Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Gatos de Viagem"

Numa vitrine do centro de Curitiba

01 de dezembro de 2014 0

gatorosaura
Nunca vou esquecer o dia em que vi, na casa da mãe de uma amiga, o gato gigante circular pela mesa de canto onde havia no mínimo uma dúzia de porta-retratos e o abajour.

Eu fiquei ali, observando e esperando o desastre que parecia se anunciar, mesmo sabendo da habilidade felina.

Pois ele passou e não derrubou um único objeto.

E aí, claro, não causa nenhum espanto gatos em vitrines, tão comuns em cidades como Buenos Aires, ainda que o conteúdo à mostra seja delicado.

Esse aí foi flagrado por minha cunhada numa vitrine em CURITIBA, para a seção GATOS DE VIAGEM, que de vez em quando eu abandono, mas tem sempre lugar no blog.

garosaura1

Duas imagens em Bratislava, na Eslováquia

28 de agosto de 2014 0

Desembarquei, sem ter planejado, para algumas horas em Bratislava, a capital da Eslováquia.

A pé, no centro da cidade, impossível não tropeçar nesta estátua chamada Cumil.

Em bronze, ela mostra um homem que espia a partir de uma tampa de um bueiro.

Fotos Rosane Tremea

Fotos Rosane Tremea

Você pode escolher: trata-se de um espião ou apenas de um engraçadinho que usa desse posto privilegiado para espreitar as mulheres?!

Mas não olhe apenas para o chão, no pequeno centro histórico da cidade, a arquitetura é bem interessante.

Já na saída, num roteiro em que praticamente não vi nenhum gato para acrescentar à seção GATOS DE VIAGEM, encontrei este cartaz. Também vale, não?!

IMG_0948

 

O Uruguai, amável de todas as formas

02 de julho de 2014 0

A Luciana Diedrich esteve há pouco no Uruguai e mandou sua contribuição para o blog, especialmente para a seção GATOS DE VIAGEM.

Confira:

“Olá Rosane, tudo bem?

Estive alguns dias de férias em Montevideo, no Uruguai, e lembrei do seu blog, mais precisamente da seção “gatos de viagem”!

De volta ao Brasil para torcer por nossa seleção, envio a você meu registro para que veja não só a receptividade do povo uruguaio com nós brasileiros, como a receptividade de seus bichos!

Explico: após almoçar uma deliciosa comida e degustar um excelente vinho na Bodega Bouza (que fica a 30 minutos do centro da capital), ao sair para pegar um sol naquele dia de frio, deparo com uma simpática gata sobre o espaço que a vinícola dispõe para relaxar, com o intuito de terminar o vinho apreciando o campo e as parreiras.

Ao me aproximar do lounge, não é que a gatinha vem se “aninhar” ao meu lado e continuar seu sono?! Muito dócil, me lembrou o estilo uruguaio de ser: calmo, simpático e receptivo! Tive que registrar!!

 

Fotos arquivo pessoal

Fotos arquivo pessoal

foto 2 (1)

 

foto 5

foto 3

Mas para minha surpresa, após alguns minutos ali, eis que surgem pavões (uns 5 machos e 3 fêmeas) lindos e coloridos! Cada um na beleza de sua penugem. Eles ficaram ali, como quem quisesse ver o que estávamos fazendo, desfilando entre nós, e posando para as fotos (a máquina que aquela hora estava pronta para o melhor movimento animal!!!). E não bastasse todos esses visitantes nos cumprimentarem, logo em seguida um casal de galinha e galo também apareceu!!! No mesmo clima de curiosidade das outras aves…

foto 4

Cópia de foto 1

Enfim, fica meu registro e minha dica de local para visitar em solo uruguaio!!

Abraços, Luciana Diedrich”

Gatos no Chile, há muitos anos...

17 de abril de 2014 0

Lá pelas tantas, deparei com essas fotos enviados para a seção GATOS DE VIAGEM esquecidas desde 2011 no rascunho de um posto.

Foram enviadas pela Daniela, do BordaGato.

E aí são aquelas coisas que se cruzam por aí: andava atrás de uma espécie de case artesanal para minha câmera fotográfica, e encontrei numa lojinha perto de casa… Fui ver a etiqueta e era da…BordaGato.

E mexendo no blog para organizá-lo, dou de cara com as fotos.

Enfim, encontrei o que queria e o que devia há muito tempo.

As fotos foram tiradas no CHILE.

No Facebook da BordaGato tem uma galeria com mais fotos.

“Em todas as nossas andanças, a máquina fotográfica sempre retorna com algum felino pra contar história, já é tradição”, contou a Daniela.

O gato negro no muro foi próximo da casa de Pablo Neruda.

