Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Ilópolis"

Festa do Pão, em Ilópolis

15 de outubro de 2014 0
Associação dos Amigos dos Moinhos do Vale do Taquari, divulgação

Associação dos Amigos dos Moinhos do Vale do Taquari, divulgação

Toda vez que eu penso em pão, lembro da minha mãe.

Não só porque ela fazia o melhor pão que eu já comi na vida, mas porque sempre tinha uma história relacionada a ele para contar.

Ela costumava falar de um vizinho na colônia que era tão fanático pelo alimento que, sempre que exagerava na dose dizia, em dialeto vêneto (escrito aqui do jeito que se pronuncia):

“Cravichi, se fusse de pan me manharia”.

Na tradução (também livre): “Palavrão, se eu fosse feito de pão, comeria a mim mesmo”.

E havia sempre uma outra historinha enquanto ela colocava o pão no forno de barro, no fogão a lenha ou, meio contrariada, no fogão a gás.

Meu olho brilha diante de um pão recém saído do forno, quentinho, de uma prateleira de padaria, de uma mesa de café da manhã.

moinho1

moinho2

E esse nariz de cera (essa introdução) passou da conta diante do que eu queria dizer mesmo, que era divulgar a Festa do Pão que será promovida esta semana pela Associação dos Amigos dos Moinhos do Vale do Taquari nesta semana.

Vai ser dos dias 16 a 19, em ILÓPOLIS, onde fica o belíssimo Museu do Pão. Se você não visitou ainda, é uma bela oportunidade.

Veja abaixo a programação:

 

Reprodução

Reprodução

Como é lindo o meu vale...

13 de janeiro de 2014 0

Bairrismo à parte, eu sempre me emociono quando (re)vejo a terra onde nasci, o vale que abriga as cidades da minha infância, adolescência…

Gostei de rever tudo isso na semana passada, numa das reportagens da série dos mochileiros Nádia Bochi e Jimmy Ogro no programa Mais Você, de Ana Maria Braga, na Globo.

Mais de uma vez falei aqui sobre o MUSEU DO PÃO e a GRUTA DE ITAPUCA e sobre filós e festas italianas etc, etc…

museu

 

 

gruta3

A reportagem está neste link. São vários pequenos vídeos que mostram lugares e personagens.

Festa da Erva-Mate, em Ilópolis

12 de novembro de 2013 0

Pra você que gosta de sair pelo Interior no final de semana, a dica para este é ir até ILÓPOLIS, no Alto Taquari, a cerca de 200 quilômetros de Porto Alegre.

A viagem, por si só, já revelará belas paisagens, que valem a saída.

Mas é que Ilópolis, aproveitando o feriadão da Proclamação da República, promove uma festa chamada Turismate (Festa da Erva-Mate), um evento bienal realizado desde 2003.

fotoilopolis

Entre os 14 e 17, há uma programação intensa, típica de festa do Interior.

A erva-mate é a base da economia da cidade de 4 mil habitantes.

Reconstrucao-do-Processo-Historico-da-Erva-Mate

Aproveite para, pelo menos, conhecer o Complexo Museu do Pão, uma das iniciativas mais bacanas do Rio Grande do Sul.

MuseudoPao

Turismate, divulgação

Turismate, divulgação

P.S.: está em Ilópolis uma das lembranças mais queridas de minha infância, dos piqueniques que fazíamos, no Dia das Crianças, no Parque do Ibama.

Lago-Verde

Livro, documentário e exposição no Centro Cultural Erico Verissimo, na Capital

22 de maio de 2012 0

Nesta terça, dia 22, o livro Museu do Pão – Caminho dos Moinhos tem lançamento no Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, em PORTO ALEGRE.

Organizada por João Grinspum Ferraz, com fotografias de Nelson Kon, o livro será autografado a partir das 19h.

Também será mostrado o documentário O Milagre do Pão (55 min), com roteiro e direção de Isa Grinspum Ferraz.

Ambas as obras registram e contextualizam a criação do Museu do Pão, no Moinho Colognese, construído em 1917 em Ilópolis, que fica a cerca de 200 quilômetros de Porto Alegre.

Projetado pelos arquitetos Marcelo Ferraz e Francisco Fanucci, o restauro do Moinho Colognese e as construções do Museu do Pão e da Escola de Panificação e Confeitaria unem o antigo e o novo, e são considerados marcos da arquitetura.

No próprio centro cultural, até o dia 2 de junho, segue em exposição Brasil Arquitetura: a Tradição do Novo, dos dois arquitetos (sala O Arquipélago, 1º andar, de terça a sexta-feira, das 10h às 19h, e aos sábados, das 11h às 18h, com entrada franca).

