Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Café Brasileiro, em Montevidéu

26 de junho de 2015 1
Fotos Rosane Tremea

Fotos Rosane Tremea

Voltei a pensar nele com a morte do escritor uruguaio Eduardo Galeano, em abril.

É que fazia já bastante tempo que eu tinha ido ao Café Brasileiro, na capital uruguaia. Pelo menos três anos.

Me refugiei nele num dia de chuva insistente dessas férias já longínquas. Não foi obra do acaso. Eu estava à procura. É que tenho essa mania, às vezes desprezada por viajantes, de ir aos lugares tidos como referências – o mais antigo, o primeiro daquele tipo, o histórico…

Eu estava passeando pelo centro histórico de Montevidéu e, não sei por que, tive dificuldade em encontrá-lo. Usava um prosaico mapa, não tinha ligado GPS nem outro tipo de localizador que tanto facilita a vida e tanto encanto tira dela.

Pois enquanto me perdia e me achava, congelei na chuva, até chegar ao Café Brasileiro.

E talvez por isso ele tenha me parecido tão aconchegante, acolhedor, quentinho. Era quase hora do almoço, mas só tomei café.

Ainda assim, fiquei bastante, só olhando o vaivém, observando os frequentadores.

O fato de só ter pedido café àquela altura não me causou nenhum tipo de constrangimento, diferente de alguns lugares onde garçons e/ou proprietários lançam olhares fixos para que se tome o café e saia logo para desocupar a mesa.

Mas talvez um dos garçons tenha estranhado minha demora e perguntou, com insistência, se eu queria tirar uma foto na “mesa do Galeano”. É que muita gente vai ali para isso e ele achou que eu só estava esperando a mesa vagar para fazer o registro.

Não queria, mas ele foi tão gentil, que acabei fazendo a tal foto. Por isso lembrei do Café Brasileiro quando Galeano morreu.

Cafe Brasileiro

Ele fica na Ituzaingó, 1.447, no centro histórico.

É o mais antigo da cidade, inaugurado em 1877 e declarado de interesse cultural pela cidade.

Além da cafeteria e dos doces, tem lanches e almoço executivo.

Cafe Brasileiro

Cafe Brasileiro

Comentários (1)

  • Michael diz: 28 de junho de 2015

    Já fui nesse café quando visitei a cidade a primeira vez. Muito bom!

Envie seu Comentário