Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Aline volta em coletâneas

31 de março de 2011 0

Muita gente só tomou conhecimento da personagem Aline depois que ela estrelou um seriado. Mas a garota, famosa por ter dois namorados, já era bem rodada muito antes de virar atração da Rede Globo.

Criada pelo cartunista gaúcho Adão Iturrusgarai nos anos 1990, Aline tem longa ficha corrida de ofensas à moral e aos bons costumes. Ninfomaníaca assumida e praticante, Aline volta às livrarias com duas novas coletâneas: Antrologia, que reúne tiras produzidas entre 2003 e 2010, e o pocket book Aline 5, com material mais antigo.

Os livros foram lançados para coincidir com a estreia da nova temporada do seriado, onde a personagem era interpretada por Maria Flor. O problema é que o programa acabou cancelado por conta da baixa audiência, antes mesmo de os últimos dois episódios terem ido ao ar.

Em Antrologia, Aline coloca seu mau comportamento em prática nas mais diversas situações, para desespero de seus namorados Otto e Pedro. A garota se vê às voltas com um vizinho serial killer (que mais é perseguido por ela do que a persegue), é sequestrada (e dá uma canseira nos sequestradores) e chega a fundar uma igreja.

De tanto aprontar, vai para o inferno, onde parte o coração do capeta. No pocket book, a insaciável jovem cede um pouco de espaço para seus coadjuvantes. Os eternos vagabundos Otto e Pedro tentam achar rumos para suas vidas, mas um não dá certo como saxofonista e o outro descobre que é um péssimo vendedor.

O pai de Aline, Estevan, tenta manter o ritmo de sua namorada mais nova. Legítimo herdeiro do humor dos Los Três Amigos Angeli, Laerte e Glauco (que o adotaram como um quarto amigo no início de sua carreira), Adão é um dos caras que mantêm acesa a chama da tosqueira e da bagaceirice no quadrinho nacional.

Aline pode ter morrido na TV, mas, para alívio de seus inúmeros amantes, seu espírito de porco continua vivo nas HQs.

Antrologia, de Adão Iturrusgarai
L&PM Pocket. 127 págs. R$ 36

Numas de Colegial, de Adão Iturrusgarai
L&PM Pocket. 126 págs. R$ 11

Texto publicado no caderno Variedades do Diário Catarinense de 31/03/2011

Cartunista Koostella lança HQ em Florianópolis

25 de fevereiro de 2011 0

O cartunista Koostella volta a Florianópolis nesta sexta feira para lançar a história em quadrinhos Gefangene – Sem Saída (ano passado já havia rolado um lançamento, mas  a “presença” do autor foi via Skype).  A HQ do curitibano, que morou muitos anos na capital catarinense e hoje vive na Suiça, aborda o universo das prisões.

Abrindo mão dos diálogos, Koostella usa apenas seus desenhos para fazer um paralelo entre a vida na cadeia e as limitações que acabam prendendo muita gente que está em liberdade. O lançamento está marcado para às 19h na Olho Mágico ( Rua  José Francisco Dias Areias, 359 – Trindade).

Art Spiegelman vence Grand Prix do Festival de Angoulême

31 de janeiro de 2011 0


O americano Art Spiegelman foi o vencedor do Grand Prix na 38ª edição do tradicional Festival Internacional de Quadrinhos de Angoulême, na França. Spiegelman foi premiado por sua contribuição aos quadrinhos, com obras como Maus (que lhe rendeu o Prêmio Pulitzer) e a inovadora revista Raw.

Confira os outros ganhadores:

Prêmio de melhor álbum: Cinq mille kilomètres par seconde, de Manuele Fior

Prêmio especial do júri: Asterios Polyp, de David Mazzucchelli (que será lançado no Brasil este ano)

Prêmio revelação: Trop n’est pas assez, de Ulli Lust

Prêmio de melhor série: Il était une fois en France 4, de Sylvain Vallée e Fabien Nury

