Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Alex comanda as linhas britânicas do russo Spartak

21 de agosto de 2010 6

Assisti hoje pela manhã à vitória do Spartak Moscou sobre o Tomsk, na transmissão do Campeonato Russo da ESPN. E foi bom acordar cedo para conferir os desempenhos de uma dupla brasileira que rege o meio-campo alvirubro com muita qualidade: Alex e Ibson.

Comecemos pelo sistema tático. O Spartak é russo, mas se utiliza do britânico 4-5-1 em duas linhas (ou 4-1-4-1). Na defesa permite-se o apoio moderado dos laterais, que recebem a cobertura do volante central Shyeshukov. Logo à frente, outra linha, com dois meias-centrais (Alex e Ibson), e dois extremos (Kombarov e o brasileiro Ari). No ataque, mais um natural do Brasil – o centroavante Welliton.

Alex, ex-Inter, é a referência técnica. Não há jogada que transcorra sem passar pela sua habilidosa canhota. Não atua como um “box-to-box” característico do futebol inglês, mas sim como um organizador tipicamente brasileiro: passe longo e aproximação para a conclusão. Distribui as jogadas, lançando os laterais ou os extremos, virando o jogo, ditando a velocidade, controlando a posse.

Ibson, este sim, reveste-se da função do jogador que combate em seu campo e conduz a bola à região adversária. É o box-to-box do Spartak, ou o carrillero para quem prefere a denominação argentina, ou ainda o apoiador para nós brasileiros. Do meio para a direita, oferece a Alex uma excelente opção de passe, ingressando por entre volantes e zagueiros para receber.

É uma combinação que dá vitalidade à linha de meio-campo: um organizador cerebral, e um apoiador. Ambos, ainda, beneficiam-se do oportunismo de Welliton, jogador do último toque, da conclusão das jogadas. Alex e Ibson trabalham a bola, sob a proteção de Shyeshukov, chamam os wingers para as tabelas, e acionam Welliton na área.

Não é um time brilhante, mas a análise é curiosa pela reunião de culturas diferentes no futebol: time russo, sistema britânico, característica brasileira.

Comentários (6)

  • matheus diz: 21 de agosto de 2010

    O ANO QUE VEM O ALEX VAI VOLTAR PRA CONQUISTAR O TRI DA LIBERTADORES

  • mateus diz: 21 de agosto de 2010

    Antes critica o 4-1-4-1 do City dizendo que o primeiro número 1, o volante não dá certo pois fica muito defensivo, agora vem dizer que o esquema é o canal. Tá se contradizendo. ha ha ha ha. Acho essses esquemas com só 1 atacante uma furada. Me aponte um time vitorioso que jogou apenas com um atacante?

    Não vale o Inter, pois essa de 4-2-3-1 é balela. O Taison é atacante e sempre foi, e não tem essa de que joga recuados que eu não vi isso na prática.

    Falaram que esse 4-2-3-1 foi a sensação da Copa, não vi isso, entre os quatro primeiros colocados, tivemos dois no 4-4-2 tradicional e dois times no 4-3-3, isso já é o suficiente para provar tudo.

    Bom, agora vou deixar você continuar suas análises, pois gosto muito delas, e não é por discordar de uma que mudarei minha opinião sobre o que você escreve.

    Um abraço e parabéns pelo ótimo trabalho.

  • mauricio burmann lopes diz: 21 de agosto de 2010

    Cecconi, tb vi o jogo, não tenho o seu conhecimento p/ realizar a mesma leitura mas o time me chamou a atenção sim, o Alex sem dúvida é o cérebro do meio campo, gostei do jogo em si, os russos vem melhorando e em breve a Rússia srá mais uma potência do futebol mundial. Lá está um mercado para times brasileiros repatriarem, pois nem todos se dão bem como o Alex e Ibson em função da temperatura, pena que acabou a janela de transferências.

    Abraço

    Mauricio Burmann Lopes – Pres. FUNDADOR CONFRAINTER – BG…sempre acompanhando os

    ídolos colorados pelo mundo afora.

  • paulo diz: 21 de agosto de 2010

    JOGA M UITO ESTE ALEX, EX INTER, TOMARA QUE VOLTE LOGO, QUE SAUDADES DEIXOU..

  • arthur diz: 21 de agosto de 2010

    Alex deve ser sondado caso D’Alessandro saia após o Mundial no final do ano, jogador que tem o Inter no sangue e joga tanto quando o gringo com a vantagem de ter um potente e certeiro chute de canhota. Aí sim teriamos uma equipe forte para o Tri o ano que vem, e ai amigos seriamos os Reis do Sul, com um reinado que se perpetuaria por todo esse novo milênio.

  • Anderson C. A. diz: 21 de agosto de 2010

    MATEUS: Yaya Toure e Barry são diferentes de Ibson e Alex – Shyeshukov não conheço para saber se é diferente de De Jong.
    E não, Taison não joga como atacante, ele joga como um winger, ponta, meia aberto pela esquerda. Vejo alguns – até em programas esportivos! – dizendo que o Inter é 4-4-2. Falta de conhecimento, não sabem ler o jogo. É bem fácil perceber o 4-2-3-1 do Inter, com o Tinga jogando dá até para chamar de 4-2-1-2-1 inclusive. O Tinga é o “1″ entre Sandro & Guiñazú e D’alessandro & Taison abertos.

Envie seu Comentário