Fotos BordaGato, arquivo pessoal

Fotos BordaGato, arquivo pessoal

A frajolinha em frente aos chocolates é de uma tabacaria no shopping Pátio Bela Vista.

patiobelavista

E, por fim, o safado das linguiças foi no mercadão em Valparaíso.

valparaiso

 

 

Para os Gatos de Viagem, um descansado, em Israel

23 de outubro de 2013 0

Para a seção que reúne fotos tiradas de gatos em viagens, a Anne Glock Cohen cedeu essas duas.

Deixemos que ela conte de onde vêm:

Anne Glock Cohen, arquivo pessoal

Anne Glock Cohen, arquivo pessoal

“Foram tiradas no mesmo dia, em janeiro de 2009, na cidade de Iafo, em Israel, que é vizinha de Tel Aviv. Você pode ir andando pelo calçadão de uma cidade à outra.

Iafo é prioritariamente de moradores árabes – há muitas lojas com narguilés.

Estava em um passeio com minhas amigas e tirei a foto do gato de fora da loja, e uma delas entrou depois e tirou de dentro também.

A loja vendia coisas como pistaches, nozes, castanhas, etc, para comer na hora ou levar em quantidade maior.

Israel 07

Em Cartagena, gato e janela numa foto só

18 de agosto de 2013 3

Sabendo das seções GATOS DE VIAGEM e JANELAS DE VIAGEM, a Nádia Tremea (que, apesar do sobrenome eu só conheço do blog e das redes sociais!) mandou mais uma foto “dois em um”: um gato em uma janela.

E  o seguinte recado:

“Sabemos de sua predileção por gatos e janelas e, ao vermos uma combinação destas em CARTAGENA, Colômbia, lembramos de você e tiramos fotos. Não sabemos como o “bichano” resiste aos 39ºC.

A Colômbia é um país muito bonito, as pessoas são acolhedoras, é bastante seguro também, há policiamento ostensivo.

Abraços”

Nádia Tremea – Ponta Grossa (PR)

Gatos (perdidos) de Santorini

12 de agosto de 2013 0

Talvez tenha sido despeito (do bem, do bem, já explico)…

Quando eu era criança, havia dois lugares que povoavam meu imaginário de viajante: Aruba e Santorini. Aruba porque eu via com frequência, num Almanaque Disney, imagens que ilustravam um concurso que tinha como prêmio principal uma viagem à “Disneilândia” e, como consolação, uma viagem a Aruba para o segundo colocado.

Meu irmão mais novo e eu depositamos muitos cupons e toda a nossa esperança de conhecer a Disney naqueles concursos do Almanaque que nem existe mais (acabou em 2005!!!). E, se não desse, quem sabe fôssemos a Aruba, que precisávamos procurar bem no mapa para saber onde ficava. Nem sei se nossos cupons chegaram ao destino, mas que nós viajamos muito na imaginação, isso viajamos.

Com Santorini, minha questão remete à infância, mas aí é individual.

Grécia (assim como o Egito, outra obsessão) estava com muita frequência na capa das edições da revista Selecões/Reader’s Digest, que meu pai assinava. E foi ali que descobri aquela ilha com casinhas brancas encarapitadas na pedra, com o sol se derramando num mar azul.

Também virou meta para a vida.

Curiosamente, conheci algumas ilhas do Caribe (Curaçao, República Dominicana…) e outras das Bahamas, mas ainda não fui a Aruba.

Também ainda não cheguei à Grécia (embora tenha visto sítios arqueológicos gregos fantásticos na Sicília) nem ao Egito. Dos meus destinos de infância, só fui à Disney mesmo (e, preciso confessar, adorei a viagem!).

Não acho ruim não ter alcançado minhas metas infantis. Seguem ali, alimentando meu desejo de conhecer o mundo. Minha mãe dizia que a gente tinha “mais tempo do que vida”. Sempre me debati com essa filosofia dela, a que eu interpreto agora assim: nossa vida é suficiente para realizar muitos sonhos, para fazer as coisas acontecerem… Um dia eu chego lá, não faço gincana comigo mesma…

E aí é que volta o despeito lá do início deste post: é que há milênios eu recebi um e-mail de fotos de um leitor chamado Sérgio T. Gonçalves, a quem agora eu quero pedir desculpas.

As imagens mostram cenas de pôr do sol (que eu amo!) e de gatos (que são mania na seção GATOS DE VIAGEM!) em SANTORINI. E, talvez por despeito inconsciente, o e-mail ficou esquecido na caixa.