Prêmio Intergeracões: Pluto, de Naoki Urasawa e Osamu Tezuka

Prêmio um olhar sobre o mundo: Gaza 1956, En marge de l’histoire, de Joe Sacco

Prêmio da ousadia: Les Noceurs, de Brecht Evens

Prêmio juventude: Les Chronokids 3, de Zep, Stan e Vince

Prêmio do público:
Le Bleu est une couleur chaude, de Julie Maroh

Prêmio do patrimônio: Bab El Mandeb, de Micheluzzi

(Via Universo HQ)

HQCon Pocket começa nesta segunda em Florianópolis

21 de janeiro de 2011 0

 


Originais de Fernanda Chiella serão expostos (reprodução)


Começa nesta segunda-feira em Florianópolis a HQCon Pocket versão mais enxuta do evento de quadrinhos que rolou em agosto do ano passado na capital catarinense. Desta vez o palco da HQCon será o Floripa Shopping.

A partir de segunda, serão expostas artes originais dos ilustradores e quadrinistas Davi Leon, Fernanda Chiella e Pedro Franz na Livraria Nobel. No sábado (29/1) haverá uma mesa redonda com Leon sobre criação e publicação de histórias em Quadrinhos. No domingo (30/1), quando é celebrado o Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos, é a vez de Chiella e Franz conversarem com o editor Mario Luiz C. Barroso sobre o que mudou no mercado brasileiro de quadrinhos. Fique atento, pois as vagas para as palestras são limitadas. Mais informações podem ser encontradas no site do evento.

Confira abaixo a programação completa:

Data: de 24 a 30/01

Exposição com as artes originais de Davi Leon, Fernanda Chiella e Pedro Franz.
Local: Livraria Nobel

Dia 29/01 (sábado), às 16h

Mesa redonda com Davi Leon
Tema: Da criação à publicação de uma história em quadrinhos – o  case do Sesinho
Local: Sala da Associação dos Lojistas
Inscrições: Na Nobel do Floripa Shopping, de 24/01 até 28/01.
Ingresso: 2 histórias em quadrinhos em ótimo estado
Obs: Somente 60 vagas

Dia 30/01 (domingo), às 16h

Mesa redonda com Mario Luiz C. Barroso, Fernanda Chiella e Pedro  Franz.
Tema: O que mudou no mercado Brasileiro de quadrinhos?
Local: Sala da Associação dos Lojistas
Inscrições: Na Nobel do Floripa Shopping, de 24/10 até 29/01.
Ingresso: 2 histórias em quadrinhos em ótimo estado
Obs: Somente 60 vagas

Palestrantes

Davi Leon: Ilustrador e quadrinista. Foi agenciado pela Lynks Studio -
agência de quadrinhos e Impacto Quadrinhos. Foi professor de desenho
mangá na Associação Nipo Catarinense e do Curso de desenho no  Senac.
Ilustrador da revistinha educativa Sesinho Nacional. É professor
titular do curso de Quadrinhos da HQCon.

Fernanda Chiella: Já trabalhou com HQ, arte digital para ensino a
distância/ cursos institucionais, e na área de jogos casuais.
Ilustradora e quadrinista, em agosto de 2007 publicou em “In Her
Darkest Hour” pela Shadowline/Image Comics. Os trabalhos mais recentes
incluem Maurício de Sousa por mais 50 artistas (MSP+ 50) e Pequenos
Heróis.

Mario Luiz C. Barroso – Jornalista e tradutor editou, por quase uma
década, as linhas da DC Comics e Image Comics da Editora Abril, onde,
ao lado de Sérgio Figueiredo, foi responsável pela primeira  publicação
de “A Morte do Super-Homem” e “O Retorno de Super-Homem”.
Posteriormente, fundou o Studio M17, que atualmente traduz para o
português parte do material Marvel e DC publicado pela Editora Panini
no Brasil.

Pedro Franz – Diretor de arte e ilustrador para diversos clientes e
desenvolvendo projetos pessoais. Em 2009, recebeu um Trófeu HQmix por
seu trabalho de pesquisa sobre Alberto Breccia. Atualmente, escreve e
desenha sua história em quadrinhos Promessas de amor a desconhecidos
enquanto espero o fim do mundo e atua como ilustrador freelancer.

Feliz anivelsálio, Cebolinha!

