Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Futebol Carioca"

Jogos Históricos: O dia em que dois times deram volta olímpica com troféus improvisados

29 de julho de 2014 0
Botafogo, o legítimo campeão de 1990. Foto: Divulgação

Botafogo, o legítimo campeão de 1990. Foto: Divulgação

No dia 29 de julho de 1990, o Botafogo venceu o Vasco por 1 a 0 e conquistou o segundo título seguido do Campeonato Carioca. Mas a confusão de um regulamento confuso fez os dois times darem a volta a olímpica com troféus improvisados.
Vou tentar explicar. O regulamento previa que o título seria entre os campeões da Taça Guanabara e da Taça Rio, mas também previa que o time que fizesse mais pontos iria para a final direto. O Botafogo somou mais pontos e foi para a final. O Vasco, que venceu a Guanabara, chegou à decisão depois de vencer uma semifinal contra o Fluminense, campeão da Taça Rio.
Aí que vem a interpretação errada. O Vasco contou os dois pontos da semifinal para a classificação e, partindo desse princípio, com a vitória o Botafogo empatou em pontos com o time da Colina. Os vascaínos acreditavam então que a partida deveria ir para a prorrogação e o Botafogo, que já havia comemorado muito com um troféu improvisado, deixou o campo. O Vasco considerou que o adversário abandonou a partida e, sem troféu nenhum, deu a volta olímpica com uma caravela de papelão que veio das arquibancadas.
O caso foi para a a Justiça Desportiva, que dias depois considerou o Botafogo como legítimo campeão carioca de 1990.

Vasco pegando o troféu improvisado. Foto: Reprodução/TV Globo

Vasco pegando o troféu improvisado. Foto: Reprodução/TV Globo

Ficha do Jogo
BOTAFOGO 1×0 VASCO
Data: 29/7/1990
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Público: 35.083 pagantes
Árbitro: Cláudio Garcia
Gol: Carlos Alberto Dias, aos 34min do segundo tempo
Botafogo
Ricardo Cruz; Paulo Roberto, Wilson Gottardo, Gonçalves e Renato Martins; Carlos Alberto Santos, Luisinho e Djair (Gustavo); Donizete, Valdeir e Carlos Alberto Dias. Técnico: Joel Martins da Fonseca.
Vasco
Acácio; Luiz Carlos Winck, Célio Silva, Quiñonez e Mazinho; Zé do Carmo, Marco Antônio Boiadeiro e Bismarck; Tita, Sorato e William (Roberto Dinamite). Técnico: Alcir Portella.

Veja os melhores momentos da partida

Jogos históricos: Palmeiras e Vasco campeões no mesmo dia em 1951

28 de janeiro de 2014 2

Nos primeiros anos de futebol profissional no Brasil, era comum uma competição começar em um ano e terminar no seguinte. Foi o que aconteceu com os Campeonatos Paulista e Carioca de 1950. Mas, curiosamente, as duas finais aconteceram no mesmo dia: 28 de janeiro de 1951. Palmeiras e Vasco foram os times que mais comemoraram naquele dia.

Verdão campeão. Em pé: Turcão, Oswaldo, Oberdan, Sarno, Villa e Waldemar Fiúme; Agachados: Lima, Canhotinho, Aquiles, Jair e Rodrigues. Foto: blogdoipe.com.br

Verdão campeão. Em pé: Turcão, Oswaldo, Oberdan, Sarno, Villa e Waldemar Fiúme; Agachados: Lima, Canhotinho, Aquiles, Jair e Rodrigues. Foto: blogdoipe.com.br

Em São Paulo, a decisão teve contornos épicos. A competição começou em agosto com o São Paulo, então bicampeão, largando na frente. Mas o Palmeiras sempre o seguiu de perto e assumiu a ponta vencendo o tricolor por 2 a 0, ainda no primeiro turno. Quando os dois times chegaram na última rodada, o Verdão jogava por um empate. E foi o que aconteceu.

Mas antes do jogo, uma tempestade castigou a capital paulista. O gramado do Pacaembu estava bastante prejudicado, tanto que o confronto ficou conhecido como “Jogo da Lama”. Mesmo assim, o juiz deu condições de jogo e logo aos quatro minutos, Teixeirinha fez 1 a 0 para o São Paulo. O gol do empate, e do título veio somente aos 15 do segundo tempo, com Aquiles.

