Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts na categoria "Geral"

Os melhores museus do mundo, segundo os viajantes, e os dois brasileiros da lista

19 de setembro de 2014 0

No início da semana, o site de viagens TripAdvisor divulgou sua enésima lista de melhores…

Desta vez, os melhores museus. Não tenho a minha própria relação, nem assino embaixo desta. Mas como não dá pra resistir a uma lista.

Entre os 25 destacados, na opinião de usuários, há dois brasileiros:

  • Instituto Ricardo Brennand, em Recife (PE)
  • Inhotim, em Brumadinho (MG)

Os 10 top do mundo

1. Instituto de Artes de Chicago, Chicago, Estados Unidos

2. Museu Nacional de Antropologia, Cidade do México, México

3. Museu Hermitage e Palácio de Inverno, São Petersburgo, Rússia

4. Getty Center, Los Angeles, Estados Unidos

5. Galleria dell’Accademia, Florença, Itália

6. Musee d’Orsay, Paris, França

7. Museu Metropolitano de Arte, Nova York, Estados Unidos

8. Museu da Acrópole, Atenas, Grécia

9. Museu do Prado, Madri, Espanha

10. Memorial do Holocausto Yad Vashem, Jerusalém, Israel

Confira a lista dos 10 top do Brasil

1. Instituto Ricardo Brennand, Recife (PE) - Réplica de um castelo medieval europeu que abriga armas e armaduras provenientes da Europa e da Ásia. O ponto alto é a pinacoteca, que exibe o maior acervo do pintor holandês Frans Post.
2. Inhotim, Brumadinho (MG) - Mistura de jardim botânico e galeria de arte. Tem acervo de 700 obras, das quais 170 estão expostas. Entre as mais curiosas estão fuscas coloridos, estátuas de bronze sem cabeças e 500 esferas que flutuam sobre a água.
3. Museu da Língua Portuguesa, São Paulo (SP) - Pioneiro ao apostar na tecnologia para proporcionar experiências interativas. Mostras temporárias já homenagearam, entre outros, Guimarães Rosa, Clarice Lispector, Fernando Pessoa e Jorge Amado.
4. Pinacoteca do Estado de São Paulo, São Paulo (SP) - O prédio projetado no fim do século 19 pelo arquiteto Ramos de Azevedo abriga mais de 9 mil obras, a maioria delas com foco na arte brasileira.
5. Museu do Futebol, São Paulo (SP) - Localizado sob as arquibancadas do tradicional Estádio do Pacaembu, é todo interativo. É possível assistir a jogadas históricas e até ouvir narrações de rádio em cabines de áudio.
6. Museu Imperial, Petrópolis (RJ) - O antigo palácio onde a família real portuguesa passava o verão hoje expõe relíquias do período do Segundo Reinado (1840-1889) como a pena com a qual Princesa Isabel assinou a abolição da escravatura.
7. Catavento Cultural e Educacional, São Paulo (SP) - O Palácio das Indústrias, que chegou a ser sede da prefeitura da cidade, hoje é um espaço que apresenta (de um jeito divertido) conceitos de física, biologia e astronomia por meio de recursos audiovisuais.
8. Museu de Ciências e Tecnologia da PUCRS, Porto Alegre (RS) -  Apresenta conceitos de química, física e matemática de uma forma lúdica usando espelhos, sombras e até choque elétrico. O ponto alto da visita é o Giroscópio Humano.
9. Museu da Gente Sergipana, Aracajú (SE) - Apresenta, com muita tecnologia e interatividade, diversos ícones da cultura do Estado como culinária, hábitos, personagens e folclore.
10. Museu da TAM, São Carlos (SP) - O maior museu de aviação do mundo mantido por uma companhia aérea privada apresenta em um espaço de mais de 20 mil m2 cerca de 70 aeronaves.

 

Buenos Aires (2): uma "peña" especial

18 de setembro de 2014 0
Fotos La Peña Colorada, divulgação

Fotos La Peña Colorada, divulgação

Não tinha ouvido falar, até o Gustavo Roth, colega de Redação, vender assim: essa é minha melhor e mais original dica de Buenos Aires!