18 de janeiro de 2011 0

Um simpático rapazinho com cinco fios de cabelos espetados e que fala errado acaba de completar 50 anos (embora aparente bem menos). Cebolinha, um dos personagens mais populares de Mauricio de Sousa fez sua estreia nos quadrinhos em uma tira do Franjinha em outubro de 1960.

Na época, Cebolinha tinha muito mais cabelo e seus traços eram bem mais rudes, longe do aspecto fofinho que ele adquiriu a partir dos anos 1980. A trajetória de meio século de vida do personagem pode ser acompanhada no recém-lançado Cebolinha 50 Anos, que compila várias histórias do melhor amigo do Cascão.

Embora tenha surgido em 1960, Cebolinha só foi ganhar uma revista própria em 1973. São as aventuras produzidas a partir desta data que estão presentes no livro.

O gosto que Cebolinha tem por planos infalíveis para derrotar Mônica, a dona da “lua”, já estava presente desde suas as primeiras histórias longas. Invariavelmente as elucubrações do garoto acabam do mesmo jeito: ele e Cascão terminam levando umas coelhadas da menina mais forte do mundo.

É curioso notar que vez por outra aparecem histórias com temáticas mais metafísicas no universo dos personagens de Mauricio. Nesta coletânea há duas. Em uma delas, uma entidade chamada “Senhor do Tempo” perde seu relógio, que vai parar nas mãos de Cebolinha & cia. Ao adiantar ou atrasar o relógio a turminha envelhece ou rejuvenesce.

Em outra, um ser pertencente a uma espécie mais evoluída que a humana vem à Terra para experimentar o que chama de “emoções bárbaras”, como frio, fome, sede, ciúme, amor e raiva.

Uma das melhores histórias é Brinquedos e Segredos, na qual um soldadinho de brinquedo abandonado por Cebolinha vê uma estrela cadente e deseja que seu dono vire brinquedo também. O tema é recorrente em histórias infantis como A Revolta dos Brinquedos eToy Story, mas aqui é abordado com bastante originalidade.

O livro aborda até a recente fase do Cebolinha Jovem, que mostra a adolescência do personagem, com traços de inspiração nos mangás japoneses. A história, feita especialmente para a edição, traz a turma armando uma festa de aniversário surpresa para o protagonista.

O livro seria muito mais rico, se houvesse mais informações que contextualizassem o leitor. Faltam, por exemplo, as datas das publicações originais da histórias e até mesmo a explicação para a inspiração de Mauricio para a criação do personagem. Segundo publicações anteriores, Cebolinha teria sido baseado em um menino que Mauricio conheceu em Mogi das Cruzes.

Fazem falta também os créditos para os roteiristas e desenhistas responsáveis pela criação das histórias. Há apenas um discreto agradecimento “aos profissionais que colaboraram com seus talentos para que as histórias chegassem até vocês”.

Edições especiais

Cebolinha 50 anos dá sequência a uma série de edições especiais da Turma da Mônica. Desde 2007, após a ida de Mauricio de Sousa para a Editora Panini, começaram a chegar ao mercado publicações diferenciadas, como as coletâneas das primeiras tiras dos personagens e a Coleção Histórica que trazia os primeiros gibis da turma compilados em caixinhas.

O projeto MSP 50 é um dos mais interessantes surgidos nos últimos anos envolvendo a Turma da Mônica. Já foram publicados dois volumes, nos quais 50 artistas são convidados para fazer suas versões dos personagens criados por Mauricio. Já participaram dele gente como Laerte, Angeli, Allan Sieber, Marcatti, além de desenhistas radicados em Santa Catarina, como Samuel Casal, Ricardo Manhães, Pablo Mayer e Fernanda Chiella. Um terceiro volume está previsto para ser lançado em 2011.

O lançamento da Turma da Mônica Jovem também foi uma tacada de mestre de Mauricio. As primeiras edições, lançadas em 2008, venderam o dobro das revistas regulares e o gibi continua a fazer sucesso.

