Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "argentina"

Jogos Históricos: Brasil campeão da Copa América 2004

25 de julho de 2014 0
O Brasil campeão de 2004. Em pé: Felipe, Fábio, Cris, Julio César, Luisão, Julio Baptista, Juan, Edu e Adriano. Agachados: Ricardo Oliveira, Mancini, Kleberson, Diego, Luis Fabiano, Alex, Maicon, Renato e Gustavo Nery

O Brasil campeão de 2004. Em pé: Felipe, Fábio, Cris, Julio César, Luisão, Julio Baptista, Juan, Edu e Adriano. Agachados: Ricardo Oliveira, Mancini, Kleberson, Diego, Luis Fabiano, Alex, Maicon, Renato e Gustavo Nery

Há dez anos, Brasil e Argentina entravam em campo para disputar um título em uma partida que tinha tudo para ser dramática. E foi. Nos pênaltis, a nossa Seleção, que na época tinha Adriano em grande forma e o meia Alex como capitão, ficou com o caneco em jogo disputado no Estádio Nacional do Peru. Na época, aliás, muita gente creditou o título “ao time B da Seleção Brasileira” (veja o vídeo abaixo).

O Brasil esteve atrás do placar duas vezes e foi buscar o empate. Kily Gonzales, de pênalti, fez 1 a 0 aos 20 minutos e Luisão empatou aos 45 do primeiro tempo. O segundo gol argentino veio aos 42 da etapa final com Delgado e deixou em êxtase o torcedor, que já comemorava o título. Mas não contava com o gol de Adriano, aos 48, que levou a decisão para os pênaltis.

A Campanha:

Primeira fase:
Brasil 1 x 0 Chile
Brasil 4 x 1 Costa Rica
Brasil 1 x 2 Paraguai
Segunda fase:
Brasil 4 x 0 México (quartas)
Brasil 1 (5) x (3) 1 Uruguai (semifinal)

A decisão

Brasil 2 (4) x (2) 2 Argentina
Data: 25/7/2004
Local: Estádio Nacional, Lima (Peru)
Arbitragem: Carlos Amarilla (PAR), auxiliador por Nelson Cano (PAR) e Freddy Vilty (BOL)
Cartões amarelos: Edu, Luisão e Adriano (B); Sorin e Mascherano (A)
Gols: Kily Gonzalez, (20min) e Luisão (45min) do primeiro tempo; Delgado (42min) e Adriano (48min) do segundo.
Brasil
Júlio César; Maicon, Luisão (Cris), Juan e Gustavo Nery; Renato, Kleberson (Diego) e Edu; Alex (Felipe); Adriano e Luís Fabiano. Técnico: Carlos Alberto Parreira.
Argentina
Abbondanzieri; Ayala, Heinze e Coloccini; Zanetti, Mascherano e Sortín; Gonzalez (D’Alessandro); Rosales (Delgado), Tévez e Kily Gonzalez. Técnico: Marcelo Bielsa.

Os jogadores que saíram do banco de reservas e decidiram partidas em Copas do Mundo

15 de julho de 2014 0
O histórico gol de Götze. Foto: François Xavier Marit/AFP

O histórico gol de Götze. Foto: François Xavier Marit/AFP

O alemão Götze foi o primeiro jogador a sair do banco de reservas para marcar o gol do título em um final da Copa do Mundo. Mas em outras fases, quantos foram os atletas que deixaram o banco de reservas para marcar um gol decisivo para sua seleção em Copas do Mundo? Resposta: vários. Resolvi juntar alguns para este post, e seguem os critérios para esta escolha:

1 – O gol marcado por este atleta precisa ser o da vitória (ou o da classificação) e com a bola rolando (nada de pênaltis)

2 – No momento da substituição, o time teria que estar em desvantagem ou pelo menos com o jogo empatado.

Obs.: Vale lembrar que as substituições só foram permitidas a partir da Copa de 1970, no México.

Vamos a eles.

10/6/70 – Grupo B
Suécia 1 x 0 Uruguai
Ove Grahn saiu do banco aos 38 minutos do segundo para marcar o gol da vitória sete minutos depois. Mesmo assim, o gol não adiantou, já que a Suécia precisava de pelo menos mais um para se garantir na segunda fase.

