Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "Olimpíada"

Gaúcho Murilo Becker machuca joelho e está fora da Olimpíada

07 de junho de 2012 0
Bookmark and Share

Murilo Becker está fora das Olimpíadas. Foto: Wander Roberto, Divulgação CBB, BD

O Brasil tem mais uma baixa no basquete masculino antes dos Jogos Olímpicos de Londres, que começam no final de julho. O gaúcho Murilo Becker, eleito o melhor jogador da temporada do Novo Basquete Brasil (NBB), tem uma tendinite no joelho e ficará afastado das quadras por quatro meses.

Murilo foi eleito o melhor jogador, melhor pivô, maior pontuador e maior reboteiro da temporada do NBB. Agora, terá que passar por uma cirurgia. O gaúcho não é o primeiro desfalque brasileiro para Londres. Importante no Pré-Olímpico em 2011, Rafael Hettsheimeir também está fora por conta da necessidade de uma artroscopia no joelho. Fab Melo nem foi pré-convocado pois preferiu se dedicar aos treinamentos antes do draft da NBA.

O técnico Rubén Magnano fez uma pré-lista com 13 nomes, dos quais 12 iriam para a Olimpíada. No entanto, sem Murilo e Hettsheimeir, um novo jogador terá que ser convocado para completar a lista final que vai a Londres. O Brasil estreia no basquete masculino da Olimpíada no dia 29 de julho, contra a Austrália.

Comitê divulga tabela do basquete nos Jogos de Londres

28 de maio de 2012 0
Bookmark and Share

Seleção masculina, comandada por Rubén Magnano, estreia contra a Austrália. Foto: CBB, Divulgação.

O Brasil já sabe datas e horários de seus jogos no basquete dos Jogos Olímpicos de Londres, entre julho e agosto. A equipe masculina, que não disputa as Olimpíadas desde 1996, estreia no dia 29 de julho, contra a Austrália, às 7h15 (de Brasília).

A seleção feminina joga sua primeira partida contra um adversário ainda indefinido (será conhecido apenas no Pré-Olímpico Mundial), no dia 28 de julho, às 16h.

Confira os jogos do basquete brasileiro nas Olimpíadas:

Masculino

29/07 – 07h15 – Brasil x Austrália
31/07 – 12h45 – Brasil x Reino Unido
02/08 – 12h45 – Brasil x adversário a definir
04/08 – 12h45 – Brasil x China
06/08 – 16h – Brasil x Espanha

Feminino

28/07 – 16h – Brasil x adversário a definir
30/07 – 12h45 – Brasil x Rússia
01/08 – 10h30 – Brasil x Austrália
03/08 – 10h30 – Brasil x adversário a definir
05/08 – 18h15 – Brasil x Reino Unido

Se quiser ser potência olímpica, Brasil precisa investir no esporte universitário

26 de maio de 2012 14
Bookmark and Share

Com certeza não é coincidência a grande força dos Estados Unidos nos Jogos Olímpicos. O segredo é o investimento. Mas não basta colocar dinheiro no esporte de forma desordenada. Apostar no esporte universitário é uma boa forma de revelar novos talentos, o que torna mais fortes as ligas profissionais e a delegação brasileira em Olimpíadas.

Muitos talentos são perdidos quando acaba o período colegial. As pessoas fazem a opção por concluir o ensino superior ao invés de seguir a carreira esportiva. O erro está aí: o governo deve dar apoio para que o esporte seja um auxiliar na formação de estudantes, não um empecilho.

 

Além de ser importante para o esporte, é uma boa forma de inclusão social a partir do momento em que jovens atletas carentes passam a receber oportunidades na rede privada de ensino com o apoio governamental. Assim como já acontece nos Estados Unidos, a formação acadêmica andaria lado a lado com o crescimento dentro das quadras ou campos.

Criar um formato de ligas universitárias com incentivo público não é difícil. Difícil é a iniciativa de concretizar a ideia. Esses talentos revelados na universidade seriam aproveitados mais tarde nos torneios profissionais e, claro, em competições internacionais representando o Brasil. Por que não tentar?

Não se engane: jogadores da NBA são essenciais para a seleção nas Olimpíadas

05 de maio de 2012 5
Bookmark and Share

Nenê Hilário desprezou a Seleção Brasileira de basquete muitas vezes. Leandrinho Barbosa, fez o mesmo algumas vezes. Anderson Varejão e Tiago Splitter são mais presentes, mas também não se pode dizer que defender o Brasil está no topo da lista de prioridades. Mesmo assim, o momento é de deixar o ego de lado.

O Brasil não disputa o basquete masculino nos Jogos Olímpicos desde 1996. No ano passado, garantiu vaga em Londres apenas com Splitter no elenco. Mas não se engane: nas Olimpíadas, o buraco é mais embaixo. Os quatro atletas da NBA são fundamentais para uma campanha boa do Brasil.

A seleção caiu no Grupo 2 das Olimpíadas, ao lado de Espanha, Austrália, China, Reino Unido e mais uma equipe do pré-olímpico mundial. Dos seis, quatro avançam. Ainda assim, não será fácil passar de fase. Com os quatro que atuam nos Estados Unidos, é possível. Sem eles, praticamente inviável.

O técnico Rubén Magnano e a CBB indicam que Nenê, Leandrinho, Varejão e Splitter estarão entre os 12 convocados. Bom para os jogadores, excelente para a seleção. Estamos felizes que o basquete masculino voltou aos Jogos, mas fazer uma campanha decente é o mínimo que se exige de um país bicampeão mundial.

Concorda? Discorda? Quer opinar?

Comente!

Entre em contato conosco por Twitter ou Facebook

Beisebol é retirado do programa olímpico de Londres

22 de março de 2012 0
Bookmark and Share

O beisebol não faz mais parte do programa de esportes olímpicos. A modalidade foi disputada apenas por homens entre 1992 e 2008. As mulheres jogavam uma modalidade semelhante, chamada de softbol, que também foi excluída do programa olímpico.

Nas cinco edições em que foi disputado, o beisebol foi dominado pela seleção de Cuba. A ilha caribenha conquistou três medalhas de ouro (1992, 1996 e 2004) e duas de prata (2000 e 2008). As seleções que quebraram a hegemonia cubana foram Estados Unidos, ouro em 2000, e a Coreia do Sul, campeã em 2008.

Em Londres, nenhum esporte foi incluído no programa olímpico para suprir a ausência de beisebol e softbol. A partir de 2016, nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, rugby de sete jogadores e golfe serão inseridos como modalidades olímpicas.