Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Buenos Aires"

Um selo para um blog sobre Buenos Aires

19 de junho de 2015 2
Foto Divulgação. Na foto, Gisele com a pequena estátua da personagem Mafalda, que está no bairro de San Telmo.

Foto Divulgação. Na foto, Gisele com a pequena estátua da personagem Mafalda, que está no bairro de San Telmo.

 

É nesta sexta-feira, dia 19, que o blog Aquí me Quedo, da jornalista gaúcha Gisele Teixeira, ganhará um selo de Interesse Cultural e Turístico de Buenos Aires.

A Câmara de Deputados da capital portenha reconheceu o blog de Gisele como um espaço que não “se conforma com os estereótipos ou com ler o que já acredita que se sabe sobre a cidade e o país”.

Criado há seis anos, tem mais de 2,2 mil posts.

Gisele explica a organização do blog, dividido em três partes:

  • Buenos Aires
  • Outras Viagens
  • Tango

Na primeira, estãos os posts sobre a cidade, divididos em temas como arquitetura, gastronomia e fotografia, entre outros.

Na segunda, artigos sobre as demais regiões do país, como Salta, Jujuy, Mendoza, Ushuaia, Córdoba – com sugestões de lugares para conhecer, onde se hospedar e o que comer.

Por fim, a seção tango busca levar aos brasileiros informações que vão mais além das meias de arrastão e dos estereótipos que envolvem o ritmo.

Confira em aquimequedo.com.br

 

flyer

Para o feriadão, passeios de bike em Buenos Aires

02 de junho de 2015 0
Foto Divulgação

Foto Divulgação

É baixar a temperatura e Buenos Aires se torna um destino irresistível, ainda que o câmbio não seja vantajoso para os brasileiros (mas, procurando bem, você pode achar passagens aéreas e pacotes a preços bem interessantes, justamente para atrair turistas em tempos bicudos).

E, para quem for à capital portenha neste feriadão de Corpus Christi, a dica é passear de bicicleta pela cidade.

Em pleno feriado, no dia 5, a partir das 14h, vai ser lançado na cidade o Aires Buenos Bike Tour.

A parceria é do portal Aires Buenos com o Biking Buenos Aires:

  • o Aires Buenos, que já tem experiência em city tours, é o responsável pelo roteiro e apresentação histórica dos pontos turísticos.
  • o Biking Buenos Aires oferece as bicicletas, além de água e todos os equipamentos de segurança, como jalecos, refletores e capacetes.

O tour tem duração de três horas e percorre os bairros de San Telmo, Boca, Puerto Madero, Montserrat e Centro. São várias paradas com explicações históricas, em 13 quilômetros de passeio.

O Bike Tour é percorrido quase 100% em ciclovias. Acompanham dois guias durante o trajeto para auxiliar na travessia de ruas e avenidas mais movimentadas que não contam com ciclo faixas.
Serviço

Sobre o Aires Buenos

O Aires Buenos é um portal com informações turísticas para brasileiros. Túlio Bragança, há nove anos em Buenos Aires, é fundador e editor de conteúdo do portal. Também oferece serviços de city tour, e-books e consultoria sobre a capital Argentina e outras localidades da região.

Buenos Aires (8): Notorious, um lugar para ouvir boa música

15 de abril de 2015 0

Por pouco meu título não copia o slogan do Notorious.

Não sou conhecedora de jazz, mas gosto muito e, sempre que tenho oportunidade, gosto de ouvir ao vivo.

Parece que não combina com Buenos Aires, onde o usual é ouvir tango.

Mas eu já tinha ido a shows de tango, já tinha ido a uma peña…

E havia lido num guia sobre o Notorious. E era segunda-feira e, como em todos os lugares, não muitas coisas acontecem às segundas.

Não precisava de mais justificativas. O lugar (na Av. Callao, 966) é meio, assim, escondido.

Na frente, funciona uma loja de CDs e DVDs (o que já é raro!), e onde há umas 3 mesinhas com poltronas para se ficar esperando o horário.

Lá pelas tantas, abre para o bar/restaurante, e a mesma pessoa que atende na lojinha fica ali recolhendo os ingressos.

As mesas são escolhidas por ordem de chegada.