Agora o resgato (sem trocadilho!) para mostrar as belas fotos que ele enviou, com o texto abaixo:

“Cara Rosane: Sou teu leitor contumaz. Logo, quando me preparava, no início do mês para fazer algumas fotos do pôr do sol em Oia, Santorini, e vi o gato, logo lembrei de ti. Lá o pessoal se arruma para ver o sol e bater palmas. Um abraço, Sérgio Theodósio Gonçalves, de Porto Alegre.”


Um gato e uma janela de viagem reunidos em Bento

26 de julho de 2013 0

Como você sabe, de vez em quando aparecem por aqui duas seções batizadas como GATOS DE VIAGEMJANELAS DE VIAGEM. Dois gostos pessoais meus e que têm muitos adeptos por aí.

O Fabrício Mallmann, de Carazinho, mandou essas fotos que reúnem as duas coisas: um gato e uma janela.

Foram tiradas no inverno de 2012 nos CAMINHOS DE PEDRA, em Bento Gonçalves.

A casa, típica da colonização italiana, me trouxe uma nostalgia enorme. Lembrou as da minha infância, quando visitava meus tios e achava engraçado a cozinha separada da área da sala e dos quartos por um corredor coberto. Minha mãe dizia que era para evitar que, caso houvesse um incêndio, a casa inteira fosse queimada.

Obrigada, Fabrício!

A ausência de Gatos de Viagem

03 de junho de 2013 0

Gosto de fotografar gatos quando viajo, e eles são quase onipresentes. E aproveito para atualizar a seção do blog chamada… GATOS DE VIAGEM.

Mas, na ITÁLIA, desta vez, o que surpreendeu não foi a presença deles, mas a ausência.

Os de ROMA, por exemplo, que ilustram há anos material de divulgação da Cidade Eterna, sumiram do mapa… Li que a presença deles em sítios arqueológicos, no ano passado, foi motivo de uma acirrada discussão entre pesquisadores e amantes dos animais. No Coliseu, que era infestado deles, encontrei um só…

Fiz fotos de alguns, cá e lá, em várias cidades. Como eu não os encontrava, fotografei os das lojas de porcelana em SAN GIMIGNANO, e o recorte na porta para o gato entrar e sair em MONTERIGGIONI.

Um gato vigilante em Porto Pim‏

28 de fevereiro de 2013 1

GATOS DE VIAGEM

O gato vigilante, no alto do telhado da casa bem caiada, vem de Porto Pim, na cidade de Horta, na Ilha do Faial, nos Açores.

O gato do telhado é um gato de família. Se chama Banana e é da amiga de uma amiga.

E nada como a ODE AO GATO, DE PABLO NERUDA, para descrever esse e outros gatos… O poema é gigante, vai aqui só um pedacinho, o início dele.


Os animais foram

imperfeitos,

compridos de rabo, tristes

de cabeça.

Pouco a pouco se foram

compondo,

fazendo-se paisagem,

adquirindo pintas, graça vôo.

O gato,

só o gato apareceu completo

e orgulhoso:

nasceu completamente terminado,

anda sozinho e sabe o que quer.


Um gato numa prateleira de Santarém

11 de janeiro de 2013 0

O jornalista português Joaquim Antonio Emidio, que volta e meia manda notícias de além-mar, fotografou o gato abaixo ao ir até a casa de uma entrevistada em Santarém (PT).

Joaquim mandou a foto e o email abaixo:

“Confesso o meu amor pelos cães. Não desdenho o amor pelos gatos. Muitos dos trabalhos jornalísticos que tenho feito ao longo de 25 anos de jornalismo com pessoas ligadas ao meio intelectual têm quase sempre gatos pelo meio e o cheiro a mijo dentro de casa. Voltou a acontecer com uma senhora de 79 anos professora e mulher ligada à cultura de Santarém.

Este gato era um dos muitos que circulavam pela casa e que saltavam à nossa frente como se tivessem a função de nos animarem a vista.

A Dª. Rosalina Melro é viúva de um senhor que antes de morrer lhe pediu o seguinte: que no caso de alguma dificuldade que não ligasse à compra de flores para a sua campa mas que nunca se esquecesse de alimentar os gatos ( cerca de 30) que têm na sua quinta nos arredores da cidade. Como é evidente os gatos de casa têm a barriga cheia e o pêlo farto.

Este gato deixou-se fotografar como se fosse um modelo. Tive pena de não ter levado a sério a pose que ele fez para mim a mais de dois metros do chão nesta prateleira da cozinha. Acho que um dia vou lá voltar para perceber este diálogo com as prateleiras e as corridas a que assisti durante a entrevista entre a varanda da rua e a marquise que dá para as traseiras da casa.

