Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Você já teve uma segunda chance na vida?

19 de outubro de 2011 15


A novela A Vida da Gente traz o tema da segunda chance. A atriz Fernanda Vasconcelos sofre um acidente e fica em coma. A família se une para ajudá-la na recuperação. E você já viveu uma experiência de recuperação de uma doença grave, ou uma nova oportunidade no trabalho e ou até mesmo no amor, que mudou sua vida?
Conte pra gente. Aqui no  nosso blog www.rbstv.com.br/santarosa  você pode contar em até 10 linhas a sua história. A mais emocionante será mostrada aqui no JA e o vencedor irá receber um kit especial.
Entre em comentários e faça seu post.
Obrigada!


Comentários (15)

  • Elisete Camargo Diel diz: 19 de outubro de 2011

    Tudo começou no dia 07/03/2010, eu estava grávida e o bebê não estava mexendo, no dia 08/03/2010 consultei e o coração do bebê estava parando, o médico mandou urgente para o hospital fazer cesárea, foi as 18h13min que nasceu o Gabriel, mas o médico não o colocou em mim que seria o normal, levou para limpar e fazer os procedimentos de um RN. Depois foi ao berço aquecido qdo não parava de gemer e eu sem conhecer meu filho. As 23h foi levado para UTIP em coma induzida e entubado, depois de 24h com muita insistência do pai, o médico veio nos dizer que tínhamos que esperar 72h para ver como ele respondia ao pneumotórax q havia dado nele e ficou assim por 7 dias, só depois foi tirado os aparelhos aos poucos, e foi no dia 19/03/2010 q deu alta hospitalar, muito bem e salvo pelas GRAÇAS DE NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS e a fé em DEUS. Foi uma aflição estes dias pois estava lá sem se mexer e qdo saiu do hospital, o Gabriel renasceu…

  • NARA diz: 19 de outubro de 2011

    Segundas chances a gente tem toda hora, de viver, de corrgir erros, de a cada amanhecer reformular um novo começo… nossa família viveu há poucos dias, uma história parecida como a de Ana de “a vida da gente”… estávamos todos bem felizes… organizando uma cavalgada na semana farroupilha… e num amanhecer de domingo, numa volta de baile, nosso primo Evandro, de apenas 18 anos, sofreu um grave acidente de moto em Alecrim… nunca vi, tanta gente em frente ao Hospital de Santa Rosa, Uti… por vários dias! 30 dias mais especificamente… se passaram momentos horríveis, de muita desesperança, e tristeza, a cabeça tinha sido fortemente afetada… e como nos disse o médico…”é como quando a gente joga uma melancia no chão, o miolo se sacode dentro” isso aconteceu com ele… Evandro, um primo muito querido, por uma família muito grande… lutou, lutou, foi forte como sempre fora na vida, passou muita dor assim como todos nós… e no 30° dia nos deu a alegria de sair da UTi, mais dias horríveis viriam, pois como lidar com um paciente assim… dependendo da mana dele prá tudo… se revela aí, uma grande vencedora, a Lisiane, irmã do Evandro, que esteve com ele, nos 30 dias, não perdeu um horário de visita na UTI… e esteve ao lado dele no dia que ele se movimentou pela primeira vez novamente, e conseguiu levantar a mão da Lisiane até seus lábios e lhe dar um beijo de agradecimento… não há como não chorar num momento desses… foi incrível… percebemos ai, nossa segunda chance, de termos ele de volta, como sempre foi, lindo, forte, sorridente, e “piadista” como ele é conhecido pelos familiares, pois conta uma piada como ninguém, e prá nós aquilo ali era uma piada..ver uma pessoa tão radiante, imóvel daquele jeito, só podia ser piada… mas graças a Deus, temos ele de volta, se recuperando lentamente, adaptado a sua realidade, adaptado ao seu mundo novo, adaptado novamente á vida, pois como ele disse: “to voltando aos poucos”, com voz ainda embargada, e fraca, pois sua luta ainda não terminou… és guerreiro, um lindo garoto, tanto por fora como por dentro.. e precisamos de ti, por isso voltou e por isso com nós vai permanecer! só não posso chorar mais, pois ele tem uma frase pronta quando a gente fala dele, ou começa chorar perto dele… ele fala: “chega… chega…” é assim a vida, cheia de sustos e alegrias, mas sempre com oportunidades de nos deparar com segunda chance, de viver. bjos á todos familiares e amigos que estiveram conosco nessa luta, rezando e torcendo muito…

