Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Colômbia"

Das coisas que se vê por aí, em Cartagena

07 de novembro de 2014 0

O relato abaixo é do colega Thiago Copetti e mostra um tipo de cena que deixa nossas viagens mais ricas.

“Em viagem a Cartagena, na Colômbia, no início do ano, me chamou a atenção, logo que cheguei, uma banca de locação de celulares. Depois, circulando, observei que eram comuns em diferentes ruas, em geral, em regiões mais simples. Não eram aparelhos para venda, como me pareceu em uma primeira olhada. Eram para ‘llamadas’, como diz no cartaz. Horas depois, observando os transeuntes, notei que, ao contrário do Brasil, os colombianos (ou pelo menos em Cartagena) não vivem grudados em um celular. Demorei a encontrar na multidão um nativo ao telefone. Muitos nem têm, e param nas bancas quando estão na rua e querem falar com alguém.

DSC06275

Há mais bancas de locação de celular do que aparelhos públicos de telefone fixo. É como um sistema de celular privado de aluguel, aparentemente de baixo custo (deduzo pela “modernidade” dos aparelhos, na foto), mas que parece dar conta do recado e deixar a cidade menos frenética. Para efeitos estatísticos, fui conferir a densidade de celulares por habitante no Brasil e por lá. Estamos com cerca de 30% mais celulares per capita aqui do que na Colômbia. Enquanto o Brasil tem cerca de 1,3 aparelho registrado por habitante, a Colômbia registra praticamente 1 por 1. É a estatística confirmando as ruas (e as percepções de um turista).”

Em Cartagena, gato e janela numa foto só

18 de agosto de 2013 3

Sabendo das seções GATOS DE VIAGEM e JANELAS DE VIAGEM, a Nádia Tremea (que, apesar do sobrenome eu só conheço do blog e das redes sociais!) mandou mais uma foto “dois em um”: um gato em uma janela.

E  o seguinte recado:

“Sabemos de sua predileção por gatos e janelas e, ao vermos uma combinação destas em CARTAGENA, Colômbia, lembramos de você e tiramos fotos. Não sabemos como o “bichano” resiste aos 39ºC.

A Colômbia é um país muito bonito, as pessoas são acolhedoras, é bastante seguro também, há policiamento ostensivo.

Abraços”

Nádia Tremea – Ponta Grossa (PR)

A Colômbia como destino de lua de mel

21 de setembro de 2012 0

Um casal de amigos passou a lua de mel em San Andrés, na COLÔMBIA, e adorou a escolha.

Mas o país vende outros destinos para casais apaixonados que visitarem o país. A saber, com textos enviados pelo escritório de turismo colombiano:

  • Cartagena de Índias - Lugar que combina história e modernidade e o típico se confunde com a influência da cultura européia. Em um romântico passeio de charrete é possível descobrir a cidade e observar os encantos de sua arquitetura colonial, republicana e moderna. Na gastronomia, os preferidos dos namorados são os bistrôs, como o Donde Orlando, que serve os pratos à meia-luz. Outra opção é jantar no terraço de um hotel boutique ou degustar as iguarias colombianas admirando o pôr do sol no Café del Mar, que fica acima das muralhas da cidade.

  • San Andrés – A ilha foi agraciada pela Unesco com o título de Reserva de Biosfera de Flora Marinha e, por estar inserida na terceira maior barreira de corais do mundo, virou o destino preferido de casais em lua de mel. O local é perfeito para a prática de snorkeling, mergulho profissional, windsurfe, kitesurfe ou apenas passear de barco. Rose Cay e Hanes Cay, conjunto conhecido por Isla del Amor, fica a 10 minutos de San Andrés é o local mais propício para admirar as várias tonalidades do mar caribenho.

  • Ponte dos Namorados - Na ligação entre as ilhas de Providência e Santa Catalina, vizinha de San Andrés, a Ponte dos Namorados, é sustentada por balsas fixas e flutuantes e em seu centro tem uma espécie de túnel que abre passagem para pequenas embarcações no canal artificial, construído por piratas. Ao longo da ponte, além dos bancos de madeira com gravuras de caranguejos, há iluminação adequada para a noite.

  • Santa Marta – A cidade mais antiga da América do Sul tem um patrimônio arquitetônico inigualável. Indicado para os casais aventureiros, o Parque Nacional Tayrona (foto abaixo) é ideal para observar a flora e a fauna, especialmente de aves. O lugar tem chalés que em seu interior revelam luxuosas instalações cinco estrelas, com jacuzzi ao ar livre, spa e restaurantes.

