Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Lisboa, Lisboa e Lisboa

12 de outubro de 2015 0

Justifico o título triplo: é que esse post junta três temas sobre a capital portuguesa.

Lisboa 1

Fotos Visit Lisboa, divulgação

Fotos Visit Lisboa, divulgação

Vou ficar órfã das crônicas sobre Lisboa produzidas pelo correspondente da Globo André Luiz Azevedo, publicadas sempre no Jornal Hoje, aos sábados. Espero que o substituto(a), se houver, tenha a mesma sensibilidade para retratar a capital portuguesa. Duas recentes feitas por ele você pode conferir nesses dois links:

  • Um roteiro gastronômico passando por clássicos da culinária portuguesa. Clique aqui para assistir.
  • Um passeio pelas ruas da cidade, falando sobre a incrível luz de Lisboa. Veja aqui.


***

Lisboa 2

Também para ver a cidade do alto, o Visit Lisboa lembra que a capital portuguesa é conhecida como a cidade das sete colinas.

Castelo-III

São Jorge ou Castelo - É a colina mais alta de Lisboa. A encosta é também chamada de Colina do Castelo, em referência ao monumental Castelo de São Jorge, que fica em seu topo.

São Vicente - Em Alfama, um dos mais tradicionais bairros da cidade, a Colina de São Vicente recebeu este nome como referência a um dos santos mais importantes da capital portuguesa. Do alto se pode avistar o bairro de Alfama e o Mosteiro de São Vicente de Fora, construído no local onde existia um templo em homenagem ao mártir.

Sant’Ana - A mais central da cidade, fica no bairro de Anunciada, onde existia o antigo Mosteiro das Freiras de Nossa Senhora da Anunciada. O morro também é conhecido como a “Colina da Saúde”, pois após o terremoto de 1755, que destruiu parte da capital, vários edifícios foram restaurados e alguns passaram a ter funções médico-hospitalares, como o Hospital de São José.

Santo André (Graça) - Pertencente à Freguesia de São Vicente, a Colina de Santo André serviu de instalação das tropas de D. Afonso Henriques, durante a Reconquista Cristã, no século 8. Depois, famílias da nobreza chegaram à região e adquiriram quintas nas quais foram construídas casas de campo. Mais tarde os estabelecimentos deram lugar a enormes palácios nas calçadas da Graça e de Santo André e, também, no Largo da Graça. Na colina ficam os miradouros da Graça e da Senhora do Monte, com vistas exuberantes.

Chagas (Carmo) - Fica perto do Largo do Carmo e recebeu este nome por estar próxima da Igreja das Chagas de Cristo, construída pelos marinheiros que realizaram a rota da Índia, e a enorme subida até a chegada ao Largo do Carmo inspirou a escolha do nome do santuário, representando todas as dificuldades vividas pelos homens até chegarem ao seu destino.

Santa Catarina (Camões) - Localizada na Freguesia de Misericórdia, percorre a região do Largo de Camões até à Calçada do Combro. O ponto mais alto do monte abriga o Museu da Farmácia e o Miradouro de Santa Catarina. No local encontra-se uma estátua do mítico gigante “Adamastror”, citado pelo escritor Luís de Camões em “Os Lusíadas”. Santa Catarina, padroeira dos Livreiros, também era conhecida como Catarina de Alexandria e foi considerada uma notável intelectual do começo do século 4.

São Roque (Bairro Alto) - Fica no famoso e agitado Bairro Alto. Ao subir pelo monte, os visitantes encontram o Miradouro de São Pedro de Alcântara, considerado um dos mais belos e visitados de Lisboa, e a Igreja de São Roque. O nome dado à colina refere-se ao santo padroeiro dos inválidos e dos cirurgiões - São Roque foi santificado pelo auxílio dado aos que sofreram com a grande peste negra que assolou a Europa no século 14, matando inclusive a ele próprio.

***

Lisboa 3

O órgão oficial de turismo da cidade divulgou há não muito tempo uma atração muito bacana: os terraços de onde se pode ampliar a visão sobre as belezas de Lisboa (ainda que o verão tenha acabado, alguns seguem abertos). Eles listam esses sete e eu reproduzo (quase) tal e qual:

H10 Duque de Loulé, divulgação

H10 Duque de Loulé, divulgação

  • O terraço Chill-Out Limão, no décimo andar do recém-inaugurado hotel H10 Duque de Loulé, no centro de Lisboa. Apresenta aos visitantes duas áreas distintas, interna e externa, que oferecem uma vista impressionante da cidade e do estuário do Rio Tejo.
  • Rooftop Bar, no nono andar do hotel Mundial, na Praça Martin Moniz, de onde se pode contemplar o Castelo de São Jorge ao seu lado e toda a região da Baixa e do Chiado. Servem-se bebidas antes do período do jantar e um coktail, ao som de jazz, durante a noite.
  • Acima do edifício do Chiado fica o terraço Silk, um espaço aberto em 2008 e considerado um dos mais exclusivos da cidade. Tem  vista panorâmica de quase 360°, que avista o centro histórico da capital, com ambiente sofisticado e descontraído, comida japonesa, cocktails e músicas com DJ.
  • O terraço Sky Bar é um espaço lounge no alto do Hotel Tivoli e presenteia os visitantes com uma visão privilegiada doRio Tejo, da Baixa Pombalina e do Castelo de São Jorge. Tem opções de refeições leves e bebidas, incluindo alguns cocktails sem álcool.
  • O Terrace, no Bairro Alto Hotel, é famoso por já ter sido considerado um dos mais bonitos terraços do mundo, por seu ambiente confortável e intimista. A vista abrange o alto do centro histórico de Lisboa e a Ponte 25 de Abril. Dá para descansar em cadeiras e almofadas e apreciar vinhos e bebidas.
  • O Upscale Bar fica no luxuoso Epic Sana Lisboa Hotel, na parte moderna da cidade e não no centro histórico. É lugar para o verão, com uma grande piscina (acesso pago) e cocktails de frutas e petiscos, além de espreguiçadeiras para relaxar ao som de música pop.
  • No último piso do Hotel Vintage Lisboa fica o bar-esplanada panorâmico Varanda do Castelo. Funciona do final da tarde até a meia-noite no período da primavera e do verão. Além de observar a Lisboa de cima, há um cardápio variado de tapas e cocktails, ao som de música ambiente.

Envie seu Comentário