Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

O 3-5-2 de Silas no Grêmio

30 de julho de 2010 18

Não assisti à integra do empate em 2 a 2 com o Cruzeiro, mas conto neste post com a orientação da colega Tati Lopes, setorista de Grêmio do clicEsportes, para descrever o 3-5-2 organizado pelo técnico Silas. Sistema tático com o qual o Tricolor deve disputar o Gre-Nal 382 do próximo domingo.

O 3-5-2 do Grêmio tem triângulo de base baixa no meio-campo. São três zagueiros, sem líbero, suscedidos por uma linha com dois alas e dois volantes; mais à frente há um organizador central, e na frente combinam-se um atacante de movimentação, e outro de referência.

Na zaga, Rodrigo é o “homem da sobra”, deturpação do líbero na importação do sistema pelos técnicos brasileiros – Ozeia e Rafael Marques jogam pelos lados; Adilson cuida da esquerda e Ferdinando da direita nas coberturas à frente da área; Douglas é o vértice ofensivo do triângulo de meio-campo, enquanto Jonas e Borges formam a dupla de ataque.

O principal diferencial para se obter sucesso neste 3-5-2 é o uso de meio-campistas nas alas. Maylson e Hugo são os jogadores incumbidos de marcar o lateral adversário, e apoiar Douglas na criação. Embora possam sofrer com a atribuição defensiva da função, o êxito deste sistema depende da participação de ambos nas jogadas centrais. Quando um tiver a bola pelo lado, o outro precisa fazer a diagonal para o meio, apresentando-se como opção de passe ou conclusão, e descentralizando a marcação sobre Douglas.

O risco, para o domingo, é confrontar o 3-5-2 brasileiro com o 4-2-3-1 do Inter. Continuo acreditando, na teoria, que há desvantagem à estratégia defensiva dos três zagueiros quando se depara com meias-extremos ofensivos, pelo sistema de marcação individual aplicado a ela.

Pelos treinos, o domingo apresentará um duelo entre Ozeia e Rafael Sobis, e entre Rafael Marques e Giuliano. Dois zagueiros lentos contra meias-atacantes rápidos e ágeis. Hugo e Maylson não podem auxiliar na marcação, pois estarão algemados à marcação individual dos laterais colorados. É um risco, que certamente Silas – treinador profissional e ex-jogador de grande passado – calculou ao se decidir pelo 3-5-2, se realmente for este o sistema do Grêmio para o Gre-Nal do Beira-Rio.

Comentários (18)

  • Felipe C. diz: 30 de julho de 2010

    Os técnicos brasileiros (com poucas exceções: Tite, Muricy…) não sabem utilizar o esquema 3 5 2.
    Pensam que estão se resguardando na defesa, mas na verdade não estão. É um esquema ofensivo e precisa de jogadores rápidos.
    E principalmente esse 3 5 2 do Silas, onde jogam realmente dois alas (e diga-se: Hugo marca muito mal e se movimenta pouco…) lentos.
    O principal erro de Silas, além de achar que está se protegendo, é que seus “alas” escolhidos não são rápidos – o que entendo necessário para uma boa mecânica do 3 5 2.
    Portanto, o Grêmio vai aberto para o Gre-Nal, totalmente desprotegido e a zaga vai ficar no mano a mano com os meias e com o Alecsandro.
    Proteção todo mundo sabe que são as malditas linhas de 4 ou até uma linha de 5 no meio, como jogou o São Paulo contra o Inter.
    Acho que essas opções somente devem ser usadas quando o time está em inferioridade numérica ou em fase horrorosa. E por favor: usar as linhas somente sem a bola…
    Preparem-se para uma derrota e queda de Silas.
    Quero ver o Grêmio segurá-lo se perder…

  • Jonas Rafaelo diz: 30 de julho de 2010

    Não acho que o Silas tenha calculado risco nennhum. Já conhecemos seu modo de operação o suficiete pra saber que ele é simplorio demais pra calcular qualquer coisa. Seu modo de pensar é simplista, ele acha que o sitema melhorou o time e pronto. Como não sabe mais o que fazer, vai se agarrar a isto e esperar pelo melhor…

  • zanda diz: 30 de julho de 2010

    Tudo bem, é mais fácil Ozeia e Rafael Marques pegar Giuliano e Sobis do que os véi oda zaga do Inter pegá Jonas e Borges. Domingo é barbante nos coloridos. Dá-le Tricolor !!!