Concurso natalino

05 de dezembro de 2011 0

Um concurso natalino reúne a Proexport Colômbia, organização do governo colombiano responsável pela promoção do turismo internacional, e a Submarino Viagens.

No Twitter da Submarino (@SubViagens) está sendo promovido o concurso cultural “Natal de Dobro”. O prêmio a um dos seguidores será uma viagem para a Colômbia, e o ganhador também poderá presentear uma pessoa com um vale-presente.

Para participar, é preciso indicar o perfil do amigo no Twitter e dizer porque ambos merecem esses presentes. O post deve ser iniciado da seguinte forma: @SubViagens #Natalemdobro. O participante pode enviar quantas respostas desejar.

A promoção é válida até 20 de dezembro, e o resultado será anunciado no dia 23. O vencedor e seu acompanhante ganharão uma viagem de cinco dias para a Colômbia, onde visitarão Bogotá e Medellín. O amigo, indicado no post, ganhará um vale-presente no valor de R$ 100, para ser utilizado no Submarino.com.

Informações no link: www.SubmarinoViagens.com.br/especiais/twitter/concurso-colombia


A Colômbia no Belezas do Mundo

10 de outubro de 2011 0

Pra começar bem a semana, que tal essa conversa sobre a COLÔMBIA, um destino bacana e próximo?

É o país da América do Sul o tema do Belezas do Mundo de hoje, às 19h30min, na Bazkaria (pra mim, uma das melhores pizzas da cidade!).

No encontro, a viajante Maria Palma Wolff fará um relato e exibirá imagens de sua caminhada pela Sierra Nevada, onde visitou a Ciudad Perdida, sítio considerado sagrado pelos indígenas.

Também serão destacados detalhes sobre a arquitetura colonial espanhola da capital Bogotá e fotografias feitas na ilha caribenha de Providência, conhecida internacionalmente pelo seu mar azul de águas calmas.

A partir da edição de maio, os participantes passaram a concorrer a duas passagens aéreas a Lima, capital do Peru, pela TACA Airlines. O sorteio será realizado no final deste ano.

ONDE FICA

  • O Belezas do Mundo ocorre há quatro anos na Bazkaria, em parceria com a STB Trip & Travel, com entrada gratuita, porém com vagas limitadas.
  • A Bazkaria localiza-se na Rua Comendador Caminha, 324, em frente ao Parcão, em Porto Alegre.
  • Os interessados devem confirmar presença antecipadamente pelos telefones (51) 3346-1088 ou 8155-6611.


Dois programas para a terça na cidade

12 de julho de 2011 1

Não vou poder ir a nenhum, mas torço para que as agruras do inverno do Rio Grande do Sul não atrapalhem esses dois programas de terça-feira em Porto Alegre.

1 – O primeiro deles é praticamente no quintal da minha casa e eu adoraria dele participar, por que me lembraria muito a infância, quando todas as famílias de minha aldeia pegavam suas cadeiras (será que a gente levava pipoca ou algo do gênero?!) e iam para a praça assistir a qualquer filme que passasse (eu só lembro dos do Teixeirinha!!!), muito antes de Cinema Paradiso aportar nas nossas telas.

Nessa terça, o Paseo Zona Sul, um minishopping da Tristeza, promove uma sessão de cinema ao ar livre. Se chover, o evento é transferido, mas o frio não pode assustar. É que ainda que seja a céu aberto, o Paseo se preparou para o inverno com lounges, pelegos, aquecedores, mantinhas para os frequentadores… E o filme é perfeito: JULIE E JULIA, com Meryl Streep, com apresentação e comentários do colega Roger Lerina. Vai ser às 19h30min, com acesso gratuito (leve um quilo de alimento não perecível!).

Veja o trailer do filme:


2 – Quase no mesmo horário, às 19h, no outro lado da cidade, MARIA PALMA WOLFF fala sobre a COLÔMBIA no Papo Viajante.

Ela passou por Bogotá, Cartagena das Índias e fez uma caminhada de cinco dias na Sierra Nevada para desvendar um sítio sagrado indígena.

Gratuito, o Papo Viajante é sempre no Espaço STB BRASAS (Anita Garibaldi, 1.515). Confirme presença pelo telefone (51) 4001-3010.

O café (da Colômbia) é patrimônio cultural da humanidade

07 de julho de 2011 3

A paisagem cafeeira da Colômbia foi declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

A entidade escolheu outras 24 candidaturas ao redor do mundo, entre paisagens de beleza natural e patrimônios de valor cultural.

