Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

O Mundo em Minas, uma exposição, um livro e a Casa Nômade de um casal pelas Américas

05 de agosto de 2015 0

Na versão impressa do Recortes de Viagem, publiquei essa entrevista reduzida, já que não cabe tuuudo no papel.

Também só consegui mostrar quatro fotos deste casal de jornalistas que transformou em livro e exposição uma ideia muito bacana: encontrar similaridades entre a terra natal deles e o mundo afora. Então, confira mais fotos e a íntegra do texto

“As férias ficaram pequenas para acomodar nossa paixão por viajar”

ENTREVISTA: Glória Tupinambás e Renato Weil

No dia 11 de agosto, o casal de jornalistas Glória Tupinambás e Renato Weil lança O Mundo em Minas, livro que traça um paralelo entre cultura local e mundial. Depois de viajar por 59 países e de reunir todas as aventuras e semelhanças no livro com mais de 150 fotos e numa exposição no Memorial Minas Gerais Vale, em Belo Horizonte, os dois também aproveitam para lançar a Casa Nômade, por onde viajarão pelas Américas nos próximos cinco anos.
Por e-mail, eles contaram sobre o livro e sobre o futuro a bordo da Casa Nômade.

Em que momento “caiu a ficha” e vocês começaram a perceber as semelhanças entre os lugares que visitavam e Minas?
Nós viajamos por 59 países, dos cinco continentes, sem nenhuma pretensão de escrever um livro e sem aguçar o olhar para quaisquer semelhanças entre os lugares que visitávamos e a nossa terra, Minas Gerais. Mas, em uma dessas idas e vindas ao Brasil, o amigo e produtor cultural Dalton Miranda apontou para uma similaridade entre o Uluru (Ayers Rock), uma imensa rocha presente no outback Australiano, e um paredão de pedras na Serra da Canastra. A partir daí, ficamos fascinados com a possibilidade de buscar o elo que liga Minas à cultura de outros países.

Virou uma obsessão?
Ao perceber que imagens e flagrantes captados nos lugares mais remotos do mundo remetiam ao que há de mais arraigado na cultura de Minas Gerais, a necessidade de buscar um paralelo entre o local e o universal se tornou uma verdadeira obsessão. Com um mapa de Minas nas mãos, nós dividimos o Estado em 10 regiões e visitamos mais de 100 cidades. Nessas viagens, nós comprovamos que culturas que, à primeira vista são distantes de nós, vão, aos poucos, se aproximando de universos paralelos e com impressionantes afinidades. Esta correlação se faz presente em crenças, folclores, ofícios, paisagens, transações, meios de transporte…

Qual a semelhança mais curiosa na opinião dos dois?
A religião rende as semelhanças mais complexas e interessantes. Os cânticos, mantras e orações entoadas pelos muçulmanos nas mesquitas árabes nos remetem ao repique dos sinos nas igrejas barrocas de Minas Gerais. Monges budistas fazendo a Ronda das Almas nas ruas de Luang Prabang, no Laos, nos lembram as procissões de Corpus Christi nas cidades coloniais mineiras, como Ouro Preto e Sabará. Paisagens também rendem curiosos paralelos. As águas do Rio São Francisco costuram a diversidade cultural dessa colcha de retalhos que são as Minas Gerais; e, no Rio Nilo, elas transmitem paz aos egípcios durante os conflitos da Primavera Árabe.
Mas acreditamos que é na poeira das estradas de terra que Minas Gerais se revela ao mundo. Seja no rastro de cavaleiros de Santana do Araçuaí ou no charme rudimentar dos carroções de bois que cortam o sertão mineiro e fazem lembrar, com o ranger de suas rodas empenadas, a trilha sonora de Myanmar, um país que, depois de meio século fechado sob as mãos de ferro da ditadura militar, começa a sentir o sopro dos ventos da mudança.

E para essa nova aventura, vocês pretendem continuar a busca por semelhanças? Ou o foco será outro?
Nossa intenção inicial é apenas levar a alma para passear e viajar em busca do inesperado. Mas, com nosso faro de repórter, estaremos sempre com a máquina fotográfica e um bloco de anotações em mãos para fazer um retrato bem colorido da vida. E como temos o maior orgulho de dizer que o Brasil é a nossa casa no mundo, acreditamos que, a partir de agora, será impossível viajar sem buscar sempre semelhanças e correlações.

O que imaginam encontrar nas Américas com a “casa nômade”?
Uma de nossas escritoras prediletas, Martha Medeiros (colunista do Jornal Zero Hora), diz que “viajar é abrir um parêntese na vida, escapar de um esquema já organizado e se predispor ao desconhecido”. Pois bem! Nós concluímos que as férias estavam ficando pequenas para acomodar nossa paixão por viajar e decidimos fazer das viagens a nossa profissão. A bordo da Casa Nômade, nós pretendemos percorrer as três Américas, nos próximos cinco anos, para desbravar paisagens incríveis e conhecer culturas que, apesar de serem irmãs, guardam peculiaridades que as transformam em valores únicos. E como contadores de histórias que somos, nosso maior sonho é, ao fim da jornada, retratar todas as descobertas e sensações em um novo livro.

 

Fotos o Mundo em Minas, divulgação. IR E VIR - Carroções de boi em frente a um templo budista na cidade de Bagan, em Myanmar, no Sudeste Asiático

Fotos o Mundo em Minas, divulgação. IR E VIR – Carroções de boi em frente a um templo budista na cidade de Bagan, em Myanmar, no Sudeste Asiático

IR E VIR - Cavaleiros no distrito de Santana do Araçuai, na cidade de Ponto dos Volantes, no norte de Minas

IR E VIR – Cavaleiros no distrito de Santana do Araçuai na cidade de Ponto dos Volantes no Norte de Minas

HORIZONTES - Uluru (Ayers Rock), no Outback australiano. Este monolito é sagrado para os aborígenes da Austrália

Uluru (Ayers Rock), no Outback australiano. Este monolito é sagrado para os aborígenes da Austrália

HORIZONTES - Ponte da Estrada Real em Santana do Riacho, na Serra do Cipó

Ponte da Estrada Real em Santana do Riacho, na Serra do Cipó

OFÍCIOS - Foto de costureiro em Katmandu, Nepal

Foto de costureiro em Katmandu, Nepal

OFÍCIOS - Foto de sanfoneiro na Serra do Brigadeiro, em Minas Gerais

Foto de sanfoneiro na Serra do Brigadeiro, em Minas Gerais

ÁGUAS - Ilha de Kanawa, na Indonésia

ÁGUAS – Ilha de Kanawa, na Indonésia

ÁGUAS - Pôr do sol no Rio São Francisco, na cidade de São Francisco, no norte de Minas

ÁGUAS – Pôr do sol no Rio São Francisco, na cidade de São Francisco, no norte de Minas

Envie seu Comentário