Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Holanda comprova: técnica desequilibra no encaixe tático

02 de julho de 2010 62

Este é um conceito da teoria tática que eu repito quase à exaustão no blog Preleção: quando há encaixe tático, quando há paridade e equilíbrio no planejamento e na organização, a vitória parte da qualidade técnica do jogador. É uma justificativa embasada para a obviedade da prática. Aconteceu hoje, na eliminação brasileira na Copa do Mundo 2010.

Holanda e Brasil fizeram um jogo eminentemente tático. Ambos os treinadores esmeraram-se em bloquear as virtudes adversárias, fechar espaços, combater protagonistas, e ingressar nas áreas descobertas do campo inimigo. Um verdadeiro encaixe.

Na descrição tática, sistemas praticamente idênticos. A Holanda no 4-3-3, com atacantes recuando na marcação aos laterais. O Brasil no 4-2-3-1, fazendo o mesmo com seus meias-extremos, embora os laterais adversários não apoiassem. Volantes perseguindo meias centrais, zagueiros formando sobra sobre atacantes.

O Brasil teve supremacia no primeiro tempo, controlando a posse de bola, acertando passes, e movimentando-se demais. Foi uma supremacia tática. O gol saiu em contribuição individual de Robinho, mas também em movimento coletivo sincronizado: ele fez a diagonal entre o lateral e o zagueiro, recebeu o passe vertical de Felipe Melo, e marcou. Resultado justo.

Do intervalo em diante, o predomínio se inverteu. Mesmo que com uma estratégia estranha – a Holanda afastou Sneijder e Robben – seus protagonistas decidiram o jogo. Ao invés de atuarem próximos, para a jogada curta, Sneijder abriu para a direita, apostando na bola longa até Robben, querendo quem sabe surpreender Michel Bastos e a cobertura brasileira.

Essa manobra tática da Holanda, entretanto, não foi responsável pela vitória. Foi a técnica individual. De um camisa 10, de nome Sneijder. Foi dos pés (e cabeça) dele que saíram os gols holandeses. Ambos em articulações individuais. Um cruzamento para o gol contra de Felipe Melo, uma cabeçada em novo erro defensivo brasileiro.

Mais uma vez, a técnica sobrepõe-se ao encaixe tático. A Holanda tinha jogadores para apostar no brilho individual. O Brasil, não. Como eu havia dito nas análises em vídeo postadas aqui no blog Preleção na quarta-feira.

*Atualização: tinha esquecido de citar. Robben desequilibrou tecnicamente sim, ao amarelar Michel Bastos e forçar o jogo sobre ele até sua substituição emergencial; e por expulsar Felipe Melo. A supremacia técnica dele é tão evidente que Robben desequilibrou ao atrair sempre três marcadores. Ou seja, ele inutilizou em diversas oportunidades três jogadores do Brasil, que tiveram de abdicar de seus posicionamentos para combatê-lo, dificultando a saída de bola rápida por empurrar estes três atletas para a área brasileira.

Comentários (62)

  • Bier diz: 2 de julho de 2010

    Cara,
    me permita discordar. Não foi a qualidade tecnica que desequilibrou.
    Isso teria acontecido se ele tivesse feito uma jogada indivdual quebrando a defesa brasiliera, ou um lançamento pegando a zaga fora do lugar. Os lances foram comuns. No cruzamento, ele errou, tanto que não tinha nenhum atacante disputando a bola. No segundo, muito mais merito do treinador, que deve ter treinado essa jogada. Infelizmente as vezes o futebol não é justo. O Brasil dominou completamente o primeiro tempo. No segundo, a Holanda nunca teve a supremacia. Achou o primeiro gol, e foi premiada com a jogada ensaiada no segundo, seguida da expulsão infantil do Felipe Melo.
    Como vc mesmo comentou, mesmo no segundo tempo onde teve mais equilibrio, Sneider e Roben jogaram afastados e não construiram nenhuma jogada.

    Abraço!

    Resposta do Cecconi: Bier, o Brasil também teve lances comuns a seu favor. E ninguém marcou. Não posso chegar à conclusão que a vitória se deu por sorte. Como o blog é sobre teoria tática, procuro explicações mais ponderáveis. Valeu pela participação. Grande abraço.

  • joao nunes diz: 2 de julho de 2010

    Agora irão surgir os cientistas esportivos, mas a realidade é o seguinte:Tomamos dois gols de bola levantada para área e não tivemos condições de reverter o placar.Não vamos fazer tragedias e culpar ops jogadores e treinador.Agora é tudo com o INTER!

    Resposta do Cecconi: palavras tuas, joão: “e não tivemos condições de reverter o placar”. Qual o motivo da falta de condições para reverter o placar? Não seria a falta de jogadores para desequilibrar em um lance? Abraços.

  • Jorge diz: 2 de julho de 2010

    E agora o que o teimoso do Dunga que sabia tudo fala??????????
    Todo mundo falava que faltava qualidade , que deveria levar outros jogadores mas não o seu Dunga era o mais sápio treinador, e ele que sabia….
    Qualquer pergunta, de qualquer pessoa ele sempre sabe mais que todo mundo…
    Ele conseguiu tirar o brilho de torcer pela seleção.
    Foi a pior escolha de treinador que a CBF fez até hoje, pois um treinador que se fecha com a seleção e deixa o povo de fora merece ser castigado do jeito que foi.
    Pra quem se achava o cara e respondia para todos caiu bem cedo…
    Como todos diziam a seleção esta fechada, (dentro do avião de volta).

  • Leandro Dorneles diz: 2 de julho de 2010

    Perdemos por causa do Mick jagger, baita pé frio!!!!

  • Ricardo Pirovano diz: 2 de julho de 2010

    O erro tatico do Brasil de jogar como um time do interior que faz um gol e depois joga no contra ataque, pensando que vai aquentar um resultado de so um a zero contra um time quenem o da Holanda, nao podia da outra! Eu penso que a melhor defesa e o ataque! A falha de Julio Cesar no primeiro gol e a estupidez de Felipe Melo, tambem nao ajudou. E porque o Dunga nao colocou o Grafite no lugar de Luis Fabiano no segundo tempo? Com o jogo no finalzinho, pelo menos ele tem altura e capacidade de fazer um gol na area. Bem, espero que ganhe um time que nunca ganhou a copa.

  • Guto diz: 2 de julho de 2010

    É, concordo com o Bier. A “técnica” não fez a Holanda ganhar. Pouquíssimas jogadas individuais, e o primeiro gol foi sorte e confusão entre Julio Cesar/Felipe Melo.

    E também não entendo porque não podes chegar a conclusão que a vitória se deu por sorte. Ela existe, o futebol não é xadrez.

  • Marcio diz: 2 de julho de 2010

    Finalmente, Brasil volta a trabalhar!
    Dois gols de m…da e 11 jogadores de tacos quebrados de um lado e 11 jogadores sem saber porque estao nas semifinais. Obrigado Deus Bola por demonstrar que nao vale nada de tecnica, tactica, força sem cabeça. O jogo devia ter sido fechado com um 2×0 no primeiro tempo. O segundo tempo serve so para dizer que, Felipe Melo è um animal invertrebado e sem cérebro, Robinho so jogo 1 tempo, que faz Kaka + r é perfeito, Julio Cesar e toda a defesa brasileiro deve ter fumado um mega Bob no vestiario e a total falta de concentraçao esta explicada.