A região inclui os Estados de Antioquia, Caldas, Risaralda, Quindío e Vale do Cauca, num total de 62 municípios produtores e exportadores do produto. O país é o 4º maior produtor mundial de café, atrás do Brasil (1º), Taiwan (2º) e Indonésia (3º). Em 2010, o país produziu 9 milhões de sacas, 80% destinados à exportação.


Uma expedição pela Colômbia

18 de março de 2011 1

O EVANDRO COLARES, biólogo de Porto Alegre que costuma frequentar o blog comentando ou enviando colaborações, escreve desde a COLÔMBIA, para onde embarcou no último dia 10 com sua companheira, Márcia.

Ele, que normalmente viaja de carro pela América do Sul, desta vez seguiu de avião.

No roteiro estão a capital, Bogotá, Santa Marta, de mar e montanhas, a “cidade amurallada” de Cartagena de Indias e a caribenha ilha de San Andrés, com seu mar de sete cores.

Reproduzo abaixo o post que ele publicou no seu blog, VIAJANDO NA PATAGÔNIA E AMÉRICA DO SUL, sobre o Parque Nacional Tayrona. Se quiser seguir o resto da viagem, confira no blog do Evandro.


“No último domingo fizemos um passeio ao Parque Nacional Tayrona. Este é considerado um dos parques mais lindos e populares da Colômbia, com muitas praias, selva, serras e trilhas. Tinha tudo para ser uma maravilha de passeio, mas não foi bem assim que aconteceu. A gente entrou numa roubada, pelo menos foi esse o nosso sentimento!

Tomamos uma lancha em Taganga com mais outras 15 pessoas e seguimos para o Parque lá pelas 10h. Logo depois que saímos da bahia de Taganga entramos em mar aberto numa navegação costeira. E o mar estava muito picado! Os primeiros vôos do barco e os borrifos foram legais e divertidos, todo mundo foi rindo, mas depois de 15 minutos batendo as costas, saltando do banco e todo ensopadado nós começamos a rezar para que a viagem terminasse logo. Só que ainda faltavam mais 50 minutos de provação para chegar a Cabo San Juan de la Guia, nosso destino no parque.

Bem, depois de um tempo eu não olhei mais para o relógio, pois era pior, custava mais a passar o tempo. Eu só olhava a Márcia e ficava com peninha da carinha de assustada dela, toda contraída, agarrando-se do jeito que dava para não pular fora da lancha! Os outros passageiros também foram “murchando” ao longo do percurso. E ainda bem que por prevenção nós tínhamos tomado comprimidos de Dramin para evitar o enjôo e foi essa a nossa salvação para a história não terminar em pesadelo.


Depois de passarmos por várias e várias enseadas na costa chegamos a Cabo San Juan. Uma praia lindíssima, diria mesmo que paradisíaca. Só que o nosso moral tinha ficado tão para baixo que, sinceramente, a gente nem chegou a curtir. Parece que tínhamos tomado, como se diz lá pelo sul do Brasil, uma tunda de relho das boas, hehehe (hoje eu já posso rir da situação)!!! Parecendo dois cachorros molhados sabíamos que teríamos enfrentar uma volta dolorosa, ai, ai, ai!!! E não tinha outra alternativa, pois o parque situa-se numa área isolada e o acesso por terra pode ser feito de auto somente até a entrada do parque. Nos deslocamentos internos é necessário utilizar as trilhas que cruzam serras e selva. E de chinelinho de dedos não ia dar para encarar, até mesmo porque a passagem de volta já estava paga! Bom, o negócio foi tentar relaxar da melhor forma possível e curtir o que dava. Secamos ao sol, tomamos algumas fotos e caminhamos no entorno próximo para às 15:30 embarcar novamente para Taganga. A sorte que, com vento a favor, o trajeto da volta foi mais rápido, mas ainda assim saltamos muito do banco da lancha e batemos bastante as costas no encosto. Ao final parece que tínhamos tomado uma verdadeira surra!


