Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Seleções da Copa de 2010: análise tática do Paraguai

24 de maio de 2010 3

A recente disseminação dos sistemas com três zagueiros no futebol sul-americano – graças, principalmente, aos clubes brasileiros – influencia também seleções nacionais. Já vimos na série diária sobre as 32 integrantes da Copa do Mundo de 2010 o 3-6-1 do Uruguai. E, hoje, é a vez de colocarmos em debate o 3-5-2 que o Paraguai leva à África do Sul.

O Paraguai se classificou nas Eliminatórias, com excelente campanha, fazendo uso do 3-5-2. O desenho do meio-campo apresenta alas abertos e cautelosos, e triângulo de base alta – um volante, dois meias. O trio, entretanto, é bastante combativo e pouco criativo. O Paraguai joga para marcar e ocupar espaços sem a posse de bola, como estratégia preferencial, atraindo o adversário e ganhando campo para a transição ofensiva em velocidade (o famoso contra-ataque).

O principal setor paraguaio é a defesa. Os zagueiros são fortes e vivem boa fase. Principalmente Paulo da Silva, jogador de bom nível. Na ala esquerda Vera, que é meio-campista na LDU, sai na frente na briga pela titularidade, concorrendo com Morel, do Boca Juniors. A direita tem dono, é Aureliano Torres, jogador do San Lorenzo.

O meio-campo, para mim, ainda é uma incógnita. Na vitória de 1 a 0 sobre a Coreia do Norte, em amistoso recente, o técnico Gerardo Martino escalou muitos reservas. Gostei muito de Jonathan Santana, meia do Wolfsburg que acrescenta à combatividade paraguaia uma qualidade no passe, e uma movimentação ofensiva, que não se encontra em outros companheiros. Formaria com Estigarribia uma boa dupla de articulação, mas não sei se Martino pensa da mesma forma.

No ataque, Roque Santa Cruz deve ser o titular de referência. Sem Cabañas, Martino convocou o argentino naturalizado paraguaio Lucas Barrios, do Borussia Dortmund. E o ex-jogador do Colo Colo é tido como candidato à titularidade pela imprensa local, concorrendo talvez com o centroavante Cardozo, em uma briga que muda a característica da equipe: ou dois homens de força física e bola alta, ou um segundo atacante de velocidade.

Martino convocou 30 jogadores na pré-lista. Confiram os nomes:

Goleiros:
Justo Villar – Valladolid (ESP)
Aldo Bobadilla – Independiente Medellín (COL)
Diego Barreto – Cerro Porteño

Defensores:
Denis Caniza – León (MEX)
Paulo Da Silva – Sunderland (ING)
Claudio Morel – Boca Juniors (ARG)
Julio César Cáceres – Atlético-MG
Carlos Bonet – Olímpia
Dario Verón – Pumas (MEX)
Julio Manzur – Olímpia
Aureliano Torres – San Lorenzo (ARG)
Antolín Alcaraz – Brugge (BEL)
Marcos Cáceres – Racing (ARG)

Meio-campistas:
Edgar Barreto – Atalanta (ITA)
Cristian Riveros – Cruz Azul (MEX)
Osvaldo Martínez – Monterrey (MEX)
Jonathan Santana – Wolfsburg (ALE)
Víctor Cáceres – Libertad
Enrique Vera – LDU (EQU)
Sergio Aquino – Libertad
Eduardo Ledesma – Lanús (ARG)
Néstor Ortigoza – Argentinos Juniors (ARG)
Marcelo Estigarribia – Newell’s Old Boys (ARG)

Atacantes:
Roque Santa Cruz – Manchester City (ING)
Nelson Haedo – Borussia Dortmund (ALE)
Oscar Cardozo – Benfica (ALE)
Edgar Benítez – Pachuca (MEX)
Lucas Barrios – Borussia Dortmund (ALE)
Rodolfo Gamarra – Libertad
Jorge Achucarro – Newell’s Old Boys (ARG)

Comentários (3)

  • Daniel Machado diz: 24 de maio de 2010

    Parabéns pela brilhante série caro clega jornalista.
    Sobre o Paraguai, me parece bem mais adequado deixar santa Cruz no bando e Cardozo titular, ao lado do Barios. Sana Cruz teve desempenho ruim no City, enquanto os outros dois tiveram grandes momentos em seus clubes.

  • Daniel Machado diz: 25 de maio de 2010

    Uma prova disso, caro Ceconi, são os números.
    Roque Santa Cruz, poucas vezes titular na temporada e jogador de muitas lesões, fez menos de cinco gols no Campeonato Inglês.
    Lucas Barrios, por sua vez, fez 19 no Campeonato Alemão. É preciso lembrar que o Borussia Dortmund não é tão qualificado assim. Além disso, o Cameonato Alemão tem menos jogos que os demais, já que é composto por 18 equipes.
    Oscar Cardozo, em um torneio mais fácil, o Campeonato Português, marcou 26 gols.
    Então, o ataque titular tem que ser Barrios e Cardozo.

  • Claudio Sacramento diz: 25 de maio de 2010

    Existe sim um dilema no ataque paraguaio. A questão é entre Santa Cruz, Barrios e Cardozo. Santa Cruz é o mais talentoso dos 3 mas está em fase muito ruim. Barrios fez excelente temporada pelo Borussia e é taticamente o que mais combina com santa Cruz ou Cardozo por sair mais da área. Mas Óscar Cardozo, nos seus 27 anos, atinge fase espetacular! No Benfica fez uma temporada brilhante e marcou 38 gols em 49 jogos. Foi artilheiro do Campeonato Português com 26 gols e fez trio memorável com Aimar e Di María devolvendo ao Benfica a fama antiga de possuir ataques poderosos. Eu começaria jogando com Barrios e Cardozo e introduziria Santa Cruz durante os jogos pra disputar posição.

Envie seu Comentário