Gigante da Colina em 1950. Em pé: Barbosa, Augusto, Laerte, Jorge, Danilo e Eli. Agachados, massagista Mário Américo, Alfredo, Ipojucan, Ademir, Maneca e Dejair. Foto: cacellain.com.br

Gigante da Colina em 1950. Em pé: Barbosa, Augusto, Laerte, Jorge, Danilo e Eli. Agachados, massagista Mário Américo, Alfredo, Ipojucan, Ademir, Maneca e Dejair. Foto: cacellain.com.br

Já no Rio de Janeiro, o Vasco enfrentava o América, com um time que fez história no Campeonato Carioca. Acabou bicampeão carioca com o maior número de vitórias, menor número de derrotas, melhor ataque, melhor defesa e o artilheiro — Ademir Menezes, com 25 gols.

A competição foi em pontos corridos e o jogo da última rodada definiu o campeão. A vitória por 2 a 1 veio em um jogo bastante truculento, com quatro expulsões, duas de cada lado. Ademir Menezes abriu o placar aos quatro minutos e, aos 40, Maneco deixou tudo igual. O gol do título saiu novamente dos pés de Ademir, aos 29 da etapa final.

Três títulos cariocas decididos no dia 12 de dezembro

12 de dezembro de 2013 0

Dia 12 de dezembro está marcado na história do futebol carioca. Tudo bem, não é uma data tão expressiva assim, mas três títulos já foram decididos nesta data. Em 1948 deu Botafogo, em 1959, Fluminense, e em 1965, Flamengo. Cabe lembrar que nas três oportunidades, não houve final, a disputa era por pontos corridos. Então, estes foram os jogos que definiram os campeões nos respectivos anos.
Em 1948, o Fogão quebrou um jejum de 13 anos e conquistou o nono título estadual da história, ao vencer o Vasco por 3 a 1. O título foi ainda mais valorizado porque o time cruzmaltino era conhecido na época como Expresso da Vitória e havia sido campeão sul-americano.
Em 1959, o Fluminense venceu o Madureira por 2 a 0, mas teve uma campanha avassaladora, com o melhor ataque e a melhor defesa. O ataque era comandado por Waldo, um dos maiores artilheiros da história do clube.
Por fim, em 1965, o Flamengo conquistou o título com uma rodada de antecedência ao bater o Fluminense por 2 a 1. O rubro-negro venceu 10 dos 14 jogos. Curiosamente, o time teve o segundo pior ataque da competição, com apenas 18 gols, empatado com o quinto colocado Botafogo e à frente da lanterna Portuguesa, que marcou 10.

Os jogos

Em pé: Gerson, osvaldo, Nilton Santos, Rubino, Ávila e Juvenal; agachados: Paraguaio, Geninho, Pirilo, Otávio e Braguinha.

Em pé: Gerson, osvaldo, Nilton Santos, Rubino, Ávila e Juvenal; agachados: Paraguaio, Geninho, Pirilo, Otávio e Braguinha.

BOTAFOGO 3×1 VASCO DA GAMA
Data: 12/12/1948
Local: Estádio General Severiano, Rio de Janeiro (RJ)
Gols: Paraguaio, Braguinha e Otávio (B); Ávila (contra) (V)
Árbitro: Mário Vianna
Botafogo:
Osvaldo Baliza; Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Otávio e Braguinha.
Técnico: Zezé Moreira.
Vasco:
Barbosa; Augusto e Wilson; Eli, Danilo e Jorge; Friaça, Ademir Menezes, Dimas, Ipojucan e Chico.
Técnico: Flávio Costa.

Em pé: Zezé Moreira, Clóvis, jair Marinho, Edmilson, Altair, Castilho e Pinheiro; agachados: Maurinho, Paulinho, Waldo, Telê Santana e Escurinho.

Em pé: Zezé Moreira, Clóvis, jair Marinho, Edmilson, Altair, Castilho e Pinheiro; agachados: Maurinho, Paulinho, Waldo, Telê Santana e Escurinho.

FLUMINENSE 2 x 0 MADUREIRA
Data: 12/12/1959
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Público: 40.305 (34.795 pagantes).
Gols: Décio Brito (contra) e Escurinho
Árbitro: Antônio Viug
Fluminense:
Castilho; Jair Marinho, Pinheiro e Altair; Edmilson e Clóvis; Maurinho, Paulinho, Waldo, Telê e Escurinho.
Técnico: Zezé Moreira.
Madureira:
Silas; Bitum, Salvador e Décio Brito; Frazão e Apel; Nair, Azumir, Zé Henrique; Nelsinho e Osvaldo.
Técnico: Lourival Lorenzi.

Waldomiro, Ditão, Jaime, silva, Nelsinho, Neves, Carlinhos, Almir, Paulo Henrique, Rodrigues e Murilo.