    Igual, o Mundial ja esta decidido desde ha muito e nao era o Brasil o campeo estipulado.
    Portanto, todos de volta ao trabalho.

  • Daniel diz: 2 de julho de 2010

    Totalmente en desacuerdo. Brasil tiene jugadores técnicamente brillantes, ninguna selección es técnicamente superior a Brasil. En estas instancias se puede ganar o perder, a veces se pierde.
    Brasil mereció un 2-0 en el primer tiempo, por lo menos.
    Holanda perdió varios goles en el final, y Brasil estuvo cerca de empatar.
    En 1990 Brasil fue abismalmente superior a Argentina y quedo fuera. Estas cosas pasan.

    Resposta do Cecconi: Daniel, não estamos falando do Brasil de 1970. Estamos falando do Brasil de 2010. Se tu acha que o Brasil de Michel Bastos, Gilberto Silva, Felipe Melo…é tecnicamente superior a todas as seleções, eu chego à conclusão que não entendo absolutamente nada sobre futebol. Posso listar 10 seleções, no mínimo, com elencos mais qualificados tecnicamente. Mas falando de hoje, não de 1970. Abraços.

  • nls diz: 2 de julho de 2010

    Há muito o que se falar sobre todo o contexto do jogo. Mas, me limito à algumas considerações sobre a atuação do “técnico”. No lance do segundo gol, em que em uma bola esticada sem maiores pretensões, exatamente no local enteriormente ocupado por Michel Bastos (substituído), proporcionou o espaço e momento em que o sagueiro Ruan deveria ter deslocado a bola pra a lateral do campo, mas, por estar fazendo uma cobertura não previamente delineanda, portando de inpino, por culpa da substituição, colocou para escanteio, proporcionando o segundo gol. Além disso, precisando fazer um gol, não havia nenhum jogador de área, e o que existia foi retirado de campo. O cartão vermelho, era previsível. Veleu Teixeira, Dunga, Galvão, Kfouri, Alves’s Cwell’s e etc. Acabou a palhaçada a mídia brasileira ( ou não???). Todos falaram da falta de jogadores de qualidade no banco, mas a teimosia e a soberba…

  • Fernando Lopes diz: 2 de julho de 2010

    Supremacia técnica da Holanda? Não vi isso. A Holanda ganhou no erro do Brasil, perderam a cabeça e a Holanda continuou bem postada em campo. Erro do Dunga em confiar num cara tipo o Felipe Mello.

  • Ricardo diz: 2 de julho de 2010

    Como preví e comentei em outros espaços do CLICRBS há horas, é só procurarem, a seleção brasileira era e é fraca, e cantariam a musiquinha da Branca de Neve e os sete anos, chegou a hora de cantarem e no caso vinte e quatro anões, a Fátima Bernardes de Branca de Neve baita pé fria como o Mick Jagger que inventou em torcer pra seleção brasileira;eu vou eu vou pra casa agora eu vou para-la timbúm para-la timbúm eu vou eu vou eu vou…, nunca seríamos os campeões, técnico e grupo fraquíssimo.Foi só pegarem um time mais experiente e malandro o peladeiro do Felipe foi mais cedo pro chuveiro etc.Como disse também que o Victor e o Ronaldo Gaúcho dariam graças por não terem sido chamados, até 2014 e deu!Bye bye Brazil!

  • Carlos M. diz: 2 de julho de 2010

    Também discordo que houve mais técnica do lado da Holanda do que do lado brasileiro. Para mim essa não foi a razão da derrota da seleção brasileira.

    Se fosse procurar um motivo, diria que foi a esperteza da Holanda em ter percebido logo no começo que o juiz era fraco e inseguro. A Holanda praticamente apitou o jogo.

    Isso fez o juiz errar demais nas marcações das faltas, inclusive minando a marcação brasileira e impedindo diversos contra-ataques do Brasil

    E ainda deu aquele cartão amarelo para o Michel no 1º tempo que, na minha visão, não foi merecido. Isso comprometeu parte da estratégia do Dunga.

    Abraços.

  • Fabiano diz: 2 de julho de 2010

    Vou ter que discordar da opinião do jornalista, que individualidade da Holanda? A Holanda chutou duas bolas no gol Brasileiro, uma de falta e uma aos 40 minutos quando o Brasil já estava no completo desepero. O primeiro gol foi um simples cruzamento da intermediária e só aconteceu por uma falha do goleiro brasileiro. O segundo gol sai de uma bola enfiada nas costas do Juan que tentou afastar pela linha de lateral e mandou pela linha de fundo. Depois disso o Brasil com um jogador a menos e na base do desespero ainda conseguiu colocar pressão em cima deles. Para mim o que decidiu o jogo foi a atuação do treinador da Holanda que no intervalo corrigiu seu problema defensivo e o segundo fator foi o desequilibrio do time brasileiro que ao sofrer o primeiro gol se desestabilizou. Se não fosse a falha do goleiro brasileiro Hobben e Sneijder ficariam dois dias tentando e não fariam gol no Brasil.

  • Diego Souza diz: 2 de julho de 2010

    Concordo plenamente! O Brasil formou uma seleção muito boa defensivamente, mas através de um meio campo recheado de volantes. Não exite articulação! Até mesmo o homem de criação, que seria o Kaka é um volante, na minha opinião. Hoje jogou com Daniel alvez na meia extema direita e, pelo que lembro, esse jogador é lateral ofensivo ou ala, também não seria um articulador. O Brasil apostou nos contra-ataques para vencer esta copa! Era questão de tempo achar uma seleção mais qualificada que ficaria com o placar na frente quebrando a proposta brasileira. Foi o que aconteceu hoje quando a Holanda virou! A Holanda, pelo contrário, teve Roben e Sneijder, dois meias finalistas da liga dos campeões deste ano, ambos de extrema técnica. A vitrória da Holanda poderia ter saido mais ao natural ainda, não fosse a garra dos brasileiros.

  • Dunga diz: 2 de julho de 2010

    “falta de jogadores para desequilibrar em um lance? “, não te entendí Cecconi! o Robinho e Cacá não estavam em campo? não são os craques da massa Brasileira? Robinho (contribuição individual?) fez o gol porque tem a obrigação, atacante de frente pro gol!!!. quem deu o passe é que merece o crédito.

  • Marcelo Santos diz: 2 de julho de 2010

    O que faltou foi o diferencial dos “estrelas” e pelo jeito, ficou muito claro que somente a Holanda estudou o adversário.
    Jogou forçando jogadas sempre no Felipe Melo e no Michel Bastos.
    E para ajudar, a Seleção sempre deixou seus adversários jogarem… assim fica fácil para quem é estrategista.

  • Lucas diz: 2 de julho de 2010

    Também discordo. O jogo foi parelho e não houve supremacia de ninguém. A Holanda não conseguiu ser muito superior nem quando teve um jogador a mais.

