Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Onde baixa o sol

21 de janeiro de 2010 1

Na virada do ano, meu colaborador ANDRÉ MAGS foi ao farol de Santa Marta (SC) e escreveu a “historieta” abaixo. Veja os textos e as fotos do André.

“Quando o sol baixa, é bonito em qualquer lugar. Se tem água ou neve para espelhar, melhor ainda. Ou montanhas, para fazer desenhos com a luz no relevo. Ou pernas de quem assiste ao fenômeno, pegas desprevenidas. Ou um farol.

É em um lugar como o Farol de Santa Marta que se pode tentar usar o isolamento para explicar o fim da violência, as festas com entrada liberada, a cerveja barata, as mulheres ótimas e a maconha dentro do bar ou à beira do mar.

Isolamento relativo é esse. Uma balsa no norte liga Laguna ao farol por uns cinco minutos e oito reais. Depois, meio que uma hora de estrada de chão batido e esburacado. No sul, tudo é melhor. Uma estrada asfaltada antecipa a de terra. Então surge o farol de 1891 no horizonte.

Tive um pressentimento de que a noite seria boa. As pessoas começaram a chegar depois da 1h ao Surf Paradise e ao Boikago. Aí, em meio às tigelas de açaí com granola, vi a menina de flor verde no cabelo. Ela era uma mistura de Rossy de Palma com Drew Barrymore. O vestido verde combinava com a flor de maneira comovente.

O sol se levantou e eu troquei a rede com vista para as ondas e os rochedos pela cama. Tem um porém nesse mundo do Farol de Santa Marta que é a galera escutar sertanejos em volume com elefantíase enquanto o cara ainda está curando a ressaca. Troquei a cama pela praia e lá estava ela, de novo. Rossy Barrymore, com duas amigas e sem flor no cabelo.

Olhei para Rossy e Rossy me olhou. Virou uma coisa patética. Eu peço uma cerveja, ela pede também. Eu olho para ela, ela olha para mim. Um amiga encalha no chão, a outra observa os caras malhados, meu amigo afunda na cadeira para comer uns bolinhos e aí chega o Sorriso. Sabe quem é o Sorriso? É um cara que está sempre sorrindo e serve cervejas na beira da Praia do Cardoso. Procure por ele. Ele é legal e faz piadas de gaúchos.

Pois aí o Sorriso avisou que tinha acabado a cerveja em todos os bares da praia. Todos, sem exceção. Diabos, eram seis da tarde, somente!

Olhos nos olhos de novo e ela ficou sozinha. Era a hora da abordagem. Mexi o pé, só que ele encalhou na areia. Trancou em um montinho de padrões estéticos.

As amigas chegaram logo depois. Rossy levantou. Passou por mim olhando nos cílios e na sobrancelha e por fim na pupila.

O sol baixou de novo. Ela não apareceu no bar.

Não sei quem era ela. Mas sei que seu olhar na minha pupila pedia vingança.

Vingança contra todas as belas que a esmagavam naquela praia.”

P.S.: um leitor chamado Felipe alertou para um erro na data de inauguração do farol. Ela já aparece corrigida no texto acima. Obrigada, Felipe.

Comentários (1)

  • Felipe diz: 21 de janeiro de 2010

    Primeiro, uma correção: o farol de Santa Marta foi concuído em 1891.
    Em segundo lugar, o mais importante: a praia do farol de Santa Marta não é um santuário de festeiros apreciadores de droga e cerveja, como pode deduzir o leitor deste relato. É, acima de tudo, um lugar tranquilo e com um vibrações positivas. Talvez pela confortante sensação de proteção que o farol nos passa, talvez pela espiritualidade dos sambaquis que chega anos arrepiar, talvez por ser uma reserva extrativista marinha, na qual os pescadores trabalham de forma artesanal, como seu antepassados já faziam há mais de cem anos, utilizando a ajuda de golfinhos. Não é um lugar que estimule festa ou consumo de droga. A maconha, utilizada em todos os lugares do mundo, também está presente no farol de Santa Marta, mas não é o mote do lugar. Muitas pessoas que procuram tranquilidade e paz em um lugar com um astral positivo único também são fumantes de maconha. Se você procura festa, bebida e droga, talvez queira ir para Camboriú, praia do Rosa ou Guarda do Embaú (apesar de que as encontrará também na sua cidade, não precisa pegar a estrada).

Envie seu Comentário