Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

É um absurdo pensar o Grêmio no 4-5-1?

27 de agosto de 2010 125

Sei que este debate pode provocar atrito com a imensa comunidade de fãs do atacante Jonas, por exemplo. Portanto, antes de introduzir o assunto, lembro que o blog Preleção é um fórum para se discutir teoria tática e que é muito importante a participação construtiva dos leitores. Quem discorda da ideia por favor faça isto com argumentação.

Sem entrar no mérito político, organizacional ou estrutural, o Grêmio tem muitos problemas em campo. O principal é a falta de um bom primeiro volante, de um camisa 5 que ofereça verdadeira proteção à linha defensiva, com posicionamento correto, combate qualificado, e bom passe; depois há a carência de laterais, que pode ser resolvida com Gabriel, e com Lúcio retornando à boa forma; mas eu acredito, ainda, que a insistência no 4-4-2 para dar espaço a Jonas também possa ser relacionada entre os problemas.

Contra o Santos o Grêmio jogou no 4-4-2 (conforme o diagrama tático que abre o post). Renato Portaluppi formou a defesa convencional de quatro jogadores, alinhou dois volantes à frente, abriu Souza pela esquerda, deixou Douglas flutando entre a direita e a articuação central, liberou Jonas para se movimentar à vontade, e centralizou Borges no pivô. Os laterais receberam autorização para o apoio. Com marcação agressiva no campo adversário, este modelo funcionou bem no primeiro tempo, mas se desorganizou na segunda etapa.

Há muita instabilidade no meio-campo gremista. Boa parte dos jogadores oscilam demais em suas atuações. É um risco despovoar este setor. Quanto menos jogadores no meio-campo, maiores são as chances de perda da posse de bola, ou de vulnerabilidade defensiva. Acredito que o 4-5-1, qualquer que seja a variação, é uma boa alternativa para amenizar este desempenho desequilibrado dos volantes e meias.

Nesta projeção, é possível se cogitar a saída de Jonas, dando lugar a mais um volante, ou a mais um meio-campista ofensivo. Apesar dos muitos gols marcados – é um dos principais artilheiros do futebol brasileiro em 2010 – Jonas destaca-se pelo jogo para si. Ele é um atacante que não se integra ao coletivo. Quando recebe a bola, dribla até abrir espaço, e chuta. Faz poucas assistências, troca poucos passes, triangula pouco. Recebe e chuta. Assim fazia gols, mas quando não acerta o alvo, apenas devolve a bola para o adversário.

A primeira alternativa no 4-5-1 seria o desdobramento para o 4-2-3-1. Modelo que se tornou tendência após a Copa do Mundo. Com todos os bons jogadores à disposição, projetei o seguinte:

Gabriel e Lúcio apoiariam alternadamente, recebendo cobertura do respectivo volante do setor. No meio, Souza, Douglas e Maylson (ou Leandro) atuariam agrupados. Quando Souza recebesse na esquerda, atrairia Douglas para a triangulação, e Maylson ingressaria em diagonal para auxiliar Borges na área. Valeria o mesmo do lado contrário: Maylson (e Gabriel) com Douglas fechando o triângulo, Souza em diagonal na segunda trave. E um volante adiantando-se para o rebote ofensivo.

A outra possibilidade é o 4-3-2-1 “Árvore de Natal” – o sistema Christmas Tree de Carlo Ancelotti no Milan: tripé de volantes, dois meias centralizados e um atacante. Alternativa mais defensiva, concentrando ainda mais o posicionamento dos jogadores na faixa central, para proteger a defesa e manter a posse de bola com jogadas curtas.

Sei que é um tabu para os torcedores cogitar a troca de Jonas por um meia ou por um volante, principalmente porque as opções não empolgam: Maylson, Adilson, Leandro, Fernando, Magrão, Rochemback, Douglas, Souza…todos oscilam, todos alternam boas e más atuações. Mas o Grêmio está precisando de maior consistência no meio-campo. E a regularidade de atuações recentes de Jonas, dominando e chutando, tem sido baixa.

Comentários (125)

  • Glaucio diz: 27 de agosto de 2010

    esse 4-5-1 foi a formação do 1º jogo de grêmio no ano, contra o pelotas.
    estávamos perdendo por 2×0, daí entraram jonas e maylson, e viramos a partida.
    claro, as peças eram outras, não tem comparação. Eu gosto dessa 1ª idéia,
    mas prefiro o neuton de lateral (recuado) e lúcio no meio. Souza banco.
    mas meu esquem preferencial hoje é o 3-5-2:
    victor
    Vilson-rafael-neuton
    róca-adílson
    gabriel-douglas-lucio
    Borges-André Lima

  • Tiago Aguiar diz: 27 de agosto de 2010

    Acho difícil um retorno do Lúcio com a mesma qualidade que ele apresentou la em 2007. Não acredito que ele ainda possa render o suficiente para retomar a posição. Acredito que a melhor opção para esta lateral esquerda do Grêmio seja Neuton.. Este esquema apresentado pode ser uma boa solução até renato conseguir encaixar o time e sair da zona de perigo, somente assim, partindo para uma readaptação gradual a um esquema com 2 atacantes (Boges e Jonas).

  • Fabio diz: 27 de agosto de 2010

    Bom dia! Ótima análise! É notório que o Jonas vem atuando mal a algum tempo, e acho bem pertinente o 4-5-1 que você sugere. Estamos mesmo precisando povoar o meio pra melhorar defensivamente. Se os jogadores de meio se aproximarem para fazerem as triangulações aí então este esquema pode dar bons resultados.
    Um pouco fora do assunto do post, mas parece nítido que depois da copa o preparo físico dos jogadores do Grêmio está muito mal, em todos os jogos desabamos no segundo tempo. Que deem jeito nessa questão com urgência!!

  • Guto diz: 27 de agosto de 2010

    Oi Cecconi.

    Acho que antes de trocar o esquema, poderíamos tentar o Leandro como segundo atacante no lugar do Jonas. É a posição de origem dele, e até agora, ele não rendeu muito como meia.

    Outra coisa que penso é que poderíamos tentar um losango no meio, com um volante mais próximo da nossa zaga(que é de longe nosso setor mais fraco), souza pela esquerda, rochemback/maylson pela direita e douglas como ponta distribuindo a bola para os atacantes.

    Justa a mudança nas laterais…hoje, nossos laterais não marcam, e não aproveitam os espaços deixados pelos adversários, vide jogo contra o Santos. Se o Lúcio não voltar bem, acho que Neuton deveria ter preferência sobre F. Santos.

    Entretanto, ao optar pelo 4-5-1, seja qual for a variação, creio que a camisa 5 tem de ser do Adilson. Não é um excelente volante, mas é o mais marcador dos que temos hoje, e tem passe melhor que o do Ferdinando(o que não é grande coisa, eu sei). Tanto o Magrão quanto o Rochemback gostam de sair para atacar, e chutam melhor, sendo assim, poderiam aproveitar melhor as bolas de rebote da defesa adversária.

  • Angelo diz: 27 de agosto de 2010

    Ou seja, o Grêmio não tem muitas soluções.
    Regularidade é quase característica chave.
    Se fosse um mata-mata, talvez seria posto um pouco mais de lado, mas no brasileiro regularidade é fundamental.
    Ainda oferecendo um pouco de regularidade, acho que o grupo do Grêmio não tem jeito.
    Não vai rebaixar porque tem times piores, mas também não vai alçar vôos muito longos.

  • Rafael diz: 27 de agosto de 2010

    Cecconi, você não acha que as opções de Gabriel e Lúcio para as laterais criariam ainda mais problemas defensivos para o Grêmio, já que os dois não são bons marcadores?
    Mário Fernandes e Neuton, zagueiros de origem, não seriam melhores opções para resolver esse problema pontualmente?
    Entendo que, por mais que você coloque três volantes, os três (Magrão, Rochenback, Adílson) não têm características de primeiro volante. Somando-se isso com dois laterais mais conhecidos pelo apoio que pela marcação, acho que desequilibraria o time.
    Gostaria de sua opinião sobre isso.

  • Michel Bado diz: 27 de agosto de 2010

    A tática do futebol é simples. Os melhores JOGAM!

    Jonas está melhor que Leandro e melhor que Mailson…. Não pode colocar um cara bom no banco e colocar que oscila mais em jogo por conta da tatica.

    Gabriel e Lúcio, concorco.
    Zaga com Mario e Vilson.

    É futebol, é simples. Vou colocar os 11 melhores, entra lá e joga com o coração. Pronto.

  • Milton diz: 27 de agosto de 2010

    Gosto muito desse 4-5-1.
    mas pode fazer com o jonas mnais recuado e nao colocando maylson ou leandro.
    abraçoo

  • Mateus diz: 27 de agosto de 2010

    eu axo um absurdo tu qrer tirar o atacante com mais gols q o Grêmio tem. Esse esquema o Silas jah tentou usar varias vezes e n deu certo… pra acertar a parte defensiva axo q o Grêmio deveria jogar em um 3-5-2. Victor, Saimon, Vilson e Rafa Marques, Gabriel, Adilson, Maylson, Souza e Lucio, Jonas e Borges… Usaria o Maylson como um coringa no meio campo, akele segundo volante q n eh fixo… qdo esta atacando ajuda qdo o time esta sendo atacado joga mais fixo… ele tem uma saida rapida(Maylson eh segundo volante de origem, mas no Grêmio esta sendo utilizado como meia e até lateral)… n axo certo se desfazer dessa dupla de ataca q no primeiro semestre fez mtos gols, o time precisa de gols para vencer jogos… n precisa abrir mão dos 3 zagueiros ajudaria mais acredito eu….

  • Arlindo Rese diz: 27 de agosto de 2010

    Prezado Eduardo Cecconi.

    Na minha opinião, não tiraria o Jonas do time, mas sim o Douglas. Esse já é conhecido como Douglas ¨O Mão nas Cadeiras¨. É habilidoso? Sim. Tem técnica apurada? Sim. Marca? Não. Faz gol? Raramente. Por isso, seria bancário. Tipo Andrezinho ou Juliano, no Inter, podendo entrar no decorrer dos jogos. Quem sabe? Abraços de um GREMISTA que não perde a fé. Arlindo

  • Borges diz: 27 de agosto de 2010

    Prezado, muito bom. Parabéns! Achei interessante e já tinha pensado nisso, mas não com mais um volante ou entrada de um meia, até porque o Grêmio está todo perdido: Maylson entraria como meia, mas é volante, Leandro entraria como meia, mas é atacante. Eu proponho o mesmo desenho do seu segundo quadro, com Borges na frente e Jonas recuando pra compor o meio, mais ou menos como fez o Tyson no esquema do Roth: Lá era: Dale, Tyson e Andrézinho/ Giuliano… Aqui seria: Douglas, Jonas e Souza, com Borges na frente. O que você acha disso? Lembrando que Jonas quando passa é qualificado, tem certa velocidade e atuou no meio quando era do Guarani. O que me diz? Se possível, escreva sobre esta possibilidade. Quem sabe desta forma eu possa contribuir com o meu time. Parabéns pelo excelente trabalho. Abraços…

  • Filipe Baggio diz: 27 de agosto de 2010

    Prezado Eduardo,
    Tua escalação de 4-5-1 é interessante, porém, ao meu ver, Souza joga melhor pela direita. Neste caso, considerando que o Jonas sempre recua ao meio campo, cercando os adversários e tentanto roubar a bola, porque não descolcar ELE para uma “falsa” meia esquerda? Jogaria como um Carlos Eduardo de 2007. Aproveita-se, inclusive, sua velocidade.
    De qualquer forma, prefiro o 2.° modelo de time, o qual conta com três volantes, sendo que o Maylson, mas tem de ser este, não o Leandro, jogaria como um terceiro homem, algo semelhante ao Elias, Tinga e Ramírez, guardadas as proporções. Neste caso, jogaria SÓ Douglas na frente, com Jonas e Borges.
    Em tempo: Para mim, Douglas e Souza só podem estar em campo juntos se for em times adversários.
    Abração!!
    Filipe

  • LEONARDO ST. diz: 27 de agosto de 2010

    Pensei num 4-3-1-2, com 3 volantes de marcação, onde Douglas ficaria livre para suprir os atacantes. Nesse caso, Souza iria para o banco.

    A discussão é pertinente. Concordo que o problema do Grêmio seja tático, afinal a herança do Pastor foi muito pobre.

  • Tiago diz: 27 de agosto de 2010

    PQP!!! Manda essa analise para o Rentato urgente….

