Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Paraty"

Banquetes em alto-mar em Paraty

21 de agosto de 2015 0
Fotos Gastromar, divulgação

Fotos Gastromar, divulgação

O nome do barco não podia ser mais adequado a esse projeto.

É a bordo do Sem Pressa que rola o Gastromar – Gastronomia Náutica, em Paraty (RJ), ideia das chefs Gisela Schmitt e Lauretta da Martinica. Elas preparam banquetes em alto-mar com ingredientes locais na traineira de madeira tipicamente caiçara.

As chefs ainda oferecem aulas de gastronomia e serviço de catering no barco do cliente com toda a estrutura: chef de cozinha, pessoal para servir, louças e talheres, decoração e DJ, entre outros.

Foto (13)

Foto (4)

Um exemplo de cardápio: curry de camarões e frutas com arroz indiano, salsa de manga e iogurte de pepino; ceviche de robalo e romã; espetinho de camarão, manga e gengibre e pannacota de coco com calda de papaya.

O Gastromar fica na Marina Porto Imperial, onde as chefs também vendem produtos locais frescos.

gastromarparaty.com

Foto (11)

Impressões e informações sobre Paraty

28 de outubro de 2010 1

Não atirem pedras para meu lugar-comum: como é bom poder compartilhar!!!
Uma das coisas de que mais gosto é poder sugerir um lugar, um passeio, uma cidade, e alguém, no retorno, dizer que a visita, o passeio, o almoço, o café, valeu a pena.
E muito bom também é receber sugestões como essa enviada pela VICTÓRIA ZARA MERCIO, sobre um lugar que eu não conheço.
Ela enviou fotos, suas impressões e um serviço com roteiro…
Acompanhe…

“Prezada Rosane,
Sempre que vou viajar aproveito para buscar em seu blog as suas dicas e dos leitores, porque nada melhor do que saber de quem esteve no lugar quais são as melhores atrações.

Mas desta vez vi que não tens posts sobre a cidade de Paraty, na divisa do Rio de Janeiro com São Paulo. Fui muito à cidade quando era pequena, voltei quase 20 anos depois e tive uma agradável surpresa…a cidade continua linda. Por esta razão, gostaria de dividir contigo algumas dicas e impressões sobre a cidade.


Impressões:

Paraty reúne o que há de melhor em turismo náutico e trilhas de aventura num cenário exuberante de vegetação de Mata Atlântica, montanhas da Serra do Mar e ilhas e penínsulas da recortada baia de Ilha Grande. Como se não bastasse a rica natureza do local, a cidade ainda conta com um charmoso e bem preservado centro histórico repleto de sobrados e casarões das épocas do Ciclo do Ouro e do Ciclo do Café.

Nas ruas de Paraty circulam turistas de todo o mundo, além de cariocas e muitos paulistas. A cidade é um centro cultural que recebe diversos eventos e é repleta de artistas e artesãos que exibem suas criações em pequenas lojas.

A cidade possui excelentes pousadas e restaurantes. E caminhar por suas ruas é uma verdadeira aula de história.

Restaurantes:

  • Bistrot Voilá – Estrada Paraty – Cunha Km4 – Ponte Branca: comandado por um chef francês, une o melhor do requinte parisiense com a descontração tropical. Um lugar muito charmoso, com vista para um riacho e para a Mata Atlântica. A comida é deliciosa e os preços, moderados.
  • Sabor do Mar - Rua Domingos Gonçalves de Abreu, s/nº – centro histórico: restaurante especializado em frutos do mar que possui sua própria peixaria. Os clientes podem escolher os peixes e mariscos que desejam experimentar direto da peixaria, o que garante uma comida muito fresca e com um real sabor de mar! A pedida é a parrillada de frutos do mar, onde o peixe, camarões, lulas, lagostas e mariscos são grelhados e servidos à boa maneira “gaúcha” num recipiente de metal aquecido como numa parrillada.

Guias e passeios turísticos:

Paraty Tours – organiza passeios de barco nas ilhas, trilhas em cachoeiras e visitas a alambiques e guias para o centro histórico. Minha sugestão é pedir pelo guia Ricardo, que faz um passeio de 2 horas pelo centro histórico da cidade contando um pouco da história e curiosidades de Paraty com sua arquitetura colonial e famosos turistas e residentes.

www.paratytours.com.br – paraty.tours@terra.com.br – paratytours@paratytours.com.br

Pousadas:

Existem pousadas para todos os gostos e bolsos. Se a pessoa estiver a pé, vale a pena gastar mais com hospedagem e ficar no centro histórico da cidade. Se estiver de carro, conseguem-se preços melhores fora do centro histórico em pousadas igualmente boas.

  • Pousada do Ouro – Rua Dr. Pereira, 145: uma das pousadas mais tradicionais e charmosas do centro histórico. Tem ótimos quartos, uma boa piscina e um ótimo atendimento.

Victória acrescenta um texto reproduzido de um folder turístico da cidade:

Os primeiros portugueses chegaram à região de Paraty no final do século XVI e construíram suas casas no morro hoje chamado do “Forte”. Conviviam com os índios guaianás, que habitavam este lugar que chamavam de Paraty, que significa Lagamar, pequeno golfo.

Por volta de 1630, na margem entre os rios Perequê-Açu e Patitiba, em terras doadas por Dona Maria Jácome de Melo, iniciaram a construção do novo povoado, erguendo uma pequena capela para Nossa Senhora dos Remédios. Até 1660 o povoado pertencia à Vila de Angra dos Reis, dela se separando por revolta popular que criou a Vila, reconhecida oficialmente em 28 de fevereiro de 1667.

No final do século XVII a antiga trilha indígena, que ligava Paraty ao Vale do Paraíba, passou a escoar a produção de ouro e pedras preciosas das Minas Gerais. Por ela, agora conhecida como “Caminho do Ouro” ou “Estrada Real”, transitavam riquezas, pessoas, gêneros e tradições portuguesas.

No século XVIII, erguem-se a atual Matriz, as Igrejas de Santa Rita e Nossa Senhora do Rosário e define-se o traçado urbano em forma de leque, à moda portuguesa, intensifica-se a produção de aguardente que associa seu nome ao da cidade.

No século XIX, pela estrada da Serra desce o café do Vale do Paraíba e a produção de aguardente atinge cerca de 2 milhões de litros. As ruas continuam a ser calçadas com pedras, construiu-se um novo hospital, a Capela das Dores e concluíram-se as obras da Matriz.

Isolada das rotas de comércio, no final do século XIX, amargou quase cem anos de decadência, que preservou suas edificações, arruamento, cultura e tradições, que são hoje, seus principais atrativos turísticos. Estes, aliados à exuberante Mata Atlântica, suas cachoeiras e trilhas e à baia com inúmeras praias e ilhas.

Paraty foi inscrito nos livros de Tombo do IPHAN em 1958 e reconhecida como Monumento Nacional em 1966. Hoje Paraty é candidata ao título de Patrimônio Mundial pela Unesco.