Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

O impacto do Furacão Katrina nos esportes - Parte II: New Orleans Hornets e a entrada de OKC

30 de agosto de 2015 0
Bookmark and Share
New Orleans Arena é hoje a sede do Pelicans — novo nome do Hornets. Foto: Divulgação

New Orleans Arena é hoje a sede do Pelicans — novo nome do Hornets. Foto: Divulgação

Neste sábado, você leu sobre o impacto do Furacão Katrina sobre o New Orleans Saints na NFL. Agora, é a vez do New Orleans Pelicans e a NBA.

No basquete, o impacto não foi tão forte na franquia, mas foi mais potente no futuro da liga. A New Orleans Arena não foi drasticamente atingida, mas as regiões em seu redor impossibilitavam os jogos no ginásio. Inicialmente, a ideia do então New Orleans Hornets era jogar na Louisiana.

A primeira alternativa foi o Baton Rouge River Center, em Baton Rouge. No entanto, os prejuízos causados pelo furacão também complicaram a ideia. Kansas City, Louisville, Nashville, Oklahoma City e San Diego se candidataram para receber a franquia.

Ginásio que recebeu o Hornets é hoje a casa do Oklahoma City Thunder. Foto: Divulgação

Ginásio que recebeu o Hornets é hoje a casa do Oklahoma City Thunder. Foto: Divulgação

OKC levou a melhor e o time acertou um contrato de uma temporada — que seria estendido por mais um — com o Ford Center (atual Chesapeake Energy Arena) para jogar em Oklahoma City. A decisão de jogar a segunda temporada longe de Nova Orleans foi polêmica, mas a NBA entendeu que era importante dar tempo para a recuperação completa do mercado local para que os impactos financeiros sobre a franquia fossem menores.

Nas temporadas em Oklahoma City, o Hornets adotou o nome da nova cidade-sede e jogou como New Orleans/Oklahoma City Hornets. Nas temporadas em que jogou na nova cidade, o Hornets teve campanhas médias: 38 vitórias e 44 derrotas em 2005/2006 e 39 vitórias e 43 derrotas em 2006/2007. Os números de público foram impressionantes. Mesmo sem uma identificação prévia com a franquia, a média de públicou passou dos 18 mil por jogo.

Oklahoma City provou, especialmente na segunda temporada, que poderia receber uma franquia da NBA. Se o New Orleans Hornets precisou voltar para a sua cidade — e se manteve como um time pequeno no cenário da NBA —, OKC ficou apenas uma temporada sem o melhor basquete do mundo. Em 2008, o Seattle Supersonics foi realocado e passou a se chamar Oklahoma City Thunder. Em poucos anos desde a mudança, o Thunder já chegou inclusive à final da NBA na temporada 2011/2012, quando foi derrotado em cinco jogos pelo Miami Heat. Anos depois, o Hornets virou Pelicans e abriu espaço para que o Bobcats também mudasse de nome e retomasse a existência do Charlotte Hornets.

O principal impacto do Furacão Katrina foi abrir a necessidade de frequentes realocações. Oklahoma City mostrou que poderia receber um time da NBA e o recebeu. Seattle, que perdeu o Supersonics, começou a se movimentar para tê-lo de volta. Primeiro, houve uma grande mobilização pela realocação do Sacramento Kings, mas a franquia seguiu na Califórnia por imposição da liga.

Sem pretensão de expandir da liga para 32 franquias nos próximos anos, a NBA se utiliza dessa brecha para pressionar as franquias ameaçadas para a construção de novas arenas. Além de movimentar o mercado de importantes cidades americanas que buscam um time, o Furacão Katrina foi a causa inicial da modernização de alguns palcos da maior liga de basquete do mundo.

*Em lembrança aos 10 anos da passagem do Furacão Katrina, o Prime Time relembra os textos publicados em setembro de 2013.

Envie seu Comentário