    O jogo teve um Brasil um pouco melhor no primeiro tempo e uma Holanda um pouco melhor no segundo tempo.

    Aconteceram dois gols de bola parada, normais no futebol. A qualidade técnica da Holanda não apareceu e ela não é maior que a do Brasil.

    A única verdade do jogo é que ele foi parelho, brigado e tudo se decidiu no detalhe. Jamais se pode dizer que houve supremacia técnica da Holanda, até pelo fato de que ela não existe.

    O Cecconi é um teórico, se tivesse prática saberia explicar melhor porque o Brasil perdeu: por coisas do futebol, detalhe.

    O que pode ser dito é que a programação da seleção foi mal feita, pois não há reserva para o kaká e porque não há um centroavante de presença na área para o abafa. Pode ser dito que faltou ousadia ao Dunga nesse último jogo (deveria ter posto o time pra frente) e que tirar o centroavante para por um atacante franzino foi um erro (afinal, ia ter muita bola na área e pouca infiltração).

    Mas dizer que houve supremacia técnica da Holanda. Não acho que haja na nominata e com certeza não houve em campo.

  • Quino diz: 2 de julho de 2010

    Tirando o meio campo, pra frente, do time da Argentina…. Essa COPA, fui tudo japones (ou coreano como queiram). Acompanho desde 1970 (as COPAS), sem duvida nenhuma o nivel deste foi o pior. É só preparo fisico!
    Ah, antes que eu me esqueça, a defesa da Argentina é uma bosta, vai levar uns 3 ou 4 da Alemanha, que é outro time burocratico. Abracos

  • Paulo Renato diz: 2 de julho de 2010

    Cecconi,

    Esta derrota tava escrita na convocação do Dunga.
    Agora eu me pergunto, de que adianta ganhar copa América, copa Dubai, copa das Confederações e outras copas aí, se no quente, onde devemos ter o melhor em campo, temos um time mediocre tecnicamente e voltamos para casa.
    Para mim, treinador é que nem Felipão, se faz de morto, perde de Honduras, não dá a minima para Copa América, e em Meio ano, 2002, monta uma baita seleção, talvez uma das melhores que já tivemos;

  • Ricardo diz: 2 de julho de 2010

    Brilhante teu trabalho Cecconi

  • lUIS fIFA diz: 2 de julho de 2010

    Calma gente, chamem o Fossati, ele enrola melhor. O Dunga é uma joia. Enganador. O Fossati deve salvar o coerência da mediocridade.
    O Inter vai salvar a Pátria, há 4 anos foi assim, o Brasil perdeu e o Inter ganhou o trofeu Fifa.
    O Dunga foi o exemplo da mediocridade.
    Ele tinha um trio para ganhar: Robinho, Neymar e Ganso.
    Dunga é uma convicção no ranso.

  • Carlos Martins Ferreira Brum diz: 2 de julho de 2010

    Oras, bolas! O Brasil dema mais de 24 anos para ser Campeão do mundo novamente, na Copa do Mundo em 1994! De 1970 à 1994, vinte e quatro anos, coisas do futebol… (não esquecendo, de 1930 à 1958 foram mais de 28 anos!), Logo, em seguida veio mais o título Tetracampeão do Mundo, em menos dos 24 anos do Tricampeonato ao Tetracampeonato. Em 2002 fomos Pentacampeões do mundo do futebol. Hexa, seremos, ficando para mais tarde, porém, sem jamais a garra de verdadeiros desportitas no futebol.

  • Guilherme diz: 2 de julho de 2010

    o brasil perdeu por desequilibrio emocional e por azar de pegar um pessimo juiz… não por capacidade da holanda, que por sinal é a pior holanda que já vi… o “craque” é um cai-cai.

  • Guilherme Zanelato Corrêa diz: 2 de julho de 2010

    Caro Cecconi, não achei que o Sneijder “fugiu” do Robben. Acho que ele decidiu se movimentar mais, tanto que teve muitas jogadas na beira lateral entre a dupla…..

    O Sneijder fez o que o Kaka´, talvez, nunca fará em copas do mundo : ser decisivo. O Holandês mesmo apresentando um futebol compatível com o nível do Kaká foi além.

    E acho que o resultado foi assim porque o time Holandês é mais copeiro que o nosso : Nenhum jogador brasileiro soube lidar com a adversidade no placar. Os Holandeses forem além disso, souberam esperar e lutar até o fim, como aconteceu em 94,98 e agora em 2010….

  • Bruno Costa diz: 2 de julho de 2010

    Cecconi, eu concordo com o Bier.
    Roben praticamente não conseguiu jogar, bem como Kuyt e Van Persie.
    Os gols de Snejder foram num cruzamento em que a defesa falhou, e numa cabeçada onde a defesa também falhou.
    É mais fácil falar que os volantes medianos da seleção finalmente tiveram seu dia de comprometer (no caso do G. Silva, mais um, pois já comprometeu na copa passada após o Parreira ceder aos apelos da mídia e colocar ele para marcar Zidane no lugar do Il Puma).
    O Brasil na soma dos dois tempos foi mais efetivo, construiu mais jogadas e, ao meu ver, só foi pior que a Holanda em dois aspectos: saída de bola pelo meio (culpa dos volantes) e defesa de bola aérea. Bastou isso para perder, mas será mérito deles, ou demérito nosso?
    Se cruzar da intermediária e ver o goleiro furando é vitória individual, daí fica meio difícil. Disso dá para dizer que o Brasil falhou, mas não que a Holanda teve vitória individual. Entrar tocando o Brasil entrou bem mais…
    Além disso, a expulsão obviamente comprometeu muito.
    Na minha opinião a Holanda fez tudo certinho. Jogou no erro do Brasil e ele aconteceu. Não foi a vitória de quem “venceu” mais na técnica individual sobre o marcador, mas sim a de quem errou menos na defesa. Os dois lances tiveram falhas do setor, e não individuais. Foram bolas com movimentação em bloco, e não a imposição de um jogador particular sobre o outro. Afinal, quem o Snejder superou cruzando da intermediária uma bola que normalmente dá errado, pois pega a zaga de frente?
    Elano fez muita falta, algo que ninguém diz.
    E em relação a citares 10 elencos mais qualificados, por favor, faça-o, eu duvido.
    Se falares em Inglaterra e Espanha vais estar de brincadeira. A Espanha perderia facilmente para Brasil ou Holanda, e a Inglaterra fez papelão.
    Se Brasil tem Bastos (que eu nem acho ruim), Melo e Gilberto Silva (eu incluiria o Robinho na lista), a Alemanha tem Boateng, uma linha de defesa mais fraca que a nossa e nenhum banco de reservas, a Argentina tem Otamendi, Demichelis e Heinze, que não pegariam nem banco na seleção brasileira, para não falar do goleiro… a Holanda não tem nenhum craque atrás, e depende muito do Roben, sem ele a bola não fica na frente… E mesmo assim citei 5, eu acharia fantástico descobrir as outras cinco… Seriam Portugal e Costa do Marfim??? A França? O Uruguay? A poderosa Itália?
    Eu realmente acho absurdo levar Melo e G. Silva, e não bastando levar Josué e Kleberson pro banco. Com Lucas e Hernanes a seleção seria outra… Mas ainda prefiro isto do que Cafu, R. Carlos e Ronaldo em 2006, sem nenhum espírito de equipe, sem fôlego…
    Perder faz parte, ou é só a seleção de 82 que sai da copa “sem merecer”?
    Ou ambas são incompetentes, ou ambas tiveram “azar”, só não dá para crucificar os caras num jogo equilibrado contra a Holanda e falar em vitória individual quando os holandeses só conseguiram tocar a bola quando o Brasil ficou com 10…

