Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Buenos Aires (1): visita guiada à Casa Rosada

16 de setembro de 2014 3
Fotos Rosane Tremea

Fotos Rosane Tremea

Da Casa Rosada, a sede da Presidência da Argentina, eu só conhecia a fachada (e aqui se abre o primeiro parêntese desse prometido primeiro post sobre Buenos Aires: dizem que a cor pode ter sido fruto de uma tentativa de busca de paz entre o branco dos federalistas e o vermelho dos unitaristas ou simplesmente decorrente do uso do sangue bovino na pintura, algo comum no final do século 19! Hoje, ao final do dia, uma iluminação que, para mim, tem gosto meio duvidoso, realça a cor).
Desta última vez na cidade, por sugestão de um colega, fui fazer a visita guiada e gratuita que acontece aos sábados, domingos e feriados.

Não é preciso agendar. É só chegar e pegar uma senha (as visitas podem ser feitas em português, inglês ou espanhol), entre 10h e 18h. Esperei uns 20 minutos para poder entrar.

No total, a visita dura cerca de uma hora, percorrendo a maior parte das dependências, incluindo o gabinete da presidente (ela pode ser encontrada por ali de segunda a sexta, mas a residência oficial não é a Casa Rosada – Cristina mora em Olivos).

A guia tinha informações precisas, foi gentil e tinha respostas a todas as perguntas que foram feitas. O ritmo da visita também é bem razoável, a não ser no gabinete da presidente, por onde se deve passar muito rapidamente e sem fotografar.

Na antessala do gabinete, chama a atenção um pôster gigante do ex-presidente Néstor Kirchner, morto em 2010.

Em várias salas há muitas marcas do orgulho argentino (e de populismo): o salão das mulheres, dos ídolos populares (Maradona, Messi, Gardel, entre muitos outros), dos cientistas e prêmios Nobel (a Argentina tem cinco deles!), de Perón e Evita…

Abaixo, as fotos mostram um pouco do palácio.

O Salão dos Pintores e das Pinturas Argentinos, a antiga entrada do palácio

O Salão dos Pintores e das Pinturas Argentinos, a antiga entrada do palácio

 

O Pátio das Palmeiras, com árvores nativas, e o piso de cerâmica inglesa

O Pátio das Palmeiras, com árvores nativas, e o piso de cerâmica inglesa

Detalhe das pinturas do Hall das Palmeiras, que estão sendo restauradas

Detalhe das pinturas do Pátio das Palmeiras, que estão sendo restauradas

Salão Branco ou das Recepções

Salão Branco ou das Recepções, onde são realizadas as cerimônias mais importantes

IMG_3096

Salão das Mulheres argentinas, com fotos de mulheres que marcaram a História do país em várias áreas

IMG_3124

No detalhe, na parede, a imagem de Perón e Evita

IMG_3102

A galeria dos ídolos populares

IMG_3136

A Galeria dos Bustos ou Hall de Honra, por onde têm acesso ao prédio a presidente, os ministros e convidados especiais do governo. Nesse dia da visita, o lugar servia de cenário para a gravação de um programa de TV.

Um detalhe dos vitrais e das luminárias

Um detalhe dos vitrais e das luminárias

IMG_3113

E, para encerrar, a Plaza de Mayo vista do balcão (que não é balcão, advertem os arquitetos!) da Casa Rosada

 

Comentários (3)

  • Jailson diz: 16 de setembro de 2014

    Não falou do subssolo que é a parte mais legal do prédio. Espero que tenha continuação…

  • Jailson diz: 17 de setembro de 2014

    Rosane,

    Estive lá a uns 5 anos mais ou menos.
    Lembro que a entrada realmente era pelo museu.
    Haviam celas para prisioneiros e um enorme salão bem parecido com um salão do Louvre com o teto em arcos construído de tijolos sem reboco ou pintura. Lá estavam estacionadas algumas carruagens e carros presidenciais antigos.
    Haviam pequenas janelas na parte de cima da parede que davam para o Porto Madeiro e o guia dizia que havia uma série de túneis secretos para fuga que também davam para o Porto.
    Como achei o museu muito fraco, pela beleza do lugar e pela história, achei o subsolo a parte mais interessante da visita.

Envie seu Comentário