Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Passeio pelo Rio Mississippi, em New Orleans

12 de maio de 2015 0
Fotos Rosane Tremea

Fotos Rosane Tremea

A-do-ro passeios de barco.

Dos mais charmosos aos “programas de índio”, tento não perder nenhum.

E não poderia ser diferente diante do “grande rio”, a tradução para o nome indígena do Rio Mississippi, em New Orleans, nos Estados Unidos.

O rio que inspirou tantas músicas e obras literárias é o segundo mais extenso no país (somado ao Missouri, que é um dos seus afluentes e o mais longo deles, são mais de 6 mil quilômetros – juntos, eles formam a maior bacia hidrográfica norte-americana).

Pois estando em New Orleans, lá fui eu passear a bordo do Natchez Steamboat, que dizem ser o único barco a vapor de verdade a cruzar o Mississippi.

Ao longo de duas horas, circula-se pela costa moderna, pela antiga e por antigas “plantations” (latifúndios que utilizavam mão de obra escrava).

IMG_5653

 

Há opção de almoçar ou jantar no barco.

E, sempre, a música ao vivo está incluída - jazz de boa qualidade com piano ou um trio.

Legal também é que as informações são dadas ao vivo e só num dos trechos do passeio (a ida). Na volta, apenas curte-se a música, pode-se beber uma “mimosa” (espumante com suco de laranja) ou outros drinks servidos a bordo.

O roteiro simples custa US$ 29 e é muito fácil de adquirir os ingressos. Basta ir até o porto bem próximo do French Quarter, a zona mais turística da cidade, e comprá-los em um quiosque. Chegue no mínimo com meia hora de antecedência, pois a fila é sempre grande.

IMG_5624
Pra ilustrar, além da colagem de vídeos feitos por mim e das fotos acima, duas músicas das quais gosto muito e que foram inspiradas pelo rio: Louisiana 1927, de Randy Newman, e Moon River, eternizada por Audrey Hepburn em Bonequinha de Luxo, filme de 1961.

A segunda tem uma das minhas frases preferidas quando penso em viagens (além do filme, que vi incontáveis vezes): “There’s such a lot of world to see”. Algo como “há tanto mundo para se ver”, em tradução livre.

A segunda eu nunca prestei atenção à letra, mas gosto da melodia, que me transmite tranquilidade.

 

Envie seu Comentário