Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Os três tropeços brasileiros na Copa das Confederações

12 de junho de 2013 0

Torcedor brasileiro é exigente. Sabemos disso. Para nós, o vice-campeão é o primeiro perdedor. Especialmente se este for a Seleção Brasileira. E em três edições da Copa das Confederações, o Brasil decepcionou. Em 1999, perdemos a final para o México, eterna pedra em nossos sapatos. Em 2001, fomos derrotados na disputa do terceiro lugar para a Austrália. Mas a pior foi em 2003, quando sequer passamos da primeira fase.

México campeão em 1999. Foto: Conmebol

Em 1999, a segunda edição da Copa das Confederações deixou a Arábia Saudita e foi para o México. O formato de oito seleções se firmou, com a participação dos campeões dos seis continentes, mais o país-sede e o campeão do mundo. No Grupo A, ficaram México, Arábia Saudita, Bolívia e Egito. No outro, Brasil, Estados Unidos, Alemanha e Nova Zelândia. Na semifinal, o México bateu os EUA por 1 a 0 e a nossa seleção goleou os árabes por 8 a 2. Mas, na decisão, os donos da casa ficaram com o título, ao vencerem por 4 a 3.

França campeão em 2001. Crédito: Fifa

Em 2001, a Copa das Confederações foi utilizada, pela primeira vez, como evento teste para a Copa do Mundo. Por isso, a competição aconteceu no Japão e na Coreia do Sul. No Grupo A ficaram França, Austrália, Coreia do Sul e México. No B, Japão, Brasil, Camarões e Canadá. Os japoneses bateram a Austrália na semifinal por 1 a 0 e os franceses ganharam dos brasileiros por 2 a 1. Na decisão, 1 a 0 para a França, com gol de Vieira. O Brasil perdeu a disputa do terceiro lugar para os australianos, também por 1 a 0, gol de Murphy.

A grande decepção brasileira na Copa das Confederações foi em 2003, na França. Mas o que marcou a competição foi a morte do camaronês Marc-Vivien Foé. No jogo contra a Colômbia, pela semifinal, o meia teve um mal súbito em campo e morreu.
No Grupo A, ficaram França, Colômbia, Japão e Nova Zelândia. No B, Camarões, Turquia, Brasil e Estados Unidos. A Seleção Brasileira, treinada por Carlos Alberto Parreira, terminou em terceiro lugar no grupo, empatada em pontos com a Turquia, sendo eliminada por ter marcado um gol a menos que os turcos. Nas semifinais, Camarões fez 1 a 0 na Colômbia e a França ganhou de 3 a 2 da Turquia. O título ficou com os franceses, que venceram por 1 a 0, com gol de Henry na morte súbita.

Envie seu Comentário