14/6/1970 – Quartas de final
Uruguai 1 x 0 URSS
O jogo foi para a prorrogação e o gol da vitória saiu aos três minutos do segundo tempo, com Espárrago, que entrou em campo no início do tempo extra.

2/6/1978 – Grupo A
Itália 2 x 1 França
O gol de desempate da Itália saiu aos sete minutos do segundo tempo, com Zacarelli, que entrou no intervalo. A partida marcou a estreia das duas equipes na competição.

2/6/1978 – Grupo A
Argentina 2 x 1 Hungria
No mesmo dia do jogo anterior, uma situação parecida. Bertoni saiu do banco para garantir a vitória argentina sobre a Hungria.

20/6/1982 – Grupo E
Espanha 2 x 1 Iugoslávia
O jogo estava difícil para a Espanha, que saiu perdendo e conseguiu o empate ainda no primeiro tempo. Aos 18 minutos, o técnico José Santamaría fez as duas substituições e deu certo. Três minutos depois, Saura fez o gol da virada.

9/6/1990 – Grupo A
Itália 1 x 0 Áustria
Na estreia do time da casa na Copa de 1990, Toto Schillachi saiu do banco de reservas para fazer o gol da vitória. Deixou a competição como artilheiro.

14/6/1990 – Grupo B
Camarões 2 x 1 Romênia
O veterano Roger Milla entrou em campo aos 13 minutos do segundo tempo, quando o placar estava 0 a 0. Fez os dois gols de Camarões e ainda viu Balint, que também entrou com o placar zerado, descontar no finalzinho.

20/6/1990 – Grupo C
Brasil 1 x 0 Escócia
Müller saiu do banco aos 20 minutos do segundo tempo para marcar o gol que deu o primeiro lugar do grupo para o Brasil.

21/6/1990 – Grupo E
Coreia do Sul 0 x 1 Uruguai
O Uruguai precisava vencer por uma boa diferença de gols e torcer por uma derrota da Espanha contra a Bélgica (o que acabou não acontecendo). O gol da vitória saiu aos 45 do segundo tempo com Daniel Fonseca, que entrou aos 17 da etapa final.

23/6/1990 – Oitavas de final
Camarões 2 x 1 Colômbia
Mais uma vez Roger Milla saiu do banco para resolver a partida. Só que demorou um pouco mais. Ele entrou no segundo tempo e a rede só balançou na prorrogação. Ele abriu 2 a 0 no primeiro tempo, com Redin, outro que entrou com placar zerado, descontando na sequência.

26/6/1990 – Oitavas de final
Inglaterra 1 x 0 Bélgica
David Platt entrou aos 26 do segundo tempo, mas só na prorrogação conseguiu marcar o gol da classificação inglesa.

19/6/1994 – Grupo E
Noruega 1 x 0 México
Sete minutos separaram a entrada em campo de Redkal do gol da vitória marcado por ele na estreia diante do México.

29/6/1994 – Grupo F
Holanda 2 x 1 Marrocos
A Holanda precisava vencer para se classificar e empatava o jogo quando o técnico Dick Advocaat fez duas substituições. Uma delas deu certo, quando Bryan Roy marcou o gol da vitória aos 33 minutos da etapa final.

22/6/1998 – Grupo G
Colômbia 1 x 0 Tunísia
O gol da vitória saiu a sete minutos do fim do jogo com Preciado, que entrou em campo aos 12 minutos do segundo tempo.

22/6/2002 – Quartas de final
Turquia 1 x 0 Senegal
A vitória saiu no famigerado gol de ouro, marcado por Mansiz ao quatro minutos do primeiro tempo da prorrogação. O jogador havia entrado em campo aos 22 da etapa final do tempo normal.

14/6/2006 – Grupo A
Alemanha 1 x 0 Polônia
Pela segunda rodada, a Alemanha venceu com gol nos acréscimos, marcado por Neuville, que entrou aos 25 do segundo tempo.

21/6/2006 – Grupo C
Costa do Marfim 3 x 2 Sérvia e Montenegro
O time africano empatava em 2 a 2, depois de sair perdendo por 2 a 0, quando Kalou entrou aos 28 minutos. Aos 41, de pênalti, ele fez o gol da vitória.

