Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

O 3-5-2 da derrota do São Paulo para o Avaí

15 de julho de 2010 3

Ontem o São Paulo voltou à disputa do Brasileirão 2010 com derrota em casa para o Avaí. E o técnico Ricardo Gomes contou com todos os titulares – menos, claro, com Cicinho, que voltou para a Roma. Procurei hoje vídeos e matérias sobre a partida para compartilhar com vocês uma análise do adversário do Inter na semifinal da Copa Libertadores.

O São Paulo manteve o 3-5-2 preferencial. Houve, na comparação com o time que fechou a parte inicial do Brasileirão antes da Copa do Mundo, apenas uma troca de posicionamento: Miranda passou para o lado direito do trio defensivo, e Alex Silva assumiu a “sobra”. Richarlyson permaneceu como zagueiro pela esquerda, fazendo a saída de jogo.

O meio-campo tem triângulo de base alta, com Rodrigo Souto de primeiro volante, e a dupla Hernanes-Marlos na articulação. Os alas são Júnior César e Jean. Na frente, Dagoberto movimentando-se pelos lados, e Fernandão na referência, recuando no pivô e participando também da organização das transições ofensivas.

Contra o Avaí, o principal problema se deu na faixa esquerda defensiva. Richarlyson apoiou simultaneamente a Júnior César. Este avanço duplo do ala e do zagueiro abriu um grande espaço no setor – representado no diagrama tático que ilustra o post pela área vermelha. Por ali, o Avaí buscou os contra-ataques, obrigando Alex Silva a sair da sobra, e provocando um efeito cascata de zonas de marcação descobertas.

No segundo tempo, o São Paulo mudou para o 4-4-2, com meio-campo em quadrado. Rodrigo Souto deu lugar a Cléber Santana, que formou dupla de volantes com Richarlyson. Mas o Avaí já tinha conquistado uma segurança alheia a variações táticas, assegurando a vitória.

Comentários (3)

  • Márcio Rastelli diz: 15 de julho de 2010

    Prezado Eduardo. Assisti o jogo na íntegra. Além da sua análise, houve méritos por parte do Avaí, que soube anular com forte marcação os principais criadores do SP (Dagoberto, Fernandão e Marlos). Hernanes “o queridinho”de 11 entre 10 colunistas do eixo Rio-SP simplesmente só fez o gol. Cronometrei, ele ficou exatos 10 minutos sem pegar na bola e se levar em conta o nome não pronunciado pelo narrador, passou de 20 minutos. Sei eu eles virão melhores e costumam ter sorte no Beira Rio. Mas, se depender de ontem…Inter na final.

  • Rodrigo Silva diz: 16 de julho de 2010

    Assisti o jogo também. O Avaí está com um bom time e apesar de não estar aparecendo muito no começo do campeonato, agora com a chegada de um técnico de ponta (Antônio Lopes) as qualidades dos jogadores estão aparecendo. Enquanto isso o Grêmio está fazendo exatamente o contrário: Um time de feras em campo, mas com um esquema que ressalta só as deficiências de cada um. O Grêmio tinha que se inspirar no Avaí que está chegando na elite sem soberba e na humildade vem crescendo aos pouquinhos. Tem vários jogadores de lá que teriam vaga nesse time do Grêmio.

  • retranqueirofc diz: 16 de julho de 2010

    Pelo q me lembre foi após a mudança de Souto para Cleber Santana (mudando o 3-5-2 por 4-4-2) que o SPFC tomou os gols.
    E ai fica bem lógico. Pois a cobertura ruim que era feita pela esquerda com Richarlyson, ficou ainda pior com a saida do R.Souto e o deslocamento do Richarlyson para o meio. Fora que o meio campo mais pegado com o Souto, passou a ser feito por quem não tem a mesma pegada.

Envie seu Comentário