Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

O cinema que leva a viajar

29 de novembro de 2012 0

Todos nós que viajamos e gostamos de cinema fazemos a mesma coisa: andamos pelas esquinas dos lugares visitados buscando o cantinho, o café, o restaurante, a loja, o hotel da locação daquele filme inesquecível.

Pois nesta semana dois guias para ajudar a encontrar esses lugares vieram até mim sem que eu pedisse.

Primeiro, ganhei de um colega querido o PARIS fait son Cinéma (na tradução livre, Paris faz seu Cinema), trazido de Paris. Procurei, encontrei nos sites de livrarias o título em francês, mas não consegui descobrir, ainda, se foi lançado por aqui em português.

Eu simplesmente amei o livro. Tem bistrôs, cafés, hotéis, lugares em que foram filmadas coisas de que eu gosto muuuuito. Como os relativamente recentes Hugo Cabret, Julie & Julia, Coco antes de Chanel, Amelie Poulain... Mas há clássicos também, e filmes que eu não vi e lugares que eu não conheci… E eu viajei no livro, que é deliciosamente fácil (ainda que eu só saiba meia dúzia de palavras em francês): a divisão é feita com base nos bairros da cidade (é um guia, pois não!?), com mapas enormes e claros, com a indicação dos locais, com uma ficha técnica de cada filme, fotos lindas ilustrando cada ponto e, pra completar, QR Code para assistir, no celular, os trailers dos filmes.


E aí, também recebi um material de divulgação com uma promoção de uma agência chamada Casa de Turismo (facebook.com/casadeturismo), que vai sortear NESTA SEXTA-FEIRA dois exemplares do Europa de Cinema, do Vicente Frare, que já foi comissário de bordo, guia de turismo, etc, e hoje se dedica a uma editora, a PULP, que produz livros e guias de viagem.

No Europa de Cinema – Roteiros e Dicas de Viagem Inspirados em Grandes Filmes, ele aponta mais de 250 pontos em cidades europeias que têm ligação com o cinema, como a Londres de Um Lugar Chamado Notting Hill ou outros lugares igualmente charmosos em Berlim, Londres, Madri, Paris e Roma.

Se não ser pra embarcar de verdade, dá pra viajar nos livros e nos filmes. O que já não é pouco.

Envie seu Comentário