  • Bill diz: 2 de julho de 2010

    Pra mim faltaram opcoes no banco de reservas. Visivelmente D. Alves nao acertou nada hj, mas nao tinhamos alguem pra posição. Kaka foi mais ou menos a Copa toda, mas só tinhamos ele. Luis Fabiano só foi bem contra a Costa do Marfim qdo fez gol com a mão.
    Meia culpa pra Dunga, por não convocar jogadores melhores, meia culpa pra uma safra nao tao boa de jogadores no Brasil. Ganso e Neimar sao incognitas, pois só dao goleada em Ituanos, Guaranis da vida. Nao sabemos como vao se comportar com a amarelinha.
    Enfim, nao é pq é Brasil que tem q ganhar todas. Porem a pressao para 2014 será imensa.
    Abracos,
    Bill

  • Bruno Costa diz: 2 de julho de 2010

    “Resposta do Cecconi: Bier, o Brasil também teve lances comuns a seu favor. E ninguém marcou. Não posso chegar à conclusão que a vitória se deu por sorte. Como o blog é sobre teoria tática, procuro explicações mais ponderáveis. Valeu pela participação. Grande abraço.”

    Não foi sorte, foi detalhe, e detalhe em cima de falhas na jogada aérea, e não de vitórias pessoais.

    Foi um jogo de encaixe. O gol do Brasil, assim como outras chances, surgiram com o Brasil superando pelo chão, na troca de passes a defesa holandesa.
    Os gols da Holanda saíram em bolas aéreas onde houveram falhas atípicas dessa seleção. Atípicas por que o histórico das eliminatórias prova que o Brasil não toma esse tipo de gol bobo que tomou hoje.

  • Silvio diz: 2 de julho de 2010

    Nossas esperanças, mesmo vendo que faltava qualidade, se estendiam a cada partida. Eu mesmo previa uma final Brasil X Argentina, talvez porque desejava tal confronto.
    Precisava-mos de jogadores que desiquilibrassem, que fizessem a diferença. Dispunha-mos de tal jogadores? Creio que para uma junção que pudesse ter chances e resultados mais ousados, deveriamos fechar os olhos para o histórico comportamental de alguns atletas que, mesmo não sendo exemplos de “atletas”, possuem a habilidade que se faz necessária para almejar o tão cobiçado êxito. Encerrando, não ficamos com o sentimento tão triste como de outras nações, talvez porque o que vínhamos vendo não estava convencendo.

  • Cristina Lopes diz: 2 de julho de 2010

    É incrível, mas o fato do primeiro gol ter ocorrido no primeiro tempo matou o Brasil. Os jogadores voltaram com a certeza de ter descascado a laranja e entraram pelo cano.
    Quando não temos certeza e respeitamos a força do outro, lutamos para vencer e, mesmo com menos jogadores em campo, temos mais chances de vitória.
    Nos primeiros dez minutos do segundo tempo, o técnico deveria ter reagido e feito algumas alterações… É difícil aceitar a derrota!

    O brasileiro deve ficar atento a outros horizontes… vem eleições aí gente!

  • e diz: 2 de julho de 2010

    a seleção do brasil é igual o internacional, a imprensa inventa que o Kaká e o d,alesandro jogam muita bola e enquanto dependerem desses caras nunca vão ganhar nada.

  • Carlitos Nietzsche diz: 2 de julho de 2010

    Lamento caro jornalista, mas desta vez não foi o esquema tático que definou o jogo. A Holanda em momento algum se impôs taticamente, muito menos individualmente. O aleatório é um fator, algumas vezes, decisivo no futebol sim. Hoje foi um exemplo. Mas é muito mais fácil “achar” outras explicações. Sabe-se que o fator sorte tem uma influência muito maior no futebol do que em relação a outras modalidades esportivas. Tanto que o consideramos um jogo mais do que um esporte…

  • Cristiano diz: 2 de julho de 2010

    Cecconi, discordo levemente. Acho que a Holanda virou o jogo quando achou o Robinho que era a saída, e tem sido nos demais jogos, para ataque do Brasil. Talvez o pecado maior do Brasil foi ter como única jogada, sem Elano pela direita, essas saídas com o Robinho que originaram quase todos os gols do Brasil. As outras equipes não descobriram que o jogador que mais devia ser cuidado não era o Kaká. A Holanda percebeu e ajustou isso no intervalo, com marcação pressão naquele lado, motivo pelo qual pendurou o Bastos. Acho que a vitória foi mérito não só tático, como estratégico, da Holanda.
    Abraço.

  • Tibiriçá Vasconcelos diz: 2 de julho de 2010

    Pra mim ninguem desequilibrou nada. O felipe melo desequilibrou a favor da Holanda na expulsao, mas tb desequilibrou a favor do Brasil com uma super enfiada de bola pro Robinho. Se nao estou enganado, do proprio campo do Brasil. O primeiro gol da Holanda, foi uma bola “levantada” na area (nao cruzada) onde o F. Melo tiraria a bola se o J. Cesar nao tivesse saido sem gritar e o deslocado. No segundo gol, o Juan botou pela linha de fundo uma bola facil de colocar pela lateral, no minimo. Cobrou-se um escanteio e com uma jogada ensaidada (sem brilhantismo pessoal de nenhum holandes) aliado a uma desatencao da defesa e saiu o gol. Ate ali, a holanda tinha volume de jogo mas nao havia criado chances claras de gol. Nao dava pra dizer nem que dominava o jogo. A expulsao do F. Melo nao deu tempo de haver uma reestabilizacao do brasil. Ou alguem esperava que o Robinho, O kaka ou o L. Fabiano desequilibrassem o jogo com o Brasil com um a menos. Com um a mais, ai sim a holanda dominou. Mas ai nao tem mais equilibrio tatico. Com um a mais as “individualidades” aparecem. Devemos lembrar tambem, que o Brasil, no primeiro tempo, quando haveria sim um equilibrio tatico, amassou a Holanda. Teve um gol anulado legitimamente mas com uma jogada muito bem trabalhada (taticamente) e de brilhantismo tecnico. O kaka quase marcou numa jogada de brilhantismo que o gloeiro nao tiraria se tivesse cortado as unhas. O Maicon quase marcou num lance tatica e tecnicamente perfeito. A unica diferenca entre o lance dele e o do C. A. Torres (o super chato) na copa de 70 eh que em 70 a bola entrou. Falta de qualidade do Maicon??? quem se atreve a dizer que sim??? Mesmo no fim do segundo tempo, com um a menos, o Brasil ainda deu uma pressaozinha na Holanda com alguns contra-ataques e escanteios perigosissimos. Me respondam tb: o suposto penalty no kaka no primeiro tempo, se fosse fora da area o juiz nao marcaria o bom e velho “uso desproporcional da forca”???? Creio que sim. E no segundo tempo, o kaka teria sido empurrado com as duas maos dentro da area. A imagem foi bem clara. Se fosse fora da area nao seria maior a possibilidade de ter sido marcado falta??? Nao estou querendo dizer que o Brasil foi roubado ou o resultado foi injusto. O que quero dizer eh que creio que a holanda nao tem jogadores mais decisivos que o brasil. A holanda achou dois gols e futebol eh assim… ponto final. Ou alguem vai crucificar o J. Cesar e o Juan???? Melhor ser politico e exaltar os holandeses e colocar na conta do F. Melo. Mas isso eh soh uma opiniao. Parabens Dunga, J. Cesar, Juan, G. Silva, F. Melo, Robinho, Kaka, L. Fabiano e todos os outros.

