Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Resultados da pesquisa por "itapuca"

Passeios da Colônia, edição longa

25 de agosto de 2016 0
Fotos Passeios da Colônia, divulgação

Fotos Passeios da Colônia, divulgação

Já vai ser a décima quarta edição das caminhadas longas pelo Vale do Taquari e, desta vez, pela minha terra.

O pessoal dos Passeios da Colônia vai pegar a estrada de novo nos dias 17 e 18 de setembro.

Tudo começa na gruta de Itapuca (em Anta Gorda), passando ainda pelo centro do município e por localidades como Linha Quarta e Linha Quinta (almoço nos Teló) e finalizando o primeiro dia em Muçum.

O pernoite será no hotel de Dois Lajeados e, no domingo, o grupo percorre mais 15 quilômetros, finalizando com almoço à beira do Viaduto Pesseguinho, na Ferrovia do Trigo.

Informações e inscrições pelo telefone (051) 9583-2672, pelo email valenews@certelnet.com.br ou no site www.passeiosnacolonia.com.br

cafe colonial Linha Quinta

Caminhantes em frente a Casa Comercial de Zeca Telo.jpg

Um café colonial (bem) no interior do RS

06 de fevereiro de 2016 1
Fotos Rosane Tremea

Fotos Rosane Tremea

Para quem anda por aí em busca de paisagens interioranas para fotografar, que tal estas?

Uma cerca de pedra numa propriedade rural e o caminho até ITAPUCA, em Anta Gorda, no Vale do Taquari.

IMG_6135

A “taipa” fica na propriedade da Parada Toigo, no interior do município onde nasci.

A família Toigo instalou ali, em 2014, um café colonial e uma loja de produtos coloniais.

Meu almoço de aniversário do ano passado foi ali.

Nos fartamos com os tortéis, a fortaia, a polenta brustolada, as carnes, as saladas, os pastéis, as torradinhas, o pão caseiro, os queijos, salames, cucas, bolos, grostoli, esfregolão, biscoitos, geléias, sucos, chás, sobremesas… Ufa!

Por isso, ainda que seja “café colonial”, vá preparado para almoçar.

Fica no porão da casa da família, a uns poucos metros de uma gruta que é uma das atrações da região e onde nos próximos dias se realiza uma festa religiosa, a romaria de Nossa Senhora de Lourdes, que atrai milhares de pessoas (talvez não seja o melhor dia para ir, mas vá lá!).

O lugar é simples, mas agradável (e seria melhor se não houvesse uma TV ali!).

Ah, e vi que agora, no verão, é possível também ficar em uma mesa ao ar livre.

Parada Toigo, divulgação

Parada Toigo, divulgação

Eles abrem em qualquer dia da semana, mediante reserva, com pelo menos dois dias de antecedência.

No perfil do Facebook há mais informações.

IMG_6174

Abaixo, a programação da festa:

  • 82ª Romaria e Festa na Gruta Nossa Senhora de Lourdes
  • 14 e 15 de fevereiro em Distrito de Itapuca – Anta Gorda – RS
  • Dia 14 de fevereiro
  • Missas: 9h, 10h30min, 13h30min
  • Às 15h, missa com o bispo dom Canísio Klaus
  • 11h30min – Almoço com buffet e churrasco
  • 16h – Músicas ambiente
  • Dia 15 de fevereiro
  • 10h – Missa
  • 12h – Almoço com churrasco
  • Informações: (51) 37561147 R- 2234 ou 2261, (51) 96169257 (51) 96725326

Passeio pela colônia de Anta Gorda

12 de dezembro de 2014 0
Passeios na Colônia, divulgação

Passeios na Colônia, divulgação

Sim, lá venho eu falar de minha terra natal de novo.

É que neste sábado, em Anta Gorda (aquela mesma que você tem visto em comercial de cerveja na TV), vai acontecer uma edição do projeto Passeios na Colônia.

O grupo vai sair de Lajeado às 17h para, na chegada a Itapuca, no interior de Anta Gorda, fazer uma caminhada de seis quilômetros para acompanhar a inauguração da nova iluminação da Gruta Nossa Senhora de Lourdes (onde todo ano tem festa no dia 11 de fevereiro, o dia da santa) e das escadarias que têm 168 degraus.

É um lugar lindo, onde minha família e eu costumávamos fazer piqueniques no final do ano.

Para quem for de Lajeado e região e quiser participar, é preciso fazer contato pelo fone (51) 95832672 ou no e-mail valenews@certelnet.com.br

Para os meus conterrâneos que quiserem acompanhar também, a participação na caminhada é gratuita (os outros pagam pelo transporte e pelo jantar!).

Como é lindo o meu vale...

13 de janeiro de 2014 0

Bairrismo à parte, eu sempre me emociono quando (re)vejo a terra onde nasci, o vale que abriga as cidades da minha infância, adolescência…

Gostei de rever tudo isso na semana passada, numa das reportagens da série dos mochileiros Nádia Bochi e Jimmy Ogro no programa Mais Você, de Ana Maria Braga, na Globo.

Mais de uma vez falei aqui sobre o MUSEU DO PÃO e a GRUTA DE ITAPUCA e sobre filós e festas italianas etc, etc…

museu

 

 

gruta3

A reportagem está neste link. São vários pequenos vídeos que mostram lugares e personagens.

Romaria na minha terra

09 de fevereiro de 2013 1

O blog andou quieto. Não sem motivos.

Quebro o jejum das últimas semanas pra falar de uma festa religiosa da minha terra que se repete há 79 verões. Era das grandes atrações das nossas férias.

Há anos não vou lá. Sempre recebo o convite, mas acaba não calhando. Também não será agora.