26/6/2006 (oitavas de final)
Itália 1 x 0 Austrália
Em um jogo disputado, Totti saiu do banco aos 30 minutos do segundo tempo para fazer o gol da vitória, de pênalti, aos 50 minutos do segundo tempo.

21/6/2010 – Grupo H
Chile 1 x 0 Suíça
O único gol do jogo foi marcado por Mark González, que entrou no intervalo e anotou aos 30 minutos do segundo tempo.

15/6/2014 – Grupo E
Suíça 2 x 1 Equador
O jogo estava 1 a 1 quando Seferovic entrou em campo, aos 30 minutos. Nos acréscimos, ele deu a vitória aos suíços.

17/6/2014 – Grupo H
Bélgica 2 x 1 Argélia
Os belgas perdiam de 1 a 0 e Fellaini e Mertens saíram do banco para virar a partida.

29/6/2014 – Oitavas de final
Holanda 2 x 1 México
A Holanda perdia de 1 a 0 quando Huntelaar entrou em campo aos 31 minutos do segundo tempo. Ele viu Sneijder empatar aos 43 e, de pênalti, virou o jogo nos acréscimos.

1/7/2014 – Oitavas de final
Bélgica 2 x 1 EUA
Quando Lukaku entrou em campo, no fim do tempo regulamentar, a partida estava 0 a 0. Ele viu o companheiro De Bruyne abrir o placar, depois Green empatar e a dez minutos do término da prorrogação garantiu a classificação dos belgas.

Histórico de Confrontos: Alemanha x Argentina

13 de julho de 2014 0
Alemanha e Argentina em 2010. Foto: François-Xavier Marit/AFP

Alemanha e Argentina em 2010. Foto: François-Xavier Marit/AFP

A Argentina tem vantagem na história do confronto. Venceu nove dos 20 confrontos, contra seis dos alemães e cinco empates. Cada equipe marcou 28 gols.
Em Copas do Mundo, as duas seleções já estão acostumadas a se enfrentar. Será o oitavo jogo e aí sim os alemães têm vantagem: três vitórias, uma derrota e três empates (em um deles levou a melhor nos pênaltis). E será a oportunidade do tira-teima em finais, já que em 1986 a Argentina ficou com o título e a Alemanha levou quatro anos depois.

Veja os vídeos das duas finais.

1986

1990

Histórico de Confrontos: Argentina x Holanda

09 de julho de 2014 0
A final de 1978. Foto: Fifa/Divulgação

A final de 1978. Foto: Fifa/Divulgação

A Holanda tem vantagem sobre a Argentina no histórico dos confrontos. Em oito partidas, foram quatro vitórias da seleção laranja, contra apenas uma da alviceleste e três empates. São 19 gols marcados, sendo 13 holandeses e seis argentinos.
Só que a única vitória dos hermanos foi no jogo mais importante: a final da Copa do Mundo de 1978. Com dois gols de Kempes e um de Bertoni, a Argentina venceu na prorrogação por 3 a 1 (Nanninga fez o de honra) e ficou com o título.
Mas este não foi o único encontro em Mundiais. Quatro anos antes, na Alemanha, a Holanda atropelou, fazendo 4 a 0 no primeiro jogo da segunda fase. Em 1998, na França, a Laranja Mecânica venceu por 2 a 1 nas quartas de final, com o gol da vitória saindo aos 44 do segundo tempo. E em 2006, na Alemanha, empate sem gols na terceira rodada da fase de grupos.
Veja os vídeos dos jogos de Copas do Mundo.

1974

1978

1998

2006

Histórico de Confrontos: Holanda x Costa Rica e Argentina x Bélgica

05 de julho de 2014 0

Holanda x Costa Rica

Será o primeiro jogo entre as duas seleções.

