Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "argentina"

Jogos Históricos: Sétimo título sul-americano do Uruguai

07 de fevereiro de 2014 0
Em pé: Pedro Cea (técnico), Muñiz, Obdulio Varela, Gambetta, Aníbal Paz, Bermúdez e Rodríguez; agachados: Ernesto Figoli (massagista), Castro, Severino Varela, Ciocca, Porta e Zapirain

Em pé: Pedro Cea (técnico), Muñiz, Obdulio Varela, Gambetta, Aníbal Paz, Bermúdez e Rodríguez; agachados: Ernesto Figoli (massagista), Castro, Severino Varela, Ciocca, Porta e Zapirain

Nas primeiras edições da Copa América, quando ainda se chamava Campeonato Sul-americano, uruguaios e argentinos foram os principais vencedores. E há 62 anos, no dia 7 de fevereiro de 1942, o Uruguai conquistava, em casa, o seu sétimo título na competição.
Na época a fórmula de disputa era no sistema de pontos corridos. Curiosamente, Uruguai e Argentina chegaram na rodada decisiva empatados com dez pontos e quem vencesse levaria o caneco. Melhor para os donos da casa, que fizeram 1 a 0, com gol de Zapirain aos 12min do segundo tempo.
A competição teve 81 gols em 21 jogos, média de 3,86 por partida. Os argentinos Masantonio e José Manuel Moreno foram os artilheiros, com sete gols cada. O melhor jogador foi o uruguaio Obdulio Varela.
O Brasil terminou em terceiro lugar, com sete pontos. Os principais atletas daquele time foram Pirilo, Oswaldo Brandão, Servílio, Tim e Patesko.

JOGO DECISIVO

Uruguai 1 x 0 Argentina
Data: 7/2/1942
Local: Estádio Centenário, Montevidéu (Uruguai)
Público: 70 mil pessoas
Árbitro: Marcos Gerinaldo Rojas (Paraguai)
Gol: Zapirain
Uruguai:
Paz; Romero e Muñi; Rodríguez, Obdulio Varela e Gambetta; L.E. Castro, S. Varela, (Chirimini, depois Correa), Ciocca, Porta e Zapirain.
Técnico: José Pedro Cea.
Argentina:
Gualco; Salomón e Valussi (Montañés); Esperón, Perucca e Ramos; Heredia, (Pedernera), Sandoval, Masantonio, Moreno e García (Ferreyra).
Técnico: Guillermo Stábile.

Jogos Históricos: O primeiro título da Libertadores do River Plate

29 de outubro de 2013 0

River Plate 1986

Ao contrário do maior rival, o Boca Juniors, o River Plate não pode ser considerado um grande vencedor da Libertadores. Na verdade, o clube conquistou o título apenas duas vezes, contra seis do maior rival. O primeiro destes títulos aconteceu há exatamente 27 anos, quando o time de Ruggeri e companhia venceu o América de Cali e conquistou a América.
No mesmo ano, o time argentino conquistou o Mundial de Clubes, vencendo o Steaua Bucareste. Mas isso é assunto para outro post.

Campanha

1ª Fase
9/7 – Boca Juniors 1 x 1 River Plate
16/7 – Montevideo Wanderers 0 x 2 River Plate
24/7 – Peñarol 0 x 2 River Plate
6/8 – River Plate 3 x 1 Peñarol
14/8 – River Plate 4 x 2 Montevideo Wanderers
20/8 – River Plate 1 x 0 Boca Juniors

2ª Fase
4/9 – Argentinos Juniors 0 x 0 River Plate
16/9 – Barcelona (Equador) 0 x 3 River Plate
23/9 – River Plate 4 x 1 Barcelona (Equador)
26/9 – River Plate 0 x 2 Argentinos Juniors
4/10 – River Plate 0×0 Argentinos Juniors

Finais
22/10 – América de Cali 1 x 2 River Plate
29/10 – River Plate 1 x 0 América de Cali