  • Cristiano diz: 2 de julho de 2010

    Cecconi, discordo levemente. Acho que a Holanda virou o jogo quando achou o Robinho que era a saída, e tem sido nos demais jogos, para o ataque do Brasil. Talvez o pecado maior do Brasil foi ter como única jogada, sem Elano pela direita, essas saídas com o Robinho que originaram quase todos os gols do Brasil. As outras equipes não descobriram que o jogador que mais devia ser cuidado não era o Kaká. A Holanda percebeu e ajustou isso no intervalo, com marcação pressão naquele lado do Boemel-Wiel-Robben, motivo pelo qual pendurou o Bastos. Acho que a vitória da Holanda foi mérito não só tático, como estratégico.
    Abraço.

  • FABIANO diz: 2 de julho de 2010

    Muito bem, faltou tecnica ?? mas que faltaria nesta seleção ? ja sei, vc vai me responder, o Ronaldinho, o Ganso, o Neimar e……….pois bem, so quero ressaltar uma coisa, por que eu não tenho memoria curta, em 2006 quando o Brasil perdeu, ninguem queria saber da seleção, nem treinadores nem jogadores inclusive Ronaldinho….Dunga assumiu, pegou uma seleção desacreditada, uma geração de jogadores vitoriosos se aposentando, Rivaldo, RC, …..o que fazer ? jogou todo esses 4 anos com esses caras, 58 partidas disputadas, apenas 6 derrotas, campeão da copa america, confederações, deu varias chances a RG, inclusive nas olimpiadas que nem enchergou a cor da bola, surgiram os meninos que nunca foram testados na seleção e inclusive um deles depois que não foi convocado, operou o joelho…..o que questionar ? depois que perdeu é muito facil, vamos parar com ipocresia, porque seleções que é tão comentada como a de 82 nem na final não chegou, esse ano…Italia, atual campeã, fora na primeira fase, frança….alemanha ou argentina, uma das duas, Tchau….nem sempre vamos ganhar tudo.

  • Gustavo diz: 2 de julho de 2010

    Acho que o jogo foi equilibrado em tática e técnica. Mas a Holanda não se abalou quando esteve em desvantagem, diferente do Brasil que se perdeu depois que levou o primeiro gol, e depois que levou o segundo começou a errar tudo e poderia ter levado mais uns dois gols em contra-ataque.

  • LSDR96 diz: 2 de julho de 2010

    Faltou qualidade, admitam que o Cecconi esta certo. Quem aqui acreditava sinceramente neste titulo? Um time com Felipe Melo , Gilberto Silva, Josué, Grafite etc. Querem uma seleção que ganharia esta copa, aí vai: J. César; Maicon, Lúcio, Juan e Marcelo; Denilson, Ramires(Hernanes ou Elias), e Ganso; Nilmar, Robinho e Luis Fabiano. Mas o Dunga prefere a união de Julio Baptista , Felipe Melo e etc

  • Fabio diz: 2 de julho de 2010

    Não concordo com a análise de a Holande ser tecnicamente superior. Credito a vitória holandesa ao fator emocional. O time brasileiro pareria descontrolado no segundo tempo, e descambou a partir do 1º gol, que aconteceu por falha de um goleiro tido como tecnicamente superior, em um lance de falta que não houve. O segundo gol veio a partir desse desequilíbrio brasileiro, em um lance ensaiado de escanteio. No mais, Julio César não fez uma única defesa, a Holanda praticamente não chutou a gol.

  • Tibiriçá Vasconcelos diz: 2 de julho de 2010

    jorge!?!?!?!? Deixar o povo de fora???? O que isso significa. Tu querias ver entrevistas de jogadores diariamente? ve-los dizendo o obvio ou simplismente nada? Ve-los treinando? Ve-los tomando cafe da manha, fazendo compras ou abanando na janela do hotel? Eu sou o povo e nao quero nada disso. Eu quero eh taca no armario. Nao aconteceu mas nao foi pelo Dunga fechar o grupo ou ser o dono da verdade. Agora, eh dificil pra um profissional ver seu trabalho (e sua vida, e sua maneira de falar e de sei eu mais o que…) analisado por qualquer pessoa que eh respaldada pelo fato de gostar de futebol (gostar nao eh entender) e ter uma capacidade um pouco maior de se expressar (seja na forma escrita ou falada). Sim jorge, esta eh a diferenca entre o torcedor normal e a maioria dos “cronistas” esportivos. inclusive quero que este menino do blog me liste as 10 selecoes (no minimo, como ele mesmo disse) mais equilibradas que o Brasil. lembrando que hj e amanha jogam as 8 melhores selecoes do mundo na atualidade. Lembrando tb, que entre as 4 estara, ou uruguai, ou gana. O resto eh “mas”, “se” e “romantismo” de Armandos (Nogueira…) e Carlos Albertos (Torres…) da vida que passam o tempo acoando pra lua. Mas essa eh soh uma opiniao que, espero eu, seja publicada. outra cosinha, menino do blog: de olhos fechados, tu trocas o kaka e o robinho pelo robben e o sneijder??? Afinal, eles sao mais “decisivos”. Nao sou fa do robinho, mas ser decisivo na selecao brasielira he bem igualzinho a ser decisivo na selecao holandesa, a maior campea moral de todos os tempos.

  • andre diz: 2 de julho de 2010

    Concordo, a Holanda voltou diferente e tanto Sneider como Robbien assumiram o jogo, coisa que o Kaká e Robinho não fizeram. A mudança de postura no segundo tempo garantiu aos holandeses a desestruturação do time brasileiro, e infelizmente nosso treinador não conseguiu responder as alterações táticas feita pelo treinador adversário, e quando mudou não fez com correção, pois em vez de proteger o Michel Bastos, resolveu trocá-lo e deixou o inconstante Felipe Melo em campo mesmo notando que os holandeses estavam provocando os marcadores se jogando o tempo todo. Sneider decidiu o jogo pois assumiu a responsabilidade e isto também mostrou a diferença dos dois times.

  • Leandro R. S. diz: 2 de julho de 2010

    Acho q vc se equivocou……..
    é fácil analisar a técnica holandesa depois de um jogo onde o brasil tomou 2 gols em lances isolados e com falhas individuais. Se vc afirmar que o descontrole emocional afetou a seleção até concordo, mas garanto q antes do jogo poderiamos comparar as seleções e achariamos muito mais técnica na seleção brasileira.
    Depois do jogo é facil……………..

