor

  • Jonas Rafael diz: 14 de maio de 2010

    Não tinha um tal de Freddy Adu que jogava muito nesse time americano? Se machou?

  • Gustavo diz: 14 de maio de 2010

    Eduardo, vc poderia postar ai uma análise tática de como o Santos poderá se postar em campo no jogo da volta na Vila Belmiro né? Também, poderia nos dar uma luz de como o Silas poderia parar o ataque do Santos, visto que não podemos tomar gol de jeito nenhum.. hehe

    aaah, mto bom seu blog, to sempre presende dando uma olhada..

    vlw

  • Jonathan diz: 15 de maio de 2010

    Pienso similar a lo que escribió Leonardo Sander, USA tiende a ser 4-3-3 con Donovan como delantero, Torres se tira más hacia la izquierda pero siempre colaborando en la parte defensiva con Bradley. Por la derecha es indiscutible Dempsey. No me queda claro si Findley sería titular, está Altidore y también Ching. Lastimosamente Charlie Davies ha quedado fuera al no recuperarse de su lesión a tiempo.

  • fernando diz: 16 de maio de 2010

    Cadê o Fredy Addu??????????????????????

Envie seu Comentário