  • Abdul Nasser diz: 19 de outubro de 2011

    Tinha 14 anos e morava no Líbano, e numa noite resolvi acompanhar alguns amigos que estavam caçando passarinhos a noite, e poucos minutos após pegar a lanterna ouvi gritos e 3 tiros, cai no chão e senti uma dor profunda, e ao tentar levantar percebi que meu braço estava quebrado, andando um pouco descobri que também tinha levado um tiro na barriga. Ao chegar ao hospitar, já estando sendo preparado para a cirurgia, presenciei uma conversa na sala espera, na qual eles alegavam ao meu pai que meu estado era muito grave e que dificilmente eu sairia vivo.
    Acordei 2 dias após, e tive que ficar mais 7 dias no hospital. Alguns anos depois comecei de ter lampejos de lembranças dos momentos em que estive incosciente, e após trabalhar com hipnose essas imagens, descobri que tive uma segunda chance para comprir minha missão, motivo este que me fez largar minha profissão e me dedicar a cursos, palestras, livros, programas na tv e rádio…

  • Selmar Alberto Vogel diz: 19 de outubro de 2011

    Aconteceu aos meus 15 anos, hoje tenho 45, tive uma doença pulmonar e não fui ao médico por achar q seria uma gripe, mas eu sabia que era coisa mais grave devido a tosse muito forte e sangramentos que escondia das outras pessoas por uma semana inteira , a mãe veio ao meu quarto e me viu num estado muito grave , mas na época era muito dificil o acesso ao médico, mas acabei ficando sozinho em casa naquela tarde,a mãe foi á igreja, lembro q chegou uma hora que acabei me entregando, lembro perfeitamente que ´meu corpo ficou sobre a cama e eu levantei ficando de pé em frente ao meu corpo na frente da cama, estendi meus braços em minha própria direção e comecei a levitar bem lentamente, nisso a mãe voltou e me chamou, porém eu não conseguia responder devido a transição que estava acontecendo comigo, lembro que minha “alma” ficou em dúvida naquela hora, se iria partir ou voltar ao corpo. A mãe vendo que eu nao respondia arrombou a porta do quarto e entrou me vendo praticamente sem vida, mas ao ver a porta sendo arrombada a “alma” resolveu voltar ao meu corpo como num passe de mágica…. jamais esquecerei esse fato, desse instante em diante comecei a melhorar e no outro dia já estava de pé. Foi nessa passagem que eu acredito que tive a segunda chance…

  • Graciela Gerhardt diz: 20 de outubro de 2011

    Há 4 anos, no dia 21/10/2007, sofri um acidente de moto, sofrendo um TCE. Tive uma leve e maravilhosa sensação de sair do meu corpo, de ver as pessoas que estavam comigo naquele momento desde o hospital e a cirurgia. Vi toda minha família, passei pelo tunél até chegar a LUZ. Algo realmente sem explicação. Fiquei em coma, e ao acordar, nem minha família conhecia. Os momentos do hospital foram realmente desesperados, pois não lembrava de nada, até minha consciência voltar. Foram momentos muitos difíceis. Mas, o que relamente me marca até hje, foi a passagem pelo túnel, as conversas dos médicos, de meus familiares enquanto estava em coma, lembro de tudo, mas estava desacordada, algo muito bom, a tranquilidade é boa.Hoje ainda lembro momentos antes do acidente, e como realmente ele aconteceu. Médicos, Psiquiatras, religiosos, cada um tem a sua explicação, mas para mim a chegada até a LUZ e a decisão de passar para o outro lado ou não, é algo tão forte, e a escolha é decisiva. Hoje compreendo que a minha missão é tão grandiosa, e são poucos que recebem essa segunda chance de Viver. Vivo com Fé, e com essa maravilhosa sensação de que sou Especial. E aos poucos minha missão vou cumprindo, com dedicação e justiça. (Graciela Gerhardt – Acadêmica de Direito)

