Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de setembro 2011

Rota Colonial destaca tradição alemã em Dois Irmãos

26 de setembro de 2011 0

O município de Dois Irmãos ainda preserva a característica original de região agrícola, com o domínio de pequenas propriedades. Recebeu a designação de Portal da Serra por estar situado nos primeiros degraus da encosta do Planalto Meridional. Integrante do Vale do Rio Feitoria, afluente do Rio Caí, sua história está ligada à colonização alemã no Estado.

Para valorizar o pequeno agricultor da região, teve início em 1998 a Rota Colonial Baumchneis. A ideia era evitar o êxodo rural mantendo o jovem no campo através de uma alternativa turística. Com o apoio da Emater, do Sindicato dos Produtores Rurais de Dois Irmãos e Morro Reuter e do Sebrae foram criados os empreendimentos dentro da Rota.

O presidente do Sindicato afirma que um dos objetivos na época foi garantir mais renda ao agricultor que também aprendeu a administrar a sua propriedade de forma mais equilibrada. Pedro Becker salienta, no entanto, que além do pequeno produtor, também os turistas e principalmente as crianças, ganharam um espaço para conhecer a natureza e o que ela produz.

- O carinho que se tem com os pequenos animais, mostrar a procedência dos produtos consumidos na cidade. Muitas crianças da cidade não sabem de onde vem o leite, as verduras, o ovo. E através dos empreendimentos que se encontram na Rota, eles conseguem ver de perto a origem de todos esses produtos. Todo o empreendimento quando foi criado, teve esse objetivo de mostrar para a cidade a procedência dos produtos que estão sendo consumidos – frisa.

O presidente da Rota Colonial Baumchneis, Alcindo Berlibz, que também é produtor, possui o empreendimento conhecido como Colhe-Pague onde o visitante pode colher a verdura que vai comprar. Ele explica como funciona.

- A pessoa entra na horta, colhe, escolhe o que estiver no ponto, o que está no período, alguns produtos tem épocas, então o que está no ponto pode colher. Ou então a gente colhe também, não é problema, não é que a pessoa é obrigada a colher, a gente colhe também. A gente também trabalha com geléias, schmiers, vinhos, ovos, conservas – salienta.

Alcindo fala também sobre os outros empreendimentos que os turistas podem visitar nesta Rota.

- Aqui no meu empreendimento Colhe-Pague, ou no Mundo dos Ovos, ou Café da Dona Judith, o campo Sete Amigos, Armazém Jolas, isso pode ser visitado diariamente – ressalta.

No Mundo dos Ovos, as pessoas podem pegar os ovos junto à galinha. Segundo Alcindo, existe ainda uma associação de colonos que fornece bolachas, cucas, entre outros produtos coloniais. O presidente da Rota ressalta com orgulho que a região é de imigrantes alemães que preservam a língua e é dessa forma que os visitantes são recebidos.

- A gente fala o alemão, nós somos de origem alemã, agricultor com orgulho, e a gente está preservando a nossa língua. A pessoa que chega aqui vai se surpreender – conta.

A Rota Colonial Baumschneis recebeu em agosto investimentos para a construção de calçadas e paradas de ônibus em estilo enxaimel. Além do trecho já em andamento, o trajeto irá receber também mais recursos para a execução da Rota Colonial parte Dois, onde está prevista a construção de uma praça de brinquedos e a mais espaços de estacionamento para os turistas.

Os agendamentos para grupos podem ser feitos pelo telefone (51) 9875 2975 ou também através do e-mail rotacolonial@gmail.com.

Áudio Campo e LavouraDois Irmãos abriga um roteiro turístico que valoriza a cultura colonial da região

Rádio Rural no Acampamento Farroupilha

23 de setembro de 2011 0

Os comunicadores da Rádio Rural estiveram presentes no Galpão  da RBS no Parque da Harmonia durante as comemorações da Semana Farroupilha 2011. Os programas Querência Amada,  com Betha Teixeira, A Hora do Mate, com Ernesto Fagundes, Brasil de Bombacha, com Laírton Pinheiro (Marreka) e Ronda dos Festivais, com Jairo Reis, além do especial Entrevero Rural, animaram o público que se fez presente no Galpão.