  • Gilmar diz: 27 de agosto de 2010

    Olá… também concordo plenamente, pois o Jonas tá devendo faz tempo, e ainda é muito individualista!!! Já que nossa defesa não é nehuma “brastemp”, temos que proteger ao máximo colocando um meio-campo mais marcador, com 2 ou 3 jogadores que marquem de verdade, aí poderia soltar o Douglas e Souza para chegar a frente!! Só a Zaga que colocaria o Vilson no lugar do Rafael Masrques… e o Adilson tem que ser titular absoluto no meio… Dependendo do adversário, tiraria o Douglas ou Souza e colocaria o André Lima na frente ao lado do Borges, pois assim teríamos uma ótima jogada de área!! Sem falar na raça do André Lima para ajudar na marcação!!
    Era isso, Vlw!

  • Thiago dos Reis diz: 27 de agosto de 2010

    Souza e Leandro são excelentes jogadores.

    Queria qualquer um dos dois no SPFC.

  • Rodrigo Alves diz: 27 de agosto de 2010

    Eduardo,
    Concordo como esquema 4-3-2-1, mas acho que teríamos que ter mais marcação no meio com o Maylson Ou Rochenback jogando na base do triangulo, como o Tinga ou Giuliano jogam no Inter. Na verdade acho que o modo que o Tyson estava jogando no inter é como o Jonas tem que jogar no Grêmio. O time deveria jogar com Victor, Gabriel, Vilson, Rafael Marques e Lúcio (Gilson), Adilson, Magrão (Rochemback) e Maylson (Rochemback), Douglas (Souza) e Jonas (Souza) (Leandro), Borges. Teríamos que jogar com três volantes principalmente porque os nossos novos laterais irâo apoiar mais e a marcação não é o forte deles. Acho que o Renato ao colocar o Souza de capitão e titular agiu de forma precipitada pois ele ainda não está 100% para ser titular, pois está voltando e ainda está sem ritmo de jogo. E para quem viu o ultimo jogo,o Souza jogou muito bem no primeiro tempo, mas no segundo tempo caiu muito de produção física e técnica

  • Vitor Almeida diz: 27 de agosto de 2010

    Cecconi.. Parabens pelo post… mas eu acredito que o 4-2-3-1 seria a melhor alternativa… sou treinador d um time d futebol amador… e se eu fosse do gremio.. armaria com o que eu acho que se tem de melhor em termos de técnica mas tragaria uma peça importante que assina com o Gremio a qualquer minuto… Victor (goleiro de selecao) Gabriel( tecnico deixar atacar), Mario Fernandes (ao meu ver o melhor zagueiro pelo lado direito), Neuton (sim daria chance ao garoto, que podera se tornar o melhor zagueiro dos ultimos tempos do tricolor), Lucio (nao temos nada de melhor no momento… mas teria que vir com folego de 2007), SANDRO GOIANO (e ai seria minha unica contratacao, raça.. .o Gremio sempre teve um “DINHO” a frente da zaga), Magrão (otimo volante, rapido e com habilidade pra sair jogando e sabe fazer gols), Maylson (com ele o Gremio sempre foi bem.. Lembra como foi bem no Gauchao??!!), Souza (se joga a metade q fala nos microfones me serve e mtooo, e tem bola parada), e aqui uma novidade, repatriaria Mithyuê (teriamos nosso Ganso com habilidade pra deixar o nosso avante na cara do gol sempre), Borges (meu unico centro-avante, sabemos q na frente do go, a cada duas na cara do gol uma é caixa)… entao a principio seria esse o MEU GRÊMIO… Victor, Gabriel, M. Fernandes, Neuton, Lucio, Sandro Goiano, Magrão, Maylson, Souza, Mithyuê e Borges…

  • Fabricio diz: 27 de agosto de 2010

    Eduardo,
    A tentativa de arrumar o time do Grêmio (que apresenta falhas táticas enormes) com um sistema diferente é bastante válida, mas eu descordo com a ideia de povoar o meio de campo para alcançar maior estabilidade do time. Como exemplo temos o jogo conta o Ceará, onde o Grêmio atuou muito tempo com um atacante somente e o time não conseguiu manter posse de bola e força ofensiva. Na minha leitura, porque os jogadores simplesmente se amontoaram na intermediária defensiva e círculo central, de forma a não ocupar os espaços que o campo oferecem. Com a bola nos pés, o Grêmio não tinha saída de jogo e simplesmente devolvia a posse ao adversário.
    A convicção de um sistema como o Christmas tree do Ancelotti funcionar é baseado na montagem de uma defesa muito forte e ter dois os três jogadores fora de série na frente, que podem resolver a parada em lances isolados. No caso do Grêmio, todos sabemos que isso não vai acontecer.
    Sabemos que o principal problema no meio de campo do Grêmio é que temos dois jogadores de fraco combate e ocupação de espaço: Souza e Douglas. Para piorar, com a bola nos pés eles tendem a travar a jogada e tentar lances longos, quando na maioria das vezes o correto seria a aproximação e toques curtos. Tecnicamente sou fã do futebol de ambos, mas taticamente eles dificultam bastante a vida dos seus times.
    Talvez a melhor solução seria optar por um losângulo clássico no meio, fixando um volante na proteção à defesa e mantendo somente um dos meias à frente, com dois jogadores de maior combate compondo as arestas – Adílson pode fazer um desses papéis. Porém, para esse sistema funcionar o time dependo do apoio de qualidade dos seus alas – e hoje o Grêmio não pode contar com isso.
    Aliás, eu não escalaria Mario Fernandes na defesa. Para mim suas qualidades de saída de bola, movimentação e técnica em espaços curtos superam sua imposição física e posicionamento – estes últimos imprescindíveis para um bom zagueiro. Acho que ele vai se tornar o grande jogador que todos esperam quando se dedicar a jogar na lateral ou ala – ou até primeiro volante.
    Abraço.

  • Marcelo diz: 27 de agosto de 2010

    Gostei da leitura tática. Porém discordo de alguns pontos, os quais, aliás, mostram que o departamento de futebol do Grêmio não sabe nada de futebol. Pra começar, Maylson não é meia. É volante. Um jogador que tem muito poder de marcação e velocidade, mas sem qualidade no passe e na finalização (só marca gols dentro da pequena área). Segundo, Rockemback é terceiro homem de meio. Não tem velocidade nem explosão. Ajuda na marcação, mas quando joga de segundo homem, se expõe demais, faz faltas e leva cartão em todos os jogos. Por fim, Jonas é um grande atacante. Está nitidamente sendo prejudicado pela falta de futebol coletivo do Grêmio, a maior herança de Silas. Eu acho que a formação ideal seria um 4-3-1-2, com o meio formado por Adilson, Maylson, Fernando ou W. Magrão e Douglas. Jonas e Borges na frente.

  • Cristiano Hans diz: 27 de agosto de 2010

    Ótimo comentário!
    Jonas, infelizmente, não vem contribuindo com o time, e um esquema com um pivo seria o ideal (lembrando que Mano Menezes adorava utilizar esse esquema no Grêmio, e deu resultado).
    Agora o ideal seria colocar o Maylson no lugar de Jonas, pois este apresenta mais caracteristicas de marcação do que Leandro, que está em fase de decadência, assim como o Souza.
    E por fim, acho que o ideal seria colocar o André Lima aos poucos no lugar de Borges, pois ele tem mais estatura para poder receber bolas aéreas.

  • Alexandre diz: 27 de agosto de 2010

    Concordo totalmente com o 4-5-1 neste momento para o Grêmio. Primeiro, porque torna o time mais robusto quando é atacado – e na situação que o time se encontra, a primeira preocupação deve ser não tomar gols – e segundo, porque com a chegada a frente do Souza, do Douglas e do Maylson, o Borges receberia mais a bola dentro da área, onde ele é realmente perigoso. Seria uma tentativa válida, no mínimo.

  • Mateus Vargas diz: 27 de agosto de 2010

    Para o momento, concordo que essa troca seria boa. a “Árvore de Natal” seria uma ótima forma de se posicionar contra o Atlético-PR e o Djalma Beltrami.

  • Douglas diz: 27 de agosto de 2010

    caro blogueiro. esse 4-4-2 n eh para dar espaço ao Jonas, atacante que soh nao eh tirular no Fluminense.
    esse esquema eh para nao tirar Souza ou Douglas. e isso eh um crime.
    os dois nao podem jogar juntos.
    imagino que o meio campo deva ser um losango: com adilson, magrao e maylson e Souza/Douglas. com fernando podendo entrar no lugar de qual um dois 3 primeiros.
    TODOS os nossos laterias sao mais alas do que laterais, TODOS. por isso eh impossivel jogar com apenas dois marcadores na meia cancha.
    A nossa zaga nao eh de todo ruim, jogue quem jogar. ela bate cabeça muitas veses pois o meio eh fragilizado e a bola do adversario acaba chegando com muita qualidade aos atacantes.
    seria isso. meio campo tem que ter tres “mordedores”. e Souza/Douglas é “arame liso”, soh cerca mas pega que é bom, nada!

    Abraço

  • Fausto Vanin diz: 27 de agosto de 2010

    Cecconi,

    Tua observação é bem interessante, e pode até justificar as más atuações de Douglas no time. Ele está MUITO abaixo dos outros, que por sinal estão jogando mal.
    Certamente com uma proteção maior dos meias não seja necessário jogar tanto com os zagueiros e possamos evitar o chutão para a frente.
    A questão decorrente desta mudança é a ofensiva. Borges, por sempre jogar no pivô, depende da chegada de companheiros para triangular e o time chegar ao gol adversário. Como estará sozinho, talvez sejam necessárias jogadas de ultrapassagens dos laterais para chegar ao fundo. E neste caso cruzar para quem? Sem ultrapassagens as jogadas ficarão centralizadas e, consequentemente, mais fáceis de marcar.
    Resumindo: pensei, pensei e não cheguei a conclusão alguma.

  • EDER diz: 27 de agosto de 2010

    Concordo. O JOnas pode sair, mas com essa defesa (enquanto o Mário não volta) a melhor opção é jogar com três zagueiros, pois com Gabriel e Lúcio, a zaga ficará muito descoberta, pois são dois laterais que não marcam.

  • Gilberto Zimmermann diz: 27 de agosto de 2010

    Concordo com o comentário do Eduardo, o Jonas pode ser o goleador da temporada e tudo, mais o problema é
    que parou de marcar, e ai ele interfere negativamente no time, não produz e não deixa o time produzir, se você
    analizar o numero de chances perdidas é coisa de arrepiar muito disperssivo.

  • luizantoniogermano diz: 27 de agosto de 2010

    eu acho q em qualquer um do esquemas citados pode dar certo,mas oque me parece olhando os jogos do gremio realmente oque esta faltando é comprometimento dos ditos craques do time e com o clube. falta liderança dentro de campo

  • Pedro diz: 27 de agosto de 2010

    Eduardo,

    Tu não achas que o Jonas poderia fazer essa função do meia ofensivo na direita? Em posição semelhante a que o Taison jogava no Inter.

  • Josué diz: 27 de agosto de 2010

    Concordo em parte, Cecconi.
    Acredito na difusão mundial do 4-5-1, mas eu faria uma pequena alteração na conjugação do seu 4-2-3-1. Eu puxaria Jonas para linha do meio campo, possiblitando para ele utilizar uma das suas principais características: partir para cima do adversário com a bola dominada. Ele jogando nesta faixa de campo possibilitaria para ele uma visão maior do campo, pois como foi comprovado nos jogos em que ele jogou como único atacante, ele precisa encarar a defesa de frente e não bater de costas com ela. Outro detalhe no início de carreira dele, na época de Guarani e no início no Santos, ele jogava como meia – atacante devido a capacidade dele no drible curto oriundo dos tempos de futsal.
    Esta é minha opinião.
    Att.

  • Felipe diz: 27 de agosto de 2010

    nao estamos discutindo a saida de um grande jogador, muito pelo contrario, eh o jonas (apesar de ser o artilheiro, nao joga a metade do borges). de repente o maylson por dentro e o douglas aberto na direita, como joga o inter. maylson pode ser o motorzinho (tinga)…

  • William diz: 27 de agosto de 2010

    Bom dia Cecconi

    Eu concordo plenamente com a troca de esquema e com a avaliação que fizestes do Jonas. Mas todas as vezes que propus isso nas rodas de futebol com gremistas a recepção nao foi la muito calorosa, hehe.
    Ah, e eu penso que no diagrama do jogo com o Santos, eu vi Rochembach mais a esquerda e o Magrao/fernando a direita, nao?

    Abraço

  • Lucas Gutierrez diz: 27 de agosto de 2010

    Não iria dar certo o 4-5-1 com os jogadores que tu propõe. Há um problema gravíssimos: DOUGLAS E SOUZA NÃO PASSAM DA LINHA DA BOLA.