Se você desejar fazer esse passeio de lancha até o Parque é possível, principalmente com espírito de aventura, mas não faça um bate e volta como nós fizemos. Proteja sua bagagem e equipamentos com sacos plásticos e prepare-se para se molhar com os borrifos de água. Utilize um impermeável leve se desejar. Programe-se para ficar pelo menos uma noite no parque. Em Cabo San Juan existe camping, restaurante e você também pode alugar uma rede com mosquiteiro para dormir à noite. O lugar é muito astral e merece a visita, sem sombra de dúvidas. A passagem na lancha desde Taganga custa COP$ 40.000,00 por pessoa, portanto são COP$ 80.000,00 ida e volta. Paga-se mais COP$ 35.000,00 de ingresso no Parque ao desembarcar na praia. E “suerte” amigo, hehehe!”

Um roteiro pela Colômbia

02 de dezembro de 2010 0

É bem frequente receber pedidos de dicas sobre a Colômbia, especialmente sobre Cartagena de Índias (é por isso que eu acredito que se pode vencer a violência – quem diria, até uns 15 anos atrás, que aquele país conseguiria dar a volta por cima, quando era sinônimo de violência e se tornasse um destino turístico cobiçado?!).

Por isso vou me valer do blog 2 NA ESTRADA, das porto-alegrenses Solange e Caterine, que estão por lá a essa altura e descrevem, como já fizeram com outros destinos, detalhes do planejamento e da viagem propriamente dita.


Acompanhe clicando aqui: http://2nasestradas.blogspot.com

Roteiro no Triângulo do Café colombiano

09 de novembro de 2010 1

Com milhares de plantações de café, a Colômbia é um dos grandes produtores da bebida. Naquele país, o café é cultivado nas cordilheiras, entre 1 mil e 1,6 mil metros de altitude, no Eixo Cafeeiro, nos estados de Quindío, Caldas e Risaralda, que contam com clima ideal para produzir o café que é referência em todo o mundo.

A rota conhecida como Triângulo do Café, além de grande produtora, também ficou conhecida pelo turismo rural. São muitos lugares para visitar e se hospedar que deslumbram turistas.

Quindío

Na capital Armenia e seus arredores é possível encontrar lugares magníficos para se conhecer. Um destino maravilhoso de tradição e descanso é o Parque Nacional do Café, o maior museu a céu aberto sobre o tema. Por meio de um teleférico, é possível percorrer de ponta a ponta, uma área de 52 hectares de plantações, e também admirar uma réplica da Plaza Bolívar de Armênia de 1926. O passeio ainda conta com a trilha pelo “processo de produção do café”, com guias que matam as curiosidades sobre a bebida.

Risaralda

No caminho entre Armenia e Manizales, está a capital do departamento de Risaralda, Pereira, com agitada vida noturna e rica gastronomia. O Bosque del Samán tem casas com características de sede de fazenda, com piscina e jacuzzi, e fica no município de Cerritos, próximo a Pereira. Na capital fica o Zoológico Matecaña e a praça cívica Ciudad Victoria. Ao redor, é possível apreciar cenários como as fazendas cafeeiras, rumo ao município de Marsella, as fazendas na estrada de Cerritos e a passagem pelo Rio Cauca no povoado de Virginia.

Caldas

Uma das mais importantes produtoras cafeeiras tem Manizales como sua capital. No departamento, funciona o Centro de Pesquisas Cafeeiras. A capital é também o ponto de partida para o Parque Natural los Nevados, onde é possível pisar na neve e admirar a paisagem gelada e de grande altitude, que chega a 4,8 mil metros. Pela geografia montanhosa, a cidade contava com um teleférico que escoava o café da região até o porto de Mariquita. A estrutura deixou de funcionar em 1961, mas ainda é possível enxergar seus vestígios, como a estação de madeira, atual sede da Universidade de Nacional.

Curiosidades sobre o café

  • É a terceira bebida mais consumida no mundo, atrás da água e do chá
  • A planta que possui mais de 8 mil espécies


Comida de beira de estrada

30 de outubro de 2008 4

COISAS PARA COMER EM VIAGENS

Semana passada, participei, com a Bete Duarte, editora do caderno Gastronomia de ZH, de um evento interessante na Unisc, em Santa Cruz do Sul. A proposta era falar sobre turismo gastronômico com estudantes do curso de Tecnólogo em Gastronomia da universidade.

Adverti que não era especialista no assunto (nem em turismo nem em gastronomia!), mas pesquisando nos meus arquivos me dei conta de o quanto o tema me interessa (“enquanto” amadora nos dois temas!).

Se não, por que faria fotos de pratos num tempo em que ainda não eram populares as câmeras digitais e cada pedacinho de filme em viagem era pensado, já que não se sabia muito bem qual seria o resultado? Hoje a gente tira foto de cada coisa, não?