River Plate 1 x 0 América de Cali
Data: 29/10/1986
Local: Estádio Monumental de Nuñez, Buenos Aires (Argentina)
Público: 80 mil pessoas
Gol: Funes
River Plate:
Pumpido; Gordillo, Gutiérrez, Ruggeri e Montenegro; Gallego, Alsono e Alfaro (Gómez); Enrique, Alzamendi (Sperandío) e Funes.
Técnico: Héctor Veira.
América de Cali:
Falcioni; Valencia (De Ávila), Esterilla, Luna e Porras; Ischia, Aquino (Alex Escobar) e Cabañas); Ortíz, Gareca e Battaglia.
Técnico: Gabriel Ochoa Ubire.

A grande exibição brasileira na história da Copa das Confederações

13 de junho de 2013 0

Foto: Fifa

Um dos grandes jogos da história recente do Brasil foi em 2005, na final da Copa das Confederações. A Seleção Brasileira massacrou a Argentina por 4 a 1, em grande atuação de Adriano, que marcou duas vezes.
Só que para chegar até lá, o caminho não foi fácil. O time brasileiro, comandado por Carlos Alberto Parreira, quase não passou da primeira fase, terminando em segundo lugar atrás apenas do México (sim, foi contra eles a única derrota na competição daquele ano).
Antes de chegar na final, o Brasil fez um jogaço contra a Alemanha, vencendo por 3 a 2, também com dois gols de Adriano. A Argentina, por sua vez, chegou na decisão ao vencer o México nos pênaltis, depois do empate por 1 a 1 no tempo normal.

Os jogos

Grupo A
Alemanha – 7
Argentina – 7
Tunísia – 3
Austrália – 0

Argentina 2 x 1 Tunísia
Alemanha 4 x 3 Austrália
Tunísia 0 x 3 Alemanha
Austrália 2 x 4 Argentina
Austrália 0 x 2 Tunísia
Argentina 2 x 2 Alemanha

Grupo B
México – 7
Brasil – 4
Japão – 4
Grécia – 1

Japão 1 x 2 México
Brasil 3 x 0 Grécia
Grécia 0 x 1 Japão
México 1 x 0 Brasil
Grécia 0 x 0 México
Japão 2 x 2 Brasil

Semifinal
Alemanha 2 x 3 Brasil
México 1 (5) x (6) 1 Argentina

Terceiro lugar
Alemanha 4 x 3 México

A final
Brasil 4 x 1 Argentina
Data:
29/6/2005
Local: Waldstadion, Frankfurt (Alemanha)
Público: 45.591 pessoas
Árbitro: Lubos Michel (ELV)
Cartões amarelos: Ronaldinho Gaúcho (B); Coloccini, Cambiasso, Sorín e Aimar (A)
Gols: Adriano (2), Kaká e Ronaldinho Gaúcho (B); Aimar (A)
Brasil:
Dida; Cicinho (Maicon), Lúcio, Roque Júnior e Gilberto; Émerson, Zé Roberto, Kaká (Renato) e Ronaldinho Gaúcho; Robinho (Juninho Pernambucano) e Adriano.
Técnico: Carlos Alberto Parreira.
Argentina:
Germán Lux; Zanetti, Coloccini, Heinze e Placente; Cambiasso (Aimar), Riquelme, Bernardi e Sorín; Delgado (Galetti) e Figueroa (Tévez).
Técnico: José Pekerman

Veja a campanha brasileira na competição

Os primórdios da Copa das Confederações

10 de junho de 2013 0

Argentina bateu a Arábia Saudita na final da Copa Rei Fahd, em 1992. Foto: Fifa

Neste sábado, começa a sétima edição da Copa das Confederações da Fifa. Até lá, vou fazer uma série de posts sobre a competição, hoje considerada um evento teste para a Copa do Mundo para o país sede.
Mas até chegar a este ponto, a competição teve diversos formatos. E vou me referir, neste texto, aos “primórdios”, quando o torneio tinha outro nome. O embrião da Copa das Confederações surgiu em 1992, quando a Arábia Saudita resolveu sediar a Copa Rei Fahd, uma homenagem ao rei que governava o país na época. A Fifa chamou o evento de Copa Intercontinental de Campeões.
A primeira edição teve apenas quatro participantes, nenhum deles da Europa. Além do país sede, Argentina, Estados Unidos e Costa do Marfim disputaram a competição, em sistema eliminatório. Os hermanos venceram os marfinenses e enfrentaram os sauditas na decisão. O título ficou mesmo com a Argentina, que fez 3 a 1 na decisão.

