Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Seleções da Copa de 2010: análise tática de Camarões

22 de maio de 2010 6

A Holanda não será uma solitária representante do 4-3-3 na Copa do Mundo de 2010. Coincidentemente, outra seleção que se utiliza do sistema com três atacantes está no mesmo Grupo E dos laranjas. São os leões de Camarões, objeto do post de hoje na série diária sobre as 32 seleções do Mundial da África do Sul, no blog Preleção.

Camarões, do técnico Paul Le Guen, adotou o 4-3-3 na Copa Africana de Nações. O meio-campo tem desenho de triângulo com base alta. São dois meias municiando os três atacantes, protegidos por um volante central marcador. Na linha defensiva, a lateral-direita permanece na base, enquanto o lado esquerdo tem autorização para subir.

As prováveis subidas de Assou-Ekotto, associadas ao posicionamento de Eto’o, fazem de Camarões uma seleção voltada à faixa esquerda de articulação. O atacante da Inter de Milão não joga na grande área. Pelo contrário. Aberto na ponta-esquerda, dali Eto’o faz diagonais incisivas na direção do centroavante – que pode ser Wébo ou Kouemaha.

No outro setor, Mbia – pela característica mais defensiva – deve ser fixado como um lateral-base. Na zaga central, o veteraníssimo Rigobert Song pode perder posição para N’Koulou, enquanto Bassong e Ekotto – dupla do Tottenham – encaminham suas titularidades. Há também briga por posição na organização da equipe, com Makoun, Enoh e Matip buscando espaço.

Pena vermos duas seleções do 4-3-3 na mesma chave. Que tenham sorte para passar unidas, privilegiando os fãs do futebol com atitude agressiva, postura ofensiva, e estratégia voltada sempre à busca pelo gol.

Confira a pré-lista de 30 convocados de Le Guen, que comanda treinos na Europa:

Goleiros:
Hamidou Souleymanou – Kayserispor (TUR)
Carlos Kameni – Espanyol (ESP)
Guy Roland Ndy Assembe – Valenciennes (FRA)
Amour Patrick Tignyemb – Bloemfontein Celtic (AFR)

Defensores:
Jean-Patrick Abouna Ndzana – Astres
Benoit Assou-Ekotto – Tottenham (ING)
Sébastien Bassong – Tottenham (ING)
Gaetan Bong – Valenciennes (FRA)
Aurélien Chedjou – Lille (FRA)
Geremi Njitap – Ankaragücü (TUR)
Stéphane Mbia – Olympique de Marselha (FRA)
Makadji Boukar – Al Nahdha (OMA)
Nicolas N’Koulou – Monaco (FRA)
Rigobert Song – Trabzonspor (TUR)

Meio-campistas:
Marcel Ndjeng – Augsburg (ALE)
Eyong Enoh – Ajax (HOL)
Jean II Makoun – Lyon (FRA)
Georges Mandjeck – Kaiserslautern (ALE)
Joel Matip – Schalke 04 (ALE)
Patrick Mevoungou – Canon Yaoundé
Landry N’Guemo – Celtic (ESC)
Alexandre Song – Arsenal (ING)

Atacantes:
Vincent Aboubakar – Cotonsport
Eric Choupo-Moting – Nuremberg (ALE)
Achille Emana – Betis (ESP)
Samuel Eto’o – Inter de Milão (ITA)
Mohamadou Idrissou – Freiburg (ALE)
Dorge Kouemaha – Brugge (BEL)
Wébo – Mallorca (ESP)
Jacques Zoua – Basel (SUI)

Comentários (6)

  • Felipe Corbellini diz: 23 de maio de 2010

    Os leões indomáveis sempre apresentam um futebol ofensivo. O lado esquerdo deles é muito forte com Ekotto, Makoun e Eto’o e também tem no Alexander Song um volante muito bom e com boa saída de jogo. Acredito que irão passar na segunda colocação nesse grupo.

  • Alexandre diz: 23 de maio de 2010

    Eu aposto muito na seleção de Camarões, meu segundo pais para torcer depois do brasil, sou apaixonado pelos leoes indomaveis. escutemo que falo , olho em camaroes!!!!

  • Rafael M diz: 23 de maio de 2010

    Muito boa essa série de posts sobre as seleções da Copa. Ajuda a difundir a aplicação tática, sobretudo das seleções com menos respaldo na mídia.
    À parte disso, gostaria de pedir/sugerir, um post sobre o São Paulo, com as consequências do “fenômeno Fernandão”, a afirmação do 4-4-2.. os últimos 3 jogos do tricolor levantaram essas e outras questões, e gostaríamos de ver uma opinião especializada e competente.

    Abraços.

  • Blog do Carlão – Futebol é nossa área diz: 23 de maio de 2010

    Professor, sem querer ser chato, mas por que as aspas no “ponta-esquerda”?

    Evolução física e tática à parte, há muita diferença entre os pontas do passado e os de hoje?

    Fico louco quando ouço gente falando que não existe mais ponta no futebol. Em regra, todo 4-3-3 tem dois pontas, concorda?

    Abração!

    Resposta do Cecconi: fala bruxo. Entendo a que ideia te referes, e concordo. Nesse caso, usei entre-aspas para configurar que ele não exerce a função primordial do ponta à moda antiga, que era a linha de fundo. Ou seja, ele tem um posicionamento de ponta-esquerda, mas uma função de segundo atacante definidor. Essa é a explicação para as aspas. Abraços.

  • Claudio Sacramento diz: 25 de maio de 2010

    A seleção de Camarões é, ao lado da Holanda, a que mais se aproxima do Santos na sua formação tática. As diferenças que visualizo são a maior movimentação do time santista e a utilização de um lateral-zagueiro na direita por parte dos Leões Indomáveis, diferentemente do Santos que tem o apoio frequente dos 2 laterais. Mas as semelhanças são maiores. Inclusive o único volante Alexandre Song que, da mesma forma que o solitário volante do Santos, Arouca, tem boa técnica para sair jogando.

  • As 32 seleções » Blog Archive diz: 3 de junho de 2010

    [...] PRELEÇÃO: ANÁLISE TÁTICA DE CAMARÕES [...]

Envie seu Comentário