E foi descrevendo:

“Em Palermo Viejo, na Calle Güemes, 3.657 (http://goo.gl/dox1Bh), fica a tradicional Peña del Colorado, filial da Casona del Molino, de Salta, ao norte, uma das melhores casas de guitarreadas y folklore de toda a Argentina.

O dono é um ruivo (daí o nome ‘colorado’) salteño de origem inglesa, que comanda essa e a outra casa de ‘costumbres’ y música folklorica.

As mesas são grandes e coletivas (é normal sentar-se com outras pessoas) e nas paredes estão várias ‘guitarras’ (violões clássicos) que lá pelas tantas passam de mesa em mesa, de mão em mão, em ótimas noches de guitarreadas!

Se quiser tomar um mate, eles trazem cuia, erva y bombilla na mesa (é só pedir ‘un equipo de mate c/ yerba’).

mate

 

Se quiser provar ótimas empanadas criollas al horno, prove as de ‘queso con verdeo’ (cebolinha verde), ou ‘tamales’, acompanhado de vinho em jarra (que vai ser um ótimo sauvignon ou malbec a preço bem honesto).

empanadas

humita

Eles têm regularmente uma programação diária de bons músicos ‘en vivo’ e depois disso começa a guitarreada. E em outros dias e noites oferecem oficinas de literatura, de dança folklorica, de tango, de culinária criolla, etc…

É literalmente uma casa de costumbres, muito legal, honesta bem frequentada. Em Palermo, pertinho da Plaza Güemes, que é bem conhecida, redondinha, com um parquinho no meio e rodeada de barzinhos.

É a minha dica! Eu vou lá sempre e sempre toco um pouco com a turma nas guitarreadas. Vale a pena!

Provecho!”

Segui a dica e fui, num domingo à noite. Não reservei, como eles sugerem no site, e dei com a cara na porta. Não sabia o horário, até ver o cartaz na entrada do casarão. Fiz hora e voltei mais tarde, mas ainda assim a tempo de ver o ensaio do grupo que se apresentaria em seguida. Não, não tinha reserva, disse à garçonete, que era mais do que isso. Ela logo providenciou uma mesa bem localizada, nos instalou e trouxe o cardápio que me causou arrependimento: não devia ter feito hora num restaurante próximo.

À medida que as pessoas chegavam, fui me sentindo penetra em festa de família. Quase todas as pessoas se cumprimentavam e se conheciam. Muitas eram família e amigos do grupo vocal que se apresentaria depois, umas meninas estilosas que cantariam músicas folclóricas argentinas, um pouco de bossa nova, outro pouco de jazz.

Mas em momento algum fui tratada como tal. De vez em quando alguma interação, e muita atenção quando as meninas começaram a cantar.

No final, depois de hora e tanto de música, aí vieram as tais de guitarreadas que o Gustavo descreveu. Dá para voltar outras vezes, porque cada uma deve ser diferente da outra. E, pelo jeito, sempre bom.

Um café/bistrô em Gramado

17 de setembro de 2014 0
Fotos Rosane Tremea

Fotos Rosane Tremea

Ele é tão bem localizado, ao lado da igreja de Gramado, e existe já há alguns anos que fiquei me perguntando como é que nunca tinha estado por lá nas idas relativamente frequentes à cidade…

Fomos tomar um café num final da tarde no Josephina Café e Bistrô, e os lanchinhos que pedimos são tão bem servidos que valem por uma refeição.

Como o dia era bem agradável, ficamos no jardim externo, sob um pergolado, mas o interior da casa é muito querido, cheio de objetos antigos, muitos deles da família.

IMG_3051

No site do Josephina li que ele foi criado pelos irmãos Patricia, Gabriel, Rodrigo e Carolina Klauck Moraes.
Eles transformaram a casa construída por seu bisavô na década de 50 no café e guardam, por exemplo, a placa e a broca que identificam a profissão do bisavô, que era dentista.
A sala da lareira é especialmente charmosa.

IMG_3052

IMG_3056

Mas voltando aos comes.