Argentina e Bélgica em 1986. Foto: Fifa/Divulgação

Argentina e Bélgica em 1986. Foto: Fifa/Divulgação

Argentina x Bélgica

A Argentina venceu três dos quatro jogos entre as duas seleções, contra um triunfo da Bélgica. Foram 14 gols no total, sendo 10 dos hermanos e quatro dos europeus.
Em Copas do Mundo, será o terceiro jogo. Em 1982, eles estavam no Grupo C e a Bélgica venceu por 1 a 0 na rodada de abertura, com gol de Vanderbergh. Quatro anos depois, os argentinos deram o troco na semifinal, vencendo por 2 a 0, gols de Maradona (veja lances abaixo).

Histórico de Confrontos: Argentina x Suíça e Bélgica x EUA

01 de julho de 2014 0

Argentina x Suíça

A Argentina está invicta no confronto. Dos seis jogos, venceu quatro e houve dois empates. Apenas um deles foi em jogo oficial, justamente o que aconteceu em Copa do Mundo. Foi pela terceira rodada do Mundial de 1966, na Inglaterra, e que terminou 2 a 0 para os hermanos. Veja no vídeo abaixo.

 

Time americano perfilado antes do jogo contra a Bélgica, em 1930. Foto: Divulgação/Fifa

Time americano perfilado antes do jogo contra a Bélgica, em 1930. Foto: Divulgação/Fifa

Bélgica x EUA

O primeiro jogo entre as duas seleções marcou a estreia de ambos em Copas do Mundo. Foi em 1930, em jogo válido pelo Grupo D, que terminou 3 a 0 para os americanos (não há vídeos). Os outros quatro jogos foram amistosos, todos com vitórias da Bélgica. Dos 13 gols anotados, oito foram dos europeus e cinco dos EUA.

Veja lances do último jogo entre eles, no ano passado, que terminou 4 a 2 para a Bélgica

Histórico de Confrontos: Bósnia x Irã, Nigéria x Argentina, Honduras x Suíça e França x Equador

25 de junho de 2014 0

Bósnia x Irã

Os iranianos têm uma grande vantagem no confronto entre as duas seleções. Venceu quatro dos seis jogos, contra uma vitória da Bósnia e um empate. As partidas entre as duas equipes, aliás, costumam ter muitos gols – foram 32 marcados até agora, média de 5,3. Em 2006, por exemplo, o Irã venceu por 5 a 2, e a única vitória bósnia foi por 4 a 2, em 2001.

Lances de Irã 3 x 2 Bósnia, em amistoso disputado em 2009

 

Nigéria e Argentina na Copa de 2010. Foto: Daniel Garcia/AFP

Nigéria e Argentina na Copa de 2010. Foto: Daniel Garcia/AFP

Nigéria x Argentina

Como era de se esperar, a Argentina tem vantagem no confronto. Venceu quatro dos seis jogos, com um triunfo da Nigéria e um empate, marcando oito gols e sofrendo seis.
As duas confederações levam em conta até as duas finais olímpicas disputadas por eles. Em 1996, a Nigéria foi campeã ao vencer por 3 a 0 e a Argentina deu o troco em 2008 – 1 a 0.
Os outros jogos também foram em competições oficiais: 2 a 1 na primeira fase da Copa de 1994, 0 a 0 na primeira fase da Copa das Confederações de 1995, 1 a 0 para a Argentina na primeira fase da Copa de 2002, repetindo o feito em 2010.

O confronto pela Copa de 2010

Honduras x Suíça

O único jogo na história entre Honduras e Suíça foi na Copa do Mundo de 2010, quando os dois times empataram sem gols. O resultado, aliás, tirou as chances dos suíços se classificarem para a segunda fase.

Melhores momentos da partida

Equador x França

Em 2008, a França recebeu o Equador para um amistoso realizado em Grenoble. A partida terminou 2 a 0 para os donos da casa. Veja os lances no vídeo abaixo.

Histórico de Confrontos: Argentina x Irã, Alemanha x Gana e Nigéria x Bósnia

21 de junho de 2014 0

Argentina x Irã

O Irã nunca perdeu para a Argentina. Tudo bem, foi apenas um jogo que terminou empatado em 1 a 1 (não foi a intenção fazer piada até porque ela não tem graça). O jogo aconteceu em 1977, em jogo válido pela Copa do 75º Aniversário do Real Madrid, na capital espanhola. Infelizmente, não consegui achar vídeo dessa partida.