  • Tobias Fretta diz: 2 de julho de 2010

    Sinceramente, nem sempre no futebol encontramos explicação para os resultados, nem sempre a obviedade se faz presente. A holanda ganhou em dois lances esporádicos. Me diga aonde há técnica no primeiro gol da holanda?Ao contrário, foi um cruzamento ruim, fácil para a intervenção do goleiro. Foi uma falha.

  • CRISTIANO1202 diz: 2 de julho de 2010

    depender da “criatividade” do robinho pedalada é brabo!!! dai tu olha pro banco e vê josué, kleberson e julio batista… O dunga foi aprender futebol na seleção, assin não se ganha nada. pior é q esses cabeças de bagres não tem culpa, a culpa é de quem os coloca lá. Sorte ajuda sim, e muito. Mas a sorte só aconpanha os bons!!!

  • SANDRO diz: 2 de julho de 2010

    Cecconi. Concordo com tudo o que você disse, exceto uma coisa: que os dois times são parecidos na postura tática. Por essa discordância amigável, gostaria de uma resposta sua. Eu vi uma Holanda fechada, nada brilhante, mas, que joga num esquema que eu gosto muito: 4x3x3, com triângulo de base baixa (dois marcadores e um meia criativo) e com os pontas voltando para ajudar na marcação. O Brasil, jogou fechado, para sair nos contra-ataques. Aliás, como sempre. O que eu vi, foi um time (Holanda) que não é brilhante, mas, procura a vitória, é fechado, mas, não é covarde. Bloqueia o adversário, mas, tem alternativas para sair para o ataque, pois possui um meia criativo, dois pontas e um centroavante. Vejo nossos treinadores, de um modo geral, muito covardes, empilhando volantes e impedindo o surgimento de jogadores criativos. Se, nas divisões de base, surge um bom ponta, ele é condenado ao ostracismo, pois dizem que pontas não existem mais. Mas, esquecem que é possível jogar com 3 atacantes e fechar espaços, marcar. Esquecem que recuar para articular e marcar, é da função do ponta. Não importa se a Holanda não é brilhante e ganhou na sorte. Para “achar” gols, é necessário atacar, e isso, ela fez. Estava perdendo e não se encolheu. Espero que comece, no Brasil, um culto a times equilibrados e não à covardia e à retranca. Não sou adepto do futebol arte, mas, do futebol equilibrado e acho que, no Brasil, nos últimos vinte anos, vigora a cultura da covardia. Desculpe, Cecconi, o longo desabafo.

    Resposta do Cecconi: Sandro, em primeiro lugar agradeço por discordar com argumentação, coisa que alguns poucos – que tiveram seus tratados sobre o ódio excluídos – não conseguiram. Na questão da semelhança tática, eu me referia ao posicionamento inicial dos jogadores, já que o desenho é parecido mesmo – diferindo na linha mais adiantada dos pontas da Holanda na comparação com os meias brasileiros. Grande abraço.

  • Baldur diz: 2 de julho de 2010

    Mas é claro que a sorte pode decidir um jogo de futebol, aliás, este é o único esporte onde o mais fraco pode ganhar do mais forte. Não foi o caso hoje, pois a Holanda tinha mais jogadores EM FORMA capazes de decidir a partida, novamente incorremos nos erros de 2006, jogadores baleados e fora de forma. Mas foram lances casuais, a Holanda não jogou nada, achou o primeiro gol, um frangaço aliás, e o Brasil sumiu no jogo. Na verdade foi uma AMARELADA sem tamanho.

  • Gilsinei diz: 2 de julho de 2010

    Cara admiro mto teu blog, mas não posso concordar..

    Pra mim o Brasil perdeu para si mesmo quando:

    Deixou de fazer aquela marcação que vinha fazendo no primeiro tempo, preferiu marcar a Holanda mais de cima e deixou espaços no meio;

    O Luís Fabiano participou muito pouco do jogo;

    Entramos mal orientados quanto à arbitragem, brigando por qualquer falta, provocando desatenção do foco principal da partida;

    E o moleque do Felipe Melo fez aquela palhaçada;

    Falo tudo isso porque acho que o Dunga fez um papel maravilhoso no comando do Brasil, não somente no plano tático.
    Qualquer campeonato se ganha com técnica, tática e em momentos de decisão o preparo psicológico. Vi muitas pessoas falando que se tivesse o Ronaldinho, o Ganso, o Neymar que o Brasil ganharia..
    Eu acho que o Dunga levou o grupo fechado, sem regalias ou mordomias e todo mundo pensando junto.. Mas talvez perdemos um pouco o foco com essas picuinhas de imprensa, que só quer é vender o seu jornal, sua revista e sua mídia.. Erro do dunga, infelizmente..

    Mas eu imagino o Brasil em 2014 com essas peças que o infográfico do Clicrbs vem mostrando.. Tomara que passemos bem longe disso, senão.. Oremos..

    Que fique claro que eu gosto de futebol bonito, bem jogado.. Mas copa do mundo não é pelada de fim de semana..

  • Meneghetti diz: 2 de julho de 2010

    Exatamente a mesma analise que eu fiz, Bier. Gosto muito das teorias taticas do blog, mas neste jogo o resultado do placar nao passou pela técnica individual dos holandeses.
    Abraço.

  • Thiago diz: 2 de julho de 2010

    Eu pessoalmente, acredito que houve mais “esperteza” do time holandês em jogar conforme o juiz apitava (pipocando e fazendo cera) que técnica mesmo. Uma prova era no final do jogo em que a Holanda contra-atacava no “mano-a-mano”, até sobrava algumas vezes, e não deram trabalho ao Julio Cesar. Ganharam de presente o primeiro gol (já que nem falta do Michel Bastos foi) e fizeram o segundo numa bola parada. Claro, futebol é bola na rede e nisso eles foram melhores. Mas acredito que o Brasil poderia ganhar o jogo tranquilamente se mantivesse o mesmo nivel de futebol no primeiro tempo.

    Faltou cabeça ao nosso time depois do primeiro gol da Holanda. Era visível que TODOS estavam nervosos, do Julio Cesar ao Luis Fabiano. Desse jeito, não tem esquema tatico que resolva.

    Falando “taticamente” agora, é fácil criticar o esquema do Dunga na derrota. Esse mesmo esquema deu um show no 1o. tempo. Então por que falhou no 2o. tempo? A Holanda também não mudou seu esquema para a etapa final. Então como levamos dois gols?

    Para mim, seleção não é um grupo com os melhores jogadores, e sim o melhor time que você possa montar dentro de suas possibilidades. Um exemplo é a Copa de 2006, que tinhamos o melhor elenco disparado e o Brasil se arrastou no torneio até as quartas-de-final.

    Claro que deixar a iniciativa de jogo para o adversário, e ter a bola parada e o contra-ataque em velocidade como as principais armas do time, não é a característica do futebol brasileiro, e não é o que esperamos da seleção. Mas é uma proposta de jogo, e é essa a proposta que o Dunga conseguiu montar. E que ganhou (com esse time meia boca) tudo o que disputou até antes da Copa , credenciando o Brasil entre os favoritos ao título no início do torneio.