    Esses dois jogadores são clássicos armadores. Eles sempre procuram a bola para distribuir o jogo. Ou seja, ao invés de se projetar para receber em profundidade, eles tendem a sempre recuar para receber e armar o time.

    Com os dois no meio campo e só um no ataque o time fica sem profundidade. Acontece o que aconteceu na primeira partida contra o Goiás no Olímpico. Além disso, como eles não marcam e tem pouca disposição para cercar, além de não termos profundidade não temos marcação. É, me desculpe, uma péssima idéia na minha opinião.

    A tese é muito bonita e interessante, mas não se aplica às características dos atletas.

    É o mesmo problema que o Grêmio enfrenta no 4-4-2, com o meio em quadrado, quando os dois jogam no meio. E no frigir dos ovos, o potencial ofensivo do time com os dois e mais dois atacantes ou com apenas um deles e dois atacantes é exatamente o mesmo.

    Para mim é praticamente taxativo: DOUGLAS E SOUZA NÃO PODEM JOGAR JUNTOS (se mantiverem as características que vêm apresentando).

    Não é a toa que o melhor Grêmio do ano tinha dois volante, o Maylson e o Douglas. O Maylson era o “fiél da balança”. Ele jogava como meia, mas um pouco mais recuado, ajudando na marcação do lateral apoiador do outro time. Isso colocava o Grêmio num 4-4-2 com o meio num losango assimétrico.

    Depois o Silas errou tudo ao colocar o Hugo ou o Leandro para fazer isso. Sem ter características para marcar e sim para ser um 4º homem de meio campo ou segundo atacante, esse dois jogadores foram mal nessa tentativa.

    A melhor formação do Grêmio, hoje, é um bom 4-4-2 em losango. Adílson no vértice defensivo, W. Magrão e Maylson como apoiadores (na falta de um deles Fernando ou Rockemback) e Douglas (ou Souza) no vértice ofensivo.

    Três volantes devem dar a consistência defensiva suficiente para uma zaga ruim poder jogar tranquila e para o nosso meia ofensivo poder apenas cercar, que é o máximo que eles sabem fazer.

    Na zaga, por favor, Neuton e M. Fernandes têm que jogar. É eles e mais 2. Para mim seria: Gabriel, M. Fernandes, Vilson e Neuton. Um lateral apoiador, outro BEM defensivo. O contrabalanço é o jonas deslocado para a esquerda no ataque.

    O Cecconi… bem que tu podia desenhar e postar o meu time ai.

    Abraço

  • Diego Souza diz: 27 de agosto de 2010

    Acredito que o Renato deve apostar no Fernando como volante. Marca bem e está tecnicamente muito melhor que o Magrão e que o Adílson.

  • Volnei Corbellini diz: 27 de agosto de 2010

    Acho que sou uma estrela solitária no universo (e muito burro também), porque sou o único que enxergo que Douglas e Souza ÑÃO PODEM JOGAR JUNTOS. Eles pensam que são craques, mas não tem velocidade par chegar na frente e, principalmente, NÃO MARCAM, NEM ACOMPANHAM QUEM PASSA POR ELES. Ou seja, é só o adveresário tomar a bola, passar e receber atrás deles que eles não acompanham e fica uma avenida fácil para chegar na nossa fraca defesa e dê-lhe Vitor ser o melhor em campo. Qualquer esquema com os DOIS não vai dar certo, porque eles tem dificuldades técnicas e defeitos de caráter, entre eles a extrema vaidade, de quem pensa primeiro em si e depois no time. Quanto ao Jonas, concordo com você – ele voltou a ser o que sempre foi – individualista e perdedor de gols – portanto, está na hora de curtir uma reserva.

  • Eduardo diz: 27 de agosto de 2010

    Bom dia Cecconi, primeiramente quero te parabenizar pelas análises. Em que pese não concordar com algumas, em poucos casos, todas são muito bem fundamentadas e escritas, o que facilita a compreensão da tua análise. Quanto a este tópico, tenho que concordar contigo. Creio que no 4-2-3-1 podemos crescer de rendimento. Quanto ao Jonas, acho que vem deixando muito a desejar e enfeitando demais as jogadas, quando simplificando poderia resolver, vide o gol perdido contra o santos. De qualquer forma, creio ser inviável não distribir tarefa de marcação aos meias, como meu treinador referiu com relação ao douglas. Por fim, acredito que neste sistema a marcação tem que ser feita de forma adiantada, no campo de ataque. Isso possibilita o controle dos rebotes ofensivos, sem contar que a mercação recuada permite o controle dos rebotes ao adversário e difculta a transição de defesa para o ataque.

  • Érico Kalil Ribeiro diz: 27 de agosto de 2010

    Bom dia.

    Pra mim o melhor esquema é realmente o 4-5-1… claro nessa fase ruim q estamos. Porém prefiro com 3 volantes.

    Ah achei legal td q vc falou só acho q o Grêmio precisa de mudança imediata e mudança imediata, acarreta em utilizar jogadores q estejam aptos a jogar seja, tecnica, clinica ou fisicamente. Souza está sem Cond. Físico. Douglas pra mim não pode sair do time, tem de ser o menos sacrificado dentro de campo, Lucio ainda não está 100%, Gilson vem jogando e bem na serie B, Magrão só daqui um mês, Rochemback tem q ser titular sendo gordo, obeso ou magrinho, Maylson tem q ficar no banco pois está pensando em sair do clube, Jonas está em declinio técnico, Borges é titular mas André Lima pode ser bem utilizado nesse esquema com 1 atacante. Mario só daqui 1 mes e meio… tem q levar em conta td isso, doa a quem doer, com beicinho ou não!!!!

    Meu time:

    Victor, Gabriel, Vilson, R. Marques, Gilson; Adilson, Fernando e Rochemback, Souza e Douglas; Borges (André Lima… bola aérea)

    Banco: Marcelo, Edilson, Lucio, Saimon, Maylson, Jonas, Leandro e André Lima

    Rochemback… bolas paradas laterais e escanteios.

    Douglas e Souza faltas centrais

    Caso queira visualizar a formação taticamente:

    Victor

    Vilson R. Marques

    Gabriel Gilson

    Adilson

    Fernando Rochemback

    Douglas Souza

    Borges

  • Admir José Gomes diz: 27 de agosto de 2010

    Eu acredito que o momento atual do Grêmio é delicado, devido a fragilidade e insegurança que tomou conta do grupo durante o período de recesso da Copa do Mundo. Houve tamanha desmobilização que acarretou a demissão do Silas. Renato foi buscado para reanimar o grupo e animar a torcida. Porém faltou-lhe o necessário tempo para treinamentos essenciais no futebol, algo que o Roth teve de sobra. Falar em esquema neste momento é complicado, mas tem coisas pontuais e neste quesito o Renato está falhando. Um exemplo: Souza. Está sem ritmo de jogo, mas está longe de ser o craque que ele pensa ser e não é líder que está sendo no vestiário. A questão é de característica, com Souza mal, Douglas bom, mas lento e pouco afeito a marcação, sobre para os outros jogadores do meio. Some-se a isto a pouco envergardura técnica dos laterais, Fábio e Edilson, que defendem mal e não atacam com força. Mas insisto que faltou treinamento ao Renato. Acho que não dá para jogar com três zagueiros, pois não há um stoper. Então, o recomendável seria jogar contra o Atlético PR, que está em ascenção técnica e motivacional, com mais cautela, ou seja. Retirar o Souza e incluir o Maylson em seu lugar, jogado ao lado de Rochembach e Adilson, nas laterais, Gabriel e Lúcio e na frente Jonas e Borges. Aí, com todos jogando com vontade, sem correr à toa, sem gasto necessario de energia e tendo que correr por somente um jogador ao invés de dois, há chance de até vitória. Acho que é hora de todos da diretoria e situaçãoe oposição viajarem com a delegação e dar força moral ao grupo. Porque se a desandar de vez, não vai adiantar ficar lamentando, é melhor a oposição pegar o time na primeira divisão. Toda cautela é pouca, mas não se admite escalação com o Souza no início. E acho que o Leandro tem que ter vez no ataque, pela direita. Como vemos, tem nomes, é só ver com clareza as coisas.

  • ezequiel diz: 27 de agosto de 2010

    sou a favor da saída do Jonas faz muito tempo. desde o aumento de salário ele começou a achar que joga muito. um período no banco pode fazer bem a ele.

    com um atacante, prefiro que seja o Borges tb pq ele sabe segurar mais a bola, dando tempo de meias e laterais chegarem junto com ele.

    Adilson, Rochemback e Mailson deveriam ser os 3 volantes. Mailson marca e sabe sair em velocidade.

    Nos jogos fora de casa o Souza poderia ser poupado, por “desgates físicos e musculares” já que sempre é um jogador nulo fora de casa…

  • Josué Henrich diz: 27 de agosto de 2010

    Eu concordo contigo, mas meu time seria um pouco diferente:

    Gabriel, Mario, Rafa Marques e Neuton; Maylson e Adilson; Jonas, Douglas e Lucio; Borges…

    um 451 sem a bola, e um 433 com a bola.. o Douglas armando as jogadas e o Lucio e o Jonas chegando como atacantes, podendo ser ate invertidos, Lucio pela direita e Jonas pela esquerda para facilitar o chute. So que exigiria muita disciplina tatica do Jonas e do Lucio para recomporem o meio quando o time estivesse sem a bola, nao custaria treinar para ver como se sairiam…

    grande abraço!!

    att, Josué

  • Marcelo diz: 27 de agosto de 2010

    Não só não acho absurdo mas necessário, visto a quantidade de volantes de qualidade que o grêmio tem. na minha opinião o setor mais bem servido do time. Além destes 4 que tu falou ainda tem o ferdinando, ou seja, poderia ter 3 volantes e ainda dois reservas. todos de qualidade. Depois Souza e Douglas com Leandro na reserva. Ou, se for o caso, deixar apenas um meia, com dois atacantes. na minha opinião, pelos jogadores que o gremio tem a disposição, tem que ter 3 volantes. Daria mais segurança para a zaga e qualidade no saída para o ataque, e todos estes, com excessão do rochemback e talvez o Ferdinando, sobem, e marcam gols. Só porque são volantes não quer dizer que tenham que ser jogadores fincados na defesa.

  • Gabriel diz: 27 de agosto de 2010

    O Souza não oscila boas e más atuações, vem atuando mal faz mais de 1 ano e ainda bem que esteve fora no início. Capitão entao, pssss. Na minha modesta opnião, o time ideal seria no 4-3-1-2, com Victor, Gabriel, Vilson, Mário e Neuton; Adilson, Rochemback e WMagrao; Douglas; Jonas e Borges.

  • Carlos Brenner diz: 27 de agosto de 2010

    Eu penso que o Grêmio deveria atuar no esque de 2 linhas de 4 com 2 atacantes, Jonas e Borges. Este esquema é clássino no futebol inglês e argentino, e faz com que equipes de nemor capacidade técnica possam combater equipes mais qualificadas. Afirmo que esse como qualquer outro esquema tático varia na forma de atacar e defender. Hoje eu armaria meu time da seguinte forma: Victor/ Edilson; Vilson; Rafael Marques; Fabio Santos/ Rochembach; Adilson; Maylson; Douglas/ Jonas; Borges. Eu colocaria outras peças no esquema, porém estas estão indisponíveis por lesão. Defensivamente a 1º linha de 4 está montada com os 4 zagueiros, e a 2º linha formada pelos 2 volantes centralizados e os 2 meias fechando as laterais. Ressalto que em um esquema como esse vale muito adiantar a 1º linha aproximando-se da 2º para compactar o espaço. Não é necessário volantes destruidores de jogo, um time cansa menos obrigando o adversário cometer erros. Assim com o meio campo cercando e aproximando, o time adversário erraria mais passes e mesmo assim meias como Douglas, Souza e Maylson tomariam a bola com naturalidade. Ao robar a bola, ou recolocá-la em jogo, obrigatoriamente deve-se manter essa posse de bola até toda a equipe se organizar ofensivamente em campo. Ressalto que quanto mais posse de bola uma equipe manter, menos risco terá em ser atacado. Quando todas as peças estiverem se posiciomando de forma ofensiva, o time ficaria na seguinte posição: 2 zagueiros, uma linha de 4 meias com Douglas aberto na esquerda, Rochembach e Adilson ao centro e Maylson aberto na direita, estes compondo uma 1º linha de meias; Jonas e Borges centralizados no ataque, e os respectivos laterais formando as pontas desta linha de 4 ofensiva. Nesta opção, ainda temos a triangulação em cada lado do campo entre um volante, um meia e um lateral, onde eu manteria sempre o volante posicionado mais ao centro e o meia trocando de posição com o lateral, podendo também chegar ao fundo para cruzamentos. Neste meu esquema valorizo a posse de bola e a troca de passes. É necessário muita qualificação nos passes e cruzamentos. Caso o time perca a bola no ataque, temos sempre os 2 volantes centralizados e atrás deles os 2 zaguerios que dariam o primeiro combate até os laterais voltarem ao posicionamento defensivo e até os meias retomarem a posição na linha de 4 meio-campistas. Eu acho esque esquema o mais eficiente e equilibrado. Porém também gosto de outros dois: o 4-4-2 com 1 volante, 2 MC e 1 MO formando um lozango no meio; e também o 4-5-1 com 2 volantes, 1 MO e 2 MC abetos pelas pontas, sendo estes 2 falsos atacantes ponteiros.

