Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Como o Seahawks tem sucesso sem escolhas de primeira rodada no draft

13 de março de 2015 1
Bookmark and Share
Richard Sherman foi draftado na quinta rodada em 2011. Foto: Otto Greule Jr/Getty Images/AFP

Richard Sherman foi draftado na quinta rodada em 2011. Foto: Otto Greule Jr/Getty Images/AFP

Boa parte dos times da NFL fazem um santuário em torno da escolha de primeira rodada no draft. Para muitos, o atleta escolhido inicialmente no processo de recrutamento é, ou a salvação e a libertação da época de vacas magras, ou a cereja do bolo para um time disputar o título. Mas o Seattle Seahawks é um exemplo bem sucedido do inverso.

Ao trocar a primeira escolha de 2015 na negociação que colocou o tight end Jimmy Graham em Seattle, o Seahawks vai para o seu terceiro ano consecutivo sem uma seleção na primeira rodada. E, mesmo assim, tem duas aparições no Super Bowl e um título nos últimos dois anos.

Em 2013, o Seahawks enviou a sua escolha ao Minnesota Vikings por Percy Harvin — e, naquela mesma temporada, ele seria uma peça importante na conquista do título. No ano passado, a equipe recebeu escolhas de segunda e quarta rodadas com o mesmo Vikings. Com isso, a franquia se tornou a primeira, desde o San Diego Chargers nos anos 1990, a ficar três anos seguidos sem escolha na rodada inicial.

Apesar da aparente desvalorização, o segredo do Seahawks está exatamente no draft. Mas nas rodadas inferiores. Dentre os principais jogadores do elenco, estão Kam Chancellor (quinta rodada em 2010), Richard Sherman (quinta rodada em 2011) e Russell Wilson (terceira rodada em 2012).

Além disso, de acordo com o site TheMMQB, o gerente geral  John Schneider avalia apenas 16 jogadores da classe de 2015 com valor de primeira rodada. Assim, como tinha apenas a 31ª escolha, o Seahawks usaria a primeira rodada para selecionar um jogador com talento de segunda — por isso, a escolha pode ter mais valor no mercado do que no campo.

Comentários (1)

  • Elias Junior diz: 16 de março de 2015

    John Schneider é um gênio… Provou isso mais uma vez fazendo a inacreditável troca por Jimmy Graham… tipo, em que lugar no mundo Max Unger (apesar de ser um ótimo Pro Bowler Center) vale troca no taco por Jimmy Graham, sim, eu sei da escolha de 1ª rodada por de 4ª… mas foi praticamente no taco! Unfreakinbelievable!!

    #GOHAWKS

Envie seu Comentário