    Acredito que a falha do Dunga foi não ter levado um banco de reservas capaz de suprir todas as necessidades que o time poderia ter ao longo de uma partida, como a necessidade de “estar atrás no placar”.

    Os jogadores sabiam dessa dificuldade em reverter um resultado, e talvez isso explique o nervosismo que abateu um time que jogava muito bem. Vale lembrar, Kaka não foi o “cara” do time como se esperava, e o Luis Fabiano não entrou em campo hoje. Nesse ponto, até concordo com o Cecconi: as estrelas da Holanda apareceram na hora em que precisou, mas não necessariamente pela técnica.

    Era isso, agora é esperar mais 4 longos anos até a próxima.
    Cecconi, meu parabens pelo trabalho no blog. Comecei a me interessar pelo assunto aqui neste espaço, e venho aprendendo muito!!
    Abraço

  • Carlos diz: 2 de julho de 2010

    Realmente, você está certo, ganhou quem teve jogadores mais qualificados e decisivos na hora “H”. Acho também que uma seleção que conta com jogadores como, Gilberto Silva, Julio Batista, Michel Bastos, Felipe Melo, Elano, Gilberto, Kleberson, foi longe demais. É uma equipe que luta, tem uma ou outra jogada, o meio de campo não cria, não existe o passe longo, a virada de jogo, nem mesmo jogadas individuais decisivas. Foi uma seleção triste, de futebol muito feio, sem imaginação. Espero que sirva de lição aos donos do futebol brasileiro.

  • Marcelo Padilha diz: 2 de julho de 2010

    O pior não foi perder esse jogo, foi alterar e jogar no lixo toda uma tradição, uma cultura tática e futebolística em função de UM ego.

  • eduardo r. diz: 2 de julho de 2010

    os gols da holanda não saíram de brilhos individuais deste ou daquele jogador e sim de falhas do sistema defensivo brasileiro em duas bolas paradas (ou vc viu dois golaços com jogadas geniais? eu não)!!! o brasil tinha jogadores para apostar no brilho individual tbm, como foram robinho e kaká no 1º tempo. mas, eles se apagaram na etapa final, qdo ninguém jogou nada! acho q a derrota de hj se explica mais no emocional do q na tática ou qualidade técnica de cada jogador. qdo um goleiro como júlio césar erra, qdo a melhor zaga do mundo falha, o time sente e sente q tudo pode dar errado de repente, é como um choque, mesmo para uma seleção com certa experiência e autoestima como essa. e aí ainda acontece aquela expulsão boba…desculpe, mas num jogo da importância de uma copa do mundo como este, com toda a pressão psicológica q existe, uma análise do dr. freud vale mais q uma análise tática, com todo respeito ao seu trabalho q eu acompanho e admiro mto.

  • homero felipe diz: 2 de julho de 2010

    por favor,onde a holanda foi superior técnicamente?,o brasil foi superior o 1° tempo todo,poderia ter virado 2 ou 3 a zero,a holanda fez 2 gols em falhas gritantes dos jogadores brasileiros,o 1° gol,foi de pelada,julio cézar teve uma falha de goleiro mediocre,compo q alguém pode explicar isto,como superioridade técnica,o brasil perdeu para ele mesmo,perdeu por erros grosseiros de seus jogdores,e vc vem explicar tudo,com esta babozeira tática,não q eu,não ache tática importante,acho sim,mas o mais importante,é ter jogadores com caracteristicas,para fazerem a função desejada,como vc pode querer q um time,se imponha ao adversário,tendo com armador daniel alves,este foi um erro mediocre do nosso treinador,calro q existe outros no jogo de hoje,mas diel alves,como solução do meio campo,é piada de mau gosto,na verdade é mta teoria,na pratica a verdade foi outra,não vi um único jogador holandes,se impor tecnicamente,o q eu vi,foi o brasil entregar um jogo ganho,com falhas individuais,o resto é pura teoria,até mesmo porque os jogadores se movimentam,eles não ficam parados,ai é q esta o pulo do gato,quem desloca recebe,quem pede tem preferencia,o resto é perfumaria!

  • Otavio Campos diz: 2 de julho de 2010

    O Brasil estava desfalcado……sem Vitor, Ronaldinho Gaúcho, Ganso e sem técnico.
    Dunga é seus amigos voltam mais cedo para casa.
    Esta idéia de trocar os melhores, por afinidades pessoais, só podia terminar assim.
    Me lembra muito o Sr. Silas.

    Dalle Dalle URUGUAY !!.

  • MARCO diz: 2 de julho de 2010

    FORAM DOIS GOLS DE BOLA AÉREA CECCONI. NÃO HOUVE SUPREMACIA INDIVIDUAL AO PONTO DE DECIDIR A PARTIDA. SE NÃO LEVÁSSEMOS O PRIMEIRO GOL TERÍAMOS A CHANCE DE FAZER GRANDES CONTRA-ATAQUES NO SEGUNDO TEMPO. ELES IRIAM SUBIR E O BRASIL FATALMENTE DECIDIRIA A PARTIDA.

  • Baldur diz: 3 de julho de 2010

    E independendente da tática ou qualidade técnica,o Brasil ruiu ao entrar na paranóia do Dunga do ” contra tudo e contra todos”. Onde já se viu um time ficar tão abalado só porque levou um gol( em um erro nosso) de um adversário que até aquele momento não levava perigo algum a nossa defesa? O nervosismo do Dunga era tão grande que contagiou jogadores calmos como Kaká e Robinho, acostumados a levar pancada em todos os jogos, e não foi só hoje, isso se agravou desde o início da Copa. Parecia que o título era obrigação e qualquer outra coisa seria o fim do mundo, quando na verdade não é, é apenas o fim de uma etapa e o começo de outra. Se tivéssemos em campo um cara calmo com o Didi para buscar a bola no fundo das redes e reiniciar o jogo, e outro calmo fora dele, para manter a organização do time, não seria este desespero todo. Tínhamos quase todo o segundo tempo e toda a prorrogação para fazer um segundo gol. E sabendo que a Holanda viria pra cima empolgada como gol, abrindo espaços.

  • Cauê diz: 3 de julho de 2010

    Me desculpa Cecconi, mas o Snejder não fez nada além do que qualquer um dos 22 em campo poderia fazer em ambos os gols. Não mostrou superioridade técnica nenhuma.

    Quanto ao Robben, amarelou o Michel num lance que sequer foi falta. Ainda, ele não atraia 3 da marcação, pelo contrário, ia ao encontro dela, pois só sabe cortar pra dentro. Ele pegava a bola marcado pelo Michel e o carregava até o encontro dos zagueiros, daí perdia a posse.

  • Leonardo Lustosa diz: 3 de julho de 2010

    Bem, achei o jogo equilibrado, o gol do robinho foi um otimo lançe em que os brasileiros se aproveitaram de uma falha na defesa deles. Já os gols da Holanda rambem foram erros, o primeiro do goleiro que se desentendeu com o volante e o segundo da zaga do brasil (e tambem merito da holanda pela jogada).Li em um outro lugar que uma vez Zico disse “Numa decisão, entre profissionais, numa disputa de alta performance, o jogo seria decidido num erro.”