Eu resolvi pedir um doce: um palatschinken, uma iguaria austríaca que é uma espécie de crepe (optei pelo de maçã com canela), acompanhado de um cappuccino.

IMG_3049

Me espantei com o tamanho e acabei dividindo o doce. Muito, muito bom.

O Josephina fica na Rua Pedro Benetti, 22.

Buenos Aires (1): visita guiada à Casa Rosada

16 de setembro de 2014 3
Fotos Rosane Tremea

Fotos Rosane Tremea

Da Casa Rosada, a sede da Presidência da Argentina, eu só conhecia a fachada (e aqui se abre o primeiro parêntese desse prometido primeiro post sobre Buenos Aires: dizem que a cor pode ter sido fruto de uma tentativa de busca de paz entre o branco dos federalistas e o vermelho dos unitaristas ou simplesmente decorrente do uso do sangue bovino na pintura, algo comum no final do século 19! Hoje, ao final do dia, uma iluminação que, para mim, tem gosto meio duvidoso, realça a cor).
Desta última vez na cidade, por sugestão de um colega, fui fazer a visita guiada e gratuita que acontece aos sábados, domingos e feriados.

Não é preciso agendar. É só chegar e pegar uma senha (as visitas podem ser feitas em português, inglês ou espanhol), entre 10h e 18h. Esperei uns 20 minutos para poder entrar.

No total, a visita dura cerca de uma hora, percorrendo a maior parte das dependências, incluindo o gabinete da presidente (ela pode ser encontrada por ali de segunda a sexta, mas a residência oficial não é a Casa Rosada – Cristina mora em Olivos).

A guia tinha informações precisas, foi gentil e tinha respostas a todas as perguntas que foram feitas. O ritmo da visita também é bem razoável, a não ser no gabinete da presidente, por onde se deve passar muito rapidamente e sem fotografar.

Na antessala do gabinete, chama a atenção um pôster gigante do ex-presidente Néstor Kirchner, morto em 2010.

Em várias salas há muitas marcas do orgulho argentino (e de populismo): o salão das mulheres, dos ídolos populares (Maradona, Messi, Gardel, entre muitos outros), dos cientistas e prêmios Nobel (a Argentina tem cinco deles!), de Perón e Evita…

Abaixo, as fotos mostram um pouco do palácio.

O Salão dos Pintores e das Pinturas Argentinos, a antiga entrada do palácio

O Salão dos Pintores e das Pinturas Argentinos, a antiga entrada do palácio

 

O Pátio das Palmeiras, com árvores nativas, e o piso de cerâmica inglesa

O Pátio das Palmeiras, com árvores nativas, e o piso de cerâmica inglesa

Detalhe das pinturas do Hall das Palmeiras, que estão sendo restauradas

Detalhe das pinturas do Pátio das Palmeiras, que estão sendo restauradas

Salão Branco ou das Recepções

Salão Branco ou das Recepções, onde são realizadas as cerimônias mais importantes

IMG_3096

Salão das Mulheres argentinas, com fotos de mulheres que marcaram a História do país em várias áreas

IMG_3124

No detalhe, na parede, a imagem de Perón e Evita

IMG_3102

A galeria dos ídolos populares

IMG_3136

A Galeria dos Bustos ou Hall de Honra, por onde têm acesso ao prédio a presidente, os ministros e convidados especiais do governo. Nesse dia da visita, o lugar servia de cenário para a gravação de um programa de TV.

Um detalhe dos vitrais e das luminárias

Um detalhe dos vitrais e das luminárias

IMG_3113

E, para encerrar, a Plaza de Mayo vista do balcão (que não é balcão, advertem os arquitetos!) da Casa Rosada

 

Um blog pra quem anda por aí e gosta de foto

12 de setembro de 2014 0
Reprodução

Reprodução

Quem deu a dica do Nomad Revelations foi o Jefferson Botega, que é editor de Fotografia e foi atraído, claro, pelas muitas imagens de muitos lugares do mundo.

O site é do João Leitão, especialista e viciado em viagens e fotografia que conhece mais de 90 países em todos os continentes e já viveu em oito deles (países, claro).