Waldomiro, Ditão, Jaime, silva, Nelsinho, Neves, Carlinhos, Almir, Paulo Henrique, Rodrigues e Murilo.

FLAMENGO 2 x 1 FLUMINENSE
Data: 12/12/1965
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Público: 62.600
Gols: Neves e Silva (FLA); Samarone (FLU)
Juiz: Armando Marques
Flamengo:
Valdomiro; Murilo, Ditão, Jaime Valente e Paulo Henrique; Carlinhos e Fefeu; Neves, João Daniel, Silva e Rodrigues.
Técnico: Armando Renganeschi.
Fluminense:
Edson; Ismael, Valdez, Altair e Bauer; Luis Henrique, Joaquinzinho e Samarone; Antunes, Amoroso e Gilson Nunes.
Técnico: Tim

Jogos Históricos: Vasco campeão carioca de 1982

05 de dezembro de 2013 0
Em pé:Galvão, Serginho, Celso, Ivan, Pedrinho, Acácio e o técnico Antônio Lopes; agachados: Pedrinho Gaúcho, Ernâni, Dudu, Roberto Dinamite e Jérson

Em pé:Galvão, Serginho, Celso, Ivan, Pedrinho, Acácio e o técnico Antônio Lopes; agachados: Pedrinho Gaúcho, Ernâni, Dudu, Roberto Dinamite e Jérson

No início dos anos 1980, o Flamengo dominava o futebol carioca. O Vasco, por sua vez, amargava uma série de quatro vice-campeonatos consecutivos. Mas em 1982, a história mudou. Mais precisamente no dia 5 de dezembro. O alvinegro bateu o rubro-negro por 1 a 0 e conquistou o título estadual.
O regulamento previa, na época, um triangular final entre os campeões da Taça Guanabara e da Taça Rio desde que um time conquistasse mais pontos do que esses dois na soma dos turnos. E foi assim que o Vasco entrou na fase decisiva, ao lado de Flamengo e do América/RJ.
O jogo decisivo contra o rival foi cercado de emoção. O Flamengo tinha três jogadores que foram titulares na Copa do Mundo que terminou meses antes — Zico, Leandro e Júnior. Além disso, era o campeão do mundo. Mas o Vasco do então jovem técnico Antonio Lopes não se intimidou e foi para cima.
Se faltava técnica, sobrava garra e foi assim que saiu o gol, aos três minutos do segundo tempo. Pedrinho Gaúcho cobrou escanteio e a bola entrou direto no gol de Raul. Para alguns, a bola ainda resvalou na cabeça de Marquinho, mas o juiz deu o gol mesmo para Pedrinho.

VASCO 1 X 0 FLAMENGO
Data: 5/12/1982
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: José Roberto Wright
Público: 113.271 pagantes
Gol: Pedrinho Gaúcho, aos 3’ do segundo tempo.
Cartões amarelos: Andrade e Tita (F), Dudu (V).
Cartão vermelho: Júnior (F).
VASCO:
Acácio; Galvão, Ivan, Celso e Pedrinho; Serginho, Dudu (Marquinho) e Ernâni; Pedrinho Gaúcho (Rosemiro), Roberto Dinamite e Jérson
Técnico: Antônio Lopes
FLAMENGO:
Raul; Leandro, Figueiredo, Marinho e Júnior; Andrade, Adílio (Vítor) e Zico; Tita, Nunes e Lico (Wilsinho).
Técnico: Paulo César Carpeggiani

Jogos Históricos: Vasco campeão da Libertadores em 1998

26 de agosto de 2013 0

Vasco Campeão Libertadores 1998

O time do Vasco na do final da década de 1990 é um dos mais lembrados pelos torcedores. Especialmente o que conquistou o título da Copa Libertadores de 1998. No elenco, craques inesquecíveis como Ramon, Juninho Pernambucano e Felipe, além de nomes consagrados como Luizão, Mauro Galvão, Carlos Germano, Pedrinho e Donizete.
Os alvinegros venceram sete dos 14 jogos que disputaram na competição, somando também cinco empates e duas derrotas. No mata-mata, deixou para trás dois brasileiros: o Cruzeiro, campeão no ano anterior, e o Grêmio.
Hoje se completa 15 anos da vitória por 2 a 1 sobre o Barcelona, de Guayaquil, mas o jogo mais emocionante daquela campanha foi a semifinal contra o River Plate. Em pleno Monumental de Nuñez, conseguiu o empate aos 37 minutos do segundo tempo, com um golaço de falta de Juninho.