 

Foto: Roberto Schmidt/AFP

Foto: Roberto Schmidt/AFP

Alemanha x Gana

Será a segunda partida entre Alemanha e Gana, novamente em Copas do Mundo. O único até agora foi em 2010, no Mundial da África do Sul, com vitória alemã por 1 a 0, gol de Özil, na última rodada da primeira fase.

Veja o golaço de Özil em 2010

Nigéria x Bósnia

Será apenas o primeiro encontro entre Nigéria e Bósnia. Nem antes, quando a Bósnia fazia parte da Iugoslávia, houve um encontro entre os dois países.

Histórico de confrontos: Suíça x Equador, França x Honduras e Argentina x Bósnia

15 de junho de 2014 0

Suíça x Equador

O primeiro dos jogos da Copa do Mundo 2014 que é inédito. Suíça e Equador nunca se enfrentaram na história. Qual a sua aposta para este encontro?

França x Honduras

No mesmo dia, mais um confronto que nunca aconteceu.

 

Foto: AFP

Foto: AFP

Argentina x Bósnia

Os argentinos venceram os únicos dois encontros entre as seleções, ambos em amistoso. O primeiro deles foi em maio de 1998, em Córdoba, com goleada por 5 a 0. O outro em novembro de 2013, em Saint Louis (EUA), por 2 a 0. Será esta a primeira vez que a Bósnia fará um gol na Argentina?

Lances da goleada por 5 a 0 em 1998

Como foi a escolha das sedes da Copa do Mundo

28 de maio de 2014 0
Anúncio do Brasil 2014 foi feito em 2007. Foto: Ricardo Stuckert

Anúncio do Brasil 2014 foi feito em 2007. Foto: Ricardo Stuckert

Questões políticas, sociais, rodízio de continentes, votações. São vários os motivos que levam (e levaram) a Fifa a escolher as sedes das 20 edições da Copa do Mundo (2018 e 2022 fica para depois). Vamos a eles.

1930 – Uruguai

O Uruguai teve a honra de ser o primeiro país a receber o mundial. O principal motivo foi o fato de o país ter sido a principal força do futebol mundial na década de 1920, conquistando os títulos olímpicos de 1924 e 1928. Além de estar comemorando o centenário da independência.

1934 – Itália

O trabalho nos bastidores, feito pelo ditador fascista Benito Mussolini, ajudou muito para que a Itália fosse o primeiro país europeu a receber o mundial. Ele encarregou um dos generais de confiança para participar dos oito congressos da Fifa e batalhar (com o perdão do trocadilho) pela escolha do país.

1938 – França

Já havia uma acordo, na época, de se fazer um rodízio entre os continentes, por isso os argentinos estavam crentes de que receberiam o Mundial. Mas a força política francesa, que usou de seus dirigentes como Jules Rimet e Henri Delaunay A Argentina resolveu, então, boicotar a competição.

1950 – Brasil

Brasil e Alemanha disputavam a oportunidade de receber o mundial de 1942 (que, assim como o de 1946, não aconteceu por causa da 2ª Guerra Mundial). Um dos principais responsáveis por trazer o mundial para o nosso país foi o francês Jules Rimet, que exaltou a hospitalidade e as belezas naturais do Brasil.

1954 – Suíça

Dois motivos levaram a Fifa a escolher a Suíça. Um deles foi o fato de o país ser pequeno para evitar um dos principais problemas de quatro anos antes – as distâncias entre as cidades. Além disso, os suíços foram um dos poucos países europeus a se manterem neutros durante a guerra.

1958 – Suécia

O país já havia sido escolhido dez anos antes, em um congresso da Fifa realizado em Londres. A neutralidade na guerra e o fato de o país estar entre os melhores no índice de qualidade de vida contaram a favor dos suecos.

1962 – Chile

Alemanha, Espanha e Argentina eram os outros candidatos no congresso realizado em Lisboa seis anos antes do Mundial. A Fifa decidiu que, depois de acontecer duas vezes seguidas em território europeu, a Copa deveria voltar para a América do Sul. Os chilenos venceram os argentinos por 32 votos a 10.