O Nomad Revelations funciona como uma espécie de arquivo de todas essa aventuras.

 

Safári fotográfico na Namíbia

11 de setembro de 2014 0
Haroldo Castro, divulgação

Haroldo Castro, divulgação

Entre 16 e 27 de novembro, a Viajologia Expedições promove um Safári Fotográfico na Namíbia,  acompanhado pelo fotógrafo e jornalista Haroldo Castro, para registrar imagens de grandes mamíferos como rinocerontes, leões, elefantes e girafas, conhecer comunidades tradicionais, dormindo em lodges no deserto.

- Viajar pela Namíbia é uma experiência singular. Além de ser um exemplo em conservação ambiental no continente africano, o país possui as paisagens mais fotogênicas que conheço – diz Haroldo Castro, que conhece 165 países e é o idealizador de Viajologia Expedições.

Situada na África, a 4,5 mil quilômetros de distância da América do Sul, a Namíbia encontra-se em frente ao litoral brasileiro. O país não está entre os atingidos pelo vírus do ebola, que já fez centenas de vítimas no continente africano.

Entre desertos e savanas, um terço do território é composto por parques e áreas protegidas.

- A Namíbia é um dos raros lugares na África onde os rinocerontes não estão em perigo de extinção – diz Haroldo.

NAM2558-G530

Por onde passa o roteiro:

- Dunas de Deadvlei, as mais antigas do planeta, com areias vermelhas e árvores retorcidas sem vida há seis séculos.

- Costa do Esqueleto, onde há uma colônia de focas-do-Cabo e restos de embarcações naufragadas.

- Locais habitados pelos pastores tradicionais Himbas.

- Parque Nacional Ethosha e a reserva Ongava, com saídas matutinas e vespertinas em busca da fauna selvagem.

Durante a viagem, os participantes participam de uma oficina fotográfica com Haroldo Castro e recebem dicas do professor, que acrescenta que fotógrafos iniciantes são bem-vindos.

Sobre Haroldo Castro, segundo sua assessoria:

Entre suas façanhas, está a expedição jornalística “Luzes da África”, quando percorreu 40 mil km por 18 países africanos em 2010. A aventura foi registrada no livro Luzes da África, publicado pela Ed. Civilização Brasileira. A obra de 574 páginas e 130 fotos foi indicada ao Prêmio Jabuti 2013 na categoria Reportagens. As três paixões de Haroldo Castro são contar histórias com fotos e crônicas, estar na natureza e viajar intensamente. Tem 40 anos de experiência como fotógrafo, jornalista e diretor de documentários. O neologismo “Viajologia” foi criado por ele e significa “a arte e a ciência de viajar”.

Roteiro detalhado em viajologia.com.br

Primavera no Vale dos Vinhedos

10 de setembro de 2014 0
Fotos Gilmar Gomes, divulgação

Fotos Gilmar Gomes, divulgação

Às vésperas da primavera, o Vale dos Vinhedos prepara uma programação especial para receber os turistas.
São degustações em vinícolas, jantares harmonizados e piqueniques…
Um dos eventos mais concorridos é o passeio ciclístico, previsto para 12 de outubro, um trajeto de 5 quilômetros regado a suco de uva.
A programação completa vai de 12 de setembro a 16 de novembro. Vinho. Foto de Gilmar Gomes

Obras de arte no piso da Catedral de Siena

09 de setembro de 2014 4
Fotos Enit, divulgação

Fotos Enit, divulgação

Eu fui e não vi.

Eu não vi, mas recomendo.

Até 27 de outubro, a Catedral de Siena, na Toscana, exibe o seu piso de mármore com desenhos feitos em mosaico.

Apenas nesta época do ano é possível contemplar a atração, que normalmente é encoberta por uma proteção.

O pintor Giorgio Vasari  (1511-1574), sobre a obra, disse:

- É o piso mais lindo, maior e magnífico.

Matteo di Giovanni. Strage degli Innocenti

O chão da catedral começou a ser construído em 1300 e só foi finalizado por volta de 1800, passando por diversas gerações de artistas italianos renomados.

