Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

O Salar Uyuni, na Bolívia

22 de dezembro de 2009 5

Leitor de primeira hora, o EVANDRO COLARES mandou fotos lindas de uma viagem pelo Salar Uyuni, lagunas altiplânicas e vulcões na Bolívia.

E um relato que pode ajudar outros viajantes nesta aventura. Confira outras fotos além das publicadas nesta terça no CADERNO VIAGEM de ZH.

Sobre o que fizemos nesta viagem. Já havia comentado anteriormente que eu e minha esposa apreciamos as viagens de carro. Então, o mote da expedição foi uma viagem de automóvel com destino ao Salar Uyuni, localizado no sul da Bolívia, no Departamento de Potosí.

Este salar é muito atraente por ser o maior do planeta, com área aproximada de 12 mil km2, e por estar numa região muito remota e selvagem do altiplano andino, cercado por áridos desertos, lindos vulcões e exuberantes lagunas.

Em outubro passado nós partimos de Porto Alegre na companhia de um casal de amigos em direção ao sul da Bolívia. A viagem até lá tomou 6 dias, incluindo no caminho uma passagem pelo centro/norte da Argentina (Províncias de Corrientes, Chaco e Salta), o Departamento de Tarija na Bolívia (região de acentuada influência espanhola, com vinhedos de altitude) e uma visita na famosa cidade de Potosí.

Escolhemos este período porque de abril até novembro é possível rodar sobre o salar, pois ele fica completamente seco. Nos demais meses forma-se uma lâmina d’água que impede esse trajeto. Foi uma sensação impressionante cruzar a imensa superfície plana de sal! O local mais visitado no salar é a Isla Incahuasi, toda recoberta por gigantescos cactus e situada bem no centro do salar (distante uns 70 quilômetros de sua borda). Chega a ser algo surrealista!

Da visita ao salar rumamos em direção ao sul para atravessar o Deserto de Siloli, onde visitamos lagunas altiplânicas coloridas, repletas de belíssimos bandos de flamingos. As paisagens são fantásticas e no trajeto nos deparamos com diversos vulcões, dunas, terrenos rochosos e outros salares. Mas o trajeto é bem difícil, à noite as temperaturas são negativas e o isolamento da região é assustador. É preciso gostar de aventura!

Terminamos a visita chegando na fronteira da Bolívia com o Chile, no Deserto do Atacama. Fizemos o retorno pelo noroeste da Argentina, descendo os Vales Calchaquies, nas províncias de Jujuy e Salta, mas esta foi uma viagem à parte, sensacional da mesma forma! No total, entre ida e volta, rodamos 6.400 quilômetros.

Por fim, Rosane, embora a nossa opção seja por viagens independentes, quem estiver interessado no Salar Uyuni pode viajar para a Bolívia e contratar as excursões de até quatro dias nas cidades de Uyuni, Tupiza ou Potosi. No meu blog eu deixei alguns links interessantes para o planejamento de viagens para a Bolívia.

http://viajandopatagonia.blogspot.com

Comentários (5)

  • Evandro Colares diz: 22 de dezembro de 2009

    Olá, Rosane! Como tu mesmo comentaste, leitor de primeira hora é assim, acessa o blog bem cedinho, hehehe! Ficou ótimo o post. Muito obrigado. Aproveito a ocasião para te desejar Feliz Natal e Próspero 2010! Um abraço. Evandro

  • Berna Reale diz: 2 de agosto de 2012

    Sou artista e gostaria de informações sobre o deserto de sal, alguém poderia me ajudar?

  • Leonardo Vianna diz: 17 de agosto de 2013

    Olá!
    Estou planejando a minha viagem de carro para a Bolívia e Peru. Vou pelo norte da Argentina (região que já conheço de outra viagem). Gostaria apenas de saber um pouco mais sobre as condições das estradas no salar.

Envie seu Comentário