  • Morawski-ES diz: 27 de agosto de 2010

    Achei muito boa sua explanação. Concordo contigo quanto às caracteristicas do JONAS e q não vem funcionando. Porém acho q as opções de mais um meio-de-campo acabam na prática não dando certo com SOUZA e DOUGLAS ao mesmo tempo. Estes dois, como teriam a função de enconstar mais na frente e sabendo q há mais um meio-de-campo, acabaria o time perdendo mais um meia em vez de ganhar. Prefiro a saída de um dos dois e a entrada de mais um volante (ROCHEMBACK) ou mesmo do MAYLSON.
    E mais, embora essa questão seja mais técnica do tática, deve-se chamar a atenção tanto de douglas E PRINCIPALMENTE DE SOUZA, para q jogue “arroz-com-feijão”. Principalmente o SOUZA tem a tendência de retocar demais as jogadas Enfeitar) e conduzir demais a bola. Sem falar da bola parada com SOUZA q não funciona.

  • Gabriel Guedes diz: 27 de agosto de 2010

    Muito boa a análise Eduardo. Parece bastante óbvio quando falas. Acho que a árvore de natal se adaptaria melhor ao time do Grêmio, até porque temos tomado gols no final do jogo e com essa forma a variação para defender me parece mais fácil, além de liberar na verdade 3 jogadores na frente, já que ficariam souza, douglas e Borges com funções de ataque e apenas cobertura da saídade bola.

  • Colorado diz: 27 de agosto de 2010

    Acredito que a função que vc bota no 4231 para o Maylson ou Leandro poderia ser desempenhada pelo Jonas, semelhante ao que fazia nos tempos do Santos, acho que quem no momento não tem condições técnicas é o Souza, pois já demonstrou que não está totalmente recuperado de lesão.

  • Thiago diz: 27 de agosto de 2010

    E ae Cecconi, tranquilão!?

    TchÊ, sigo teu blog diariamente e realmente acho uma boa alternativa.
    Apenas me questiono se não poderia ser testado o Jonas mais recuado na função do Leandro/Maylson da primeira formação. Condições físicas para o “vai-e-volta” acredito que o Jonas tenha, inclusive mais que o Leandro.
    Se não estou enganado, é mais ou menos o que o Taison fazia no Inter e o Cristiano Ronaldo, guardada qualquer comparação de qualidade, fazia no M. United, em tese, faz no Real.
    Na segunda formação, inclusive, não sei se no lugar do Souza, ou até mesmo do Douglas, também não poderia ser uma alternativa. Até porque entrando o Maylson/Leandro mais recuado, estes jogadores são de apoio constante, o que não deixaria o Jonas responsável por uma armação mais “técnica” na qual não esta acostumado.
    Sei que as possibilidades parecem meio absurdas, mas no atual momento confiaria mais no Jonas recuado em campo do que o resto.

    o que achas??

    forte abraço.

  • Baldur diz: 27 de agosto de 2010

    Ótimas observações. O problema é que se definiu que duas coisas funcionam no Grêmio: o goleiro e o ataque. O goleiro não se discute, quando tivemos o Tavarelli caimos pra segundona, e o Victor é uma das coisas que me dá esperança de fugir do rebaixamento. Quanto aos atacantes devemos lembrar que eles só podem funcionar se forem acionados pelo meio campo, o que atualmente não tem ocorrido pois nossos meias acham que jogam mais do que realmente jogam e não são solidários na marcação, então não resta outra alternativa senão povoar o meio e tentar manter jogadas que funcionam: como o pivô do Borges e o corredor pela direita com o Maylson, ainda mais agora com a ajuda do Gabriel. NÃO É O MOMENTO DE EXCESSO DE INDIVIDUALISMO, pois perder a bola no ataque tem se mostrado mortal para nossa defesa, façam o simples, toques curtos, aproximações, cobertura do companheiro. E se tivéssemos outra alternativa para o Souza eu gostaria muito, independente do seu rendimento em campo, é uma semente ruim…seria uma posição perfeita para o MYTHIUÊ, mas mandaram o guri embora, o próprio Hugo renderia mais jogando assim.

  • roberto piasseta diz: 27 de agosto de 2010

    até q enfim um comentário decente,o Jonas tem q ficar no banco,não joga nada
    é muito pipoqueiro.

  • AZULÃO diz: 27 de agosto de 2010

    Acho um absurdo qualquer esquema que tire do time o Borges ou o Jonas .
    No ano passado o Grêmio com o Souza jogando como meia atacante , ou seja o quarto do meio de campo fez 13 gols , o Jonas 14 e o Maxi 12 temos ai 39 gols no campeonato brasileiro.
    Acho que devemos jogar no 4 x 3 x 1(Souza) x 2 .
    Assim jogamos com tres marcadores no meio Ferdinando , Adilson ,Rochemback ,W.Magrão , Maylson e Fernando o treinador escolhe 3 (tres) .
    DOUGLAS FORA DO TIME , SE INSISTIREM COM ESTE JOGADOR VÃO CAIR.
    Com esta formação podem alternar o Jonas e o Souza fechando um dos lados do campo e fechar uma linha de 4 quando jogarem fora do Olímpico.
    O Borges na frente segura dois ou tres marcadores .
    O Leandro pode ser uma altenativa no lugar do Souza , nos ultimos 20 minutos até o Souza estar completamente em forma .

    AGORA ESQUEÇAM , DOUGLAS OZÉIA E EDILSON …….COM ESTES NÃO TEM PREPARADOR-FÍSICO QUE FAÇA COM QUE OS OUTROS CORRAM POR ELES , POIS SÃO JOGADORES LENTOS E QUE NÃO SERVEM PARA O FUTEBOL DE HOJE.

    abrs

  • Ademir diz: 27 de agosto de 2010

    Finalmente alguem da imprensa pensa como eu ,o Jonas é um enganador o Fabio Santos não joga nada ,o Edilson é nulo e não temos camisa 5.So na tu escalasão errou ao colocar o Mario Fernandes este garoto pelo que sei nem volta este ano e se voltar vai ser muito dificil voltar ao nivel que jogava uma vez ,tenho uma fonte de informaão que me disse que o rapaz ta bebendo ceva direto,este é o problema de uns quantos no gremio,o lema no gremio deveria ser ,se beber não joga,se bem que e isso que querem estes preguiçosos.Mas o que eu mais gostei foi do que falou do Jonas ele e muito fraco perde uns 20gols e dai faz 1 ou 2, enão mostra vontade ele desanima o time.

  • José Bertóglio diz: 27 de agosto de 2010

    Concordo, mas acredito que devem jogar Rochemback, Adilson e Magrão como volantes. Os dois últimos marcam bem e saem bem para o jogo. Nas meias, Douglas e Maylson, pois esse é muito mais participativo e regular. Ajuda na marcação e ataca com desenvoltura. Assim teríamos um time bem compacto. O Souza ficaria só para a entrevista coletiva.

  • Argentino diz: 27 de agosto de 2010

    eu usaria um meio campo em losango… o Jonas é importantíssimo na movimentação ofensiva do Grêmio, tanto em assistências quanto fazendo gols. Com uma formação em losango os dois centro-médios poderiam dar cobertura para a subida dos laterais que são bem ofensivos, auxilhariam no toque de bola pelo centro e ainda teriam tanto um homem para a proteção quanto um para a armação e chegada a frente:
    Gabriel, Mário, Vilson e Lúcio; Adilson (V), Maylson (Cm), Rochemback (Cm) e Souza (M); Jonas e Borges.

  • Fábio teixeira diz: 27 de agosto de 2010

    Cecconi,

    Com as contratações que fizemos, eu não creio que possamos jogar com 4 atrás.
    Na minha visão, o esquema mais indicado é o que o Flu estava usando até agora (com o Deco eu não sei se vão mudar): o 3-5-2
    Considerando a volta do Mário: Victor; Neuton (Rafael Marques), Mário e Vilson; Gabriel, Adilson, Rochemback e Douglas (Souza); Jonas e Borges
    Acho que é um time ofensivo, mas bem protegido. Qdo um lateral avança, um zagueiro cobre.
    Eu acho que é o esquema que vai funcionar melhor. Mas claro que é só uma opinião.

    Abraço e parabéns pelo trabalho.

  • Ayres diz: 27 de agosto de 2010

    Olá Eduardo,

    Achei muito interessante tuas duas propostas (4231 – 4321) mesmo que sacrificando o Jonas, parece que dá consistencia tanto no meio de campo quanto para possiveis penetrações de ataque. Só que as peças tem que funcionar, o problema é este, e tu mesmo foste proprio em comentar, todas as opções oscilam muito.
    Só discordo quanto a duas peças que, na minha opinião, não deveriam estar mais conosco: Douglas e Leandro. Para mim, duas laranjas podres ainda no “saco tricolor”.

  • joe diz: 27 de agosto de 2010

    apesar de colorado tu manja meu guri….. mas vamos considerar o seguinte, douglas e souza não dá…pelo menos …não agora…se o jonas recuasse poderiamos tirar o douglas…por ex. e o ingressso do maylson seria interessante…ele se apresenta na frente…faz gols…erra muitos tb…mas é mais participativo principalmente na marcação… o grêmio tem q reforçar o meio…outro porém, não do esquema mas dos jogadores é o Roch….é muito lento e não protege a zaga..teria q ser um cara mais ligeiro q nao errasse passe curto…tipo desarma e passa…sem invenções.

  • Jair diz: 27 de agosto de 2010

    Perfeito. Tomara que o Potalupi não leia esse post. É que sou colorado. Rsarsrssrsrs

  • Anderson diz: 27 de agosto de 2010

    Bom dia,

    Concordo plenamente com o esquema do Ancelotti. Com certeza com as peças que temos, é o modelo mais indicado para o Grêmio, porém, tem que ser treinado para que seja eficiente, principalmente na triangulação e aproximação dos meias com o atacante. Senão o coitado do Borges fica isolado e trombando com os zagueiros do time adversário.
    Abraço

  • Juan Villanueva Antunez diz: 27 de agosto de 2010

    Eduardo,bom dia. O esquema 4-5-1 nao dará certo pois os meias responsáveis pela “companhia” ao Borges são Souza e Douglas, os quais não têm por característica entrar na área para concluir. O Grêmio que deu certo no primeiro semestre tinha em seus dois homes de frente (Jonas e Borges) seu diferencial. Nem Jonas, nem Borges são atacantes tipo fora-de-série, mas são muito bons quando jogam com companhia de qualidade. E ambos se completam. Jogar com um único atacante, com as opções do elenco tricolor, é loucura. Quanto ao meio, o tripé formado por Magrão, Maylson e Adilson também se completa, tanto na chegada ao ataque quanto na proteção à frente da zaga. Rochemback é poção de banco. Nada mais que isso. Não entendo a “paixão” nutrida por esse jogador!!! O quatro homem de meio fica entre Douglas e Souza. Os dois juntos, só em situações extremas,c/ necessidade de reversão de escore. Ou então Souza na lateral. E só. Leandro? Grupo e olhe lá… Resumindo: no ataque, Borges e Jonas; no meio, tripé Maylson,Adilson e Magrão. Grande abraço.

  • CECON diz: 27 de agosto de 2010

    É INTERESSANTE COMO TODOS OS MEDALHÕES TEM DE JOGAR NÉ NÃO???PORQUE???SERÁ QUE O FERNANDO UNICO PEGADOR NESSE MEIO CAMPO, SERIA INFERIOR A MAILSON OU LEANDRO???DIGO QUE, SOUZA E DOUGLAS NÃO PODEM JOGAR JUNTOS E NEM VOU EXPLICAR PORQUE POIS É ASSUNTO MAIS QUE BATIDO,VISTO, ENXERGADO, ESCANCARADO, PELO ANDAR DA CARRUAGEM RENATO VAI MORRER ABRAÇADO COM ESSE MONTE DE MEDALHÕES, RENATO FOI A ESCOLHA ERRADA NESSE MOMENTO, TUDO ESTÁ SE CONFIRMANDO.É REZAR E REZAR E REZAR.

