Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Em Giverny, na França, jardim para inspirar pintores e encher os olhos de qualquer um

29 de maio de 2013 0

Como anunciado no post anterior, de ontem, aqui vão dicas para visitar os jardins de Monet em GIVERNY, nos arredores de Paris.

Vou contar como eu fiz, a partir de Paris:

  • Peguei o trem das 10h20min para VERNON, na Gare Saint-Lazare (fica próximo à Ópera Garnier e Galeries Lafayette).
  • A passagem custa 27 euros (ida e volta) – aliás, compre o bilhete de ida e volta para não pegar fila no retorno.
  • A viagem dura 50 minutos até Vernon. Chegando lá, é só seguir o fluxo de turistas, que se dirigem aos ônibus que ficam esperando na saída da estação, à direita, numa rua lateral.
  • A passagem para Giverny custa 8 euros ida e volta (já compre a volta ali também), e é vendida no interior do ônibus.
  • São mais no máximo 20 minutos até Giverny. Os ônibus ficam num estacionamento e, para passar para o outro lado da rodovia e chegar à cidadezinha, os pedestres passam por um túnel. O resto do trajeto é feito a pé.
  • Para visitar a casa do pintor Claude Monet e os famosos jardins, paga-se 9,50. Você também pode comprar um bilhete único para visitar o Museu do Impressionismo, que fica ali pertinho (nesse caso, o bilhete inteiro sai por 16,50).
  • Da bilheteria, se desce por uma escadinha que cai direto na loja de suvenires. Resista e vá adiante (o caminho da volta será o mesmo e, se quiser, pode comprar lembrancinhas depois).

Você fica livre para visitar os jardins e desfrutar das cores e do perfume, que não dá para descrever, óbvio.

Fiquei embasbacada.

Monet se estabeleceu no lugar, então abandonado, em 1883. E o transformou nessa fonte de inspiração que sobrevive até hoje. Até sua morte, em 1926, o jardineiro e pintor viveu ali, onde recebia amigos e admiradores. O mestre do impressionismo pintou em Giverny a famosa série de quadros chamadas Nenúfares, inspirada no lago e na ponte japonesa da propriedade.

Terminada a visita à casa e aos jardins, ainda dará tempo, antes do retorno, para o almoço e para conhecer o Museu do Impressionismo, bem pertinho, e dar uma passeada pela cidade, que é uma graça.

No museu, vi a mostra Signac, as cores da água, que fica até julho por ali.

  • Para o retorno, é só ir até o estacionamento dos ônibus, entrar na fila e pegar o primeiro que estiver por ali. Ele o levará de novo à estação de Vernon para o retorno a Paris.

Passeio de um dia que o deixará bem feliz!

E um videozinho, sempre amador, dos sons do jardim (as rãs de lá coaxam diferente!)


Envie seu Comentário