Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Com Tinga e Guiñazu, Roth retoma o 4-3-2-1

20 de julho de 2010 28

No início da intertemporada colorada, o técnico Celso Roth sistematizou o Inter no 4-5-1 com três volantes e dois meias ofensivos (ou 4-3-2-1) – leiam aqui. Mas a janela de transferências demorou para abrir, Guiñazu sofreu uma lesão muscular, e ele alterou a estrutura tática para o 4-5-1 com dois volantes e três meias ofensivos (ou 4-2-3-1) – leiam aqui, com o qual venceu Guarani e Ceará.

Contra o Atlético-MG Guiñazu volta, e Tinga está liberado para estrear. Indício de retorno ao 4-3-2-1, apesar do bom desempenho da linha de meias ofensivos nos dois jogos pelo Brasileirão. O raciocínio é simples: desde o primeiro dia da intertemporada, Roth planejou a equipe contando com Tinga e Rafael Sobis. Foi daí que nasceu este 4-5-1, e agora ele enfim pode utilizá-lo, tendo Taison “guardando lugar” para Sobis na extrema-direita.

Com a bola, o Inter ampara sua movimentação em triangulações pelos lados do campo. Formam-se dois grupos. Na direita, o lateral Nei, o apoiador Tinga, e o meia-extremo Taison; na esquerda, o lateral Kleber, o apoiador Guiñazu, e o meia-extremo D’Alessandro (com a ressalva de que Taison e D’Ale podem inverter os lados).

As triangulações oferecem diversas movimentações combinadas, todas treinadas à exaustão por Roth. A ideia é manter o trio sempre próximo, para jogar com bola no chão, trocando passes e buscando espaços. Do outro lado, o trio que não tem a bola também cumpre atribuições: o lateral se alinha aos zagueiros para a basculação defensiva, enquanto o apoiador e o meia-extremo entram na área para auxiliar Alecsandro na conclusão. E se a triangulação de um setor não dá resultado, Roth pede que o jogo seja invertido, para que o outro lado faça a tentativa, e seja mantida a posse de bola.

Sem a bola, a marcação se dá por zona, com linhas adiantadas, em pressão alta ou meia-pressão. Sandro praticamente não abandona o posicionamento inicial à frente da linha defensiva. Na prática, em caso de contra-ataque do adversário, a transição defensiva do Inter precisa ter ao menos quatro jogadores posicionados (os dois zagueiros, Sandro e o lateral do lado oposto ao apoio).

Roth já falou sobre isso: a opção por este 4-5-1 com três volantes (ou 4-3-2-1) se dá para oferecer ao time o apoio de Guiñazu e Tinga com a segurança de Sandro. Para o treinador colorado, qualquer outra configuração que conte com Guiñazu e Tinga (jogadores de muita movimentação) sem a presença de um primeiro volante de posicionamento rígido pode desguarnecer a equipe. E ele não prescinde da qualidade desta dupla de volantes de exceção.

P.S: na minha primeira análise sobre o 4-5-1 com três volantes utilizado por Roth, eu fiz uma analogia ao Christmas Tree de Carlo Ancelotti, traduzido por “árvore de Natal”. Mas cometi um erro. Apesar de também se desdobrar em 4-3-2-1, o Christmas Tree de Ancelotti no Milan tinha dois meias ofensivos centralizados à frente do trio de volantes, e não abertos pelos lados, como faz Roth.

Comentários (28)

  • paulo ricardo aguirre dos santos diz: 20 de julho de 2010

    pelo amor de deus tira esse podre do alecone e poen taison e rafael sobis na frente

  • CLAIRTON GRANDINI diz: 20 de julho de 2010

    Nota-se a preocupação do Roth em não correr riscos, não atacar de qualquer maneira desguarnecendo a retaguarda. Isso é muito bom. Minha preocupação é quando necessitarmos ser mais ofensivo. Acredito que o Giuliano será titular. No lugar de quem? Bom, pra isso o Sr. Roth é muito bem pago.
    Abraços.

  • Alessandro Beiersdorf diz: 20 de julho de 2010

    Particularmente, gosto mais da outra opção, com 3 meias ofensivos, eles marcavam já no campo dversário, se os dois volantes fizeream isso, deixam uma brechinha na frente de Sandro. Mera opinião, é claro. Em time que está ganhando, não se meche, velho ditado. Mas sem Guina e sem Tinga não podemos ficar… Como li em muitos lugares, o Roth é bem pago pra isso!

  • Rodrigo Rosa diz: 20 de julho de 2010

    Mas o 3-2 do meio campo pode facilmente virar um 2-3 com o Tinga sendo avançado para função que hoje vem sendo exercida pelo Giuliano, não? O Tinga tem facilidade para chegar a frente e concluir, diferente do Guinazu que é muito mais defensivo. Com isso se poderia fazer uma variação interessante dentro do mesmo esquema e escalação, centralizando o D’Alessandro.

