Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Um passeio e uma imagem de primavera

23 de setembro de 2010 3

Pensei, pensei e pensei. Que passeio eu sugeriria para esse início de primavera? E que imagem representa a estação para mim.

Sério, acho que não existe um lugar específico pra uma estação. Pense num roteiro óbvio. Gramado, por exemplo. É bom no verão, no outono, no inverno e na primavera.

Mas se eu pudesse pegar a estrada hoje, agorinha, enquanto você lê este post, sabe pra onde eu iria? Praqui, bem pertinho. Iria para a minha indefectível Morro Reuter… Não para a cidade, que é uma gracinha, seguiria um pouco adiante. Depois de passar a zona urbana, a 70 quilômetros de Porto Alegre, indo pela BR-116, entra-se à direita na VRS-873 e se vai seguindo por aí até chegar ao EL PARADISO, no km 5, número 440.

Nem vou falar do que há no caminho (já falei aqui sobre um café colonial, um pouco antes, à esquerda), que isso rende outros tantos posts, mas especificamente do El Paradiso.

Não é o lugar mais lindo que já se viu no mundo, mas é tão tranquilo, tão tranquilo… Sabe aqueles lugares em que parece que ninguém desconfia de ninguém, você pode chegar e desfrutar e conhecer e explorar?

Eu só caminhei por ali e conheci o gatil, mas tem trekking, cavalgada, restaurante, gramado, animais domésticos…

Me parece um lugar pra se deixar ficar. Por que a primavera é uma estação para se deixar ficar, ao ar livre. Não tem a urgência do verão, não tem o claustro do inverno. Me parece a estação do equilíbrio, do bom senso. Quer algo melhor do que a temperatura a 22 graus e um carrinho de lomba?

Não vou mentir e dizer que é a minha época preferida do ano. Não é. Sou inverno. Mas reconheço todas as qualidades da primavera. Sempre que posso, tenho flores (de verdade) em casa. E admiro cada galho que floresce em cada uma de minhas janelas. Não tenho um jardim para cultivar, mas tem um que renasce sempre à memória, aquele da infância.

Era multicolorido, mas tinha um canteiro à parte, plantado por minha mãe com um único objetivo: as flores brancas, todas elas – lírios, copos-de-leite, palmas -, serviriam para homenagear avós, tios, primos distantes no Dia de Finados.

Era lindo o jardim. Um dia, porém, o canteiro branco amanheceu colorido. Todas as flores brancas pintadas de têmpera. Meu irmão mais novo, bem pequenininho, pintara os lírios, os copos-de-leite e as palmas com cores berrantes. Ele achava as flores brancas meio tristes. Para ele, jardim tinha de ser colorido. E alegre.

Desde então, minha imagem de primavera é essa: uma criança no meio das flores, pintando até mesmo aquelas, teimosas, que insistem em ser brancas.

Comentários (3)

  • Viagem » Arquivo » Um passeio e uma imagem de primavera diz: 23 de setembro de 2010

    [...] Confira o post completo no blog Recortes de Viagem: Um passeio e uma imagem de primavera [...]

  • Rafael Jachetti diz: 24 de setembro de 2010

    Gostei da “rede” para gatos, eles devem adorar, pois ficam nas alturas…criatividade! Abraço

Envie seu Comentário