Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Caipirinha tipo exportação

15 de abril de 2010 1
Que a nossa caipirinha faz sucesso aqui e lá fora eu sempre soube, mas nunca tinha conhecido ninguém que vivesse da bebida (de preparar, não de beber!) até deparar com Milton, há mais de uma década, no sul de Portugal, no Algarve. Anos depois, conheci a Cecília, nos Açores. Eles estavam casados e viviam numa linda casa na Ilha de São Miguel e me receberam como se fosse alguém da família.
Cecília é portuguesa, engenheira ambiental. Milton é brasileiro, está concluindo os estudos agora e vive fazendo caipirinhas em festas pelas ilhas do arquipélago. Usa como base para a bebida a nossa cachaça, o único produto nacional com denominação de origem controlada.
Milton conta que tem clientes de todas as idades, dos cinco aos 90 anos. Calma, ele não vende álcool para crianças. É que ele também faz caipirinhas sem álcool (no lugar da cachaça vai suco de maçã, por exemplo).
No início, a venda era só para as crianças, mas o sucesso fez com que hoje ele acabasse vendendo mais para os adultos do que para crianças.
Na fila da caipirinha estão representadas todas as classes sociais. Milton, que fala pelos cotovelos, adora ver gente de todos os tipos ali, incluindo políticos, por exemplo. Conversar com o povo enquanto prepara a bebida é a parte mais interessante do trabalho, conta.
As melhores festas nos Açores, garante Milton, são as da Ilha Terceira, as São Joaninhas em Angra do Heroísmo e as da Praia da Vitória, festas gastronômicas para as quais são convidados os melhores restaurantes do continente, além de um país estrangeiro.
Em sete festas, Milton consome centenas de quilos de açúcar e muuuuuitos litros de cachaça!!! É caipirinha para ninguém botar defeito.
Sempre com saudade da terra, mas com um sotaque português inigualável, Milton mandou algumas fotos que mostram a ilha (a primeira é a da Lagoa do Fogo) e seu estande montado para uma das festas (acima).
P.S.: este post foi programado com bastante antecedência. Estou em férias até 3 de maio e, como de costume, deixo para contar as “aventuras” desses dias de descanso depois. Mas o blog segue com material que preparei previamente. Um abraço!

Comentários (1)

  • PEDRO GIRARDI diz: 15 de abril de 2010

    A NOSSA CAIPIRINHA BRASILEIRA É SIMPLES DE FAZER,,,NÃO SE DEVE INVENTAR,,,,TIRA AS PONTAS DO LIMÃO,,,CORTA AO MEIO,,TIRA O MIOLO….FATIA FINA,,,,POE NO COPO E AMASSE LEVEMENTE O LIMÃO,,,NÃO DEVE ESTRAÇALHA-LO,,,,POR AÇUCAR E GELO EM CUBOS,,NUNCA QUEBRAR O GELO EM PEDACINHOS,,,,,E PINGA DA BOA,,,MEXE E TÁ PRONTA,,PODE SER DE VODKA,,,STHEINAEGHUER,,OU RUM..TODAS FICAM BOAS E BEBER COM MODERAÇÃO NO MÁXIMO 3;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;( EU FUI CAIPIREIRO POR MUITOS ANOS EM UM GRANDE BAR E RESTAURANTE DE CURITIBA NO CENTRO O BAR POTE CHOPP LTDA….AONDE SE BEBIA E SE BEBE UMA DAS MELHORES CAIPIRINHAS DO BRASIL.

Envie seu Comentário