Dinamarca venceu a edição de 1995

Três anos depois, uma nova edição da competição, agora com seis seleções divididas em duas chaves. No Grupo A, ficaram a Dinamarca (campeã da Eurocopa 1992), México (campeão da Copa Ouro 1993) e a Arábia Saudita (país sede). No B, Argentina (campeã da Copa América 1993), Japão (campeão da Copa da Ásia 1992) e Nigéria (campeã africana de 1994).
A curiosidade é que dois times de cada grupo passavam, mas não teve o famoso sistema de cruzamento olímpico (1º de um grupo contra o 2º do outro). Os campeões de cada chave foram direto para a final e os segundos colocados disputaram o terceiro lugar. Na decisão, a Dinamarca bateu a Argentina por 2 a 0.
Só em 1997 é que a competição passou a se chamar Copa das Confederações. Mas isso é assunto para outro post.

Estádio inaugurado em 16 de maio

16 de maio de 2013 0

Nome: Estádio Mario Alberto Kempes
Apelido: Estádio Córdoba
Cidade: Córdoba (Argentina)
Inauguração: 16/5/1978
Capacidade: 57 mil pessoas
Primeiro jogo: Argentina x Seleção de Córdoba
Proprietário: Província de Córdoba
Mandantes: Belgrano, Talleres, Racing e Instituto Córdoba
Reinauguração: 26/6/2011
Copa do Mundo de 1978: Alemanha 6 x 0 México, Alemanha 0 x 0 Tunísia, Peru 3 x 1 Escócia, Escócia 1 x 1 Irã e Peru 4 x 1 Irã (primeira fase); Holanda 5 x 1 Áustria, Alemanha 2 x 2 Holanda e Áustria 3 x 2 Alemanha (segunda fase).

Três estádios inaugurados em 14 de maio

14 de maio de 2013 0

Nome: Stadio Olimpico di Torino
Cidade: Turim (Itália)
Inauguração: 14/5/1933 (80 anos)
Capacidade: 28.140 lugares
Primeiro Jogo: Juventus 6 x 2 Újpest/HUN
Proprietário: Prefeitura de Turim
Mandante: Torino
Jogos da Copa do Mundo de 1934: Áustria 3 x 2 França (oitavas de final) e Tchecoslováquia 3 x 2 Suíça (quartas de final).
Reinauguração: 29/11/2005
Curiosidade: Foi inaugurado como Estádio Municipal Mussolini

Nome: Estádio Nicolau Alayon
Apelido: Comendador Sousa
Cidade: São Paulo (SP)
Inauguração: 14/5/1938 (75 anos)
Capacidade: 10.117 lugares
Primeiro jogo: Nacional/SP 1 x 2 Corinthians
Primeiro gol: Carlos Leite (Nacional)
Proprietário e mandante: Nacional AC
Curiosidade: Nicolau Alayon era uruguaio e foi um dos primeiros dirigentes do clube. O apelido é porque uma das entradas do estádio fica na Rua Comendador Sousa.

Nome: Estadio Malvinas Argentinas
Cidade: Mendoza (Argentina)
Inauguração: 14/5/1978 (35 anos)
Capacidade: 40.268 pessoas
Primeiro jogo: Seleção de Mendoza x Seleção de San Rafael (resultado não informado)
Proprietário: Governo de Mendoza
Mandantes: Godoy Cruz, Independiente Rivadavia, Deportivo Maipú, Gimnasia y Esgrima, Deportivo Guaymallén, Huracán Las Heras e San Martín
Copa do Mundo de 1978: Holanda 3 x 0 Irã; Holanda 0 x 0 Peru; e Escócia 3 x 2 Holanda (primeira fase); Brasil 3 x 0 Peru; Polônia 1 x 0 Peru; e Brasil 3 x 1 Polônia (segunda fase).