    E quanto a culpar Dunga, eu acho errado pois ele fez um bom trabalho à frente da seleção, quanto a convocação, ele não pode satisfazer a todos os gostos e chamou o grupo q ele achou melhor, que combinava com o trabalho e modo de pensar dele.

    *Outra coisa que teima em se repetir é que o brasil não ganha copa quando não tem um grande Nome entre os convovados, um grande artilheiro:Garrincha, Pele, Romario, Ronaldo.

  • Sidney Silva diz: 3 de julho de 2010

    Concordo em parte contigo Cecconi. Pois a palavra chave não foi a técnica que levou a holanda superar o Brasil e sim alguns pontos quero destacar:
    1- A técnica de Robben e Sneijder foram ”consequências” de uma frase: Eles chamaram a responsabilidade para si no segundo tempo(usando a técnica a seu favor); Robben carregava a bola pelo setor direito, forçando a jogada em cima do Michel Bastos. E Sneijder saiu do centro para a direita, apostando em lançamentos longos. Sendo que no primeiro tempo Sneijder centralizado não produziu, pois a frente dos dois zagueiros brasileiros estava Gilberto Silva.
    2- Outra questão é que no segundo tempo o Brasil tomou um ”nó” tático e daqueles bem apertado. O técnico da holanda no primeiro tempo somente o Van Bommel passava da linha da bola, deixando De Jong recuado, sendo assim quando o kaka fechava na marcação, havia a distância entre De Jong e Van Bommel na criação e de Van Bommel e Sneijder. Já no segundo tempo a holanda adiantou a suas linhas de meio de campo, De Jong avançou terreno e Van Bommel ao invés de passar da linha da bola se juntou a De Jong(sendo o De Jong agora mais avançado) Nenhum carregavam a bola por muito tempo, mas estavam em linha mais avançados, Kuyt e Robben também estavam mais avançados, pressionando os laterias do Brasil no campo de ataque. Sendo assim quando kaka fechava a marcação no meio, os volantes da holanda agora em linha e avançados faziam o dois contra 1 no kaká, e o Sneijder na direita, diminuiu o avanço do Robinho, como estava acontecendo no primeiro tempo; Tendo que este(Robinho no segundo tempo) recuar para ajudar na marcação. Com tudo isso o Brasil morreu no contra-ataque, pois Luis Fabiano ficava muito isolado, Kaká mais recuado e distante do Luis Fabiano na questão de recuperação de posse de bola para o contra-ataque e Robinho tinha que se projetar sozinho, houve uma desarticulação dos três jogadores brasileiros, matando assim o rápido contra-ataque. Sábia decisão do técnico holandes.

  • Leonardo diz: 3 de julho de 2010

    Sei que possivelmente não vais responder, mas em todo caso…
    Creio que a Holanda não venceu por méritos técnicos, o Brasil tinha jogadores tão bons quanto os da Holanda; e, ambos, nenhum craque. O que aconteceu foi um despreparo emocional, acarretando o descumprimento da estratégia montada – que funcionou no primeiro tempo – aliado à falta de planejamento que culminou com a troca de Michel Bastos por Gilberto, que não conseguiu cumprir a missão de marcar Robben, deixando-o no confronto individual com Juan (um lance assim originou a virada flamenga – são também assim chamados os holandeses, por viverem na região conhecida como flandres). Alia-se ainda a jogada ensaiada no escanteio com o entrada de Kuyt para o desvio de cabeça para a área onde se encontrava o “baixinho” Sneijder. Detalhes tácticos tão deixado de lado pelos brasileiros que acreditam que a pura “individualidade” sobrepõe qualquer tática. O Dunga mesmo já falou isso algumas vezes. Vitória da melhor preparação laranja, que ensina aos brasileiros que o futebol evoluiu, e como qualquer esporte coletivo hoje em dia, depende e muito de organização táctica. Surpresa é que nossos dois últimos títulos vieram de equipes que primavam pela organizção tática, jogadas treinadas e detalhes: 94, com o verdadeiro Parreira (não o decadente de 2006 e últimos anos), e o “tosco” Felipão, que de “burro” só tem a cara. Enfim, para mim, times técnicamente iguais, em que, a táctica (aí sim acredito que o emocional e a falta de planejamento teve diferença no seu cumprimento por ambos os times) ganhou o jogo.
    Abraço!

  • Carlos Sena diz: 4 de julho de 2010

    Fala Eduardo, o que vimos nesse jogo foi a vitoria do futebol disciplinado e eficiente sem nervosismo da Holanda contra um futebol covarde e sem criatividade do Brasil, o Brasil jogou (ou jogava) com o placar e o tempo a favor e nesse jogo não deu certo, quando o Dunga precisou ser treinador não conseguiu reverter a situação. Paciência

  • Odirlei diz: 4 de julho de 2010

    Concordo com praticamente todos os seus post’s, porém, creio que esse merece uma pequena ressalva. Você acerta quando diz que a Holanda possui jogadores talentosos. No entanto, o Brasil também os tem, embora a teimosia do nosso treinador em não levar muitos deles. O Brasil tinha, Maicon (que dispensa comentários, é o melhor lateral do mundo), Kaka, Robinho (que retomou o bom futebol) embora ache ele um pipoqueiro … e uma dupla de zaga de alto nivel. A Holanda não fez grande coisa pra merecer a vitória, contou sim, com a apatia de um time muito mal treinado, que baseava-se em contra ataques, e aproveitava-se na existencia de bons defensores. Dunga não tem culpa da falta de profissionalismo de Ronaldinho Gaucho e Adriano. Mas existiam mesmo assim, opções melhores para uma convocação. Mesmo com esse time, fomos muito melhores no primeiro tempo, e o jogo se encaminhava tranquilo, ate aquela falha grosseira, que desestabilizou o time de uma forma, que vai ficar na história. Isso sim, foi uma grande vergonha.

  • Marco diz: 5 de julho de 2010

    Cecconi, primeiro parabéns pelo ótimo blog…alto nível! Agora sobre o jogo concordo com vc. No primeiro tempo vi um time brasileiro com boa movimentação, explorando bastante o lado direito holandês. Isso pq os holandeses trancaram a esquerda para o maicon não jogar….uma das principais jogadas da seleção de dunga. E com isso robinho e kaká e até daniel alves atacaram pelo esquerda (daniel alves estava na esquerda no gol em impedimento de robinho) e como o robben não ajuda tanto na marcação o brasil conseguiu criar bastante dificuldades para o time holandês. No segundo tempo a holanda melhorou sua marcação e com o já amarelado michel bastos exploraram muito bem o seu setor com o robben, resultando nos dois gols holandeses ( o primeiro robben sofreu falta, cobrou rapidamente e snejder colocou na aréa, e no segundo robben (sempre ele) cavou um escanteio). Já o Brasil não conseguiu mais explorar o lado direito holandês e depois do gol nem mesmo colocar a bola no chão.

Envie seu Comentário