Fiquei numa bem no fundo e bem de frente para o palquinho, onde há uma tela e um piano.

Naquela dia, estava em cartaz “Chaplin, Cine Mudo y Musica en Vivo”, com Juan Nevani.

Fotos divulgação

Fotos divulgação

Antes do show, dá para pedir o jantar/lanche.

Eu escolhi uma massa recheada (os ravioles de calabaza). Boa, bem boa. Com vinho.

Não é muito grande o lugar, não saberia dizer o quanto, e não encontrei uma referência sobre isso. Mas não devem ser mais de 20 mesas.

O clima é muito bacana, com pessoas de todas as idades, alegre, mas respeitoso com a música.

Uma vez iniciado o show, o serviço se reduz, mas segue, sem perturbar.

Gastei, entre o jantar e o ingresso, uns 350 pesos, que valeram muito.

Teria valido só rever Chaplin e os tempos do cinema mudo. Ri muito.

Mas é claro que a música fez toda a diferença.

E, durante a semana, tem almoço. O jardim dos fundos parece bem agradável.

notorious

Ah, o slogan impresso no ingresso era “Para ouvir e ter a melhor música”.

Um bar/bistrô em Buenos Aires (7)

20 de janeiro de 2015 0

 

Fotos Rosane Tremea

Fotos Rosane Tremea



Já faz alguns meses, mas sigo falando da minha última ida à capital argentina. Este é, como o número do título indica, o sétimo post sobre essa incursão.

Não sei exatamente o que me chamou a atenção ao passar pela esquina e ver o Torcuato & Regina.

Não tinha lido nada sobre ele. Acho que foi a fachada, só, naquela esquina da Plaza San Martín, em BUENOS AIRES.

O que oferece o material publicitário deles, eu vi depois, me faria entrar: “uma esquina emblemática de Buenos Aires, com a melhor vista da Praça San Martín que revive a romântica história de amor entre o ex-presidente Marcelo Torcuato de Alvear e a soprano Regina Pacini”.

torquato6

Talvez tenha entrado também por ele transmitir aquela ideia que nós, turistas estrangeiros, tínhamos da mítica capital argentina com seus bares, cafés e restaurantes elegantes.

Certo é que passei algumas horas agradáveis ali, vendo a vida passar (e passa gente pra caramba pelas vitrines gigantes do Torcuato & Regina) e observando a vista privilegiada da Torre dos Ingleses, do monumento a San Martín, na praça, do edifício Kavanagh e do Palácio Paz.

torquato5

torquato1

Ah, também comi bem na minha última despedida da cidade: carne, o quinquagésimo bife de chorizo, que nem é a especialidade do bistrô.

Não espere um atendimento espetacular. Fui atendida por uma xará, que não se comoveu com a coincidência, mas fez um atendimento correto.

Enfim, se for, concentre-se na atmosfera.

Ah, e eventualmente há saraus, conversas sobre história e arte e tango. A programação pode ser conferida no site.

torquato4

torquato2

Seguindo os passos do Papa em Buenos Aires

12 de janeiro de 2015 0
Buenos Aires Ciudad, divulgação

Buenos Aires Ciudad, divulgação

Se você visitou a capital argentina pós papa Francisco, só não percebeu se não quis: ele está em tudo. Se um dos atributos divinos é a onipresença, fizeram o mesmo de Bergoglio em BUENOS AIRES. E, dito isso, você pode seguir seus passos na cidade.

  • Há um passeio em ônibus que começa e termina na Basílica de San José de Flores (Av. Rivadavia, 6.950), passa pela casa da família do Papa, pela escola onde ele estudou, pelo seminário, por locais onde costumava rezar missas, pela barbearia que frequentava, pelo local onde nasceu seu clube, o San Lorenzo…
  • O tour de ônibus pode ser feito, gratuitamente, aos sábados, domingos e feriados, às 15h, e tem duração aproximada de três horas. Vagas limitadas com inscrições pelo email circuitopapal@buenosaires.gob.ar
  • Outros dois tours são feitos a pé, durante uma hora e meia, um pelo bairro de Flores e outro em Monserrat.

Mafalda em Buenos Aires, Hello Kitty em São Paulo

26 de novembro de 2014 0

As duas exposições que celebram personagens queridas, ambas até o dia 30.