Aniversariante do Dia: CA Aldosivi

29 de março de 2013 0

Clube: Club Atlético Aldosivi
Fundação: 29/3/1913 (100 anos)
Cidade: Mar del Plata (Argentina)
Estádio: José María Minella (35.354 mil lugares)
Site: www.aldosivi.com
Principais Títulos: Apenas regionais
Situação atual: Está em 15º lugar na Primera B Argentina (segunda divisão) com 29 pontos, a 18 da zona de acesso à primeira divisão. Na Copa da Argentina, foi eliminado na 5ª fase pelo Olimpo.
História
Em outubro de 1911, um grupo de funcionários de Paris chegou em Mar del Plata para construir o porto local. Apaixonados por futebol, resolveram criar um clube, até como forma de passar o tempo. Em 29 de março de 1913, foi criado então o Aldosivi. Inspirados no país natal, montaram o primeiro uniforme com as cores da bandeira francesa – branco, azul e vermelho. A mudança para verde e amarelo aconteceu anos depois.
Quando foram comunicar a criação do clube, via telégrafo, se deram conta de que ainda não tinha um nome. Resolveram, então, pegar as iniciais dos proprietários da empresa em que trabalhavam: Allard, Doulfus, Sillard e Wiriott. Como o telégrafo não tinha o W, substituíram pelo V, chegando então a Aldosivi.

Hino oficial

Desde Mar del Plata
Soy hincha de Aldosivi y estoy en la playa en batas
Para festejar queda lejos en obelisco
Nosotros mejor los juntamos en la Playa Bristol

Si Aldosivi gana
No hay grandes premios son los Alfajores Havanna
De Aldosivi a mi me hizo mi abuela
Vamos hasta hoy al Estadio José María Minella.

Verde y amarillo el color de mi pasión
En el cuarto manda el tiburón
Este año tenemos que salir campeón
Nos ponemos todos en bolas arriba del torreón

Vamos Aldosivi, vos sos el Mejor

Aniversariantes do Dia: All Boys e Defensor Sporting

15 de março de 2013 0

Clube: Club Atlético All Boys
Fundação: 15/3/1913 (100 anos)
Cidade: Buenos Aires (Argentina)
Estádio: Islas Malvinas (21,5 mil lugares)
Site: www.caallboys.com.ar
Principais Títulos: 3 Primera B (1972/93/2008) e 2 Primera C (1946/50)
Situação atual: 13º colocado no Campeonato Argentino com 5 pontos em cinco jogos. Está a oito do líder Lanús. Classificou-se para a fase final da Copa Argentina, depois de eliminar o Brown de Adrogué e aguarda a definição do adversário.
História
Um grupo de amigos resolveu criar um time de futebol, entusiasmados pelo espaço que ele vinha ganhando na Argentina. Eles se reuniram no Bairro Floresta, em Buenos Aires, e resolveram escolher o nome de “Todos Muchachos”, que logo depois foi traduzido para o inglês. O branco foi escolhido por representar a pureza e o preto foi incorporado meses depois. O All Boys disputa competições nacionais desde 1923. Tem apenas 11 participações na primeira divisão (na era considerada profissional) e a melhor posição foi um quinto lugar (em 1974 e no Clausura 2012).