  • Elineide Schorr Maciel diz: 20 de outubro de 2011

    Tinha 27 anos, estava tão feliz com o final de minha faculdade que seria em agosto de 2006, Licenciatura em Biologia. Quando no dia 01 de julho de 2006, num sábado tudo ocorendo maravilhosamente durante o dia, ao lado de meu grande amor. Eu morava com meus tios. Naquela noite saímos eu e meu namorado para jantar quando retornamos pedi para que ele posasse comigo, ele não costumava posar, mas naquele dia insisti para que ficasse era quase meia noite quando fomos dormir. Deus deve ter feito ele ficar, porque as 3 e pouco da madrugada ele escutou eu o chamando, onde o chamava por amor mal ele conseguia escutar minha voz achou que estava sonhando mas quando ele realmente acordou sentiu minha falta e foi naquele momento que me achou quase sem vida ja não conseguia mais falar nada estava ajoelhada perto de um balcão onde ele me pegou e colocou-me deitada e assim correu para o quarto de minha tia para pedir ajuda pois maravámos no quarto andar e o prédio não possuia elevador. Quando voltou eu estava desmaiada foi ai que ele no desespero me arrastou até as escadas assim que chegou nas escadas começou a fazer respiração boca a boca e massagens cardíacas quando minha tia chegou dei um grande suspiro e apartir dai nem pulso ele conseguia sentir. Os dois me pegaram e desseram escadaria abaixo 4 andares comigo no colo, chegando na calçada me largaram e meu grande amor saiu correndo em busca de um carro, ia passando uma saveiro e ele jogou-se na frente pedindo ajuda, um casal que não fiquei sabendo quem eram me socorreram.Quando cheguei ao hospital estava sem respirar tive que ser reanimada com os soques 3 vezes fizeram o procedimento e quando reanimei minha pressão voltou a 23 por 16 os médicos falaram que seria difícil reverter o caso só por DEUS . Meus pais moram no interior de Dezesseis de Novembro e eu resido em São luiz Gonzaga, minha tia os avisou que eu tinha internado mas não contou a real situação para não procupa-los pois teriam que viajar de madrugada, quando chegaram meu namorado estava em prantos pois achava que eu não voltaria mais meus pais quando viram aquela sena acharam que eu teria morrido…Mas graças a Deus tudo voltou ao normal depois de horas e horas tentando controlar a pressão e me acalmar, lá pelas 7 da manha foi constado nos exames que não tinha ficado nenhuma sequela . Isso aconteceu no sábado de madruga e eu só fui acordar na segunda pela manha, não sabia onde estava e nem o porque, não lembrava de nada do que se passara comigo.Quem relatou tudo amim foi meu namorado, meus tios e meus pais.È…..a vida sempre nos da um segunda chance ….temos que aproveitar…. Não tenho palavras para agradecer o fizeram por mim ,agradeço do fundo do meu coração a meu namorado Cesar, meus pais Heraclides e Maria Inês, minha irma Andiara e meus tios Bernadete e Mário e é claro em ESPECIAL AO BOM E GRANDE DEUs….