O MUNDO SEGUNDO MAFALDA, em Buenos Aires - Na Usina del Arte (Av. Don Pedro de Mendoza, 501 – La Boca). A mostra comemora os 50 anos da primeira aparição da personagem e os 60 anos da primeira publicação de seu criador, o cartunista Quino. Mais informações em www.usinadelarte.org

mafalda-704142

HELLO KITTY 40 ANOS, em São Paulo - No Shopping D&D (Av. Nações Unidas, 12559 – Brooklin – São Paulo/SP). Gratuita, a mostra reúne dezenas de curiosidades e representa as mais variadas fases desses 40 anos em que a imagem se firmou como ícone da cultura pop. O espaço de 150m² tem um cantinho preparado para as crianças liberarem a criatividade em oficinas de pintura.

hello

Buenos Aires (6): uma loja de música

21 de outubro de 2014 0
Fotos Rosane Tremea

Fotos Rosane Tremea

Depois de restaurante, exposição, passeio, etc, o post do dia sobre a série de BUENOS AIRES é uma loja de música.

Já era a terceira ou quarta indicação recebida: onde encontrar DVDs de música clássica na cidade?

Se não houvesse na Casa Piscitelli, não haveria em lugar nenhum.

E é bem fácil achar a tradicional casa, no centro da cidade: na San Martín, 488.

E, sim, haveria ali tudo o que se quisesse de clássico, na loja inaugurada em 1939 e que, nesses tempos de downloads, tem jeito de preciosidade parada no tempo.

IMG_3440

O atendimento foi feito pela proprietária, que continua o negócio criado pelo marido, segundo ela não como negócio, mas como uma contribuição à cultura, como ela diz nesse vídeo abaixo que comemorava os 70 anos da casa (agora, já são 75!).

É tudo tão arrumado, tão organizado, que é fácil localizar no computador o que se pede.

Não comprei nada (nenhum DVD ou CD), a não ser uma pequena caixinha para a minha coleção, com uma pauta musical.

E fiquei entre melancólica e reconfortada de saber que lugares como esse sobrevivem.

Buenos Aires (5): El Último Beso, um restaurante

02 de outubro de 2014 3

IMG_3388
E seguindo nessa série de posts sobre uma viagem curta e recente a Buenos Aires, a dica de hoje é um restaurante de comida mediterrânea na cidade das carnes.

E, por irônico que possa ser, foi onde comi o melhor ojo de bife que experimentei na cidade (não era para ser numa casa típica?!).

Pois então: cheguei ao El Último Beso levada pelo guia Lonely Planet que me acompanhou nesta viagem.

Estando por Palermo Viejo, um bairro que reúne algumas das opções mais legais de lugares para comer, folheei o guia compacto e encontrei o restaurante que tem o nome e a decoração inspirados no filme italiano O Último Beijo.

Ele é querido do início ao fim, da fachada ao banheiro.

Na entrada, tem um pequeno café onde xícaras e bules integram a decoração.

IMG_3378

IMG_3381

IMG_3380

IMG_3377

IMG_3382

Logo à esquerda, uma lojinha com objetos de casa, decoração, antiguidades, roupas femininas e acessórios daqueles que geram “óooooos” involuntários.

As mesas do restaurante estão numa espécie de corredor coberto, numa sala pequena com lareira, à esquerda, e no final, o pequeno jardim, que foi minha opção.

IMG_3370

IMG_3372

IMG_3368

É lugar para ouvir o barulho da fonte e os passarinhos atraídos pelas plantas e flores. No dia em que ali estive, uma máquina ligada no que devia ser uma obra das proximidades tentou quebrar o encanto, mas eu não deixei.

A comida, como já falei no início, é excelente (o cardápio é pequeno, mas tem boas opções). O serviço é correto e discreto.

IMG_3359

IMG_3357

IMG_3360

E o legal é que funciona todos os dias (de segunda a sábado, das 9h até o último cliente, e aos domingos das 13h às 20h).
Fica na Calle Nicarágua 4880, em Palermo Viejo.
Dá para voltar e recomendar.
Ah, e pra encerrar a sessão de fotos, as do banheiro! Foi irresistível fotografar.