Hino Oficial
Música: Guillermo Meres
Letra: Carlos Acuña

Siempre canta orgulloso para Gloria de Floresta
Un equipo de campeones todo vibra y corazón

Son los albos los que luchan defendiendo sus colores
Y su hinchada los proclaman en donando este cantar

Vamos All Boys, Dale All Boys dicen todos con Gran Emoción
Vamos All Boys, Dale All Boys lo repiten con todo fervor

Si ganamos o perdemos mantengamos alta nuestra tradición
Todos firmes gritaremos Viva All Boys, Viva All Boys, Viva All Boys

Clube: Defensor Sporting Club
Fundação: 15/3/1913 (100 anos)
Cidade: Montevidéu (Uruguai)
Estádio: Luiz Franzini (20 mil lugares)
Site: www.defensorsporting.com.uy
Principais Títulos: 4 Campeonatos Uruguaio (1976/87/91/2008), 2 Segunda Divisão (1950/65) e 8 Ligas Pré-Libertadores (1976/79/81/89/91/95/2000/06)
Situação atual: Sétimo colocado no Clausura, com seis pontos em três jogos, a três do líder El Tanque Sisley.
História
Fundado como Defensor FC, recebeu este nome porque o clube descende de um time formado por trabalhadores de uma fábrica de vidros, que se denominavam Defensores de la Huelga. O uniforme do time era verde, mas quando entrou na Liga, a regra era usar cores diferentes dos times já filiados. Como o Belgrano já usava o verde, a diretoria do Defensor  escolheu o roxo. O farol, que está no escudo do clube, foi em homenagem ao farol construído em 1876 e que servia de orientação para os navios que entravam no Rio Santa Lucia.

Hino Oficial

¡Violeta! Cuadro del pueblo que allá por Punta Carretas dicen todos ¡Defensor!, ¡dicen todos Defensor!
Supiste llenar de gloria con tus hombres tan famosos el momento de esplendor.
Violeta que sos todo corazón – que sos todo corazón – naciste para ser cuadro campéon.
Sabrás que la hinchada siempre estará honrando tu color con fuerza y con amor.
A Luis Franzini que es el paladín – Luis Franzini el paladín – lo recordamos todos con amor.
Y cuando de estas luchas retornemos triunfantes gritaremos: ¡Adelante Defensor!
Gritaremos: ¡Adelante Defensor!
Gritaremos: ¡Adelante Defensor!

Estádio argentino inaugurado em 4 de março

04 de março de 2013 0

Nome: Estádio Libertadores de América
Cidade: Avellaneda (Argentina)
Inauguração: 4/3/1928 (85 anos)
Capacidade: 50 mil lugares
Demolição: Julho de 2007
Reinauguração: 28/10/2009
Primeiro jogo: Independiente 2 x 2 Peñarol
Primeiro gol: Raimundo Orsi (Independiente)
Proprietário e mandante: Independiente

Aniversariante do Dia: Independiente Rivadavia

24 de janeiro de 2013 0

Clube: Club Sportivo Independiente Rivadavia
Fundação: 24/1/1913 (100 anos)
Cidade: Mendoza (Argentina)
Estádio: Bautista Gargantini (18 mil lugares)
Site: www.independientemza.com.ar
Principais Títulos: 2 Torneos Argentinos A (1999/2007)
Situação atual: Oitavo colocado na Primera B Nacional (a segunda divisão argentina) com 25 pontos, a seis da zona de acesso (três sobem). Está na quinta fase da Copa Argentina e vai enfrentar o Instituto. O primeiro jogo é dia 30 de janeiro.
História
As origens do clube vêm de 1902, quando nasceu o CA Belgrano, considerado o primeiro clube de futebol de Mendoza. Por divergências com a liga local, os dirigentes, encabeçados por Luis Burotto, resolveram criar um novo time. Surgiu então, em 24 de janeiro de 1913, o CA Independiente, em alusão a independência que o novo clube teria com a entidade esportiva.
Seis anos depois, ele se fundiu com o CS Rivadavia e passou a ter o nome como conhecemos hoje. Rivadavia é uma homenagem a Bernardino Rivadavia, primeiro presidente da Argentina.

Hino Oficial

INDEPENDIENTE RIVADAVIA te venimos a cantar
fuiste cuna de los grandes en el futbol nacional
cuantas veces de muchachos,fuimos todos a gritar
los azules tienen q trinfar
los azules siempre ganaran