  • Eduardo diz: 27 de agosto de 2010

    Bom dia Eduardo. Achei muito boa a tua análise e concordo contigo em relação a retirar o Jonas em troca da melhoria do meio-campo. Acho que a melhor opção entre os dois novos esquemas citados é o 4-2-3-1 em virtude da possibilidade e facilidade da saída dos jogadores de meia pelas alas. A única mudança que eu faria na escalação é a substituição do R. Marques pelo Vilson, achei ele muito seguro e bem mais estável na defesa.

  • Guillermo Martinez diz: 27 de agosto de 2010

    Eduardo,
    gostaria da tua opinião a respeito da utilização do Lúcio na meia esquerda na formação 4-2-3-1. Atuariam Lúcio, Souza ou outro meia direita, e Douglas. Na lateral esquerda, teriam ainda Neuton e Gilson. Lembrando que o Lúcio já jogou de meia no próprio Grêmio, em 2007, com Mano Menezes.
    Abraço

  • Regis diz: 27 de agosto de 2010

    Bom dia Cecconi, sou colorado mas me parece óbvio que esse esquema seria o melhor para o Gremio. Mas com uma modificação no meio, joggaria com o rochembach fazendo a função que o Tinga faz no Inter no lugar do Douglas. Victor, gabriel, mario Fernandes, rafael Marques, lucio; Adilson, Fernando; Maylson, Rochembach, Souza; Borges,,,,,,,,,mas tomara que continuem assim, jogando com o Douglas mesmo e com Fabio Santos

  • Willian Machado diz: 27 de agosto de 2010

    Acho tuas idéias corretas. O Jonas provou seu individualismo no jogo contra o Santos ao não rolar uma bola para o Souza, num contra-ataque, que mataria o jogo. Eu sinceramente acho o Jonas um jogador de grupo, mediano, que nos jogos decisivos não aparece, não tem força física. Ele, pra mim, é só uma boa opção de banco. Quanto à povoação do meio-campo, concordo desde que a mecânica possibilite rapidez na saída de bola, um dos crônicos problemas do Grêmio atualmente. Há muita lentidão. Memso não gostando do Leandro, ainda acho que ele faz melhor essa função de articulador do que o Maylson. Falta qualidade ao Maylson, principalmente no fundamento chute a gol. Quanto ao Lúcio, discordo, acho um lateral mediano, do nível do Fábio Santos. Não conheço o Gilson, mas se ele tb não for uma solução, ainda prefiro que seja dada uma chance ao Uendel, que é mais jogador que aqueles que hoje jogam na posição…Ah, e no time ideal, voltando o Mário Fernandes, acho que ele faria melhor dupla com o Vilson (se ele confirmar o que fez contra o Vasco). Seria uma zaga mais rápida e com mais efetividade na saída de bola. Rafael Marques é muito lento…Abraço!

  • Ricardo Tinga diz: 27 de agosto de 2010

    Acho alguem tomou um MARTELINHO no café da manhã???
    Se já difícil fazer gol com dois atacantes,imagina um atacante.
    Tem que tirar o Douglas URGENTE do time,ele não faz o time andar.
    Por pior que achem ruim o Maylson,pelo menos ele pega a bola e vai pra cima.
    VITOR
    MARIO E VILSON
    GABRIEL E LUCIO
    MAGRÃO E FERNANDO
    MAYLSON E SOUZA
    BORGES E JONAS.

  • Gustavo diz: 27 de agosto de 2010

    Eduardo, tbem acho que o 4-5-1 é uma boa para o Grêmio, pois Jonas não vem numa boa fase, embora todo o time se encontre na mesma situação. Mas acho q falta um pouco de ousadia por parte do Renato e realmente, vi que não sou só eu que penso assim, o Grêmio carece de um camisa 5, tomara que os próximos reforços tenha ao menos um cara do tipo goianao pra proteger a zaga e assim dar o desejado equílibrio ao time.

    É muito ruim ver o Grêmio nesta situação alarmante, mas tenho esperanças que vamos sair dessa.

    Ah, Eduardo, um pedido. Por favor, exponha suas ideias ao Renato!!! haeiheau principalmente essa.. pelo bem do Grêmio, pelo bem do RS. hehe

    abraço
    em tempo, teu blog é ótimo, diariamente entro para ver seus posts. Parabéns!

  • Tiago Bittencourt diz: 27 de agosto de 2010

    Não gosto de esquemas com apenas um atacante. Na atual fase que o Grêmio se encontra acho que não demoraria muito para o Borges reclamar que está sozinho no ataque.

    Acho que um esquema bom para o Grêmio seria um 3-5-2 com Vitor, Wilson, Rafa-Marques e Neuton, Gabriel, adilson, rochemback e Douglas ou Souza (os dois juntos não) na ala esquerda Lúcio ou Gilson e Jonas e Borges. Gosto desse esquema pq é ofensivo e defensivo ao mesmo tempo se contar com a boa vontade dos alas.

    Outra alternativa seria um 4-3-1-2 Com Vitor, Gabriel, Wilson, Neuton, *, Adilson, Rochemback e Maylson, Douglas livre como ele sempre sonhou no meio, Jonas e Borges

    * A lateral esquerda pra mim é um dos setores mais carentes para o Grêmio, quem melhor atuou ali esse ano foi o Neuton, depois voltou para a Zaga e decaiu, mas ainda assim é melhor que Rafa-Marques. Quero ver esse Gilson jogando, mas dizem que apoia mais do que defende, e dai só serve para ser ala.

    Acho que não podemos nos desfazer do setor que mais funcionou esse ano, que é nossa dupla de atacantes. Penso que o time do Grêmio deve ser escalado com 4 presenças obrigatórias, Vitor, Adilson, Jonas e Borges, o resto deve ser adequado ao esquema, necessida e momento.

  • Kaue diz: 27 de agosto de 2010

    Bom dia Cecconi, concordo com sua idéia. Na semana passada eu e um amigo estavámos discutindo o Grêmio taticamente e tínhamos montado o time conforme sua primeira proposta. Acredito que o Renato deve analisar sim essa possibilidade, pois o meio campo gremista está realmente muito “aberto”. É uma pena que isto não esteja chegando até nosso treinador…

  • Mateus – Farroupilha diz: 27 de agosto de 2010

    Eduardo, o Grêmio poderia joga no 4-5-1 com o Jonas no lugar do Maylson/Leandro, algo semelhante a Inter de Milao do Mourinho da temporada passada, só que ai o time vai precisa de muita disciplina em campo, porque se o Jonas e o Souza nao voltarem pra marca, vai fica um 4-3-3 e se nao apoiarem, o Borges sozinho no meio de 2-3 zagueiros nao faz milagre.

    Valeu abraço!

  • Maza diz: 27 de agosto de 2010

    Totalmente de acordo com as “sugestões”. O grande problema do Grêmio é, SIM, o meio! Logo, é preciso “congestionar” o adversário ali. Considerando a atual situação do time na tabela, o importante é ‘não perder’. O resto, vem como consequência e desdobramentos podem ser efetuados conforme o jogo exige. Além disso, ninguém pode ignorar que o Jonas, embora sacrificado porque não recebe a bola com qualidade, não tem jogado tudo que já jogou. Pode ser, sim, uma forma de mudar um pouco a atual ‘situação’. E diante da zaga – que ainda deve se firmar – o meio consistente é uma saída lógica para a proteção do time. Parece-me, apenas, que Rochembach não se insere em nenhum desses esquemas. Não marca como deve; não passa como se espera. Adilson ou mesmo Magrão, fazendo a função dele, fariam com mais empenho. Eu colocaria Adilson e Magrão jogando juntos e com qualquer um deles (Adilson, de preferência) fazendo a função do Rochembach.

  • André diz: 27 de agosto de 2010

    Por que não tira a “naba” do Souza e coloca mais um volante (Mailson ou Adilson)?
    Assim formaria um meio-campo com maior poder de marcação e deixava o Douglas livre para a criação, fazendo com que a marcação do time adversário não adiantasse muito por termos dois atacantes.
    Se deixarmos somente um atacante, provavelmente os laterais da outra equipe (que não terão com quem se preocupar) povoarão o meio-campo, pressionando mais o Grêmio para dentro do próprio campo.

  • Junior diz: 27 de agosto de 2010

    Acredito que falte é uma tendencia menos centralizada do Borges, ele poderia atuar muito pelas pontas cruzando(coisa que ele faz muito pouco), mantendo o Jonas e Souza um pouco mais a frente, douglas seria o apoiador a meia distância. Gabriel ou Lucio viriam apenas em condições de dominio por contra ataque. São jogadores de explosão não de referência(estilo Maicon). ou seja mantemos o padrão 4 2 4.

  • Luciano diz: 27 de agosto de 2010

    Acho que a proposta não é das melhores, pois perderiamos o atacante mais efetivo. Acho que o 4-4-2 poderia ser mantido, mas concordo que não temos um primeiro volante de qualidade no grupo – leia-se um número 5. Para tanto, acho que, pela carência de jogadores que realizam a primeira função de meio-campo, poderiamos compor o setor como um losango, posicionando um volante (número 5) na primeira função, com mais 2 volantes abertos, que poderiam ser Rochemback e Magrão, deixando o Douglas sozinho na meia. Com essa escalação, contando com os laterais Gabriel e Lúcio e a zaga com Vilson e Mário – zaga jovem e com muita vitalidade, mais o ataque formado por Borges e Jonas, acho que a equipe crescerá muito.

    Um abraço!

  • Adriano diz: 27 de agosto de 2010

    Perfeito Cecconi!
    Tentaria também utilizar o 4-2-3-1, com o Mário Fernandes como lateral e retirando o Souza do meio campo, assim deslocaria o Gabriel para jogar em seu lugar.
    A dupla de volantes seria o Fernando e o Magrão, dando sequencia de jogo para o primeiro pois aparenta ser um jovem de muita pegada e promissor.
    O time ficaria com:
    Victor; Mário, Vilson, Rafa Marques e Lúcio; Fernando, Adilson, Gabriel, Leandro e Douglas; Borges.
    Abraço.

  • Schuck diz: 27 de agosto de 2010

    Brilhante!
    Qualquer esquema que tire Jonas de campo eu apoio!
    Centroavante não pode perder gol. Se tiver uma chance só no jogo todo tem que marcar.

  • Alex Gunther diz: 27 de agosto de 2010

    Eduardo!

    A ideia é boa e válida, mas devo lembrar o seguinte:

    1º Lúcio e Gabriel estão longe de serem laterais. Estão mais para alas. Neste caso, se aplicariam muito bem ao 3-5-2.

    2º na minha opinião, no quadro do futebol mundial atual, o Douglas não seria titular em nenhuma equipe, muito menos no Grêmio. Jogador que não tem aplicação tática, não marca, não chega na area para a conclusão, para mim é figura bonita em campo. é praticamente como jogar com 1 a menos.

    Mas, volto a frisar, a ideia é boa e válida. só acho que não tem “ferramenta” no olimpico pra isso.

  • William diz: 27 de agosto de 2010

    A variação 3-5-2 não empolga? Não me refiro a um esquema estático, com jogadores “cravados” em suas funções, mas com variações determinadas pela posse (ou não) da bola. Sacaria Rafa Marques e colocaria Neuton (E), Vilson (C) e Mario Fernandes (D), dando liberdade para 1 deles subir como homem surpresa. No meio, Lúcio e Gabriel, pelas pontas, Adilson e Magrão em linha à frente dos zagueiros e Souza (ou Douglas) na organização. Isso mesmo, apenas 1 deles. Borges e Jonas no ataque e, se fosse preciso mudar de ‘estilo’, tiraria Jonas e lançaria André Lima para referência e Borges faria a função do atacante de movimentação. Ele faz isso, já vi. Sem a bola, o Grêmio poderia recuar os laterais, formando assim um 5-3-2 ou, ainda, voltar apenas um deles, formando então um 4-4-2 (que na verdade seria um 4-3-1-1, pq o armador não recuaria tanto). Acredito que, com sincronia, a defesa ficaria bem protegida, e o ataque teria jogadas de linhas de fundo – o que há mto tempo não vemos e, ainda, triangulações pelo meio com Souza/Douglas, Borges e Jonas/André Lima – abrindo-se à possibilidade de “meia triangulação”, entenda-se isso como o começo de uma triangulação, havendo alteração do último passe – invés de rolar pro centro em busca do arrematador, rola em diagonal pro fundo onde está passando o lateral para cruzar a bola.