Todo ano vai uma multidão: a organização espera 8 mil pessoas para a tradicional FESTA DA GRUTA NOSSA SENHORA DE LOURDES, de Itapuca, um distrito de Anta Gorda.

Fica a cerca de 200 quilômetros de Porto Alegre e é uma sugestão para quem quiser conhecer uma típica festa do Interior. Uma opção de PARA IR NO FINAL DE SEMANA.

A paisagem, por lá, é assim:

A programação

Dia 10/02/2012

Missas: 9h30min, – 11h,  13h30min e– 15h

Almoço (buffet ou churrasco): a partir das 11h30min

Show Musical (URPM): 16h

Sorteio de brindes: 18h


Dia 11/02/2012

Missa: 10h30min

Almoço: 12h

Festa na gruta da minha terra

09 de fevereiro de 2011 2

Todo ano, em fevereiro, eu falo dela. Quando era criança, era esperada quase tanto quanto o Natal. Todo mundo ia à Festa da Gruta de Itapuca, na minha terra natal, Anta Gorda.

É sempre pouco antes ou pouco depois de 11 de fevereiro, dia de Nossa Senhora de Lourdes.

Eu tenho tantas lembranças dessa gruta de Itapuca… Para mim, que queria ser arqueóloga ou qualquer coisa do gênero, aquilo era o caminho mais curto rumo às tumbas de faraós… Me impressionava entrar direto daquela mata exuberante para pisotear as pedras sibilantes, para o teto que ia diminuindo, oprimindo, para uma suposta falta de ar que eu nem sentia, mas fazia parte do mistério.

Não havia quem fosse nos visitar, inverno ou verão, que a gente não levasse para conhecer a tal gruta. E, no fim do ano, nosso esperado piquenique carregava para lá toda a família – irmã, irmãos, cunhados, sobrinhos – numa divertidíssima excursão. Voltávamos com os cabelos duros da poeira do caminho, mas felizes porque íamos cantando, comendo nosso farnel que às vezes nem conseguia chegar ao destino.

Naquele trajeto, nós víamos de tudo, até disco voador um dia vimos, na carroceria do jipe que era dividido por meu pai e pelo compadre Demétrio. Que coisa. A imaginação, com aquelas vistas, não tinha mesmo limites.

A paisagem a caminho da gruta

Pois o cartaz com o convite para a festa deste ano, que a Franciele Izoton Dall Orsoletta me enviou, lembrou de tudo aquilo. Não irei à festa. Mas pretendo voltar lá assim que possível. É sempre bom voltar.

Festa na minha terra

11 de fevereiro de 2010 3

Todo ano, em fevereiro, tem festa na GRUTA DE ITAPUCA, no interior de Anta Gorda, minha terra natal.
Perdi a conta de quantas vezes fui até lá, não só para a festa, mas também porque é uma atração turística. Quando meus pais eram vivos e passávamos todos juntos o Natal lá, era tradição fazermos um passeio/piquenique. Íamos todos, irmãos, cunhados e sobrinhos, com tantos suprimentos que dava para viver na gruta por algumas semanas.

Sempre tive medo de entrar nela. A sensação é de que aquele maciço de pedra, que vai se fechando aos poucos, caia sobre mim. Não cai, claro, mas é uma fantasia de infância. Na entrada, tem 30 metros de largura; nas partes mais altas, um pé direito de 3 metros de altura; 115 metros de comprimento. Fica nesse distrito chamado Itapuca, que é uma gracinha, muito pitoresco.

Sempre aconteciam coisas interessantes quando ia pra lá. Uma vez, criança, fomos com o pai de uma amiga em seu Jeep dos anos 40 (aliás, durante anos, esse Jeep, que pertenceu a um tio meu, foi usado em sociedade entre o pai dessa amiga e meu pai – sociedade improvável hoje, não?) para mostrar a gruta a uns visitantes. Na volta, todos os que estávamos na parte detrás do carro vimos o que jurávamos ser um disco voador. Era algo luminoso que se movia. O pai da minha amiga traduziu nossa visão como sendo a de uma “nuvem luminosa”, categoria que ele criou ali na hora. Podia ser um avião, a lua atrás das nuvens ou qualquer outra coisa que, com a nossa imaginação, virou um disco voador. Para mim, continuou sendo um mistério.

Outra vez, já no final da faculdade, levei uns colegas que me visitavam para conhecer nossa principal atração turística. Na volta, tivemos uma infeliz ideia juvenil: resolvemos colher, sem pedir licença, apetitosas espigas de milho que se ofereciam à beira do caminho. Foi um desastre. O dono das terras, coberto de razão, subiu lomba acima com uma espingarda na mão. Sem explicações… não havia o que dizer. Para nossa sorte o caso não acabou na delegacia. Devolvemos o milho e pronto, voltamos com o rabinho no meio das pernas.

Mas vamos à festa, que era afinal o motivo do post.
A gruta, como toda gruta de lugar colonizado por italianos, como eu já comentei num post dias atrás, tem uma santa, Nossa Senhora de Lourdes, e é lugar de peregrinação (hoje, qualquer intervenção dessas seria fatalmente condenada por ambientalistas).
E todo mês de fevereiro tem romaria e festa no local.
Neste ano vai ser nos dias 14 e 15 de fevereiro. É a 76ª festa.

Nos dois dias tem missa às 9h30min, 11, 13h30min e 15h.
E claro, almoço ao meio-dia, com jogos tradicionais durante todo o dia. 
Anta Gorda fica a cerca de 200 quilômetros de Porto Alegre, no Vale do Taquari. Itapuca fica a 17 quilômetros de Anta Gorda, e a ligação é uma estrada de chão, mas a estrada costuma ser boa, e as paisagens compensam.