  • Ariane (aHrii) Pazze =D diz: 21 de outubro de 2011

    Nem sempre estamos preparados para as situações de nossos dias. Nem para situações boas, imagine as ruins…
    O começo de minha vida foi uma verdadeira surpresa!! Papai e mamãe não faziam ideia que estava eu a caminho…Surpresa quando nasci, quando cai aos 4 anos com a boca na escada…E depois aos 7, quandoo a curiosidade vai parar no hospital…afinal, o que é que eu tava procurando embaixo da placa da moto da vizinha???Se eram 13 pontos na cabeça, então achei!!Quanta aventura, e como dizia o pai “Quanta arte!!” Fui crescendo e aos poucos dando mais e mais surpresas… Quando consegui meu primeiro emprego, que alegria essa conquista! Conquista esta que com o tempo foi ganhando reconhecimento. Com esse reconhecimento, lá veio outra surpresa!! Gerenciar uma das lojas da Rede Amiga, o que significava morar em outra cidade, sair de casa e começar a “tocar a vida”. Lá estava eu, tocando a vida. Como morar longe de casa dá saudade, acabava eu, por visitar minha família aos finais de semana. Todos eles com longos passeios de ônibus, mas todos tranquilos, até que veio outra surpresa! E Se bem que essa última não foi das melhores.. Que pai e que mãe, estão preparados pra atender um telefonema de um hospital por volta das 23h e receber um chamado que “Solicita-se com urgência os familiares de Ariane Pazze no Hospital Vida e Saúde” ?? A urgência era por conta de um acidente que fui envolvida há exatamente 1 ano e 8 meses. Acidente que aconteceu quando trafegava na RS-344 sentido Santa Rosa, em uma moto, para posteriormente pegar um ônibus de volta a cidade que trabalhava. Foi então, que por volta das 22h e 20 min do domingo, um caminhão bi trem de transporte de leite, vinha no sentido oposto, acabou abalroando a moto que pilotava. Caída no chão sem dores, acordei não sabendo o que acontecia, até que gritos de apavoramento vindos da direção do caminhão, me fizeram perceber que era um acidente, e o pior que era comigoo!!Enquanto aguardava o socorro, muitas pessoas pararam, e uma delas tocando minha fronte, perguntou com uma voz muito suave, ” Você aceita o Senhor Jesus Cristo como Teu único Salvador?” Respondi que sim, e a voz complementou ” Então você será salva!” A situação toda, era grave. Cheguei no hospital com uns 5% de sangue.(Acho que por isso era tãão urgente!!hehe). Fui encaminhada ao bloco cirúrgico. Enquanto isso, minha mãezona, chegava ao hospital e sem saber o que havia acontecido, saiu um dos Médicos de dentro do bloco cirúrgico “Onde estão os parentes da menina?? Estamos perdendo ela! Onde estão?!” Que surpresa outra vez! A mãe deu um passo a frente apresentando-se como tal, e ele explicou: ” O acidente foi muito violento, a menina, teve lacerações no braço e perna esquerdas, precisamos da autorização pra amputar.” Para evitar que isso acontecesse, a mãe queria levar pra outro hospital, com maiores recursos. E o médico com muita precisão disse com todas as letras ” Se ela chegar na porta desse hospital, ela morre! Precisamos cortar agora, ou ela morre!” E assim foi feito. Com muita coragem, ela autorizou a amputação. Depois da looonga cirurgia, fui fazer um passeio na UTI do hospital, passeio esse que durou um meio mês! Ao acordar, já na dona UTI, no meu lado direito estava a mãe, e no esquerdo uma enfermeira. Olhando pra ela, a primeira coisa que perguntei “onde ‘tá’ minha perna??!” Obtive como resposta, um entre-olhares da enfermeira pra mãe e da mãe pra enfermeira. Depois disso, um longo choro desesperado tomou conta de mim. O que eu não conseguia entender, era que de repente eu, que tinha tudo em ordem, de um segundo pra outro, não tinha mais. Os dias passavam e eu ali, parecia que só o que eu sabia fazer era chorar pensando no que iria fazer da minha vida. Se o mundo já tem tantas impossibilidades para aqueles que tem os 2 braços e as 2 pernas e uma cabeça inteira, o que sobrava pra mim??!! Depois de várias batalhas contra infecções e instabilidade de pressão, sai do hospital. Já me contava mais feliz, pois o tempo que pensava, me dei conta de que as impossibilidades que a vida me traria, não seria possível passar por elas tão somente se EU não quisesse. Travei meus objetivos a minha reabilitação. Em menos de um ano, já estava fazendo fisioterapias. Durante este tempo, o apoio da família e dos amigos foi como meu trampolim. Mal esperava pra que mais uma vez pudesse andar! Coloquei as próteses e determinei a mim mesma, que em pouco tempo teria de soltar as muletas! Hoje, recuperada e andando novamente, digo que Deus deu-me outra oportunidade.
    Aprender a recomeçar, superar minhas próprias limitações, me virar com apenas uma mão, conviver socialmente, caminhar com uma prótese, iniciar a faculdade. Cursando Direito ainda sonho em ser Juíza! Além disso virei realmente o que meu pai já sabia desde que eu era criança: Arteira!! Entre as folgas dos estudos, pinto telas. Descobri que fazer Arte é realmente muito bom! Beijos genteem, e não esqueçam:
    Nunca permita-se pensar que você não é capaz de algo. Se tens um objetivo, tem de correr atras dele. Aqueles que te apoiam, vão aparecer e aqueles que te julgam também. Saiba sugar as coisas boas de cada situação. Há sempre algo a aprender. Porque a vida é uma eterna surpresa! Aproveite as suas.