  • leandro diz: 30 de julho de 2010

    Só o esquema do inter nao é arriscado, como sempre imparciais.

  • luiz carlos p monte diz: 30 de julho de 2010

    O Silas está perdidão, desorientado, apavorado. O cara não sabe o que faz, está tonto. Ele acha que achou um jeito de não perder, mas o risco de nova derrota, agora para os reservas dos coloridos, é enorme. Vejamos: tres zagueiros ruins, dois alas que não são alas, dois marcadores no meio, um armador sozinho, e dois atacantes isolados na frente, que jamais vão receber bola. O Grêmio é um caos técnica e taticamente. Mas em compensação temos uma certeza: temos uma direção inócua, incopetente, cega e azarada. Seja o que Deus quiser. Quem sabe a gente consiga uma dose de sorte, sim, somente sorte ou um dia muito ruim dos coloridos, mesmo com reservas.

  • ELTON diz: 30 de julho de 2010

    O Grêmio titular é obrigado a vencer os reservas do Inter. Não há outro resultado aceitável.

  • Edilson diz: 31 de julho de 2010

    Concordo com o risco do sistema, mas devemos concordar que na campanha do ano passado com o avaí, o silas usava um atacante na ala direita, se não me engano o Luís Ricardo e o Eltinho/Uendel na ala esquerda. Ele deve saber posicionar muito bem o Ferdinando nesse sistema e o Adilson. Nesse sistema de 3-5-2 com 5 meias, gostaria de ver o mário de stopper pela direita e o neuton na esquerda, com um zagueiro bom de cabeçeio na “sobra”, acho que seria um bom esquema assim.

  • Leonardo Sander diz: 31 de julho de 2010

    Sou colorado, mas não entendo(Porém gosto, pq pra mim é um erro, e qnto + erros no Grêmio melhor) o W. Magrão no Banco, o time da azenha-na minha opinião- ia se dar mto melhor num 3-4-3, com: Victor; Mário Fernandes(por enqnto Simon), Rodrigo e Neuton; Adilson, W.Magrão, Rochemback e Hugo; Roberson(ou o atac. veloz q eles tanto qrem), Jonas e Borges. Mas do jeito que tá, tá bom, e não deve mudar. FICAAAA SIILAAAAAASSS!

  • Wagner diz: 31 de julho de 2010

    ôh Cecconi… pisssiuh… para de alarmar os gansos… depois tu comentas…

  • Rafael Silveira diz: 31 de julho de 2010

    Fala Cecconi
    Uma ajudinha:
    O 3-5-2 para funcionar, necessita que os alas fechem no meio como 2º volante quando o ataque está no lado contrário. Uma vez conversando com o Técnico Claudio Duarte ele me falou que é difícil funcionar no Brasil, pois os “alas” geralmente são laterais, e quando atacados pelo lado contrário, compõem como “zagueiro”, com isso falta gente no meio campo para marcar. Exemplificando: Dentro da tua análise do Grêmio, quando o ataque Colorado for pelo lado esquerdo defensivo do Grêmio, Hugo será lateral, Rafael Marques Zagueiro e Adilson saírá da frente da defesa para a cobertura, assim para Ferdinando não ficar sobrecarregado tendo que marcar dois meias, Maylson deve entrar como Volante para auxiliar a marcação. Quando for do lado esquerdo invertem-se os papéis.
    Pode dar certo pois os dois alas Tricolores são Meias improvisados, e tem o “cacoete” do meio campista.
    Além disso, como Douglas não marca ninguém, o sistema seria 3-4-1-2, porém acho que seria mais prudente se fosse 3-4-2-1, empurrando o Douglas pelo lado esquerdo e recuando o Jonas para a meia direita.
    Abraço do colega
    Rafael Silveira
    RS Esporte

  • Ramon diz: 31 de julho de 2010

    Muito boa a análise tática que tu fizeste.
    Gosto deste tipo de comentário analisando os times taticamente. Futebol pensado.