  • FABIO diz: 27 de agosto de 2010

    Na boa, até concordo que o Jonas possa sair devido a um novo esquema
    mas tu perdes totalmente a credibilidade ao colocar no ROL de possibilidades a presença do Leandro, um dos piores jogadores q ja passou pelo Olimpico… não comento mais nada a respeito deste “atleta”.

    Outro problema na escolha dos jogadores é não deixar a vaga do Adilson como titular absoluto, se analisarmos o ano ele é o cara mais constante do meio campo Gremista, alem disso Rocka e Magrão(ambos sem condiçoes fisicas ideias é que deveriam alternar sua participação de acordo com o adversario e ao que o time se propõe no confronto, e tambem para poupa-los um pouco).

    Lúcio, ja foi bom um dia, mas o filé de borboleta do Olimpico, TA BIXADASSO, convenhamos, o cara ganha uma fortuna, passou a maior parte do ano lesionado, e tu ainda deposita esperança que ele vai voltar a jogar bem??? ESSE ANO???(menos chances ainda) … só essa direção incopetente do Gremio mesmo para renovar o contrato dele por mais meros 6 meses, ou seja, estamos pagando para recupera-lo e depois mandar de volta para Europa.

    Vale mais confiar no Fabio Santos ou dar nova chance ao Neuton, podem não ser otimos, mas tambem não chegam a comprometer.

    Concordo com todos teus esquemas de jogos propostos, mas não com tua escalação.

  • Juliana diz: 27 de agosto de 2010

    É uma boa alternativa, até porque nunca gostei do futebol do Jonas. Além de ser individualista, ele é na opiniao, digamos “enganador” até porque a maioria dos seus lances são fruto de “sorte”. Borges/ André Lima são centrovantes natos e com boa movimentação e com a entrada do Gabriel e do Lúcio no time, facilitaria muito a utilização da função centroavante (tendo a opção de usar o Lúcio na meia, como já ocorreu no tempo do Mano). Seria muito mais lucrativo para o Grêmio nesse momento precisando fazer gols um centrovante finalizador, do que um jogador que na maioria das vezes isola a bola ou recua para o goleiro.

  • Rafael Dalmoro diz: 27 de agosto de 2010

    Grande Eduardo,

    Acho fantástico tuas análises táticas. E acho ainda mais fantástico a profundidade que tu consegue chegar, não se limitando apenas ao futebol gaúcho ou brasileiro.

    Lendo sobre as variações de esquema do Grêmio, tu sempre dá preferência ao Maylson. Uma das coisas que mais me incomodam atualmente, além da situação do Grêmio na tabela (sem falar nas questões políticas), é o modo que a torcida vê esse jogador. Nas comunidades do Grêmio no orkut, quando o tópico se refere a ele, sei lá, 95% dos comentários são de críticas ao jogador.

    Não sei a tua opinião sobre o futebol dele, mas sigo um preceito básico se tratando disso (e não apenas nesse caso): É impossível que as comissões técnicas das seleções sub’s, ou até mesmo as comissões dos clubes, e apenas elas, vejam potencialidade em certos jogadores que são crucificados pela torcida em geral.

    Resumindo, quando a fase é ruim nem jogadores com rótulo de craque (Douglas, Jonas, Souza, etc) conseguem desenvolver tudo aquilo que já mostraram. O problema maior acontece quando um jogador com grandes chances de poder realmente ajudar e futuramente tornar-se lucrativo é queimado injustamente, ou por erro de posicionamento do treinador, ou por birra da torcida. E é justamente isso o que tá acontecendo com o Maylson.

  • Ronald diz: 27 de agosto de 2010

    Sinceramente, não adianta. Pode ser até no 4222 ou no 352, não vai dar certo!!
    Renato, se voce fizer uma pequena mudança na tática e não no posicionamento, pode ser que dê certo. Os atletas tem que saber interagir e ter mais velocidade nos contra-ataques. O Grêmio tem bons jogadores, tem que treinar mais!!

  • Antonio diz: 27 de agosto de 2010

    NEUTON foi o melhor lateral esquerdo do Grêmio no ano. Acho que ele poderia jogar alí no esquema “natalino”.

  • Dornel diz: 27 de agosto de 2010

    Boooooa!!!
    O 4-3-3 / 4-2-3-1 é a escalação do momento, Mourinho já dizia a tempo que o 4-3-3 é a escalação que melhor preenche os espaços em campo!

    Uma pergunta, o Jonas não cairia bem pela direita em um esquema 4-3-3? Deslocando o Maylson para volante como ele jogava nas categorias de base da seleção?

    Abraço.

  • Leonardo diz: 27 de agosto de 2010

    Cecconi,
    Desde os jogos do Grêmio contra o Goiás (2 pela sulamericana e 1 pelo brasileirão), onde constatei essa fragilidade do meio campo que tu escreve, tenho pensado que o melhor esquema para o Grêmio seria o 4-4-2 com meio campo em losango e estes são os motivos:
    1 – Souza e Douglas são meias que não marcam. Considero o Douglas o melhor dos dois, por isso acredito que ele poderia ser o meia, centralizado. Banco para o Souza que, no jogo contra o Santos, entregou a bola em um passe displiscente que iniciou o contra ataque do segundo gol do Santos.
    2 – Adilson de primeiro volante proibido de atacar. Lembro que no primeiro semestre ele voltou ao time dessa forma e estabilizou o meio campo do time. Apesar de ter uma saída de bola fraca, ele desarma muito e, na minha opinião, essa seria a posição ideal para ele jogar.
    3 – Rochemback e Magrão/Maylson de apoiadores. O Roca mostrou que deve ser titular. Ele controla a segunda bola e é o único que faz isso no time, devolvendo a posse de bola ao Grêmio. Além disso a bola parada dele é muito perigosa, diferente da do Souza que, contra o Santos, foi ineficaz em TODOS os lances. Maylson ou Magrão dependendo da característica do jogo. O Maylson é um jogador com mais velocidade e chegada na frente enquanto que o Magrão é mais de toque de bola e tabelas.
    4 – A formação com 3 volantes daria mais liberdade para os laterais apoiarem alternadamente sem desguarnecer a defesa. Isso será muito importante quando o time tiver laterais de qualidade como o Lúcio e o Gabriel. Vi o jogo contra o Ceará e parecia que o Grêmio tinha 4 zagueiros porque nenhum lateral apoiava.
    5 – Realmente acho errado tirar o Jonas do time, pois quando o Grêmio jogava mais ou menos era sempre ele que resolvia fazendo gols. Mais, acredito que ele possa atuar no 4-5-1 como tu escreveu como um meia de chegada ao ataque ao invés de apostar no Leandro que não rende ou no Maylson que é mais defensivo.
    6 – Também discordo da escalação do Rafael Marques na defesa. As últimas atuações dele foram BISONHAS chegando atrasado sempre, se enrolando com a bola e sempre tentando a ligação direta. Na minha opinião ele está muito pesado e deveria diminuir a musculação para ganhar agilidade ou sair do time.

    Por hoje é isso, Cecconi. Se achar uma boa idéia o 4-4-2 em losango, pode fazer um post do Grêmio nesse esquema?
    Muito obrigado!

  • Rafael diz: 27 de agosto de 2010

    Eduardo, acompanho muito seu blog, e concordo que o 4-5-1 é uma boa estratégia para o Grêmio, visto a pouca marcação exercida no meio pelo Douglas e o Souza. Porém com a entrada do Maylson ou Leandro, pouco empolga também, visto que não vejo no Maylson esse jogador de lado de campo, ainda destro, seria interessante para diagonais, porém do outro lado já tem o Souza. Leandro desde que chegou ao Grêmio pouco ou quase nada mostrou e seria uma aposta também. Poderia puxar algum Garoto da base canhoto, no 4-5-1 tenho muita preferência por meia de pés trocados para as diagonais. Não sei se existe algum na base que possa ser util dessa forma. Adpatar o Jonas a função seria uma loucura?
    Abraço,
    Rafael

  • Gustavo diz: 27 de agosto de 2010

    Seria uma alternativa interessante, mas o problema é retirar um jogador que tem a confiança para realizar algumas jogadas individuais para colocar um jogador que, sem confiança, vai ser apenas burocrático. Não tenho como ter certeza do fato, mas acho que o treinador pode estar pensando assim. Outro problema é que tanto o Douglas quanto o Souza não tem a característica de entrar na área, o que faria com que o outro jogador do meio ficasse na obrigação de chegar na área para tentar o arremate.
    Quantoa a defesa, já melhoraria bastante com o Mario, mas está machucado, então não dá pra contar com ele. A lateral direita vai passar a ter um jogador com mais qualidade técnica e, creio, com o mesmo vigor do Edilson, então é mais um acréscimo. Na esquerda, bem, esperemos pelo Gilson, pois entre Fabio Santos e Lucio não muda nada: um é mais veloz, o outro é mais tático, mas a qualidade dos dois é péssima.
    No meio, já melhora muito com a saída do Magrão. O Adílson não tem qualidade para chegar na frente, mas marca muito melhor. É um jogador bastante ágil e acho que combina com o Rochemback, pois rouba a bola e procura tocar logo. Se o Rochemback (que tem bom passe) estiver ao lado, melhora a saída de jogo. O Magrão erra todos os passes e não lembro da última bola que roubou num jogo.

  • Fabrício diz: 27 de agosto de 2010

    Não concordo com a tua sujestão. Mas entendo o que tu escreve sobre o Jonas, mas acho que isso está acontecendo com ele por causa da má fase, pois antes ele sempre buscava a combinação com o Borjes e com o Douglas. Para mim um dos grandes motivos da dificuldade gremista são os laterais e o meia Souza, muito mais do que o Douglas. O Souza talvez seja o jogador de meio campo mais improdutivo da atualidade do futebol brasileiro, prende de mais a bola e quando tenta o passe geralmente erra e arma o contra-ataque, que sempre acha espaço nas costas dos nossos medíocres laterais. Os nossos laterais (Edilson e Fábio Santos) são fracos na marcação, e muito fracos no apoio é muito difícil de se ver eles conseguirem fazer uma jogada de fundo acertando o cruzamento. Isso dificulta muito a vida do time. Para mim, com as opções que o Renato tem, já que não sei como esse Gabriel joga, o time do Grêmio seria: na zaga Wilson e Rafa Marques, nas laterais Saimon e Neuton (para melhorar o auxilio aos zagueiros), no meio Adilson, Rockenbak, Fernando ou Mailson e Douglas, no ataque Jonas e Borges. Acho que as pessoas que dizem que o Grêmio não tem um primeiro volante estão enganadas, o Adilson, na libertadores no ano passado, quando o Grêmio jogava no 3-5-2 era o único volante do time e se saiu muito bem. O que falta é o treinador orientá-lo e psicioná-lo da maneira correta.

  • Carlyle diz: 27 de agosto de 2010

    E o Pitbull?

    Será que não é melhor que André Lima, Bérgson e Roberson?

    Fábio Santos deve partir do Olímpico, será que aquelas atuações contra o Cruzeiro na semi final da libertadores de 2009 não foram suficientes para a direção negociar o jogador? A cada jogo fica mais evidente que nossa lateral esquerda está se tornando o passaporte para a segundona.

    Mário Fernandes, jogador de grande potencial, precisa achar sua posição. Seu desempenho defensivo na copa da hora foi questionável, em contrapartida fez um gol de letra mostrando que algo está errado.

  • Carlos Augusto Sccott (Guto) diz: 27 de agosto de 2010

    Olha concordo que talvez o 4-5-1 possa ser uma solução, à medida que povoa mais o meio de campo. Também concordo que os jogadores de meia do Grêmio oscilam muito quanto ao seus desempenhos, em suas posições. Porém, descordo que o atacante Jonas jogue para si e não para o coletivo, talvez nos últimos jogos tenha um pouco de coerência essa afirmação, no entanto, assisti a vários jogos do Grêmio em que o atacante mostrou-se apto a dar combate à frente, ajudando a defesa, como também, trocando passes e dando opções ao ataque gremista. Em fim, acredito que o 4-4-2, em que os jogadores de meia possam mostrar uma regularidade e consistência, possa ser o que todo gremista espera ver como equipe. É lógico que ainda não sei, se estes jogadores poderão fazê-la.

