Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Vancouver, bonita e acolhedora

13 de junho de 2008 2
Eu tinha passagem marcada para VANCOUVER, no Canadá, em setembro de 2001. Nem preciso contar o que aconteceu, mas lá vai: depois do 11 de Setembro, cancelaram-se vôos, todo mundo ficou com medo e eu também. Minha viagem de um mês de estudos de inglês foi para as cucuias. Nunca mais retomei.

Já a Roberta Pschichholz (não tente pronunciar o sobrenome), nossa repórter no Vale do Sinos, esteve lá entre abril e maio últimos, justamente num intercâmbio para aprender inglês. Veja lá o relato da Roberta:


Para todo lado que se olha, montanhas cobertas de neve. Foto: Roberta Pschichholz


Quando resolvi estudar inglês para valer, tinha duas coisas em mente: ir para um país onde o idioma tivesse o mínimo possível de gírias e que a viagem ficasse dentro do meu modesto orçamento. A resposta da agência foi imediata: vá para Vancouver, no Canadá.

_ Hein? Vancouver? Nunca ouvi falar dessa cidade!!!
Então, tratei de pesquisar e descobrir pessoas do meu círculo de amizades que estiveram por lá. Acabei vendo por minha conta: a cidade vale o investimento e a experiência é intensa, inesquecível. Por milhares de motivos. Talvez o principal deles, pelo menos pra mim, que gosto de puxar papo e me sentir acolhida, tenha sido a recepção dos canadenses. São, em sua maioria, ótimos anfitriões. Desde a família onde fiquei aos motoristas de ônibus, quase sempre dispostos a entender seu inglês “meia-boca” e lhe ajudar a chegar a seu destino.


Tulipas para todo lado na cidade. Foto: Roberta Pschichholz


A cidade que fica lá do outro lado do mapa, bem a oeste do país, vizinha ao Pacífico e aos Estados Unidos, reserva agradáveis descobertas. Primeiro, para onde quer que você olhe, tem montanhas cobertas de neve compondo a paisagem. Para quem adora uma plantinha, como eu, a segunda constatação é de encher os olhos: o povo de lá adora flores, principalmente tulipas. Estão por toda parte, em canteiros públicos e particulares. Sobre o clima, se parece muito com o nosso, com a diferença de que o frio é mais seco e mais frio.

Se você pensa em fazer compras, eletrônicos realmente valem a pena. Mas deixe para comprar roupas, calçados e perfumes nos outlet malls de Seattle, se você tiver visto norte-americano. O imposto lá é mais baixo (é 8%, enquanto no Canadá é 12%) e o passeio é superlegal. De carro, dá quase três horas. E é preciso cruzar os dedos para não pegar fila na alfândega, caso contrário, esteja disposto a gastar algumas horas para cruzar a fronteira.


Um rápido passeio pelo centro de Seattle é suficiente para você perceber que está num país diferente, mais politizado. Quando estive lá, em questão de uma quadra, cruzei com diversas manifestações. Um bando pedindo a legalização da maconha, outro protestando pelo impeachment do Bush, garotos fantasiados distribuindo “free hugs” e gente do movimento Free Tibet. Todos convivendo pacificamente.


O protesto antiBush em Seattle


Voltando a Vancouver, se você manja de inglês, sugiro um programa barato e muito divertido. Vá a Granville Island, bairro colado ao Centro que fica, mesmo, numa ilha e assista a uma apresentação da TheatreSports League (www.vtsl.com), de preferência, a que começa às 22h. São 90 minutos de riso certo com dois grupos de atores competindo para ver quem arranca mais gargalhadas do público. Tudo no improviso. Caso seu inglês não esteja lá essas coisas, é só você ir na onda da platéia e rir quando todo mundo rir.”


Postado por Rosane Tremea

Comentários (2)

  • Angela Maria Schmidt diz: 15 de junho de 2008

    Roberta
    Lindas fotos e comentários sobre Vancouver.As flores são realmente lindas. Deve ser uma cidade muito agradável.
    Adorei o jeitão daquela senhora fazendo o protesto antiBush em Seattle. Quando puderes conta mais. Abraço! Angela

  • Caroline Tremea diz: 14 de junho de 2008

    “Caso seu inglês não esteja lá essas coisas, é só você ir na onda da platéia e rir quando todo mundo rir.”
    Achei ótimo e as fotos lindas…

Envie seu Comentário