Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Cinque Terre, mais um paraíso italiano

09 de junho de 2008 3
Amigo de infância, Jorge Chini partiu na semana passada para a ITÁLIA (e para outros países dos quais não lembro agora).


Do roteiro pela terra dos nossos bisavós, Jorge ressaltou a ida a CINQUE TERRE. Espero que ainda não tenha chegado lá e, se tiver tempo, acesse o blog (não sei quanto a você, mas eu só acesso a Internet, em viagens, em caso de última necessidade, para não perder tempo e desfrutar o mundo que me espera lá fora).

Bom, querido Jorge, eu não fui a Cinque Terre, mas, como diria o apresentador Silvio Santos, minha amiga Alessandra foi e contou maravilhas. Meu colega de Zero Hora, o premiado fotógrafo Tadeu Vilani não só foi e contou maravilhas como escreveu um texto e mandou fotos.

Acho que a foto não precisa de legenda. Basta dizer que trata-se de Manarola. Foto: Tadeu Vilani

Antigamente, os cinco vilarejos da Ligúria só eram alcançados por mar (a maior cidade próxima é Gênova, a 130 quilômetros). Hoje existe a opção de fazer o trajeto a pé (pelo chamado Sentiero Azurro, a Trilha Azul) ou de um outro jeito, que o próprio Tadeu descreve. Veja lá o que ele diz:
“Envio estas fotos da famosa região de Cinque Terre. São cinco pequenas vilas debruçadas sobre a costa da Riviera di Levante, na região da Ligúria, província de La Spezia: Monterosso al Mare, Vernazza, Corniglia, Manarola e Riomaggiore.

E esta é mais uma das Cinque Terre, Vernazza. Foto: Tadeu Vilani



Fica-se sem fôlego, não só pela beleza, mas por ser necessário preparo físico para percorrer os encantos dessas pequenas jóias, que competem em beleza com o azul do mar e o sol que generosamente emoldura cada recanto, incluindo os “terraços” onde são cultivados os vinhedos, alternados com plantações de oliveiras.


Se não quiser fazer o trajeto a pé, há um trem que liga os cinco vilarejos, facilitando a vida de quem não for adepto do trekking e não quiser percorrer a trilha de 11 quilômetros que os interliga.


O bom é fazer pausas, parar em cada uma, sentar em um restaurante e aproveitar os frutos do mar, acompanhados dos famosos vinhos da região, o Cinque Terre (vinho branco seco) ou Sciatcchetrà (licoroso). Se preferir ganhar tempo, compre pedaços generosos de pizza e sente-se no caminho apenas observando a beleza do mar.



A cor da água é impressionante. Foto: Tadeu Vilani

Percorrer o Parque Nacional de Cinque Terre, é um privilégio que compensa todo o esforço, principalmente na  trilha de Riomaggiore a Manarola, a chamada Via Dell’Amore, e que desde 1997 é declarada pela Unesco como Patrimônio da Humanidade.”


Para mais informações:


Postado por Rosane Tremea

Comentários (3)

  • Alessandro David Andreini diz: 12 de junho de 2008

    As “Cinque Terre” são simplesmente uma MARAVILHA. Sendo italiano, recomendo a visita a quem vai por lá. Obrigado à Rosane por divulgar este cantinho, ou melhor, estes cantinhos do mundo que, infelizmente,fora da Itália são pouco conhecidos.

  • Rosane Tremea diz: 16 de junho de 2008

    Obrigada pelo comentário, Alessandro. Aproveita e manda tuas dicas sobre a Itália também. Abraço.

  • JORGE LUIZ CHINI diz: 30 de junho de 2008

    Querida Rosane.
    voltei.
    Fiz o roteiro dos sonhos neste período de 16 dias de férias. Cinque terre supera qualquer descrição possível. É simplesmente fantástica. Fui de barco e voltei pela ferrovia, caminhando em todas as “cinque”. não por acaso é considerado patrimônio da humanidade. Vou selecionar umas fotos e colocar no teu blog. No roteiro passei por Veneza. Cruzei os Alpes pelo Passo de San Bernardino. As paisagens são deslumbrantes, a 3000 metros de altura com neve.

Envie seu Comentário