Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Cruzeiro tri da Copa do Brasil em virada histórica

09 de julho de 2012 0

Eletrizante. Assim pode ser definida a final da Copa do Brasil de 2000. Depois de empatarem em 0 a 0 no Morumbi, Cruzeiro e São Paulo chegaram no Mineirão com a disputa em aberto. Os paulistas precisavam apenas de um empate com gols. Para os mineiros, só a vitória interessava. E foi o que aconteceu. De virada e com gol aos 45 do segundo tempo, o time mineiro conquistou a Copa do Brasil pela terceira vez.
Antes da bola rolar, um fato curioso chamou a atenção. O técnico do Cruzeiro, Marco Aurélio, sabia que era a última partida dele no comando do time. A diretoria já havia anunciado a contratação de Luiz Felipe Scolari.
Os gols saíram só no segundo tempo. Aos 20 minutos, Marcelinho Paraíba cobrou falta e o goleirão do Cruzeiro aceitou. Um a zero para os visitantes. O Cruzeiro foi para cima e conseguiu empatar só aos 35 minutos, com Fábio Júnior. A dez minutos do fim, o título estava na mão do São Paulo. Mas os mineiros foram valentes e continuaram em cima.
Aos 42 minutos, Geovanni ganhou da corrida de Rogério Pinheiro e o zagueiro do São Paulo teve de segurá-lo para não dexar o jogador sair na cara de Rogério Ceni. A falta foi marcada na linha da meia lua e Rogério Pinheiro foi expulso. Depois de muita confusão, o próprio Geovanni resolveu cobrar, a bola desviou na barreira e entrou. Cruzeiro tricampeão da Copa do Brasil e de volta à Libertadores.

CRUZEIRO 2 x 1 SÃO PAULO
Data
: 2/7/2000
Local: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (RS)
Cartões Amarelos: Sorín, Cléber e Oséas (C), Maldonado, Raí e Beletti (SP)
Cartão vermelho: Rogério Pinheiro (SP)
Público: 85.841
Gols: Marcelinho Paraíba (SP), Fábio Júnior e Oséas (C)
CRUZEIRO:
André; Rogério (Fábio Junior), Cris, Cléber e Sorin (Viveros); Donizete, Marcos Paulo, Ricardinho e Jackson (Muller); Geovanni e Oséas.
Técnico: Marco Aurélio.
SÃO PAULO:
Rogério Ceni; Belletti, Edmilson, Rogério Pinheiro e Fábio Aurélio; Alexandre (Axel), Maldonado, Marcelinho Paraíba e Raí; França (Carlos Miguel) e Edu (Fabiano).
Técnico: Levir Culpi.

Envie seu Comentário