  • Izaias diz: 21 de outubro de 2011

    Olá pessoal, meu nome é Izaias, sou militar e moro em São Luiz Gonzaga/RS,minha história de segunda chance foi quando eu e minha família chegamos de Porto Alegre para morar em São Luiz (sou casado e tenho dois filhos), meu casamento em crise e eu com apenas trinta anos de idade já alcoólatra, me envolvia em muitas confusões, brigas, acidentes de trânsito e ocorrências policiais, etc. As brigas familiares aumentaram e eu e minha esposa resolvemos nos divorciar, foi quando meu irmão me convidou para ir num Culto Evangélico na cidade de Rosário do Sul, fui meio contrariado e lá não me senti muito à vontade, mas foi lá que Jesus Cristo falou comigo e me deu uma segunda chace, aceitei a Jesus como meu único e suficiente Salvador, já em São Luiz mal conversava com minha esposa, quando ela me chamou para irmos no cartório fazer o divórcio, mas eu a convidei para ir à Igreja e ela se surpreendeu mas aceitou e tbém me deu uma segunda chance. Hoje nossa vida é totalmente diferente, já estamos a cinco anos seguindo os caminhos designados pelo Senhor Jesus, todos os sábados eu realizo um trabalho de Evangelização no Presídio Regional de São Luiz Gonzaga, minha esposa uma vez por semana realiza visita e oração pelos enfermos baixados no Hospital São Luiz Gonzaga, minha filha que já está com treze anos de idade, participa do Coral dos Jovens de nossa Igreja e meu filho que está com seis anos, participa da escola dominical e do Coralzinho das crianças da Igreja Evangélica Assembléia de Deus aqui de São Luiz Gonzaga/RS, tudo graças ao nosso Deus Todo Poderoso!!!

  • Daiane Muller diz: 21 de outubro de 2011

    Dia 22 de Novembro fara um ano que meu filho Kauã Henrique de 3 anos ,sofreu um acidente pegou numa estenção de luz e tomo um choque .
    Quando o levei para o hospital estava desacordado devido uma parada cardiaca , os medicos ficaram cerca de meia hora reaniimando Kauã ,os medicos não deram chances dele sobreviver e foii mandado em estado grave para o hospital Santa Terezinha de Erechim ,onde permaneceu por 3 semanas na CTI ,ficou 1 semana em coma e graças a Deus se recuperou ,ficou com algumas sequela esta em acompanhamento na APAE de
    Três Passos.

