Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Prime Time Responde: como funcionam a injury reserve e os contratos de recém-draftados?

19 de fevereiro de 2016 0
Bookmark and Share
Defensive end Joey Bosa é um dos principais prospectos de 2016. Foto: Ohio State/Divulgação

Defensive end Joey Bosa é um dos principais prospectos de 2016. Foto: Ohio State/Divulgação

Está no ar o Prime Time Responde desta semana. Para ler as edições anteriores, clique aqui.

Anderson Fraga – Como funciona a injury reserve? Com jogo no domingo, até que dia da semana funciona os reports dos times? Como funciona os contratos de salários dos recém draftados? É via tabela da NFL? Ela é pública?
Vamos por partes, como diria Jack.
1: A injury reserve é uma reserva para jogadores que vão ficar lesionados até o fim da temporada. Eles são colocados lá e contam contra o salary cap do time, mas não ocupam espaço no elenco de 53 jogadores ativos. Só um jogador por vez por time pode ser colocado na injury reserve – designated for return. Ou seja, esse jogador pode retornar a treinar em seis semanas e ao elenco ativo no período de oito semanas. Mas a injury reserve só existe em um período específico: dos cortes finais de pré-temporada até o fim do ano da liga (que este ano é em 9 de março). Durante intertemporada e pré-temporada, todos os jogadores, machucados ou não, ficam no elenco ativo. Este é um detalhe importante: na temporada regular/pós-temporada, um time pode ter no máximo 90 jogadores vinculados: até 53 no elenco ativo, até 10 no practice squad e o resto nas reservas (lesão, suspensão, contratos futuros). Se as lesões estourarem os 90, o time precisa cortar alguém ou fazer um injury settlement (acordo para dispensar um jogador lesionado).
2: Os reports dos times são para jogadores do elenco ativo que estão lesionados. Ou seja, quem está na injury reserve não entra nos reports de lesionados durante a semana. Os jogadores com alguma lesão são classificados como probable (75% de chances de jogar), questionable (50% de chances de jogar), doubtful (25% de chances de jogar) ou out (fora do jogo).
3, 4 e 5: A NFL tem uma tabela de padrão salarial para os jogadores draftados. Eu expliquei o sistema dos contratos de novatos em um post em abril passado. Os valores mudam de ano para ano de acordo com o aumento do salary cap.

Guga Scapin – Traduzindo para os leigos em basquete, o que são as posições PG, SG, SF, PF, C e 1, 2, 3, 4 e 5?
PG (point guard) ou 1: armador
SG (shooting guard) ou 2: ala-armador
SF (small forward) ou 3: ala
PF (power forward) ou 4: ala-pivô
C (center) ou 5: pivô

Jonas Faccion – Algumas semanas perguntaram dos 12 da seleção de basquete dos EUA. Quais os 12 do Brasil?
Eu levaria esses:
Armadores: Huertas, Raulzinho, Benite
Alas: Leandrinho, Alex, Marquinhos, Caboclo
Pivôs: Nenê, Varejão, Augusto Lima, Hettsheimeir e Lucas Bebê

Lucas de Oliveira – Jogando em uma zone read, é o ano do Torrey Smith na NFC West? O quanto uma spread offense ajuda um cara explosivo?
Não acredito que faça tanta diferença. De qualquer forma, o Smith joga fora do box quase sempre e a vantagem do spread offense é abrir o box. Ou seja, é uma mudança mais importante para os running backs e slot receivers do que para os recebedores laterais. Mas o Smith tem motivos para comemorar, sim. O sistema de ataque do Chip Kelly valoriza a facilitação das leituras do quarterback. Com isso, a tendência é que o Colin Kaepernick (se for ele, claro) tenha amenizado o seu principal defeito.

Júnior Bobby – Com a saída de Kobe, qual posição o Lakers deve priorizar na free agency?
A saída do Kobe não impacta muito neste sentido porque, mesmo com a sua aposentadoria, o time está bem servido de jogadores na posição 2. Tanto que o Kobe tem jogado várias partidas como 3, e é esta a prioridade do Lakers. Só não sei se vai ser na free agency ou no draft. Na free agency, como já não é mais tão atrativo como em outros tempos, o Lakers vai acabar contratando quem conseguir.

Guilherme Veiga – Eu queria saber se tem como um jogador se negar a receber a franchise tag?
Ele não pode se negar a receber a franchise tag, mas pode se negar a jogar. Neste caso, ele não receberá o salário proporcionalmente a cada jogo que ficar fora. Mas ele só poderá assinar com um novo time ao fim daquela temporada.

Uilson Rodrigues – O Titans acertará se escolher Laremy Tunsil como primeira escolha do draft, já que ele é o offensive tackle mais promissor da classe? Ou deveria optar por talentos individuais maiores como Joey Bosa e Jalen Ramsey?
Eu não gosto de escolher jogador de linha ofensiva na primeira rodada, porque os talentos nesta posição são muito parecidos no início e no meio do draft. Acredito que o Joey Bosa é o melhor prospecto e iria com ele. Para reforçar a linha ofensiva, usaria escolhas mais baixas, mesmo que seja a posição de prioridade para o Titans.

Corneta Série B – O que esperar do Cubs?
É um time que se estruturou bem ao longo dos últimos anos. Ou seja, não é a derrota na temporada passada que vai desmantelar o projeto. Tem boas chances.

Douglas Willian – Se Manning não se aposentar, o que podemos esperar do quarterback na próxima temporada?
Que ele esteja em outro time que não é o Denver Broncos. E que não vai jogar mais do que jogou em 2015.

Luís Paulo Valois – O que Baltimore deveria priorizar no draft: CB, WR ou OT? Minha opinião: CB. Webb vai jogar de S e precisamos de um playmaker.
É difícil prever antes da pré-temporada, quando começam a ocorrer as lesões, qual vai ser a necessidade do time na temporada. Por isso, à exceção de quarterback, eu sou favorável a escolher o melhor jogador disponível. Se quiser limitar a estas três posições de maior necessidade, que pegue o melhor jogador disponível entre estas três. Mas não dá para supervalorizar um jogador por uma carência que pode nem ser a maior ao longo do ano.

Envie seu Comentário