  • Robbie Fowler diz: 20 de julho de 2010

    D’Alessandro não sai do time, nem por decreto, pois precisa dar o retorno que a direção ainda espera dele. Guiñazu é o único primeiro-volante bom do grupo; Tinga e Sóbis com certeza não vieram para ser reservas. Desta forma, como santo de casa nunca faz milagre, sobraram desta escalação Giuliano e Taison, até que o Sandro vá para a Inglaterra, o que poderia resultar em uma meia cancha com Guiñazu, Tinga, D’Alessandro e Giuliano. Como Tinga é visto mais como armador, duvido que aconteça. Outrossim, decerto a meia cancha definitiva acabará com Guiñazu, Mathias/Glaydson, Tinga, depois D’Alessandro e Sóbis, continuando Giuliano e Taison no banco.

  • Leonardo Sander diz: 21 de julho de 2010

    Tinga e Guiñazú não podem jogar juntos? O meu time do Internacional é esse: Renan; Nei, Bolívar, Dalton e Kléber(Depois Leonardo); Sandro(Depois Tinga), Guiñazú, Tinga(Depois Giuliano), Andrézinho e Taison(Ou D’Ale, mas tbm pode apostar no João Paulo da base) e Rafael Sóbis com liberdade para se movimentar la na frente.

  • Felipe C. diz: 21 de julho de 2010

    Posso me enganar, mas Tinga não era mais volante nem em 2006.
    Tanto que na decisão do gauchão daquele ano, Abel o colocou como 2º homem e foi um fiasco.
    Ele fica muito mais próximo dos atacantes do que dos defensores.
    Chega a todo momento na frente e desde aquela época é mais adiantado do que terceiro homem de meio campo.
    Portanto, continua o mesmo esquema.
    Mas vamos ver o que ele fará com Taison – aí sim pode mudar.

  • Vitor dos Anjos diz: 21 de julho de 2010

    Eduardo, como ficará o Inter com a saída de Sandro? Será a vez de Wilson Matias? Roth deixará Giuliano e Andrezinho no banco, dois jogadores que já decidiram jogos importantes para o Intere de grande qualidade técnica?
    Este sistema pode funcionar na Libertadores (Tomara Deus), mas e para o Brasileirão, sem o Sandro, creio que não seja a melhor opção. Neste caso, creio que seria melhor a entrada de um dos dois meias q estão no banco, afinal o Inter quer jogar tocando bola (bola no chão).

  • Diego diz: 21 de julho de 2010

    Excelente teu blog.

    Eu acompanho muito futebol e fico impressionado com a falta de conhecimento como os jornalistas em geral tem de futebol.

    Existe uma tendência a simplificar tudo por falta de conhecimento.
    Um modelo tático varia de acordo com as características dos jogadores que estão em campo.

    O 4-5-1 usado com sandro e mathias vai ter outra disposiçao quando tinga e guina estiverem com o Sandro no meio, por exemplo. Conforme tu disse.

    Essas variações, esse conhecimento detalhado que os comentaristas deveriam procurar dominar.

    Giuliano, por exemplo, é um jogador fantástico, pelas caracteristicas que possui de passe curto e aproximaçao, muito semelhante ao tinga.

    Acho que numa eventual ausência do tinga, que fará o homem de chegada pela direita, acho que o giuliano poderá dar conta.

    Cara, teu blog deveria ter um link pelo globo.com

  • juliano diz: 21 de julho de 2010

    o desenho tático inicial me lembra um 4-1-4-1, isso antes dos meias abertos fecharem mais pro meio
    que é uma boa formação, com um primeiro volante centralizado, dois “box-to-box” (geralmente jogadores mais explosivos, mas em alguns times mais cadenciadores), e dois wingers abertos (chelsea do mourinho usa essa tática)

    a diferença é que guinazu são dois jogadores que o termo “volantes” é facilmente grudado neles, ao contrário das funções reais que desempenharam antes (tinga em 2006 foi “meia” e na alemanha tbm), guinazu sempre foi “carrilero”
    e não sei se o dalessandro tem como jogador lá aberto

  • Aline Silveira diz: 21 de julho de 2010

    Parabéns Edu, muito interessante essa análise!

  • Elio Lagemann Junior diz: 21 de julho de 2010

    EC, realmente temos que aceitar que o Roth tem um bom plano, agora com o grupo que tem ele pode fazer este plano virar um excelente moedor de carne, pois ele pode ao longo do jogar mudar o ritimo do jg. O Giuliano e o Taison, são armas para dar muito movimentação a partir dos 15/20 minutos do 2 tempo. Tem que ter 14 titulares, o Andrezinho é o cara para surpreender, tirar o Tinga ou Guiña, e colocar o André. Tudo isso fazendo uma correta leitura do jg. o Celso Roth vai se dar muito bem na LA e no Brasileirão, ganhar é outra história, pois do outro lado do campo também tem um time querendo vencer. Mais jgr bem, forte e com inteligência conta muito.