  • José Carlos diz: 27 de agosto de 2010

    Gosto muito do teu blog, leio diariamente. Acho que tu tens opiniões muito coerentes e sabe fazer muito bem um parelelo sobre os sistemas táticos adotados no Brasil e no exterior (o que poucos comentaristas fazerm, principalmente da TV). Mas no jogo do Santos, entendi que o esquema iniciado pelo Renato era o meio-campo em losango, com o Rocka centralizado, Souza na esquerda e Magrão na direita (ambos saindo e marcando) e Jonas se juntando à dupla de ataque, formando um tridente com o Borges caindo mais pela esquerda e o Jonas mais pela direita (este se movimentando mais por todos os lados, como é de sua caracaterística). Com a saída do Magrão, o losango ficou meio camuflado, porque o Souza saía bem mais que o Fernando, em razão da característica de cada um, mas alinhados ambos à frente do Rocka. Estou muito errado? Acho que isso vai ser mantido no jogo conotra o Atlet/PR, pelo que li do treinamento. Por isso Gilson jogou no meio, para alinhar com o Souza (invertendo os lados, em comparação com o jogo anterior).

  • Moacir diz: 27 de agosto de 2010

    Que tabú ? Acho que se esse esquema nao esta dando certo, troca, se tem que tirar o jonas, tira, eu quero é ver meu time genhando denovo e nao perdendo do jeito bobo que perdeu pra esse “timinho” do santos… o Gremio é muito maior que eles… Sou a favor sim, se é pro time ganhar, pode trocar…..DEVE

  • José Carlos diz: 27 de agosto de 2010

    Com todos os jogadores atuais em condições, tu acha que seria viável implantar um 4-4-2 britânico? Claro não nas condições atuais, falo apenas hipoteticamente. A primeira linha com dois zagueiros (sejam quem for: Rafael e Vilson, hj). Na LD o Mario Fernandes e na LE o Neuton, laterais que teriam grande poder de marcaçar e o Mario saindo mais. Rocha e Adilson como volantes (acho que o Rocka faria o box-to-box, pelo qualidade do chute de fora da área), como winger direito o Gabriel e na esquerda o Sousa, fechando, ou o próprio Lucio. No ataque o Borge como referência. Daí o Jonas ou o Douglas encostando nele. Tu acha que esse time conseguiria ser competitivo no Brasil? É outra cultura tática, mas gostaria de ver isso num time brasileiro. Abraço.

  • Gustavo diz: 27 de agosto de 2010

    Na minha opinião se tirar o Jonas vai deixar o Borges isolado. Os meias não tem cacoete pro ataque, precisa ser um atacante de verdade pra fazer fazer dupla com Borges. Acho que o Grêmio foi bem taticamente contra o Santos, o que faltou foi qualidade técnica.

  • Maicon diz: 27 de agosto de 2010

    Opa, sou leitor assíduo do blog e gosto muito.

    Gostei das propostas táticas, a que mais me agradou foi a última, porém quem sairia do time ao meu ver seria o Douglas. Porque além de estar jogando mal ele não é jogador que tem no chute de média e curta distância o seu forte.

    Inverteria o Souza para a direita e colocaria o jonas na esquerda, já que ele chuta bem e se movimenta abrindo os espaços para quem vem do meio campo.

    Abraço

  • Ramon diz: 27 de agosto de 2010

    na segunda opção, o souza poderia jogar na direita onde ele rende mais, e o lucio jogar na esquerda, ja jogou assim, com o mano menezes, ate fez gol num grenal, e o tal de gilson entraria na ala esquerda.

  • Ramon diz: 27 de agosto de 2010

    na segunda opção, o souza poderia jogar na direita onde ele rende mais, e o lucio jogar na esquerda, ja jogou assim, com o mano menezes, ate fez gol num grenal, e o tal de gilson entraria na ala esquerda.

  • Leônidas diz: 27 de agosto de 2010

    A maior contratação do ano do grêmio vai ser a dispensa do Paulo Paixão e Família… Quantos pontos ele já tirou do Grêmio com os jogadores que ele ” mói ” e tira do campo por meses?

  • Felipe Machado diz: 27 de agosto de 2010

    Concordo com a avaliação. Já no final do primeiro tempo, o Santos já estava dominando o meio campo. No segundo tempo, então, nem se fala. Aos 15min era possível substituir Jonas para colocar um meia.

    Outra coisa: a impressão que tenho é a de que Fernando ainda não tem preparo para encarar o momento do time. É jovem e entrou muito nervoso na partida.

  • Tomas Luz diz: 27 de agosto de 2010

    As ideias de 4-5-1 não são ruins, mas quando o time joga assim a bola não para no ataque ela bate e volta, isso ja foi testado em dois jogos. E Borges fica ainda cem parceiro no ataque isolado. isso muito acontece pq Douglas e sousa entram pouco na area. Hj o Grêmio precisa de dois atacantes, para fazer a tabela com Borges. E o meio campo hj seria Douglas e Maylsom, pq Douglas corre pouco mas da boas assistencias e Maylsom corre muito e não da uma assintencia quase, mas ele compensa entrando na area e somando a os atacantes, assim fazendo muitos gol como no começo da temporada. vira um terceiro atacante.lembra? abraço !!

  • Dyeison Martins diz: 27 de agosto de 2010

    Sinto discordar Secconi, mas o Jonas ainda é o jogador com mais assistências e gols do time. Estranho tirá-lo.

    Na realidade, não discordo do 4-5-1, tanto o com 3 ou 3 meias ofensivos. Acho um lugar fácil para Jonas nesseas formações, basta apenas trocá-lo por Souza, que desde que voltou não fez nada de útil.

    Eu facilmente escalaria um meio de campo do Grêmio no 4-2-3-1 com Adilson, W.Magrão (Ferdinando), Rochemback, Douglas e Jonas.

  • Allysson diz: 27 de agosto de 2010

    ou então um “falso” 4-3-3 com triângulo de base baixa no meio campo, com Adilson/Ferdinando e Rochemback/Magrão na marcação Douglas armando e Jonas e Leandro nas pontas com Borges centralizado. com os pontas recuando ate o meio, quando o time estiver sem bola

  • Arlei diz: 27 de agosto de 2010

    O problema é que, estamos em agosto,já quase setembro, e o Grêmio não tem um time titular e muito menos um esquema definido. Sem sequência é muito difícil. Desse jeito,vamos cair de novo.

  • Yuri diz: 27 de agosto de 2010

    Cecconi então analisa esse 4-5-1

    —————————————Victor———————————————
    ——————————————————————————————
    ——————Mario—————————–Rafa/Neuton————————-
    ——————————————————————————————-
    Gabriel———————————————————————-Lucio/Neuton
    ——————————————————————————————–
    ————————————–Magrão———————————————
    ——————————————————————————————-
    ————-Maylson———————————–Adilson/Rochemback———–
    ——————————————————————————————–
    ——————————————-Douglas—————————————-
    ——————–Souza—————————————————————–
    ——————————————————————————————–
    ——————————————————————————————–
    ————————————————————Borges———————–

    Com Souza e Borges invertendo posições Souza no meio e Borges na Area um 4-5-1 com meio em diamante com Douglas pouco deslocado para a esquerda dai em jogo funcionaria em tese Douglas abria pela direita com a bola Maylson e Gabriel subiam Souza caia para a esquerda (Antiga posição de Douglas porem adiantado) Magrão subia e tomava posição de maylson Borges Abria pela direita carregando a marcação enquanto Souza ficaria sozinho no lado oposto pronto para troca de passes rapidas com Borges e chute a gol tu achas que algo desse tipo poderia funcionar??

  • Pac-Man diz: 27 de agosto de 2010

    Depois de tudo o que foi dito, não correrei o risco de ser redundante ou prolixo.

    Jonas não está funcionando. Mas creio que seria incorreto tirá-lo do time. O ideal é 4-3-1-2, com Victor; Gabriel, Vilson, Rafa Marques e Neuton; Ferdinando, Roca, Maílson e Souza. Jonas e Borges. E tenho dito.

  • carlos diz: 27 de agosto de 2010

    Concordo com a análise sobre o Jonas. Ele é individualiesta e perde muitos gols.E candidato a sair do time. Também concordo que a principal carência do time é um primeiro volante de marcação e com boa qualidade de passe. Penso que tamém é preciso um volante que jogue pelo lado esquerdo do campo. William Magrão e Maylson merecem ser titulares. A quinta e última vaga do meio de campo seria disputada por Souza e Douglas. Um dos dois sobraria. Borges é titular indiscutível.
    A defesa poderia ser composta pelos jogadores que estão sendo contratados.
    Em resumo, é urgente a contratação de dois volantes.

  • Roberto diz: 27 de agosto de 2010

    Absurdo não é, mas o Jonas seria titular em pelo menos 70% dos times do Brasileiro. Como é que não serve pro Grêmio? Se a idéia é rechear o meio, acho melhor tirar o Souza e colocar o Fernando. E o Rockemback de primeiro volante é boa, mas tem que convencer o cara de que é ali que vai se consagrar, se suar a camisa e guardar posição. Já tuas idéias de triangulações pelas duas laterais são excelentes. Vinha pensando há muito tempo em como resolver esse problema que existe no Grêmio, ou seja, a falta de jogadas organizadas pelos lados. Tu resolveste muito bem o problema. Mas, neste caso, prefiro ter dois atacantes para aproveitar as triangulações do que apenas um. Abraço

  • Nivo diz: 27 de agosto de 2010

    prefiro recuar o jonas para o meio pela esquerda, e por o jonas na direita.
    acho que o 3-5-1 que vem dando certo é feito com um atacante recuado e não com meia adiantado, foi assim com a alemanha onde podolski jogou no meio, e na própria seleção do mano, onde robinho e neymar viraram meias ofensifos mas que marcavam os volantes adversários. Acredito que esse seja o modelo ideal para o grêmio com adílson e rocka na contenção, souza na direita, encostando no gabriel e aproveitando sua experiência como ala naquele setor, jonas na esquerda para aproveitar o chute de pé direito, e douglas flutuando no meio encostando nos 2 lados. Assim jonas e souza teriam o papel de marcar os volantes adversários e douglas se posicionaria livre para receber a bola retomada e armar o contra ataque. Talvez a substituição do lateral esquerdo fabio santos pelo neuton na lateral esquerda também desse mais equilíbrio a esse esquema, fazendo com que jonas tivesse q voltar menos.

  • Pedro Breier diz: 27 de agosto de 2010

    Acho que faz sentido tua análise Cecconi. O Jonas está mesmo em uma má fase. Porém, mesmo em má fase e sendo, de fato, individualista demais, acho que ele é ainda a melhor opção pra ser um dos meias do 4-2-3-1. Na minha opinião Maylson e Leandro são muito ruins, as jogadas normalmente terminam nos pés deles, com erros de passe, de finalização, de escolha de jogada, enfim, não oscilam mesmo, jogam sempre em um nível baixíssimo. O Jonas, apesar do individualismo, é um jogador esperto, às vezes participa de boas triangulações. Além disso, um jogador com a iniciativa e a capacidade do drible, além do poder de conclusão, se encaixa perfeitamente como meia que joga pelo lado no 4-2-3-1 (vide Robben, Arshavin, Cristiano Ronaldo). Claro que não estou comparando as qualidades desses jogadores com o Jonas: porém, todos jogam de meia no 4-2-3-1 jogando pelos lados do campo, com o pé invertido. Então, acho que o Jonas jogando de meia-esquerda, com a cia. do Douglas pelo centro e Souza pela direita, com Adilson (grande roubador de bolas e eficiente no passe curto) e Rochemback (organizador do time, joga muito) de volantes, dá um belo meio-campo.

  • Daniel diz: 27 de agosto de 2010

    O Jonas caiu de produção por causa da má fase do Borges. Ele ficou sobrecarregado e, mesmo sendo esforçado, não é nenhum Portaluppi. Se o Borges voltar a fazer a parte dele, o Jonas vai ter mais liberdade pra atuar como no início do ano, atacando, mas também dando assistências e marcando lá na frente.

  • Fernando diz: 27 de agosto de 2010

    É um baita absurdo jogar nessa tatica. Duas coisas são claras no time que o Gremio tem que botar em campo que enterram essa idéia. A primeira é que o Jonas e o Borges tem que jogar juntos. Temos uma das melhores duplas de ataque do Brasil e vamos jogar com um atacante só por que! Eles precisam de ritmo juntos para retomarem o entrosamento. Segundo motivo, tanto Souza, Douglas, Maylson ou Leandro não justificam jogarem juntos no mesmo time, nem mesmo dois apenas entre os 4 devem jogar juntos. Tirando o Maylson, que diga-se esta em fase ruim, nenhum dos demais se esforça na marcação.