  • Guerti Griger Turra diz: 21 de outubro de 2011

    Há aproximadamente dois anos, fui hospitalizada com sintomas diagnosticados relativos ao fígado, com decorrer dos dias o estado de saúde foi se agravando, via no rosto das pessoas a percepção de que meu estado não era nada positivo. Foi quando os médicos tiveram a percepção do nível em que estava meu estado de saúde, expondo que infelizmente meus órgãos estavam gradativamente paralisando. Imediatamente fui encaminhada para o Hospital de Passo Fundo, onde passei por uma vasta bateria de exames. Posteriormente passei por uma delicada cirurgia para diagnosticar o que estava ocorrendo. Não existia mais a possibilidade de uma boa noite de sono, estava com inchaço no corpo. Quando sozinha sentada em uma maca, rezava encarecidamente pedindo a Deus que me ajudasse e que acampasse anjos ao meu redor, e que utilizasse o Dr. Paulo Reichert meu medico como guia na Cirurgia. Até o momento do coma, não imaginava que meu estado de saúde fosse tão grave, mas eu possuía muita confiança e uma vontade de viver inimaginável. Na cirurgia tive que ser encubada em decorrência de uma parada cardíaca, neste acontecimento me foi alocado um dreno pulmonar e seguida a indução ao coma foi consequência.
    Uma semana em coma. Única lembrança que jamais esquecerei que estava em um quarto espaçoso com mais pessoas, onde havia um imenso clarão, eu via um Homem de Branco e este passava por mim rápido demais como um vulto, parecendo voar buscando as pessoas em que estavam comigo no quarto. Eu queria ir junto, bastava me alcançar a mão, foi quando ele olhou para mim sorriu e balançou a cabeça acenando que não! E não tenho mais recordações, foi tão marcante que posso sentir e jamais esquecerei.
    Quando acordei fiquei dois dias sem voz, e permaneci por mais vinte e dois dias na CTI. A cada dia que se passava esperava meu médico, para em bom tom e com sorriso iluminado no rosto dizendo que eu já estava bem e pronta para voltar para minha família.
    Os médicos relatavam que me sobressai perante a situação, que ficavam impressionados com meu sempre positivismo, força de vontade e fé que tenho em Deus.
    Foram quatorze dias sem pelo menos beber água e dormir. Agradeci a Deus quando novamente pude beber água, e falava baixinho para ele que eu iria contar minha experiência para inúmeras pessoas como uma lição de vida.
    Como conclusão tive minha vida de volta, junto a minha família e um laudo que um vírus se instalou na válvula do Coração. Os médicos não tinham informações precisas para este fato, só me afirmavam que nasci novamente.
    Hoje sinto me feliz e privilegiada por Deus me dar mais uma oportunidade aqui, e superar tudo de cabeça erguida e hoje valorizando muito mais as pessoas ao meu redor. Sei que igrejas inteiras rezaram por minha melhora, agradeço realmente de coração a tudo e a todos que por mim rezaram e confiaram em Deus.
    Sem fé e sem amor nada podemos ser!
    Sou Guerti Griger Turra – Horizontina – RS, 43 anos, Casada – 2 Filhos.