A FINAL
Barcelona 1 x 2 Vasco
Data: 26/8/1998
Local: Monumental Isidro Romero Carbo, Guayaquil (Equador)
Arbitragem: Javier Castrilli (ARG), auxiliado por Claudio Rossi (ARG) e Jorge Rattalino (ARG).
Público: 85 mil
Gols: Luizão 24/1º,Donizete 46/1º e De Avila 34/2º
Cartões Amarelos: De Avila, Gómez, Montanero, Carabali, Quiñónez e Delgado (B); Odvan, Juninho, Carlos Germano, Ramon e Felipe (V)
Cartões Vermelhos: Donizete (V)
Barcelona:
Cevallos; Gómez, Noriega (Aires), Montanero, Quiñónez e George; Carabali, Morales e De Avila; Asencio e Delgado.
Técnico: Ruben Insúa.
Vasco:
Carlos Germano; Vágner, Odvan, Mauro Galvão e Felipe; Luizinho (Vítor), Nasa, Juninho e Pedrinho (Ramon); Donizete e Luizão (Alex)
Técnico: Antônio Lopes.

Melhores momentos da final

Sete estádios inaugurados em 1º de maio

01 de maio de 2013 0

Nome: Estádio Municipal Leônidas Camarinha
Apelido: Camarinha
Cidade: Santa Cruz do Rio Pardo (SP)
Capacidade: 7,5 mil pessoas
Inauguração: 1/5/1950 (63 anos)
Primeiro jogo: Santacruzense 0 x 6 Santos
Proprietário: Prefeitura de Santa Cruz do Rio Pardo
Mandante: AE Santacruzense

Nome: Estádio Mauro Sampaio
Apelido: Romeirão
Cidade: Juazeiro do Norte (CE)
Capacidade: 16 mil pessoas
Inauguração: 1/5/1970 (43 anos)
Primeiro jogo: Fortaleza 0 x 3 Cruzeiro
Primeiro gol: Natal
Proprietário: Prefeitura de Juazeiro do Norte
Mandantes: Guarani, Icasa e Juazeiro EE

Nome: Estádio Municipal Décio Vitta
Apelido: Riobrancão
Cidade: Americana (SP)
Capacidade: 16,3 mil pessoas
Inauguração: 1/5/1977 (36 anos)
Primeiro jogo: Americana EC 2 x 1 Taubaté
Primeiro gol: Niltinho (Americana)
Proprietário: Prefeitura de Americana
Mandante: Rio Branco EC

Nome: Estádio Dr. Magalhães
Cidade: Dianópolis (TO)
Capacidade: 1,5 mil pessoas
Inauguração: 1/5/1979 (34 anos)
Primeiro jogo: Prefeitura de Dianópolis 3 x 5 Instituto de Menotes
Proprietário: Prefeitura de Dianópolis
Mandante: Juventude EC

Nome: Estádio Governador João Castelo
Apelido: Castelão
Cidade: São Luís (MA)
Capacidade: 40 mil pessoas
Inauguração: 1/5/1982 (30 anos)
Primeiro jogo: Maranhão 1 x 1 Sampaio Corrêa
Primeiro gol: Evandro (Maranhão)
Proprietário: Governo do Maranhão
Mandantes: Moto Club, Sampaio Corrêa e Maranhão AC

Nome: Estádio Cláudio Moacyr de Azevedo
Apelido: Moacyrzão
Cidade: Macaé (RJ)
Capacidade: 15 mil pessoas
Inauguração: 1/5/1982 (30 anos)
Primeiro jogo: Barra 0 x 3 Flamengo
Proprietário: Prefeitura de Macaé
Mandantes: Macaé EC e Serra Macaense

Nome: Estádio Municipal Adail Nunes da Silva
Apelido: Taquarão
Cidade: Taquaritinga (SP)
Capacidade: 18,8 mil lugares
Inauguração: 1/5/1983 (29 anos)
Primeiro jogo: Taquaritinga 5 x 2 Cruzeiro
Primeiro gol: Douglas Onça (Taquaritinga)
Proprietário: Prefeitura de Taquaritinga
Mandante: CA Taquaritinga

Dois estádios inaugurados em 15 de abril

15 de abril de 2013 0

Nome: Estádio General Sylvio Raulino de Oliveira
Apelido: Estádio da Cidadania
Cidade: Volta Redonda (RJ)
Inauguração: 15/4/1951 (62 anos)
Capacidade: 20.255 pessoas
Primeiro jogo: Botafogo 3 x 1 Fluminense
Primeiro gol: Zezinho (Botafogo)
Proprietário: Prefeitura de Volta Redonda
Mandante: Volta Redonda FC