A igreja pode ser visitada de segunda-feira a sábado, das 10h30min às 19h30min, e, aos domingos, das 9h30min às 18h.

Custa 7 euros, incluindo a visita ao piso, à catedral e à biblioteca Piccolomini (imperdível, posso atestar!).

 

Neroccio di Bartolomeo de’ Landi. Sibilla Ellespontica

 

Neroccio di Bartolomeo de’ Landi. Sibilla Ellespontica (2)

Giovanni di Stefano. Sibilla Cumea

Pietro del Minnella su disegno del Maestro di Sant’Ansano. Morte di Assalonne

Colchas de retalhos em Gramado

08 de setembro de 2014 0
Fotos divulgação

Fotos divulgação

De 10 a 13 de setembro, Gramado promove o 17º Festival Brasileiro de Quilt e Patchwork.

Os artistas que produzem obras de arte em tecido vêm de todos os cantos do Brasil e da América Latina se reunirão no Centro de Eventos da Faurgs.

Durante o festival há mostras, cursos, oficinas, concurso e feira de produtos e serviços com mais de 40 expositores. E, no final, uma parada em que os artistas mostram suas obras.

Festival Quilt e Patchwork (2)

Serviço

  • 17º Festival Brasileiro de Quilt e Patchwork em Gramado
  • 10 a 13 de setembro, das 10h às 18h
  • Centro de Eventos da Faurgs (Rua São Pedro, 663, no centro de Gramado)
  •  Ingresso a R$ 15

 

O Al Mondo agora na Argentina

05 de setembro de 2014 0
Casa Antucura, Al Mondo Divulgação

Casa Antucura, Al Mondo Divulgação

Depois de anos indo à Europa (França, Itália e Espanha), meus amigos do Al Mondo – Turismo Gastronômico desta vez optaram por um destino mais próximo, porém não menos interessante.

A edição de 2014 desta viagem ao mundo da gastronomia será em MENDOZA, região onde são produzidos alguns dos melhores vinhos argentinos.

Shutterstock, Al Mondo Divulgação

Shutterstock, Al Mondo Divulgação

A proposta do Marcelus, da Susi e de seus parceiros, para outubro, é parecida com a das temporadas europeias: as quatro noites na Villa de Uco, a 80 quilômetros de Mendoza, combinam almoços e jantares no próprio local, almoço com aula de cozinha na vinícola Terrazas de los Andes e jantar em restaurante típico na cidade.

Marcelo Fernández (Miradas de Mendoza Colección), Al Mondo divulgação

Marcelo Fernández (Miradas de Mendoza Colección), Al Mondo divulgação

Casa Antucura, Al Mondo Divulgação

Casa Antucura, Al Mondo Divulgação

Casa Antucura, Al Mondo Divulgação

Casa Antucura, Al Mondo Divulgação

Casa Antucura, Al Mondo Divulgação

Casa Antucura, Al Mondo Divulgação

Meus amigos de Ijuí não oferecem pacotes com passagens, translados etc…

Eles recebem as pessoas no local combinado para essas experiências gastronômicas, com cuidados especiais, carinho e simpatia. Que, vamos combinar, é o que mais importa numa viagem.

Um (belo) espaço para a cultura em Lajeado

04 de setembro de 2014 0

IMG_3063

Vinda de uma cidade onde as opções de cultura eram quase nulas, adoro quando volto/vou para cidades do interior gaúcho e tenho surpresas agradáveis como a que tive ao conhecer o Centro Cultural da Univates, em Lajeado.

Foi a mesma sensação ao conhecer, anos atrás, a queridíssima Miragem, livraria de São Francisco de Paula

Ou o muito bem cuidado Museu Dr. Carlos Barbosa, em Jaguarão

Ou ao saber do Da Maya Espaço Cultural, em Bagé, que eu ainda não conheci…

São iniciativas relativamente recentes e que mostram uma preocupação em descentralizar a cultura, em oferecer espaços e acervos de qualidade ou de preservá-los com todo o cuidado, como é o caso do museu de Jaguarão.