  • Marcus diz: 21 de julho de 2010

    Boa análise. Mas esse esquema está mais para 4-3-2-0..

  • Vini KR diz: 21 de julho de 2010

    se o inter não ganhar, será obrigado a encaixar o tinga no 4-2-3-1?

  • Rafael Prado diz: 21 de julho de 2010

    CECCONI,
    PARABÉNS MAIS UMA VEZ PELA BELÍSSIMA ANÁLISE, ESPERO QUE TENHAS CHANCES LOGO COMO COMENTARISTA. ABS!!!!

  • Saulo Filho diz: 21 de julho de 2010

    Olá Cecconi, mais um belo post mantendo o excelente nível, hein?! Parabéns

    Olha só, eu nunca entendi direito esse negocio de marcação em ‘pressão alta’, ‘meia pressão’…qual a característica destas estratégias e como elas podem ser detectadas?

    Valeu, até mais

  • Rafael diz: 21 de julho de 2010

    O desenho tática é perfeito. Acredito que seja um dos mais perfeitos que já vi (em virtude das “peças” que serão utilizadas
    Acredito que com o Sorondo, teríamos uma zaga mais consistente junto com o Bolívar; o renan naturalmente assumirá .
    O diferencial será os nossos volantes com certeza.. o Guerreiro Guinazu com extrema movimentação e o motorzinho do time (novamente), TINGA.
    dalessandro (ou andrezinho).
    Na frente (uma estrela que se jogar metade do que jogou em 2006. seremos campeoes), SóBIS e o destemido Alecsandro.

    Mas para isso funcionar, será imprenscindível o apoio do NEI e do Kleber!

    perguntinha : algum jogador no beira-rio anda treinando bola parada ? saudades do Alex.

  • Luis Celso Bazzanella diz: 21 de julho de 2010

    Sorondo é melhor que Índio? porque na minha opinião acho o Índio muito lento.

  • Marcello Paolo MorettoTumelero diz: 21 de julho de 2010

    Só imagino as façanhas desse time com o Sóbis no lugar do Alecsandro… Será a Espanha do Sul!!!!!!!

  • eduardo diz: 21 de julho de 2010

    Essas triangilaçoes q tu citou , eu vi muito bem realizada pela seleçao do Japao na copa , onde os principais formadores da triangulaçao eram Endo e Honda , com a participaçao do lateral esquerdo ou direito dependendo do lado que eles estivessem ; lembro de um jogo que eles enlouqueceram a defesa do outro time , porque trocavam passes curtos e certeiros sempre triangulando e esperando a hora certa de um escapar e ser lançado , achei bem eficiente .

  • edison munhoz (porco) diz: 21 de julho de 2010

    o giuliano não pode sair do time, quem deve sair éo dalesandro

  • Vanderlei diz: 21 de julho de 2010

    Acho que no decorrer do tempo acontecerá duas substituições…….nesse mesmo esquema claro…….Giuliano e Sobis no lugar do Taison e Alecone!!!!!!!!!!!!
    Perfeito

  • homero felipe diz: 21 de julho de 2010

    bom,os 3 primeiros do meio,são estes,ninguém discute,só q sandro,q vinha jogando mto,será prejudicado,ja q matias ficava para sandro sair,com guinazu e tinga,muda mto,porque eles tem caracteristicas bém diferentes de matias,eu prefiro giuliano do q dalessandro,e na frente,tem q jogar,tysom e sóbis,vamos ver!!!

  • papai eh o maior diz: 21 de julho de 2010

    Só um problema se tirar o Alecone. Quem vai cabecear na área?

  • Jeová diz: 21 de julho de 2010

    queria perguntar se o Tinga não teria caracteristicas para ser o terceiro meio campo ofensivo do inter como vinha sendo com o Giuliano, Dalessandro e Taison? Ps: Se possível gostaria de uma resposta.

    Muito bom os posts. principalmente os que contam as histórias das tática do futebol mundial!

  • Éverton diz: 21 de julho de 2010

    Sou gremista, mas vou dar pitaco como apreciador de um bom debate.

    O D’alessandro é claramente um distribuidor de jogadas, ou seja… funciona muito melhor jogando centralizado.

    Acredito que um 4-4-2 em losango aproveitaria melhor as características de cada jogador.

  • Patrick Nunes da Silva diz: 21 de julho de 2010

    Olá Eduardo, eu participo de um blog sobre WE9/PES5, colaborando com algumas análises táticas… Gostaria de saber se terias como me informar quais são as ferramentas que utilizas para criar os desenhos táticos. Ficaria grato se pudesse me ajudar, mas também entenderei e continuarei lendo com todo entusiasmo teu ótimo blog.
    Grande abraço e parabéns pelo trabalho!

  • TK diz: 21 de julho de 2010

    Tirar um dos apoiadores e montar um 4-2-3-1 com um volante mais defensivo, outro mais ofensivo… seria o óbvio.

Envie seu Comentário