Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Santa Tereza"

Santa Tereza, beleza que pode ser tombada e deve ser preservada

04 de novembro de 2010 0

Será até o final desta semana que o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) decidirá pela preservação dos núcleos urbano e rural de Santa Tereza, na serra gaúcha.

A cidade, com menos de 2 mil habitantes, ainda mantém características da época da colonização. A arquitetura urbana das casas e sobrados mais antigos de Santa Tereza, implementada a partir do início do século 20, tem influencia neoclássica e eclética. A superintendência do Iphan-RS inventariou 47 casas do núcleo urbano por seu alto grau de interesse histórico e cultural. Elas representam um conjunto expressivo da arquitetura urbana ítalo-brasileira, a maioria conservada até hoje, com destaque para os sobrados de madeira – como a Casa da Família Miele e a Antiga Fábrica de Gaitas -, as casas de madeira com fachada frontal de alvenaria e as construções de alvenaria rebocada com arranjos formais neoclássicos.

Localizada às margens do Rio Taquari e do Arroio Marrecão, Santa Tereza tem cerca de 570 moradores que habitam as 250 casas do núcleo urbano. Os outros quase 1,5 mil habitantes moram na área rural, nos imóveis que ficam nas estradas pertencentes à antiga Linha Leopoldina da Colônia Dona Isabel. A partir de 1887, os lotes foram distribuídos entre os colonos italianos.

O núcleo urbano foi constituído anos depois da instalação das estradas rurais, acompanhando a alta produtividade e a necessidade de escoamento da produção. O vilarejo, que abrigava o porto e a sede paroquial, foi erguido em função do porto natural, já que o lugar era o último ponto navegável do Rio Taquari. Santa Tereza gozava de posição estratégica, considerada um dos principais núcleos produtores na década de 1950.

No Rio Grande do Sul, o desenho urbano dos núcleos coloniais italianos mantém a regularidade do traçado quadricular. As edificações também revelam as características da arquitetura ítalo-brasileira no sul do Brasil, com os sobrados de madeira e as casas de alvenaria com embasamento em pedra, existência de porões para o armazenamento do vinho e outros produtos coloniais. Entre os núcleos gaúchos, Santa Tereza é o mais singelo e também o mais íntegro do ponto de vista da ocupação urbana já que mantém quase intactas as características originais do seu traçado.