Mas, voltando ao início, ao centro cultural da Univates…

Fotos Rosane Tremea

Fotos Rosane Tremea

Ele é composto por um teatro com 1,2 mil lugares, que foi inaugurado em maio, e uma biblioteca com um acervo de 150 mil volumes e capacidade para o dobro (300 mil), inaugurada em agosto.

O teatro é moderno e não fica devendo nada às melhores salas de espetáculo do país. A biblioteca em três andares, além de toda informatizada, com empréstimo e devolução digitais etc, etc, tem muito espaço para pesquisa, salas de estudos em grupo…

Que bom ver esses oásis. Que venham muitos mais e deixem de ser exceções.

Mario Quintana ao alcance da mão

03 de setembro de 2014 0
Fotos Rosane Tremea

Fotos Rosane Tremea

Já se completaram 20 anos da morte de um dos maiores poetas gaúchos…

E eu ainda lembro de ver Mario Quintana andando pela Rua da Praia, no centro de Porto Alegre. Também lembro de um único encontro para entrevista, com os colegas de faculdade, e de sua língua afiada, sempre com uma resposta curiosa, divertida, interessante, daquelas de desconcertar o interlocutor.

Também por isso, gostei e recomendo a exposição Vinte (ver) Quintana, no Praia de Belas Shopping.

São 20 painéis com fotos que reinterpretam 20 de seus poemas. Como a proposta é também uma degustação auditiva, há fones de ouvido para ouvir os poemas.

No final da exposição, é oferecida uma pequena biblioteca com 300 livros e muitas das obras do poeta. Além de um espaço para sentar e ler seus poemas, os visitantes são convidados a selecionar e colar seus trechos preferidos em painéis.

IMG_3084

IMG_3085

Eu não colei, mas meu preferido é esse:

“Os guarda-chuvas perdidos.. aonde vão parar os guarda-chuvas perdidos?
E os botões que se desprenderam?
E as pastas de papéis, os estojos de pince-nez, as maletas esquecidas nas gares, as dentaduras postiças, os pacotes de compras, os lenços com pequenas economias, aonde vão parar todos esses objetos heteróclitos e tristes?
Não sabes?
Vão parar nos anéis de Saturno, são eles que formam, eternamente girando, os estranhos anéis desse planeta misterioso e amigo.”

Serviço

  • Até 26 de setembro
  • No Praia de Belas Shopping – Ala Sul do 3º piso, em Porto Alegre
  • Das 10h às 22h
  • Entrada franca

Tem mais dinossauro na serra gaúcha...

02 de setembro de 2014 2
Fotos Cleiton Thiele, divulgação

Fotos Cleiton Thiele, divulgação

O Rio Grande do Sul é um lugar onde muitos e importantes achados paleontológicos foram reconhecidos pela Ciência.

Fósseis de dinossauros de várias espécies foram localizados, especialmente na região central do Estado.

E esse é um tema, dinossauros, que as crianças adoram (não lembro de gostar tanto assim na infância, é um fenômeno mais recente)…

Ainda assim, acho estranho dois parques da Serra se dedicarem ao tema. Mas, vá lá, pode ser uma boa atração na visita com crianças a Gramado/Canela.

Já havia dinos no Parque Terra Mágica Florybal (que semana passada sofreu um incêndio, mas reabriu no sábado). E, agora, mais recentemente, foi inaugurado o Vale dos Dinossauros, empreendimento do Grupo Dreams (que mantém o Dreamland Museu de Cera, Harley Motor Show, Super Carros e Hollywood Dream Cars).

Numa área total de 35 mil metros, o parque temático fica no Km 5 da RS-466, no bairro Parque Pinheiro Grosso – estrada que leva ao Caracol -, e há cerca de 30 espécies de dinossauros animatrônicos, que se movimentam e emitem sons semelhantes aos que existiram há milhões de anos.

O visitante é transportado em um microônibus. Depois, o passeio é feito a pé, em meio a mata nativa, pelos dois hectares onde estão espalhados os dinossauros (cada um mede de dois a 10 metros).