    Melhor e única formação possível pro Gremio sair dessa situação é o 3-5-2, com:

    Victor

    Vilson ou Saimon (depois Mario Fernandes quando voltar)
    Rafael Marques
    Neuton

    Gabriel
    Adilson
    Rochembach ou William Magrao
    Douglas
    Lucio

    Jonas
    Borges

    Temos excelentes laterais para o apoio e uma zaga fulneravel, precisamos reforçar a defesa e explorar os alas como ponto forte do time. Dois marcadores no meio e o Douglas mais avançado armando o time. Com essa sendo repetida nos jogos, logo o Gremio se entrosa e volta a jogar bem.

  • Cristiano diz: 27 de agosto de 2010

    Concordo e discordo amigavelmente, gosto da árvore de natal, mas quando o jonas voltar a jogar bem, ele é titular, no lugar do Souza.
    Aliás o Souza (que é um capítulo a parte) como armador do time não cabe. Ele sim, eu penso é que joga para si, principalmente quando tem que inverter o jogo ou acionar as passagens dos laterais (já faz dois anos que vemos isso). Caiu para a perna esquerda, é passe de trivela de direita, vício que acaba retardando o jogo. Ele é útil, mas como coadjuvante.
    Outra coisa, Eduardo, acho que os torcedores polemizariam mais se tu dissesse que o meio do Grêmio não consegue se organizar sem o Douglas. Mesmo quando ele joga mal, o time ainda sim se mantem mais organizado do que qualquer outra formação no meio campo sem ele.
    De qualquer forma, prefiro os 3 volantes do que os 3 zagueiros. E devagar com o Lúcio também. Acho que ele clareia mais o jogo ofensivo pela esquerda, mas tem que estar bem. Um abraço!

  • ricardo diz: 27 de agosto de 2010

    Vou realmente ser redundante mas continuemos…
    “Em tempo: Para mim, Douglas e Souza só podem estar em campo juntos se for em times adversários.” Concordo plenamente com isso, um meio campo com 2 pseudo craques nao me agrada.
    Fabio santos deveria ser substituido pelo Neuton, aí ate daria margem a utilização de um meio campo um pouco mais ofensivo. Jonas para mim nao deve ser tirado do time, mas sim recuado para a posição de um dos falsos meias que encostam no ataque.
    Leandro nao seria nem mesmo cogitado por mim, nao rende e só “vai pra noite”. Pomoveria algum jogador da base (Roberson), que mesmo que nao tenha se firmado pode render mais que ele.
    Há muitas variações que podem ser preteridas, mas acho que:
    1- Jonas nao deveria sair do time
    2- Souza e douglas dificilmente jogam juntos na meia cancha ofensiva/transição
    3- Fabio santos deveria ser substituido por Lucio ou Neuton, dependendo de quem voltar melhor (com algumas variações para equilibrar defesa/ataque)
    4- Maylson de volante com apenas 1 meia ofensivo no 442 diamante me agrada.

  • lucas diz: 27 de agosto de 2010

    acho interessante o 4-2-3-1,mas com souza na meia direita, e jonas do outro lado,douglas centralizado e borges(pivô)!ai daria certo pq jonas pegaria muitas bolas de frente pra zaga como ele gosta e faz bem esta função,além de povoar bastante o meio e ter força ofensiva!

  • Rodrigo Gremista diz: 27 de agosto de 2010

    Acredito que o Grêmio deveria jogar em 4-4-2 no estilo inglês, com dois volantes box-to-box e com laterais ajudando mais na defesa que no ataque. O time seria o seguinte (considerando todos os jogadores disponíveis):

    —————————————Victor———————————————
    ——————————————————————————————
    ——————Ozéia—————————–Rafa Marques————————-
    ——————————————————————————————-
    Mário———————————————————————-Neuton
    ——————————————————————————————–
    —————————–Magrão———————————————
    ——————————————————————————————-
    ——————–———————–Adilson—————————–
    ——————————————————————————————–
    ————————————— ———— —-—-Souza——————
    ————–Gabriel—————————————————————–
    ——————————————————————————————–
    —————————-Jonas——————————————————–
    ——————————————————Borges———————–

  • Ítalo diz: 27 de agosto de 2010

    Cecconi, virei teu fã faz pouco tempo. Venho conferindo há aproximadamente um mês o teu blog e fiquei muito contente em encontrar alguém com análise tática tão interessante e detalhada como tu. Toda esta história tem um revés, discordo do 4-5-1 no Grêmio. Primeiro porque acredito que, assim como tu comentou, é um modismo pós-copa. Segundo por uma visão tática minha: o ataque do time, já escasso em produção, ao isolar Borges em detrimento de mais um volante, não aumentaria a efetividade. É tudo uma questão de ponto de vista, claro, mas concordo com alguns amigos que comentaram aqui a utilização do losango. Esse esquema minimiza as alternativas ofensivas, sim, porém centraliza o jogo que é onde o time tem seus principais destaques. Claro que a saída não será encontrada em blogs, o trabalho feito no vestiário é mais urgente, cabe a nós especular. Além disso, sou totalmente contra Leandro, Fábio Santos e William Magrão pelo pouco futebol que andam apresentando.
    Abraço

  • Carlos Brenner diz: 27 de agosto de 2010

    Uma coisa é certa: Douglas e Souza não podem jogar juntos, indiscutivelmente. Devemos prender os laterais atrás, para não compremeter a zaga. Borges e Jonas jogam juntos sim. A incapacidade técnica do time está demonstrada nas cobranças de escanteio: a bola nunca chega certa para os cabeceadores, sempre mal cobrados ficando a bola de graça para a defesa adversária. É necessário treinamento nas cobranças de bola parada do time porque não conseguem colocar em jogo uma bola parada, ainda mais em movimento.

  • Roberticus diz: 27 de agosto de 2010

    uma pergunta; tal vez uma utopia.

    Mas daria para Gremio (o qualquer time brasileiro) adotar a prática de Ancelotti de colocar um meia-armador (como Douglas exe?) como primeiro volante frente da zaga? Tal como Pirlo foi auxiliado por dois volantes (Gattuso e Ambrosini) e tendo como ponta-da-lança um meia-atacante muito ofensivo (Souza fazendo de Kaká no Milan).

  • Gilmar Zanotelli diz: 27 de agosto de 2010

    O time do Gremio deve ser escalado com três volantes de marcação e um armador e dois atacantes: 1-Vitor, 2-Gabriel, 3-Vilson(Mario), 4-Rafael Marques(Marcos Vinicius), 6-Lucio(Gilson), 5-Adilson, 8-Fabio Rochemback, 11-Mailson, 10-Douglas(Souza), 7-André Lima(Leandro e 9-Borges. Dando a brasadeira de capitão para o Fabio Rochemback.

  • Renato B. diz: 27 de agosto de 2010

    Cecconi, o Grêmio tem um bom número 5, o Fernando, que é estilo o Rafael Carioca. Ótimo jogador. Jogou muito contra o Santos, arrumou o meio campo sozinho. Depois que Rochembach, Souza e Douglas pararam de jogar no segundo tempo, o único que estava segurando era o Fernando. O Renato tirou ele em seguida foi gol do Santos, bem no lugar onde o Fernado estava antes.

    Agora…ninguém vê isso.
    Que decepção essa direção.

  • Flávio diz: 28 de agosto de 2010

    Leandro não mostrou nenhum pouco o porquê do esforço do Grêmio em trazê-lo. Maylson merece chance e sempre responde bem. Mas nessa vaga a mais criada no meio-de-campo ofensivo e com obrigações de marcação, porém com muita cara de ataque, não poderia ser preenchida exatamente por Jonas?

  • Gabriel diz: 28 de agosto de 2010

    E por quê não um 4-4-2 com meio campo em losângo?

    Aproveitaria o que tem de melhor no elenco, sem abrir mão de consistência tanto defensiva quanto ofensiva (não é esse o princípio básico, acomodar o que há de melhor num esquema equilibrado?).

    O Grêmio poderia atuar com Vilson e R. Marques no miolo de zaga, Gílson e Gabriel nas laterais (os dois são fortes no apoio). Meio campo com Adílson ou Fernando no centro(bom pulmão), ROchemback e Maylson como apoiadores (reunem poder de marcaçao e qualidade no apoio) e Douglas ou Souza no vértice, com maior liberdade de criação (já que não marcam de um jeito ou de outro e não têm tanta capacidade física). Jonas e Borges na frente (o Grêmio não pode, jamais, abrir mão de uma das melhores duplas de ataque do Brasil, não seria inteligente).

    Daria a possibilidade de diversas pequenas comunidades como tu gosta de citar. Por exemplo: Gilson-Rochemback-Douglas pela esquerda; Gilson-Douglas-Jonas pela esquerda ofensiva; Rochemback-Douglas-Maylson pelo meio; Douglas-Jonas-Borges pelo ataque; Gabriel-Maylson-Jonas pela direita ofensiva; Gabriel-Maylson-Douglas pelo meio. Sempre tendo Jonas flutuando, como ele gosta de atuar e Douglas (ou Souza) também flutuando entre um lado e outro do campo, conforme as circunstâncias. Com apoio alternado dos alas e cobertura do respectivo volante. Adílson mais fixo na proteção. Sempre teria uma proteção adequada aos zagueiros e um número suficiente de jogadores na transição ofensiva, com todos os espaços do campo bem ocupados e com repertório variado entre meio e lados do campo.

    Acredito que esse esquema, no atual momento do time seja o mais indicado. O que tu achas Cecconi?

  • Cauê diz: 28 de agosto de 2010

    Tirar o Jonas pra por Maylson ou Leandro não vale a pena. Jonas sozinho no ataque, como fez Renato, é suicídio. A única justificativa seria pra colocar 3 volantes.

  • Alan diz: 29 de agosto de 2010

    Pior que eu concordo. Me agradou muito só de ver aquele 4-2-3-1…por instantes lembrei do Mano Menezes aqui. Gosto muito do Jonas, mas o ideal seria mesmo ter mais um meia e povoar mais o meio campo, ficaria um time mais ‘rico’ de futebol me parece.. porque nossos volantes também infelizmente deixam a desejar. Agora, com um apoio mais qualificado dos laterais, com Gabriel e Lúcio, o Grêmio pode estar ganhando uma nova arma de jogo, e aí seria interessante ter mais um atacante…poderia dar certo com o Souza jogando um pouco mais recuado, como o Renato fez num desses últimos jogos…ou poderia ser uma boa variação pro segundo tempo, talvez até entrando o André Lima. Mas hoje o Renato vai de 4-4-2…e no fundo eu torço pra que seja sempre assim, e que de certo.

  • borracho diz: 30 de agosto de 2010

    Baseado nos jogos do Gremio desde o inicio da temporada ate aqui, pra mim a escalaçao ideal eh um 4-4-2 com tres volantes:

    Victor

    Gabriel (Saimon eh uma boa alternativa pra quando precisar se defender)
    Mario Fernandes (melhor zagueiro)
    Vilson
    Neuton (melhor lateral esquerdo)

    Fernando/Matheus Magro (sempre com uma funçao bem definida e marcando forte)
    Adilson
    Rochemback (ajudando na armaçao)
    Douglas/Pessali/Souza

    Jonas
    Borges/Andre Lima

    Como ja falaram um losango seria uma boa formaçao pro meio (o Gabriel pode fazer a funçao do Maylson quando atacar e o Neuton tem q ter mais liberdade pra ir a linha de fundo):

    ——————-Victor———————-
    ————————————————
    Gabriel—–Mario——Vilson——–Neuton
    ————————————————
    ——————-Fernando——————
    ————————————————
    ——–Rochemback——Adilson———–
    ————————————————
    ——————–Douglas——————-
    ————————————————
    ——————————–Jonas———-
    —————–Borges———————–

  • Fernando Henrique Machado diz: 2 de setembro de 2010

    Quanto às caracteristicas atribuidas ao Jonas eu discordo. No início do ano ele mostru-se muito voluntarioso, se não me engano ele deu 5 assistências apenas para o Borges.

    Lembrando que o Silas o posicionava atrás do Borges, naão como um segundo atacante, mais para um meia-atacante. Penso que ele possa jogar no 4-3-2-1, ao lado de Douglas. Uma vez que o rendimento de Souza está muito abaixo do esperado. Jogando então com Ferdinando na primeira função, já que este jogador guarda bem a posição e possue uma boa recuperação. E Adílson e Rochenback mais a frente dando uma liberdade maior ao Adílson, já que ele movimenta-se mais inclusive, por vezes, deixando a zaga desprotegida quando ocupa a primeira função.

    Já o Fábio Santos pode ser sacado da equipe pois deixa muito espaço para o ataque adversário.

Envie seu Comentário