Por exemplo, em 2001 tirei a foto abaixo:


Foto: Rosane Tremea

A bandeja amassada, o aspecto pouco apetitoso do prato poderia não recomendar, pois não?

Mas olha, eu ainda lembro do sabor dessa combinação de batata com aipim, banana e um tipo de embutido que um jornalista colombiano levou a mim e a outros colegas a experimentar numa beira da estrada que levava de Bogotá (COLÔMBIA) a Zipaquirá, um trajeto de 49 quilômetros entre a capital colombiana e a atração da cidade, a Catedral de Sal.

O lugar era chinelinho, a bandeja também, mas esse prato de “picadinhos”, como diria um amigo meu de Tocantins, era tu-do.

Bom, o que eu queria dizer com esse blá-blá-blá todo é que às vezes os pratos mais saborosos e mesmo típicos podem estar num lugarzinho de beira de estrada como esse, mais do que em algum lugarparaturistaver (quem já não entrou numa boa roubada dessas, pagando uma baita grana?).

Então, olho na beira de estrada!!! Se você tiver uma sugestão de lugar assim, mande!!!


Postado por Rosane Tremea

Mal de altura

10 de abril de 2008 2

A Club Colombia, cerveja local/Caroline Torma
Mais uma contribuição de minha colega Caroline Torma, ainda sobre BOGOTÁ, a capital colombiana. Ela fala sobre os efeitos da altitude:

“Antes de chegar a Bogotá eu nunca tinha ouvido a expressão “mal de altura”. Ao colocar os pés na cidade, no entanto, achei que ela tinha sido cunhada especialmente em minha homenagem.

Eu costumo enjoar em barcos, navios e coisas que se movem sobre a água de todos os tamanhos. Nem nos meus piores pesadelos pensei que poderia marear em terra firme. Mas foi exatamente o que ocorreu.

Acontece que Bogotá foi construída aos pés da Cordilheira dos Andes, a 2.640 metros de altitude. A paisagem é linda. Mas eu fiquei com uma cor branca esverdeada em todas as fotos da viagem.

Resumindo: é como uma ressaca interminável, só que sem beber nenhuma gota de álcool (fui orientada pelos colombianos a não beber porque o álcool ampliaria os efeitos do mal de altura. Em uma semana, não pude provar nem uma gota sequer de Club Colombia, a marca de cerveja mais famosa do país).
Um remédio para enxaqueca e chá de coca ajudam a conviver com a sensação. O bom de tudo isso é que, com o passar dos dias, a coisa vai melhorando. Acho que se eu vivesse uns 50 anos na Colômbia, não teria problema nenhum.”

Postado por Rosane Tremea

As gordinhas famosas de Botero

20 de março de 2008 2

No centro de Bogotá, o Museu Botero/Rosane Tremea


No ano passado, a Caroline Torma, colega aqui de Zero Hora, esteve em BOGOTÁ e se apaixonou pela cidade. É difícil mesmo não gostar daquela metrópole que, curiosamente, não é sufocante, apesar dos quase 8 milhões de habitantes de sua região metropolitana.

Quem for à capital colombiana não pode deixar de conhecer o Museu Botero, tema deste texto escrito pela Caroline para o blog:


“Nas últimas semanas, a Colômbia voltou a ganhar destaque no mundo pelo motivo que os colombianos mais detestam ser lembrados: a violência das Farc.

Mas é preciso dizer que a Colômbia não é somente um país de narcotraficantes e seqüestradores. Pelo contrário. Ao passar por lá, em outubro de 2007, tive gratas surpresas, algumas delas artísticas.

Além de ser a pátria do realismo fantástico de Gabriel García Márquez, por exemplo, a Colômbia é também o país de Fernando Botero, o pintor das gordinhas. Em um charmoso museu instalado em La Candelaria, o bairro boêmio e universitário da capital Bogotá, a ditadura da beleza anoréxica do século 21 simplesmente não existe.

Elas, as cheinhas, é que são as estrelas. Se conhecer o acervo de obras do pintor não é suficiente como atração, basta dizer que Botero doou toda a sua coleção de obras particulares ao museu. A lista inclui quadros e esculturas de Salvador Dalí e Pablo Picasso.

De lembrança, além das fotografias – é possível registrar tudo, desde que sem usar o flash – dá para trazer para casa lindas reproduções do pintor. Eu escolhi uma Monalisa um tanto avantajada para enfeitar minha sala.”


Foto: Caroline Torma

Postado por Rosane Tremea