  • marcio leandro bombardieri diz: 21 de outubro de 2011

    Já nasci dando o que falar…superei uma infecção generalizada aos tres dias de vida. sobrevivi, mas meu cerebro sofreu uma pequena lesão, que faz com que eu seja, digamos um pouco diferente das outras pessoas, mas até ai tudo bem. pois ser diferente hoje em dia é normal. O fato é que comecei a ter toturas e mal estar durante minha adolecencia e todos pensavam que era por causa da tal lesão, que pena, não era…
    EM UMA MANHA DE DOMINGO SENTI DIFICULDADE PRA CAMINHAR…E AO MEIO DIA JÁ ESTAVA TOTALMENTE SEM MEXER AS PERNAS.
    O DIAGNOSTICO VEI NA PUC EM PORTO ALEGRE ” ESCLEROSE MÚLTIPLA” AOS 19 ANOS DE IDADE.
    O MÉDICO DISSE… NÃO SE PREOCUPE ESCLEROSE NÃO MATA.
    MAS MINHA ESCLEROSE MÚLTIPLA SE TORNOU SEVERA. NÃO DEU TREGUA, TINHA SURTOS DE PERDA DE MOVIMENTOS A CADA SEMANA, FUI ORIENTADO A CONSULTAR EM SÃO PAULO, QUANDO CHEGUEI LÁ SOFRI UM SURTO NO BULBO.
    COMO SOFRIA RISCO DE MORTE A QUALQUER MOMENTO, FUI INTERNADO AS PRESSAS E PASSEI POR UM TRANSPLANTE EXPERIMENTAL DE CÉLULAS TRONCO QUE SÓ É REALIZADO EM 4 PAISES, UM DELES BRASIL.
    FIQUEI LÁ DURANTE 4 MESES. FIZ QUIMIOTERAPIA E PASSEI POR MUITAS PROVAÇOES. EMAGRECI 30 QUILOS.

    FIQUEI TOTALMENTE SEM MOVIMENTOS, MEXIA APENAS UM POUCO O PESCOÇO E CONSEGUIA APENAS ME ALIMENTAR COM LIQUIDOS. OS MEDICOS CONCORDARAM EM ME COLOCAR NO EXPERIMENTO…
    SOBREVIVI..RENASCI…
    AO VOLTAR PRA SANTA ROSA JÁ HAVIA RECUPERADO QUASE TODOS OS MOVIMENTOS E HOJE ESTOU SUPER BEM. SEI QUE FORAM FEITAS MUITAS CORRENTES DE ORAÇÃO E ISSO FOI O QUE ME SALVOU.
    QUANDO ESTAVA INTERNADO LEMOS MUITO SOBRE ESPIRITISMO EM BUSCA DE UMA RESPOSTA, EM BUSCA DE FÉ E ALIVIO DE DORES. TIVEMOS A IDEIA DE FAZER DESENHOS DO QUE GOSTARIA QUE ACONTECESSE. É HOJE ÉSSA É MINHA VIDA, BRINCAR COM MEU FILHO, ESTAR COM MINHA FAMILIA E TRABALHAR FAZER MASSAGENS PRA PROPORCIONAR BEM ESTAR NOS OUTROS, PARA AGRADECER A DEUS O BEM QUE EU RECEBI. CONHEÇA MAIS NO BLOG http://www.marcioleandrobombardieri.blogspot.com

  • Ângelo Fernando Sichinel diz: 22 de outubro de 2011

    O GALHO DA ÁRVORE FRUTÍFERA MANGA, SALVOU A MINHA VIDA
    Ao descarregar um tapete da sala em uma mudança, o mesmo grande e pesado, enroscou num galho de manga(fruta), (o caminhão ficou parado embaixo do mesmo)eis que apareceu uma fratura na coluna, resultado: câncer maligno na medula óssea, compressão da medula espinhal, perda dos movimentos dos membros inferiores, cadeira de rodas, hoje caminho com sequélas nas pernas, ando de bici, consigo bater bem na bola com os pés, fiz a tipagem de medula em Porto Alegre, entre três manos deu 100% compatível com minha mana, mas a médica em Porto Alegre disse-me que não é mais necessário fazer o transplante porque estou muito bem. Se não fosse o bendito GALHO, até hoje estaria com câncer sem descobrir a existência do mesmo devido não sentir dores EU QUERO, EU POSSO, EU CONSIGO! Este comentário foi para o mundo todo ficar sabendo através do site IMF MIELOMA, inclusive foi postada uma foto minha Anteriormente relatei que já havia saído do meu corpo após cirurgia em 1971, eu com 11 anos, retornei ao meu corpo após uma enfermeira colocar água na minha boca, mesmo sabendo que eu iria morrer, acabei retornando para o meu corpo físico, a sensação foi maravilhosa, fiquei um metro e meio flutuando vendo todos que alí estavam, até retornar ao meu corpo físico (Sumiu o meu comentário sobre esse acontecimento. NA VIDA TEMOS UMA ÚNICA OPORTUNIDADE DE MORRERMOS SEM SER POR VELHICE, CREIO QUE PASEI!!! 55-91014128

