Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Volta ao mundo com uma criança a tiracolo

30 de agosto de 2011 2

O título é de um texto publicado na página 2 do caderno VIAGEM desta terça. Tem muito mais coisa na página, confira lá, mas resolvi republicar aqui essa entrevista porque a história é bacana e mais ainda porque a foto que eu recebi agora é SEN-SA-CIO-NAL. Não poderia desperdiçá-la. Você não acha? Que inveja desse pequeno viajante Felipe!

Veja abaixo a entrevista:

Há poucos dias, eles estavam em Yogyakarta, na ilha de Java, na Indonésia. A comunicação não era muito fácil, mas eles enviaram um e-mail extenso, descrevendo um pouco da aventura de viajar por cinco meses com uma criança de dois anos.Claudia Ferraz Rodrigues Pegoraro, 35 anos, promotora de Justiça em Jaguarão (RS), e Marlon Sandri Pegoraro, 35 anos, policial rodoviário federal, estão há horas na estrada, carregando a tiracolo o filho Felipe. E descrevem tudo no blog Felipe, o Pequeno Viajante. Junto, o casal já conhece 54 países. Felipe, pasme, já tem no passaporte a passagem por mais de 20 nações. E ele já tem lá suas impressões de viagem:

– Quando chegamos num terraço de arroz, em Bali, ele me olhou e disse: que lindo mamãe! – descreve Claudia.


Zero Hora – Desde quanto vocês viajam com o Felipe?

Claudia Ferraz Rodrigues Pegoraro – Fizemos uma primeira viagem grande com ele quando ainda não tinha três meses, aos Estados Unidos e Canadá. Os dois anos, agora, ele completou na Rússia.


ZH – Como é viajar com uma criança tão pequena? Como vocês se adaptam?

Claudia –A gente escolhe os destinos que a gente tem vontade de conhecer. Antes de o Felipe nascer, a gente achava que depois só iríamos à Disney e destinos do gênero, mas depois da primeira viagem, quando vimos que não tem mistério, fomos ficando cada vez mais corajosos. Claro que fizemos vários testes, em viagens curtas, perto de casa, até nos animarmos a fazer esta “volta ao mundo” de cinco meses.


ZH – O que vocês acham que ele aprende viajando?

Claudia – Não tem nada melhor para a estimulação de uma criança do que estar o tempo inteiro com o pai e a mãe. Se a gente estivesse em casa, ele estaria com a babá, na creche, seria bem diferente. Também dá a ele esperteza: ele está sempre ligado, cuida quando vem carro, como a gente anda na rua. Não acredito que ele vá lembrar de nada, mas tenho certeza de que ele vai adorar ver as fotos no futuro.


ZH – Quais as principais dificuldades de viajar com o Felipe? Que cuidados vocês têm?

Claudia – É preciso estar atentos à documentação, pois eles precisam de passaporte, vistos, como os adultos, e sempre é bom levar também uma cópia da certidão de nascimento, porque nos passaportes não tem o nome do pai e da mãe e isso pode causar problemas. A gente também faz um check-up geral de saúde antes de viajar, além de tomar todas as vacinas e ter um bom plano de saúde.


ZH – É possível ir a qualquer lugar do mundo com um filho pequeno?

Claudia – Se sobrevivemos à Índia com o Lipe, tudo é possível. É preciso ter energia e disposição, porque é muito trabalhoso – o tempo que antes a gente passava descansando, quando chegava ao hotel, agora tem que dar banho, lavar as roupas etc, mas vale cada minuto! Não tem alegria maior do que vê-lo correndo pelo Taj Mahal, comendo uma fruta diferente, brincando com crianças de todas as raças…



Comentários (2)

  • Volta ao mundo com uma criança a tiracolo | Viagem diz: 30 de agosto de 2011

    [...] o post completo no blog Recortes de Viagem: Volta ao mundo com uma criança a tiracolo [...]

  • Gabriela Lorenzet diz: 30 de agosto de 2011

    Ai, nossa, babei pela foto, pela criança e pela historia. Vou dar uma conferida no blog deles.
    Valeu pela dica.

    Gabi

Envie seu Comentário