A exposição apresenta outros dois projetos desenvolvidos pelos arquitetos –Museu Rodin Bahia, também chamado de Palacete das Artes Rodin Bahia, e Memorial de Imigração Japonesa (Museu KKKK), em Registro (SP).

Abaixo, só para ilustrar, o convite da abertura da mostra.

Cartões-postais numa cidade do Alto Taquari

08 de agosto de 2011 2

CARTÃO-POSTAL

Reencontrei, em férias recentes, paisagens da minha infância.

Era tudo tão perto e tudo tão longe.

Bastava percorrer 14 quilômetros para ir de Anta Gorda, a minha cidade, até Ilópolis, a vizinha  mais próxima.

Mas era uma viagem! Foi muitas vezes nosso piquenique de Dia da Criança. O parque do IBDF (o Ibama daquele tempo, então chamado de Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal) era o destino.

Eu tenho medo de voltar a alguns lugares especiais, que parecem perder o encanto passado um tempo.

Não foi o caso…

Retornei para ver uma atração recente, o Museu do Pão.

Mas acabei revendo os lugares daquele tempo em que percorrer 14 quilômetros fazia parecer que se estava conquistando o mundo.

E não me decepcionei. Estava tudo lá, como eu lembrava. No parque e na cidade, revisitei a infância.

Enfim, uma visita ao Museu do Pão

14 de junho de 2011 10

É muito legal receber material de divulgação de todo lado e ser abastecida pelos leitores, mas eu sempre prefiro conferir com meus próprios olhos. Não por desconfiança, mas por curiosidade e vontade de conhecer lugares novos.

Por isso já estava meio “passada” com a impossibilidade de chegar ao Museu do Pão, mais um caso daqueles “tão perto, tão longe”.

Pois, afinal, cheguei lá, num roteirinho que fiz pelo Vale do Taquari, uma região linda do Rio Grande do Sul.

O Museu do Pão fica no Moinho Colognese, na pequena e simpática ILÓPOLIS (que, como eu costumo brincar, é uma das cidades da “grande Anta Gorda”), a 200 quilômetros de Porto Alegre.

O Colognese é um dos seis a integrar o CAMINHO DOS MOINHOS, uma iniciativa que pretende recuperar antigos moinhos abandonados, não apenas para restaurá-los, mas para dar-lhes vida nova, reintegrá-los às comunidades para os quais foram tão importantes em outras épocas.

No Museu do Pão, inaugurado em 2008, há uma pequena coleção de objetos utilizados pelos imigrantes italianos do Vale do Taquari, refazendo a trajetória da produção do alimento “do grão ao prato”.

Uma outra linha do tempo resume 14 mil anos da presença do pão na história da humanidade e das religiões.

Há, ainda um pequeno auditório para documentários, filmes e palestras.

E, óbvio, um espaço para oficinas onde se pode aprender a fazer pães e outras delícias. Não é apenas uma viagem no tempo. É, também, uma viagem que pode ajudar a delinear o futuro dessas comunidades.

Suco de alface: surpresa no Alto Taquari

15 de julho de 2008 3

Meu colaborar emérito André Mags não tem noção do perigo. Ele “ousou” escrever sobre a MINHA região. É quase uma declaração de guerra. Mais: atreveu-se a falar de minha terra natal, ANTA GORDA. Ainda bem que desta vez centrou suas baterias em nossa vizinha, ILÓPOLIS. Confira as impressões do André abaixo:


Comecei a me interessar pelo lugar onde estava quando vi no cardápio `suco de abacaxi com limão e alface`. E o gosto sobrepujante era o da folha verde. Não ruim, mas estranho. Deu vontade de tomar outro copo para ter certeza do que havia provado. Nordeste gaúcho, Vale do Alto Taquari: isso pode ser uma região tão surpreendente quanto um suco de alface?



Se Ilópolis estiver no caminho, pode, sim
. Ali fica o Museu do Pão. É só ver o logotipo do museu e passar a acreditar no que as pessoas falam sobre a cidade, que “está investindo no turismo”. Faz lembrar as jogadas de marketing dos estrangeiros, que criam logos modernosos no intuito de transformar seus museus em marcas.


Procure por Ilópolis no Google. Lá está o Bread Museum marcando presença.

O pequeno município, de 4.255 habitantes (censo de 2000), tem ainda a simplicidade da Festa das Etnias (os italianos tomam conta), a Cascata da Baleia, de grande vazão em época de chuva, e o pacífico Lago Verde, pontilhado por cogumelos coloridos em suas margens.


No caminho tem o interessante hotel na Lagoa da Harmonia e montanhas cobertas por neblina em Teutônia. Já na “categoria suco de alface”, há uma colossal estátua de anta na praça central de Anta Gorda (poderia ser outro lugar?). Não ruim, mas estranho.”


Postado por Rosane Tremea