Confira as fotos:

Querência Amada marca presença na Semana Farroupilha

21 de setembro de 2011 0

A comunicadora Betha Teixeira, da Rádio Rural, apresentou o seu programa Querência Amada durante a Semana Farroupilha direto do Galpão da RBS no Parque da Harmonia.

Confira alguns momentos:

Betha Teixeira e Jairo Reis com Érlon Péricles.

O programa Querência Amada, com Betha Teixeira, que resgata a história e a música de  Teixerinha vai ao ar de segunda à sexta, entre 20h e 22h.

A Hora do Mate e o Acampamento Farroupilha

21 de setembro de 2011 0

Ernesto Fagundes, cantor, compositor e comunicador da Rádio Rural AM 1120 apresentou o seu programa A Hora do Mate direto do Galpão da RBS, no Parque da Harmonia, durante a Semana Farroupilha.

Confira alguns momentos:

Ernesto com César Oliveira e Rogério Melo.

O programa A Hora do Mate vai ao ar de segunda à sexta entre 17h e 18h.

Ronda dos Festivais no Acampamento Farroupilha

21 de setembro de 2011 0

O comunicador da Rádio Rural Jairo Reis apresentou o seu programa Ronda dos Festivais direto do Galpão da RBS, no Acampamento Farroupilha, no Parque Maurício Sirotsky Sobrinho, durante a Semana Farroupilha.

Abaixo algumas fotos dos artistas que passaram pelo programa:

Jairo Reis e o Gaúcho da Fronteira.

O programa Ronda dos Festivais vai ao ar na Rádio Rural AM 112o de segunda à sexta, entre 18h e 19h.

Entrevero na Rural

21 de setembro de 2011 0

A Rádio Rural apresentou durante a Semana Farroupilha o programa especial Entrevero Rural, direto do Galpão da RBS no Acampamento Farroupilha, no Parque Maurício Sirotsky Sobrinho.

Ancorado pelos comunicadores da emissora: Betha Teixeira, Jairo Reis, Ernesto Fagundes e Laírton Pinheiro, conhecido como Marreka, o programa debateu temas relevantes e recebeu músicos gaúchos.

As fotos abaixo, mostram  alguns momentos do Entrevero Rural:

Combatentes farroupilhas: Tito Lívio Zambeccari

20 de setembro de 2011 0

Tito Livio Zambeccari foi um revolucionário italiano que veio para o Brasil após ser setenciado com pena de morte em seu país e viver por alguns anos na Espanha. Chegou ao Rio Grande do Sul em 1833, onde esboçou o mapa mais antigo de Porto Alegre, possivelmente datado de 1833.

Tornou-se amigo e assessor daqueles que viriam a ser os líderes da Revolução Farroupilha. Segundo relato de seus contemporâneos, Zambeccari, Bento Gonçalves, Onofre Pires e José Calvet é que tratavam dos negócios da República Rio-Grandense. Para o historiador Alfredo Varela, o italiano influenciou os manifestos assinados por Bento. Também a bandeira da República Rio-Grandense teria sido idealizada por ele, antes mesmo do início da revolução.

Ao começar o conflito, tornou-se secretário e chefe do estado-maior do general Bento Gonçalves. Com ele foi preso na batalha do Fanfa e enviado à um navio-prisão ancorado no rio Guaíba, para depois ser transferido à Fortaleza de Santa Cruz, no Rio de Janeiro. Após três anos de prisão acabou deportado e nunca mais voltou ao Rio Grande.

Combatentes farroupilhas: José Mariano de Matos

19 de setembro de 2011 0

José Mariano de Matos, carioca e republicano, foi transferido para o Rio Grande do Sul, em 1830. Na República Rio-Grandense, para cuja adoção influiu decisivamente, atuou como ministro da Guerra e da Marinha. Depois da vitória da Batalha de Seival, em dez de setembro de 1836, foi vice-presidente da República e presidente da república interino, em substituição a Bento Gonçalves.