IMG_3352

IMG_3354

Buenos Aires (4): o Liceo e uma boa peça de teatro

26 de setembro de 2014 0

Quando estou na minha cidade, meu programa cultural favorito é cinema.

Posso escolher dia e hora, já que o horário de trabalho também dificulta outras opções, como teatro, por exemplo.

Mas, quando viajo, não abro mão de ver uma boa peça de teatro, até mesmo quando o idioma não é muito compreensível.

O “boa” é para sempre que possível. Uns anos atrás, em Colônia de Sacramento, no Uruguai, tive uma das mais inusitadas experiências no teatro. Mas isso é outro post.

O que eu quero aproveitar para dizer neste post é que se você for a Buenos Aires por esses tempos, não deve deixar de assistir PARQUE LEZAMA, de Herb Gardner, a primeira adaptada e dirigida por Juan José Campanella, o mesmo do consagrado filme O Segredo dos seus Olhos.

Ganhei o ingresso de presente de aniversário de uma amiga querida e recomendo muito (você pode comprar o ingresso diretamente no site clicando neste link).

Os dois protagonistas vividos por Antonio Cardoso e León Schwartz – Luis Brandoni e Eduardo Blanco – mostram os conflitos entre duas visões de mundo – um histórico militante do Partido Comunista e o outro, um típico alienado. Mas não só isso, claro. A comédia fala de amizade, de velhice, de conflitos familiares, das mudanças cada vez mais meteóricas do mundo, dos costumes, dos comportamentos.

Multiteatro, divulgação

Multiteatro, divulgação

Além disso, o Teatro Liceo é uma atração à parte.

Fica na esquina das ruas Rivadavia e Paraná e é o mais antigo em atividade na cidade. Surgiu em 1872 com o nome “El Dorado”. Teve outros nomes e vários proprietários – o atual é de 1918.

Depois de correr risco de fechamento nos anos 90, foi restaurado e segue em funcionamento. Hoje, o que se nota é que precisaria de uma reforma total, mas ainda assim é confortável, aconchegante, e a acústica é muito boa.

No dia seguinte à peça, fui conhecer o Parque Lezama do título (a maior parte da peça se passa em um banco do parque). Dizem historiadores que foi ali que começou a nascer a cidade.

Fica a umas quatro quadras da praça Dorrego, a da tradicional feira de San Telmo. E está totalmente fechado para passar por uma profunda restauração. Por isso, a foto é só externa.

Fotos Rosane Tremea

Fotos Rosane Tremea

 

IMG_3190

Buenos Aires (2): uma "peña" especial

18 de setembro de 2014 0
Fotos La Peña Colorada, divulgação

Fotos La Peña Colorada, divulgação

Não tinha ouvido falar, até o Gustavo Roth, colega de Redação, vender assim: essa é minha melhor e mais original dica de Buenos Aires!

E foi descrevendo:

“Em Palermo Viejo, na Calle Güemes, 3.657 (http://goo.gl/dox1Bh), fica a tradicional Peña del Colorado, filial da Casona del Molino, de Salta, ao norte, uma das melhores casas de guitarreadas y folklore de toda a Argentina.

O dono é um ruivo (daí o nome ‘colorado’) salteño de origem inglesa, que comanda essa e a outra casa de ‘costumbres’ y música folklorica.

As mesas são grandes e coletivas (é normal sentar-se com outras pessoas) e nas paredes estão várias ‘guitarras’ (violões clássicos) que lá pelas tantas passam de mesa em mesa, de mão em mão, em ótimas noches de guitarreadas!

Se quiser tomar um mate, eles trazem cuia, erva y bombilla na mesa (é só pedir ‘un equipo de mate c/ yerba’).

mate

 

Se quiser provar ótimas empanadas criollas al horno, prove as de ‘queso con verdeo’ (cebolinha verde), ou ‘tamales’, acompanhado de vinho em jarra (que vai ser um ótimo sauvignon ou malbec a preço bem honesto).

empanadas

humita

Eles têm regularmente uma programação diária de bons músicos ‘en vivo’ e depois disso começa a guitarreada. E em outros dias e noites oferecem oficinas de literatura, de dança folklorica, de tango, de culinária criolla, etc…

É literalmente uma casa de costumbres, muito legal, honesta bem frequentada. Em Palermo, pertinho da Plaza Güemes, que é bem conhecida, redondinha, com um parquinho no meio e rodeada de barzinhos.

