Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Sua casa pode ser um lugar para passar férias

14 de fevereiro de 2010 0

    Dias atrás, Luis Fernando Verissimo escreveu um texto engraçadíssimo sobre férias. E das muitas roubadas que são as ofertas de pacotes turísticos que nos oferecem o tempo inteiro.

    Acho que já contei aqui sobre as férias de minha mãe (não lembro direito se já escrevi, e a busca não se revelou muito eficiente…).

    Assim como escreve Verissimo, Dona Rosa considerava a própria casa o melhor lugar para tirar férias. E, como a ex-secretária Neuza Canabarro em tempos de calendário rotativo (quem viveu o início dos anos 90 no Estado lembrará!), o período ideal para ela era março.

    Explico: janeiro e fevereiro era a época de a filharada passar férias na casa da mãe. Não contentes em lotá-la por si só, eles (com isso quero dizer “nós”) também levavam amigos e amigos de amigos. E depois vinham os netos, os genros, as noras… A casa fervilhava em janeiro e fevereiro. E era época de fazer geléias, marmeladas e compotas para o ano inteiro. E passas de figos, abanadas com método e disciplina para não serem devoradas por abelhas… Havia muitas e muitas tarefas… E muita e muita comida a ser feita, e roupa a ser lavada…

    Em março, ia todo mundo embora. E meu pai seguia de férias para sua estação de águas termais preferida. Minha mãe não o acompanhava. Ela, enfim, tirava férias. Sozinha, em casa. Não cozinhava, não lavava, não passava. Eram 15 dias só para ela, a casa em silêncio, o fogão desligado.

    Férias em casa pode ser mesmo muito bom.
    Mas leia abaixo o Verissimo, e divirta-se com ele.


    Suas férias

    “COCO’S BEACH RESORT AND SPA – Em Praia dos Cocos, Ceará. Sol o ano inteiro, inclusive à noite. Mar aquecido. Cercado para as crianças, com guardas armados para evitar que elas fujam e invadam a área social. Zona de desova de tartarugas gigantes, que podem, até, desovar na sua cama, se você tiver sorte. Para quem ama a Natureza.

    BSRC
    – Histórica cidade polonesa que já pertenceu à Alemanha, à Rússia e, estranhamente, ao Equador. A descoberta turística do ano! Devido à falta de espaço na cidade, onde tudo é apertadinho (o que explica a ausência de vogais no seu dialeto), o único hotel divide um prédio com a única igreja. Os preços das diárias são baixos, e os quartos no campanário, então, são quase de graça. Não deixe de experimentar o prato típico da região, o glsh, uma espécie de ensopado de tripas em que entram a cenoura, o nabo e o rabanete, mas se recusam a ficar por muito tempo. No carnaval de Bsrc, em fevereiro, os rapazes correm atrás das moças para abatê-las com balões feitos de bexiga de bode. Não aceitam cartões de crédito.

    BIGGEST OF THE SEA – O maior navio de cruzeiro do mundo. Seu comprimento é de três campos de futebol. Aliás, um dos seus decks é ocupado por três campos de futebol. Num típico cruzeiro pelas ilhas do Caribe, o Biggest fica parado, e as ilhas vêm até ele. No jantar do restaurante principal – um dos 20, sem contar os quatro McDonalds –, a Filarmônica de Berlim toca para dançarem. E, numa das boates, o show desta temporada será do Frank Sinatra, que aceitou voltar especialmente para a ocasião. São servidas quatro refeições por dia, além de café da manhã, almoço, jantar e ceia.

    TRAFFIC RESORT AND SPA – Para quem quer emoções fortes, uma semana na Pousada do Dinho Maluco, no Morro da Caveira. Participe de guerras de gangues, com guia. Aprenda a manejar armas de uso exclusivo das forças armadas e enfrentar a polícia. O pacote inclui camisetas e bonés da pousada, DVDs das ocorrências em que você participou para mostrar aos amigos e, para o caso de você precisar, o telefone de um advogado. Aceitam cartão de crédito.

    ANTÁRTICA ROMÂNTICA – Este é o momento para visitar a região, acompanhado de alguém que você ama e, principalmente, tenha a temperatura corporal alta. Vocês podem dormir na frente da lareira acesa ou, de preferência, dentro da lareira acesa. Em hipótese alguma saiam para ver o luar da sacada. E desconfiem que está na hora de ir embora quando os pinguins começarem a trocar seus fraques por casacões.

    ARQUIPÉLAGO DE TUTU
    – O paraíso. As ilhas Tutu ficam nos mares do sul, mas são tão remotas que é difícil saber qual deles. São habitadas por gente que anda completamente nua, tão primitiva que ainda não descobriu o cuspe e frequentemente se engasga com a própria saliva, o que torna difícil a conversação, embora haja quem diga que eles parecem engasgados porque falam inglês de Yorkshire, herança de um marinheiro do capitão Cook que andou por lá e resolveu ficar. Como você certamente pensará em ficar, encantado pelas praias brancas, as palmeiras embaladas pela brisa suave e a possibilidade de abrir uma concessionária Gap para vestir os nativos, atenção: eles comem cartão de crédito.

    SUA CASA – Pense nela como seu spa particular, barato e perto. Um lugar ideal para passar as férias. Quer aventura? Vá consertar a pia.. Quer ver lugares bonitos e exóticos? Liga a TV, pô!”


Envie seu Comentário