    E dá-lhe Colorado pro final de semana, tchê!
    Vamos meter 3 a 0 no Grêmio.

    Abraço

  • Rodrigo diz: 31 de julho de 2010

    Pois é Secconi. E adivinha quem vai se lascar de novo? Os volantes, só pra variar. Menos mal que o Rochemback não joga, senão coitado do Adílson. Ferdinando chora de ruim, mas pelo menos se dedica às tarefas defensivas. Ótimo post só pra variar. Parabéns pelo melhor blog de táticas do Brasil.

  • Alex diz: 31 de julho de 2010

    Esquema muito perigoso se o Inter jogar com os titulares. Se bem que, os reservas do Inter, são melhores que os titulares do Grêmio.

  • Cristiano diz: 31 de julho de 2010

    Cecconi, pelo que eu vi contra o Cruzeiro, é como se o time jogasse com um a menos quando tem a bola, pois o Rodrigo quase nem aparece, mas quando é atacado sempre tem sobra, sendo que os zagueiros lentos falham bastante. A estratégia é abrir mão de uma maior posse de bola, que o time costuma ter mesmo quando perde, para ter mais segurança defensiva. Acho que não seria necessária essa formação pois sem o Rocembach e, tendo o Ferdinando na frente da área, eu preferiria fazer um losango no meio-campo tirando o rodrigo e acrescentando outro volante mais ágil, por exemplo o magrão, mais aí a questão passa a ser o velho problema da lateral-esquerda. Talvez com o que Grêmio tem hoje, o Silas não esteja errado dentro do que lhe é possível.

  • Leonardo diz: 31 de julho de 2010

    Na tua teoria o Ferdinando e o Adilson não marcam ninguém!

  • Azulão diz: 31 de julho de 2010

    O esquema 3 x 5 x 2 que voce fala do Grêmio na minha opinião não existe.
    O Grêmio joga num 3 (Ozéia,R.Marques e Rodrigo) , 4 ( Maylson,Adilson,Ferdinando e Hugo);1 ( Douglas) ; 2 ( Jonas e Borges) ou seja 3 x 4 x 1 x 2 .
    O Grêmio joga com uma linha de tres zagueiros , na sua frente uma linha de quatro , depois na frente desta LINHA DE QUATRO joga um o Douglas e dois atacantes.
    O Grêmio procura um esquema para o Douglas que não marca , não corre , não lança ,não chuta a gol e não pifa os atacantes além de se arrastar em campo.
    Na minha opinião nunca teremos um time competitivo com este jogador que o Grêmio pagou 3 milhões de dólares e é pior que o Tcheco .

  • Augusto Carpazano diz: 31 de julho de 2010

    O grande defeito desse 3-5-2 do Silas é a linha de meio campo muito atrás. Jonas e Borges ficam vivendo de lançamentos longos. Os jogadores do futebol brasileiro não conseguem jogar nesse sistema, definitivamente, nem mesmo na parte defensiva. O problema, é que o Grêmio não tem laterais direito e esquerdo competentes para fazer a linha de 4 na defesa. Os zagueiros Mario Fernandes e Neuton são usados pois os especialistas da função- Edílson e os machucados Fábio Santos e Lúcio- não conseguem um bom desempenho.
    Ainda bem que o Inter vai de time reserva. Parabens, Cecconi!
    Grande post.

  • Onilton O. diz: 2 de agosto de 2010

    Esse 3-5-2 fecha melhor os espaços dos adversários do Grêmio, mas sem pelo menos um volante que saiba jogar/armar os alas ficam distantes dos atacantes e o Douglas fica perdido. Lembro o 3-5-2 do Tite, que tinha Eduardo Costa (na contenção), Tinga (volante armador) e Zinho (armador). Talvez uma alternativa seja colocar o Maylson como volante-armador (sai o Ferdinando, recua-se o Adilson) e promover o Souza na ala-direita.

    Abraços.

Envie seu Comentário