1966 – Inglaterra

O lobby do então presidente da Fifa, o inglês Arthur Drewry, a Inglaterra foi escolhida a sede durante o congresso realizado nos Jogos Olímpicos de Roma, em 1960. A Alemanha Ocidental foi a outra candidata.

1970 – México

Os argentinos, mais uma vez, perderam a votação do congresso da Fifa. O que pesou a favor dos mexicanos foi o fato de o país receber as Olimpíadas de 1968 e essa alegação acabou conquistando os conselheiros. A Argentina, por sua vez, argumentou que seria difícil enfrentar a altitude, mas não teve êxito.

1974 – Alemanha

A escolha da Alemanha se deu em 1964 e foi facilitada depois que a Espanha desistiu da candidatura com a promessa de receber o Mundial em 1982 (o que acabou acontecendo). Nem mesmo o atentado nos Jogos Olímpicos de Munique (em 1972) fez os organizadores mudarem de ideia. A mudança foi o reforço na segurança.

1978 – Argentina

Depois de três tentativas frustradas, a Argentina conseguiu ser confirmada como sede da Copa. A escolha foi no congresso realizado em 1966. Quem se aproveitou do Mundial foi a ditadura, instaurada dois anos antes, que usou a competição para exaltar o espírito argentino e esconder as atrocidades que cometeu.

1982 – Espanha

O anúncio oficial aconteceu apenas em 1976, durante o congresso da Fifa, mas os espanhóis já sabiam que receberiam a competição desde 1966. A Espanha fez um acordo para que a Alemanha recebesse a competição em 1974 com a promessa de ser sede em 1982.

1986 – México

Foi a primeira vez que a Fifa teve que mudar de sede depois dela ter sido escolhida. A Colômbia receberia o mundial de 1986, mas problemas políticos, econômicos e sociais fizeram o país desistir da competição em outubro de 1982. Respeitando o rodízio de continentes e aproveitando a estrutura usada em 1970, o México foi escolhido.

1990 – Itália

A concorrência foi forte. No congresso realizado em 1984, sete países mostraram interesse em sediar a Copa de 1990: Itália, Alemanha, França, Grécia, Inglaterra, Iugoslávia e União Soviética. Com o futebol mais rico e organizado da época, a Itália levou a melhor.

1994 – Estados Unidos

Uma das escolhas mais polêmicas e contestadas até então. O anúncio foi feito em 1988 e foi criticado pelo fato de o futebol não ser um esporte tão popular nos Estados Unidos. Brasil (que levou apenas dois votos) e Marrocos foram os outros dois candidatos.

1998 – França

Os franceses venceram o Marrocos no congresso realizado em 1992. Foram 12 votos a favor dos europeus contra sete para os africanos. Foi também uma forma de homenagear Jules Rimet, o criador da Copa do Mundo.

2002 – Coreia do Sul e Japão

Pela primeira vez, a Copa foi dividida entre dois países. A escolha se deu em maio de 1996, quando Japão e Coreia do Sul se apresentaram como candidatos a receber o mundial. O comitê executivo decidiu, por unanimidade, que os dois realizariam o evento em conjunto. Cada país teve o próprio mascote e um comitê organizador.

2006 – Alemanha

Foi uma vitória alemã apertada, com diferença de apenas um voto para a África do Sul: 12 a 11. Também participaram da eleição Inglaterra, Marrocos e Brasil, que na última hora retirou a candidatura para apoiar os sul-africanos, em troca de apoio futuro.

2010 – África do Sul

Era desejo antigo do presidente da Fifa, Joseph Blatter, de levar a Copa para o continente africano. A escolha se deu em 2004, quando a África do Sul venceu Marrocos por 14 votos a 10. Também se candidataram o Egito, além de Líbia e Tunísia que se propuseram a organizar juntas.

2014 – Brasil

Respeitando o rodízio anunciado anos antes, já era sabido que a Copa de 2014 seria na América do Sul. Em junho de 2003, a Conmebol avisou à Fifa que Brasil, Argentina e Colômbia tinha interesse em receber a competição. Quatro anos depois, saiu o anúncio oficial, mais do que esperado, diga-se de passagem, devido ao forte trabalho de bastidores feito entre Blatter, Ricardo Teixeira e o presidente Lula.