Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

O fundo do mar, o espaço, o silêncio e uma dica de cinema para este domingo: Gravidade

13 de outubro de 2013 0

O filme mal havia começado, com imagens espetaculares da Terra vista do espaço, e eu encontrei ali uma semelhança com uma cena que vivi uma única vez na vida: a visão do espaço me sugeria a visão do fundo do mar, mas, acima de tudo, o que me chamava a atenção era o SILÊNCIO.

Adoro enxergar água, gosto de rios, lagos, lagoas, açudes, mares, piscinas, fontes, mas nadar e mergulhar não são das coisas que mais gosto de fazer. Pra dizer a verdade, tinha quase pânico de mergulhar, mas não resisti ao batismo e, na única vez em que mergulhei, o que mais me impressionou, muito além da beleza do fundo do mar, foi o SILÊNCIO.

 

Arquivo pessoal

Arquivo pessoal

No início de GRAVIDADE, o filme em questão, o comandante Matt Kowalski (George Clooney), extasiado com a vista, pergunta à novata doutora Ryan Stone (Sandra Bullock), do que ela mais gosta no espaço, onde estão numa missão para consertar o telescópio Hubble. Ela para, olha, pensa e diz:

- O SILÊNCIO!

Como o próprio diretor do filme já ressalvou, o filme não é sobre o espaço. O espaço é só uma desculpa.

Vale a pena ver. Dura os exatos 90 minutos que George Clooney diz que os dois têm para tentar escapar de um novo choque com destroços de um satélite que os atingiu. E mostra muito mais que o espaço e o silêncio.

Veja onde assistir em PORTO ALEGRE.

 

 

Envie seu Comentário