Há também uma loja com suvenires e objetos relacionados ao período jurássico, além de uma lanchonete temática.

Pteranodonte - crédito Cleiton Thiele

 

Em Minas, uma visita que vale a viagem

01 de setembro de 2014 1

Fui uma única vez a Minas Gerais, o que acho uma pena, já que há tanto para ver naquele Estado cheio de cidades históricas, paisagens lindas, rotas organizadas… Sem contar as atrações da capital, Belo Horizonte.

Da vez em que fui, ainda não existia o Instituto Inhotim, em Brumadinho, na Região Metropolitana de BH. Faltava pouco para a inauguração, na época, e pretendo voltar para conhecer esse centro de arte ao ar livre.

Mesmo sem tem estado lá, já sugeri a muitas pessoas que visitassem. A última delas foi a colega Maria Rita Horn que, no retorno, cedeu fotos e fez um pequeno texto para publicar na coluna do Viagem.

Veja abaixo o que ela diz:

Fotos Maria Rita Horn, arquivo pessoal

Fotos Maria Rita Horn, arquivo pessoal

“O Instituto Inhotim é um grande acervo de arte contemporânea ao ar livre, localizado em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG). Entre uma série de pavilhões e galerias, com exposições interativas ou obras de arte, encantei-me pela Sonic Pavillion - ou Pavilhão Sônico -, do artista norte-americano Doug Aitken.

20140812_113603

Um furo de 200 metros de profundidade foi feito no solo, onde foi instalada uma série de microfones. Por um sistema de amplificação, os sons captados ali chegam à parte superior do pavilhão, e visitantes podem se deitar e ser surpreendidos pela vibração da natureza. Minha vontade foi de ficar um dia inteiro ali, mas o parque oferece muita, mas muita mesmo, arte para se ver e o tempo corre. Troca-Troca, de Jarbas Lopes, de Nova Iguaçu (RJ), é uma delas. Um fusca amarelo, outro vermelho e um terceiro, azul, tiveram as peças trocadas entre si. Os visitantes adoram.”

20140812_150222

20140812_120238

E para quem já foi, novidades do próximo mês para incentivá-lo a voltar, divulgadas pelo Instituto:

“A partir de 4 de setembro serão inauguradas novas exposições com trabalhos de artistas do Leste Europeu, Ásia e Estados Unidos. Os visitantes poderão conhecer duas obras de grande porte (David Medalla e Dominik Lang), uma mostra individual (Geta Brătescu) e uma galeria permanente (Carroll Dunham). A programação também inclui performance de David Medalla e o show dos músicos Jards Macalé e Jorge Mautner às 15h, próximo à árvore Tamboril.

O Inhotim abre uma nova galeria permanente, dedicada ao pintor norte-americano Carroll Dunham (New Haven, EUA, 1949), localizada no eixo laranja, uma das três grandes áreas de visitação do parque. Baseado em Nova York desde a década de 1970, o artista tem trabalhos com influências múltiplas, vindas tanto de movimentos artísticos, como a pop art, o surrealismo e o expressionismo abstrato, quanto da cultura popular, da pornografia e do universo dos desenhos animados. Muitas de suas pinturas carregam formas em espiral, que se tornaram um código pictórico de seu trabalho.”

 

Duas imagens em Bratislava, na Eslováquia

28 de agosto de 2014 0

Desembarquei, sem ter planejado, para algumas horas em Bratislava, a capital da Eslováquia.

A pé, no centro da cidade, impossível não tropeçar nesta estátua chamada Cumil.

Em bronze, ela mostra um homem que espia a partir de uma tampa de um bueiro.

Fotos Rosane Tremea

Fotos Rosane Tremea

Você pode escolher: trata-se de um espião ou apenas de um engraçadinho que usa desse posto privilegiado para espreitar as mulheres?!

Mas não olhe apenas para o chão, no pequeno centro histórico da cidade, a arquitetura é bem interessante.

Já na saída, num roteiro em que praticamente não vi nenhum gato para acrescentar à seção GATOS DE VIAGEM, encontrei este cartaz. Também vale, não?!

IMG_0948