Cebolinha 50 Anos. Editora Panini Books, 156 páginas, R$ 56

Texto publicado na edição de 18/01/2011 do caderno Variedades do Diário Catarinense

HQ que conta história dos Beatles é lançada no Brasil

08 de novembro de 2010 0


Divulgação/Editora Conrad


Para aproveitar o clima de beatlemania que corre solto pelo Brasil por conta dos shows de Paul McCartney por aqui, a editora Conrad lança a HQ O Pequeno Livro dos Beatles. O quadrinho, de autoria do francês Hervé Bourhis, conta toda a trajetória dos garotos de Liverpool, de 1940 a 2009, incluindo aí a carreira solo dos músicos.

O lançamento, que ocorre quase simultaneamente na França e no Brasil, está marcado para o dia 27 de novembro, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo, a partir das 13h30min. Hervé Bourhis estará presente no evento. O autor já teve outra obra publicada no Brasil, o excelente O Pequeno Livro do Rock.

Encontro internacional de jornalismo em HQs começa nesta quinta em Porto Alegre

27 de outubro de 2010 0

Porto Alegre irá sediar a partir desta quinta-feira o 1º Encontro Internacional de Jornalismo em Quadrinhos. Até o dia 30 de outubro haverá palestras, debates e exposições, entre outras atividades. Mesmo quem está fora da capital gaúcha poderá participar, pois algumas palestras serão transmitidas pela web no blog Cabruuum. Também haverá cobertura no twitter.

Entre os convidados nacionais estão Aristides Dutra, Mestre em Jornalismo em Quadrinhos pela Universidade Federal do Rio de Janeiro; Felipe Muanis, jornalista, ilustrador e professor da Universidade Federal Fluminense; Gilmar Rodrigues, jornalista, autor do livro-reportagem Loucas de amor em quadrinhos, sobre mulheres que se apaixonam por serial killers; e Spacca, desenhista e escritor de quadrinhos históricos.

O evento também terá a participação de dois convidados da Alemanha, Atak (Prof. Georg Barber), autor de quadrinhos de vanguarda, e Jens Harder, autor de reportagens em quadrinhos.

O jornalismo em quadrinhos é uma modalidade relativamente recente, que foi popularizada pelo maltês Joe Sacco. Algumas reportagens em forma de HQ de autoria de Sacco já foram publicadas no Brasil, entre elas Palestina – Uma Nação Ocupada e Gorazde – a Guerra na Bósnia Oriental.

O encontro é organizado pelo Goethe-Institut Porto Alegre em parceria com Feira do Livro. A curadoria fica por conta do jornalista e tradutor Augusto Paim. A programação do evento pode ser encontrada no site do instituto.

Mostra de animação começa nesta terça em Florianópolis

25 de outubro de 2010 0

Reprodução/A Caverna


Começa nesta terça-feira em Florianópolis a 4ª edição da mostra de animação A Caverna. O evento, que vai até o dia 29 de outubro, terá palestras, debates e exibição de animações independentes.

Para conferir a programação completa da mostra e os locais de exibição das animações confiram o site oficial do evento.

Feliz aniversário, Charlie Brown

02 de outubro de 2010 0

Reprodução/United Feature Syndicate

A clássica tira Peanuts, criada por Charles Shulz, faz 60 anos neste sábado. Para lembrar a data, escrevi um texto para o caderno Variedades do Diário Catarinense. Confira abaixo alguns trechos de desenhos animados de Charlie Brown, Snoopy e sua turma.

Galvão expõe telas em Florianópolis

23 de setembro de 2010 0

Divulgação

Abre nesta quinta-feira, 23 de setembro, em Florianópolis a exposição La Famiglia, do artista gráfico e quadrinista Galvão. Como indica o título da exposição, as obras abordam, de forma irônica, a instituição familiar.

Ao todo, serão expostas 18 criações feitas com tinta acrílica. Galvão, que tem tiras e ilustrações publicadas em revistas e jornais de todo o Brasil (inclusive no Diário Catarinense), mora em Florianópolis há sete anos.

A abertura da exposição começa às 20h na COR Galeria de Arte (Avenida Afonso Delambert Neto, 619, loja 3), na Lagoa da Conceição. Confira mais informações sobre o evento na matéria publicada no caderno Variedades do DC. Acompanhe o trabalho de Galvão no Vida Besta.