Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Lendas e belezas naturais são atrações no Salto do Jacuí

09 de novembro de 2011 0

origem do nome do município é indígena e também se deve à cascata de águas chamada de Quedas do Salto Grande no rio Jacuí. A cidade possui raras belezas naturais, muitas delas relacionadas ao próprio rio que corta o seu território no sentido norte-sul.

- Temos o saltinho onde fica a reserva indígena Guarani que também é bastante visitada. Eles tem artesanato, dança como cultura – afirma o secretário de Turismo de Salto do Jacuí, Flávio de Jesus Nogueira, se referindo a dois pontos turísticos do município, a Reserva Indígena Guarani, onde vivem 45 famílias Mbyá Guarani, e a Cascata do Saltinho.

Segundo o secretário, o Salto do Jacuí faz parte do Rota das Terras que é composto por 17 municípios. Flávio cita ainda outras atrações que os turistas podem encontrar na região.

- O Salto do Jacuí tem vários eventos como a Romaria de Nossa Senhora dos Navegantes que é no Balneário da Barragem Maia Filho. Temos o Moto Acampamento, que acontece dias 16, 17 e 18 de dezembro. Temos o Moto Cross, a Moto Náutica, rodeios – informa.

A energia gerada no município corresponde a cerca de 27% do total produzido pela CEEE. São duas usinas hidrelétricas em seu território, a Usina do Passo Real e a Usina Leonel de Moura Brizola, no Bairro CEEE. Os complexos também representam áreas turísticas.

Muitas lendas contribuem para aumentar ainda mais a magia da região. Uma delas, muito famosa, é a do Minhocão que possui diversas versões e a principal delas é de que o bicho ficou brabo com as obras da Barragem do Passo Real. A partir disso ele aparece para os pescadores e às vezes os derruba do barco. Também tem a lenda da Janela do Padre.

A professora e escritora Clara Montanhér conta que o Rio Jacuí possui um trecho bastante acidentado com grandes paredões e na margem direita existem muitas cavernas, algumas até inacessíveis, e que uma delas poderia ser a Janela do Padre.

- Dizem que quando os índios missioneiros, os jesuítas, quandos as missões foram destruídas, eles pegaram os tesouros que podiam carregar e foram vindo, só que esbarraram no rio. Como não puderam atravessar teriam enterrado esses tesouros nas margens. E nessa janela do padre dizem que tem uma mulher de branco na entrada da caverna e quando alguém passa ela acena e convida para entrar. Só que a pessoa que entra sente arrepios, as velas se apagam – relata.

Segundo a professora, a comunicação com essa janela seria através da árvore conhecida como UMBU que tem raízes grandes e ocas e fica em uma fazenda próxima ao rio.

Em seu livro, Clara faz um resgate da história dos primeiros habitantes da região e relata como a cidade mudou sua economia. A região que era apenas focada na agricultura e pecuária se transformou também em geradora de energia.

Para saber mais sobre o turismo no município localizado na região do Alto Jacuí acesse o site www.saltodojacui.rs.gov.br.

Áudio Campo e LavouraLendas, balneários e jazidas são alguns dos atrativos turísticos em Salto do Jacuí

Envie seu Comentário