Nome: Estádio Carlos Dittborn
Cidade: Arica (Chile)
Inauguração: 15/4/1962 (51 anos)
Capacidade: 9.746 pessoas
Proprietário: Prefeitura de Arica
Mandante: San Marcos de Arica
Jogos da Copa do Mundo de 1962: Uruguai 2 x 1 Colômbia; União Soviética 2 x 0 Iugoslávia; Iugoslávia 3 x 1 Uruguai; União Soviética 4 x 4 Colômbia; União Soviética 2 x 1 Uruguai; Iugoslávia 5 x 0 Colômbia; Chile 2 x 1 União Soviética (quartas de final)

Jogos históricos: Botafogo campeão carioca de 2006

09 de abril de 2013 0

O Campeonato Carioca de 2006 foi um pouco parecido com a edição deste ano. Os grandes não fizeram uma boa campanha. A exceção do Botafogo, justamente o campeão daquele ano. Na Taça Guanabara, o alvinegro (único dos quatro grandes na semifinal), bateu o América/RJ por 3 a 1. Na Taça Rio, América, Americano, Cabofriense e Madureira foram os semifinalistas e este último acabou levando o troféu e a vaga para a decisão do Cariocão com o Botafogo.
As duas partidas decivisas aconteceram no Maracanã e o Botafogo se impôs. Venceu a primeira por 2 a 0 e a segunda por 3 a 1, conquistando o estadual no ano em que a competição completou 100 anos.
Um dos destaques do daquele campeonato foi Túlio Maravilha. Com a camisa do Volta Redonda, ele fez sete gols e só ficou atrás de Dodô, do Botafogo (com nove), e de Sorato, da Cabofriense (com oito) na briga pela artilharia.

BOTAFOGO 3 x 1 MADUREIRA
Data:
9/4/2006
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Público: 44.550 pessoas
Árbitro: Wagner Tardelli
Assistentes: Manoel do Couto Ferreira Pires e Marcelo Fonseca Duarte
Gols: Dodô (2) e Reinaldo (B); Fábio Júnior (M)
Botafogo:
Lopes; Ruy, Rafael Marques, Scheidt e Bill (Júnior César); Thiago Xavier (Ataliba), Diguinho, Joílson (Gláuber) e Zé Roberto; Reinaldo e Dodô.
Técnico: Carlos Roberto.
Madureira:
Renan; Marcus Vinícius, Paulo César, Odvan e Paulo Roberto; Roberto Lopes, Djair, Maicon (Marquinhos) e Josafá (Rafael); André Lima e João Rodrigo (Fábio Júnior).
Técnico: Alfredo Sampaio.

Aniversariante do Dia: Fluminense EC

31 de janeiro de 2013 0

Clube: Fluminense Esporte Clube
Fundação: 31/1/1938 (75 anos)
Cidade: Teresina (PI)
Estádio: Lindolfinho (8 mil lugares)
Site: Não tem
Principais Títulos: 1 Campeonato Piauiense da Segunda Divisão (1967)
Situação atual: Licenciado
História
Como o próprio nome diz, o clube foi inspirado no xará carioca. Em tudo. Nas cores, uniforme e também no escudo. Mas ao contrário do homônimo, teve apenas campanhas modestas no campeonato estadual.

Quatro estádios inaugurados em 24 de janeiro

24 de janeiro de 2013 1

Nome: Stadio Renzo Barbera
Apelido: La Favorita
Cidade: Palermo (Itália)
Capacidade: 36 mil lugares
Inauguração: 24/1/1932 (81 anos)
Primeiro jogo: Palermo 5 x 1 Atalanta
Proprietário: Prefeitura de Palermo
Mandante: Palermo

Nome: Estádio Godofredo Cruz
Cidade: Campos (RJ)
Capacidade: 22,8 mil lugares
Inauguração: 24/1/1954 (59 anos)
Primeiro jogo: Goytacaz 1 x 4 Bangu
Primeiro gol: Lucas (Bangu)
Proprietário: Prefeitura de Campos
Mandante: Americano

Nome: Arena Condá
Cidade: Chapecó (SC)
Capacidade: 25 mil pessoas (quando concluído)
Inauguração: 24/1/1976 (37 anos)
Proprietário: Prefeitura de Chapecó
Mandante: Chapecoense

Nome: Estádio Municipal Doutor Tancredo Neves
Apelidos: Estádios do Pinhão e Xingu
Cidade: São José dos Pinhais (PR)
Capacidade: 5,2 mil lugares
Inauguração: 24/1/1985 (28 anos)
Proprietário: Prefeitura de São José dos Pinhais
Mandante: São José/PR