  • Jardel Sausen diz: 22 de outubro de 2011

    Em maio de 2011 eu e minha esposa descobrimos que estávamos “grávidos”, muita felicidade… fizemos os primeiros exames e descobrimos que minha esposa estava desenvolvendo uma gravidez tubária, onde o embrião se desenvolve nas trompas. A única solução para este tipo de caso é a cirurgia para retirada deste embrião. Procuramos uma segunda opinião e a resposta foi a mesma. Urgentemente marcamos a cirurgia e no mês de junho foi feita a cirurgia.
    a cirurgia correu bem, minha esposa se recuperou normalmente e seguimos a vida, tristes, mas seguimos em frente. Um mês depois minha esposa foi ao médico para fazer a revisão da cirurgia e ao fazer a ultrasonografia, lá estava nosso pequenino, crescendo firme e forte! A emoção foi enorme! Procuramos explicações e o médico disse que ao abrir n ão encontrou nada e resolveu aguardar e não nos contar para que não ficássemos com falsas esperanças. Mas graças à Deus deu certo e nosso pequeno teve uma segunda chance!
    Hoje nosso pequeno Matheus está crescendo saudável na barriga da mamãe e em fevereiro virá ao mundo. Até hoje, até mesmo os médicos dizem que foi um milagre isto ter acontecido. JARDEL SAUSEN – CERRO LARGO/RS

  • omilton diz: 24 de outubro de 2011

    Em 1997 eu trabalhava durante todo dia e a noite cuidava de minha mãe que estava muinto doente, foi quando eu fiquei muinto doente bastante debilitado fui hospitalizado com muita febre e door de cabeça, os dia forão passando e os medicos não descobriam as causa da doença, mais de 10 dias e nada de melhorar , foi quando em conversa com meu irmão os medicas disserão para levar para Porto Alegre ou Santa Maria, foi quando foi autorizado a fazer uma cirurgia , nada encontrado foi feichado para esperar o outro mundo foi quando eu apaguei e quando votei eu tinha vomitado ,segundos mais tarde foi quando eu vi uma luz e muinto verde e apareceu Deus, foi qundo eu disse senhor o senhor me deu uma missão que são meus sobrinhos filhos gemios prematuros para mi cuidar e agora não poderei comprir foi quando veio a resposta voçe vai ficar e vai comprir , após este dia eu fui melhorando dia a dia e esta foi a minha segunda chance que recebi de Deus. desculpe os erros.

  • Leticia do Carmo diz: 26 de outubro de 2011

    Aos 16 anos tinha passei no vestibular de Medicina e logo em seguida foi descoberto uma doença em meus olhos que me tirou a visão quase que por completo, enxergando cerca de 5% no total. A vida perdeu o sentido, a revolta foi imensa, mas não tinha o que se fazer.
    Mas passados 8anos surgiu uma técnica nova para tratamento da minha doença na visão (CERATOCONE), porém por eu ter outros problemas de saúde isso não era possível, foi ai que DEUS me deu UMA SEGUNDA CHANCE, nem um medico queria fazer o transplante devido aos riscos, mas DEUS tocou em um que fez os transplantes com muito sucesso.
    Ai pude voltar a estudar depois de 10anos, hoje sou formada BIOMÉDICA e sou grata a DEUS por poder ver o mundo novamente, pois só quem ja perdeu a visão sabe como a vida perde um pouco do seu sentido e graça se não podemos contemplar o todo ao nosso redor.

Envie seu Comentário