É a minha dica! Eu vou lá sempre e sempre toco um pouco com a turma nas guitarreadas. Vale a pena!

Provecho!”

Segui a dica e fui, num domingo à noite. Não reservei, como eles sugerem no site, e dei com a cara na porta. Não sabia o horário, até ver o cartaz na entrada do casarão. Fiz hora e voltei mais tarde, mas ainda assim a tempo de ver o ensaio do grupo que se apresentaria em seguida. Não, não tinha reserva, disse à garçonete, que era mais do que isso. Ela logo providenciou uma mesa bem localizada, nos instalou e trouxe o cardápio que me causou arrependimento: não devia ter feito hora num restaurante próximo.

À medida que as pessoas chegavam, fui me sentindo penetra em festa de família. Quase todas as pessoas se cumprimentavam e se conheciam. Muitas eram família e amigos do grupo vocal que se apresentaria depois, umas meninas estilosas que cantariam músicas folclóricas argentinas, um pouco de bossa nova, outro pouco de jazz.

Mas em momento algum fui tratada como tal. De vez em quando alguma interação, e muita atenção quando as meninas começaram a cantar.

No final, depois de hora e tanto de música, aí vieram as tais de guitarreadas que o Gustavo descreveu. Dá para voltar outras vezes, porque cada uma deve ser diferente da outra. E, pelo jeito, sempre bom.

Buenos Aires (1): visita guiada à Casa Rosada

16 de setembro de 2014 3
Fotos Rosane Tremea

Fotos Rosane Tremea

Da Casa Rosada, a sede da Presidência da Argentina, eu só conhecia a fachada (e aqui se abre o primeiro parêntese desse prometido primeiro post sobre Buenos Aires: dizem que a cor pode ter sido fruto de uma tentativa de busca de paz entre o branco dos federalistas e o vermelho dos unitaristas ou simplesmente decorrente do uso do sangue bovino na pintura, algo comum no final do século 19! Hoje, ao final do dia, uma iluminação que, para mim, tem gosto meio duvidoso, realça a cor).
Desta última vez na cidade, por sugestão de um colega, fui fazer a visita guiada e gratuita que acontece aos sábados, domingos e feriados.

Não é preciso agendar. É só chegar e pegar uma senha (as visitas podem ser feitas em português, inglês ou espanhol), entre 10h e 18h. Esperei uns 20 minutos para poder entrar.

No total, a visita dura cerca de uma hora, percorrendo a maior parte das dependências, incluindo o gabinete da presidente (ela pode ser encontrada por ali de segunda a sexta, mas a residência oficial não é a Casa Rosada – Cristina mora em Olivos).

A guia tinha informações precisas, foi gentil e tinha respostas a todas as perguntas que foram feitas. O ritmo da visita também é bem razoável, a não ser no gabinete da presidente, por onde se deve passar muito rapidamente e sem fotografar.

Na antessala do gabinete, chama a atenção um pôster gigante do ex-presidente Néstor Kirchner, morto em 2010.

Em várias salas há muitas marcas do orgulho argentino (e de populismo): o salão das mulheres, dos ídolos populares (Maradona, Messi, Gardel, entre muitos outros), dos cientistas e prêmios Nobel (a Argentina tem cinco deles!), de Perón e Evita…

Abaixo, as fotos mostram um pouco do palácio.

O Salão dos Pintores e das Pinturas Argentinos, a antiga entrada do palácio

O Salão dos Pintores e das Pinturas Argentinos, a antiga entrada do palácio

 

O Pátio das Palmeiras, com árvores nativas, e o piso de cerâmica inglesa

O Pátio das Palmeiras, com árvores nativas, e o piso de cerâmica inglesa

Detalhe das pinturas do Hall das Palmeiras, que estão sendo restauradas

Detalhe das pinturas do Pátio das Palmeiras, que estão sendo restauradas

Salão Branco ou das Recepções

Salão Branco ou das Recepções, onde são realizadas as cerimônias mais importantes

IMG_3096

Salão das Mulheres argentinas, com fotos de mulheres que marcaram a História do país em várias áreas

IMG_3124

No detalhe, na parede, a imagem de Perón e Evita

IMG_3102

A galeria dos ídolos populares

IMG_3136

A Galeria dos Bustos ou Hall de Honra, por onde têm acesso ao prédio a presidente, os ministros e convidados especiais do governo. Nesse dia da visita, o lugar servia de cenário para a gravação de um programa de TV.

