Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

O que faz um restaurante, em Roma ou em qualquer outro lugar, é muito mais do que a comida

20 de fevereiro de 2014 0
Fotos Rosane Tremea

Fotos Rosane Tremea

Eu tinha visto a indicação num guia sobre ROMA e fiquei com ideia fixa.

Falava muito pouco sobre o restaurante Romolo nel Giardino della Fornarina. Basicamente que a Fornarina do título era a amante do pintor Rafael.

E eu que, não sei exatamente o motivo, tinha evitado o Trastevere para almoçar ou jantar nas duas vezes em que estive em Roma, acabei me encaminhando para lá depois de uma manhã exaustiva no Vaticano (sim, sou do tipo que vai a Roma e vai ver o Papa).

É uma caminhada relativamente longa, mas valeu cada centímetro.

Primeiro, vou contar um pouco sobre o que se diz do restaurante para depois falar do que vi/experimentei.

IMG_0715

Conta-se que, no início dos anos 1500, Rafael fazia os afrescos da galeria da Villa Farnesina para o banqueiro Agostino Chigi. E diz a lenda que, durante sua temporada por ali, apaixonou-se por Margherita Luti, que passou a ser a musa de sua obra. Margherita era filha de um padeiro (fornaio, em italiano, e daí a expressão “Fornarina”) e ela teria tido uma grande influência na vida e na arte de Rafael. Também segundo a lenda, ela morava num pequeno palácio renascentista na Rua  S. Dorotea, número 20, no Trastevere, próximo à Porta Settimiana.

Reprodução da, supostamente, fornarina

Reprodução de pintura de Rafael sobre imagem da, supostamente, Fornarina

É ali que fica o restaurante e o jardim onde Rafael e Margherita passavam juntos horas românticas.

Foi nos anos 1930 que Romolo Casali se instalou para começar a história do restaurante no local da célebre padaria. Ele ficou famoso, na época, não só pela comida, mas também porque artistas e poetas o frequentavam – um deles, Trilussatinha uma mesa fixa nele.

Da cozinha, hoje, saem pratos clássicos da cozinha romana, pratos típicos regionais com produtos locais.

No dia de primavera em que estive ali, pedi fettuccine com aspargos e um vinho frascati (vinho branco típico da região) para acompanhar. Minha irmã pediu outro prato, não lembro exatamente o que era, mas era uma massa, claro, talvez com pesto.

 

IMG_0712

IMG_0714

Ficamos no jardim e, acho que pela primeira vez num restaurante, ainda mais em Roma, não havia nenhuma outra mesa ocupada.

A atenção de toda a equipe de garçons era só nossa, mas não era um atendimento sufocante. Era corretíssimo e gentil.

Já de cara, me apaixonei pelos cardápios.

IMG_0710

Depois, no pedido de ajuda para escolher os pratos, as explicações vieram na medida certa.

A única insistência aconteceu no final, quando recusamos a sobremesa. O garçom, definitivamente, não aceitava um não como resposta.

Disse que serviam ali o tiramisú mais espetacular de Roma e que eu me arrependeria se não o provasse.

Não sei se é o melhor de Roma, mas certo é que é o melhor que eu já comi na vida. Fecho os olhos e sinto o gosto.

IMG_0720

Foram quase duas horas de almoço superagradáveis, com uma temperatura ideal para ficar no jardim.

Quando íamos embora, vi uma bandeja com verduras/legumes que eu achei linda e pedi para fotografar. Pois eis que uma senhora muito gentil observou para mim que eram verdadeiras (ainda que fossem artificiais eu fotografaria, coisa de turista com uma câmera na mão).

IMG_0722

IMG_0721

Mariza então nos contou, sem que perguntássemos, que era filha do primeiro proprietário. Com oitenta e tantos anos, era viúva há mais de 40 do único amor de sua vida. A morte repentina – enquanto o marido ia de um restaurante para outro – a tinha deixado com a obrigação de tocar o negócio, que ela de alguma forma coordenava até então (me refiro a maio de 2013). E estava preocupada com o futuro da Fornarina, já que a filha, psicóloga, não pensa em assumir o restaurante.

Ela nos mostrou os antigos fornos e o curioso tanque para resfriar a cerveja (e vinho?! já não lembro). Queridíssima, pediu para ser fotografada ao lado da minha irmã.

IMG_0724

IMG_0725

IMG_0727

Faço votos para que a Fornarina e os mistérios de seu romance com Rafael permaneçam por ali por pelo menos mais 500 anos… E que a comida e o atendimento ainda sejam os mesmos…

IMG_0723

IMG_0729

Envie seu Comentário