Mariano de Matos também foi o autor do brasão adotado para o Rio Grande do Sul pelos constituintes de 1891. Próximo do final da revolução foi preso em Piratini e encarcerado em Canguçu, na cadeia que o imperial Chico Pedro, conhecido como Moringue, mandara construir e ironicamente chamava de quarto de hóspedes para os farrapos.

Após o fim da Revolução, Mariano de Matos foi o farrapo que chegou mais alto na hierarquia militar do Império, como general, sendo ministro do Conselho Supremo Militar ao falecer.

Combatentes farroupilhas: Luigi Rossetti

19 de setembro de 2011 0

Luigi Rossetti foi um jornalista e intelectual italiano que se refugiou na América do Sul em 1827 depois da participar de uma sociedade secreta e revolucionária na Europa. Chegou à América pelo Uruguai, à época da Revolução Farroupilha. Residiu algum tempo no Rio de Janeiro, onde conheceu Giuseppe Garibaldi, com quem se juntou à Revolução Farroupilha.

Em 1837 conheceu em Piratini os mais influentes líderes da guerra Farroupilha, como Onofre Pires, Domingos José de Almeida e Corte Real. Foi editor do Jornal O Povo, órgão oficial da República Rio-Grandense.

Participou da Tomada de Laguna, sendo nomeado secretário de Estado da República Juliana. Nesse cargo enfrentou uma série de dificuldades em seus quatro meses de existência, entre problemas econômicos e políticos, além dos militares, com falta de pessoal e de recursos.

Morreu, vitima de uma lança do inimigo, durante a tomada de Viamão pelos imperiais em 1840, no posto de capitão.

Lomba Grande traz cultura campeira para a região metropolitana

19 de setembro de 2011 0

O bairro Lomba Grande ocupa dois terços da área de Novo Hamburgo. É considerada zona de proteção ambiental, onde o banhado do Rio dos Sinos é muito importante para apreservação do ecossistema, tanto da fauna, como da flora.

Lomba Grande abrigou os primeiros imigrantes alemães que se instalaram na feitoria do Linho Cânhamo, na época pertencente a São Leopoldo. O secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo do município, Carlos Finck, afirma que hoje a Lomba Grande se constitui num dos principais pontos de visitação da cidade, onde os atrativos naturais do bairro junto aos empreendimentos voltados para o lazer e o turismo atraem diversos visitantes.

- É um bairro com características dos primeiros imigrantes alemães que vieram em 1924 que vieram para a região do vale do Rio dos Sinos, já ficaram morando em São leopoldo e Novo Hamburgo, no bairro Lomba Grande, as casas, os jardins. O bairro foi se caracterizando como um bairro com atividades de lazer – comenta.

Entre as opções de lazer, há balneários, sítios, restaurantes,venda de produtos coloniais, alambiques, Centro de Tradições Gaúchas, além dos atrativos naturais típicos da região. Os turistas podem desfrutar de atividades ao ar livre, como cavalgada, turismo de aventura, contato com animais, recreação em piscinas, montanhismo, ciclismo, entre outras.

Também é em Lomba Grande que são colhidos os hortifrutigranjeiros sem agrotóxicos que abastecem as feiras do produtor rural na cidade e na região metropolitana. Além disso também há propriedades de agricultura familiarcooperativas que produzem produtos coloniais e integrais. O bairro também possui diversos atrativos culturais, como as igrejas, cemitérios e um roteiro que contempla visitação a artistas plásticos.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Novo Hamburgo também ressalta as festividades da Semana Farroupilha.

- Nas festividades farroupilhas, dia 20 terá um grande desfile nas avenida Pedro Adams Filho, no centro de Novo Hamburgo. Começa ás 8h30min com o hasteamento das bandeiras, ás 9h inicia o desfile temático, 12h tenm almoço e as 16h concurso de trovas e àss 16h30min show com Luiz Marenco – informa

Para saber mais sobre o Roteiro Rural em Novo Hamburgo acesse o site www.novohamburgo.rs.gov.br.

Áudio Campo e LavouraBairro na zona rural de Novo Hamburgo oferece opções de lazer e cultua tradição gaúcha