Um detalhe dos vitrais e das luminárias

Um detalhe dos vitrais e das luminárias

IMG_3113

E, para encerrar, a Plaza de Mayo vista do balcão (que não é balcão, advertem os arquitetos!) da Casa Rosada

 

Viagem com um pé lá e outro cá

15 de setembro de 2014 0

Estou voltando de 10 dias de férias, que pareceram muitos e pareceram poucos.

É incrível o que se pode viver em poucos dias, quando se viaja, para onde quer que seja: situações, pessoas, lugares… E aí parecem muitos.

É inevitável que dias cheios de tudo isso passem rápido e deixem aquele gosto de quero mais… E aí parecem poucos.

Fui a Buenos Aires, que é tão perto e tão longe ao mesmo tempo, tão diferente do nosso dia a dia. Por mais que se procurem semelhanças, por mais restaurantes que ofereçam sua comida e mais cafés ao estilo portenho surjam na cidade…

Nos próximos posts, vou publicar dicas de lugares e atrações na capital argentina.

Por enquanto, só para ilustrar este, uma imagem que resume como eu me sinto diante de tanto mundo a ver ou rever (!).

E, abaixo, um trecho de uma música que serviu de trilha sonora para parte dessa jornada. O título é sugestivo:

Sólo se trata de vivir

“Dicen que viajando se fortalece el corazón
pues andar nuevos caminos
te hace olvidar el anterior
Ojala que esto pronto suceda,
así podrá descansar mi pena
hasta la próxima vez.”

Arquivo pessoal

Arquivo pessoal

 

Catamarã homenageia o papa Francisco, para cruzar o Rio da Prata, de Montevidéu a Buenos Aires

22 de agosto de 2013 0
Novo catamarã leva o nome de Francisco

Novo catamarã leva o nome de Francisco

Ele tem capacidade para transportar 950 passageiros e 150 carros e, garantem, diminuiu a emissão de poluição em 98%.

E homenageia o papa FRANCISCO, a quem empresta o nome.

O novo catamarã da Buquebus unirá a capital argentina à uruguaia em 2 horas e 12 minutos.

O início da operação no cruzamento do Rio da Prata está marcado para o final de setembro.

Aos passageiros, oferecerá as seguintes opções: econômica, turística, primeira classe e especial, além de sala VIP, sala de reuniões e cinco espaços gastronômicos.

 

Uma conversa sobre Buenos Aires

20 de agosto de 2013 0

Se você quiser acompanhar um bate-papo sobre a capital argentina, a dica é aparecer na CI Zona Sul  (Av. Pereira Passos, 1.125, loja 1, na Zona Sul de Porto Alegre) nesta terça-feira.

BUENOS AIRES é o tema da conversa com Arildo Leal, integrante de uma banda de rock argentina. Ele vai falar sobre os principais pontos turísticos de Buenos Aires, como San Telmo e Abasto, além de outras opções para quem visita a cidade.

A conversa está marcada para as 19h30min, com entrada gratuita.

Confirme presença pelo telefone (51) 3062-0626.

 

Adriano Cescani, divulgação

Adriano Cescani, divulgação

Olhar andarilho sobre Buenos Aires

03 de julho de 2012 4

Taí uma cidade que sempre rende fotos sensacionais, entre outras tantas coisas boas.

Caminhando pelas ruas da capital argentina, tropeça-se em cenários como os captados pela Camila Bettim Borges, que volta e meia envia alguma colaboração para o blog.

Com as imagens, veio um recadinho:

“Olá Rosane,

Lendo teu blog fui resgatar uma fotos que fiz em Buenos de tantos Aires em julho do ano passado. Olhar estas imagens me faz até sentir falta do frio…

Espero que goste do olhar andarilho que fiz na terra dos “hermanos”.”

Para quem for agora em julho visitar BUENOS AIRES, uma dica é clicar aqui para ver algumas das muitas atrações culturais para a primeira quinzena do mês.

E vamos às fotos da Camila.