Se não se desse o caso de ter visto o gato a saltar para cima da prateleira diria que, ali naquele lugar e aquela altura, e numa prateleira de uma cozinha, só poderia ser um gato de loiça. Mas não é. É um gato modelo que me conquistou pela forma como vive numa casa onde o cheiro a mijo não corresponde àquilo que são os padrões de quem não tem gatos em casa como é o meu caso e adora os gatos dos outros.”

Gatos de Viagem pela Europa

28 de dezembro de 2012 0

Recebi da leitora Diva Bombassaro, de Carazinho, um e-mail em que conta sobre uma viagem que ela e o marido fizeram à Europa no ano passado, acompanhado de várias fotos para a seção GATOS DE VIAGEM.

Publico o texto enviado por Diva, com as fotos dos bichanos. Confira:


“Oi Rosane! Tudo bom?

Para começar, gostaria de fazer um agradecimento com cerca de um ano de atraso. Em 2011, enquanto eu planejava com meu marido nossa primeira viagem para a Europa, fiz contato contigo e você gentilmente me repassou valiosas dicas sobre Londres, Paris, Lisboa e a Itália. Acabou que não pudemos incluir a Itália em nosso roteiro, mas passamos 19 dias fantásticos viajando, curtindo essas três capitais europeias e seus arredores. Lembrei de ti enquanto tirávamos uma soneca naquelas espreguiçadeiras verdes do Jardim das Tulherias, afinal você me disse mais de uma vez sobre o quanto viajar sem pressa e sem querer cumprir roteiros fixos ansiosamente torna tudo mais prazeroso.

Ah! E em Portugal fizemos um roteiro de carro pelo interior, incluindo Cascais, Sintra, Óbidos, Alcobaça… que lugares lindos!

No retorno, segui acompanhando fielmente tanto teu blog quanto as dicas do Caderno Viagem e da coluna sobre intercâmbios da ZH. Agora que estamos quase embarcando novamente, desta vez para estudar inglês por um mês na Irlanda, achei que estava mais do que na hora de te contatar para agradecer.

Então,muito obrigada pela tua disponibilidade e generosidade!


Outra coisa importante: encontrei alguns gatos durante nossos passeios, e fiz uma seleção dos mais charmosos para dividir contigo. Em Londres e em Paris eles estavam mais tímidos. Em Versailles, persegui um gato preto pelos jardins, tentado capturar uma pose entre os arbustos, mas ele não me deu bola. Os gatos portugueses estavam mais dispostos a um contato, então as fotos ficaram mais bacanas.

Na subida para o Castelo de Sao Jorge, paramos em um terraço, para observar o lugar conhecido como encosta das três igrejas, mas alem da linda vista, um gatinho brincando na janela de um sobrado chamou nossa atenção. Adoro gatos pretos!


Quando entramos no Castelo, para nossa surpresa, a recepção era feita por uma turma de felinos. Teve um que se postou ao lado da placa indicativa e a foto ficou um charme.


Em Óbidos, um filhote mais arisco nos deixou registrar seu “banho”.


Espero que você goste das fotos. Meu marido, a certa altura da viagem, já me chamava quando via um gato e comentava: “esse merece ir para o Gatos de Viagem?”.

Da Irlanda, prometo enviar alguns gatos e janelas!

Um grande abraço,

Diva Bombassaro

Um guardião nos Açores

11 de agosto de 2012 0

O que dizer de mais esse personagem da seção GATOS DE VIAGEM?

Ele parece um sentinela sobre o poço fotografado numa das ilhas dos AÇORES, o arquipélago português.

Atento e vigilante, não parecia ter cara de muitos amigos, mas aos poucos se aproxima dos intrusos e se derrama.

Ainda bem que o poço tem tranca e cadeado para garantir…



À espreita, um gato em Colônia

25 de julho de 2012 0

GATOS DE VIAGEM

Encontrei esse simpático filhote em COLÔNIA DO SACRAMENTO, no Uruguai.

Eu o vi mais de uma vez. Estava sempre ali, com artesãos que montavam seus expositores na praça principal da simpática cidade uruguaia.

Parecia estar à vontade com a circulação permanente de turistas, mas nem por isso deixava de se proteger. Bastava chegar perto para ele usar o cavalete como escudo.

A boêmia felina pelo Bom Fim

09 de junho de 2012 0

GATOS DE VIAGEM

O Bom Fim, que já foi o principal ponto da boêmia de Porto Alegre, anda renovado.

Vale a pena caminhar pelas ruas do bairro, com muitos cafés, bares, restaurantes, lojinhas.

Foi num desses passeios que a Dionires Campesatto e sua filha, Carol, flagraram esses gatos, que estavam ou se recuperando ou se preparando para mais uma noitada.