Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Índia"

Para a agenda da semana (neste caso, para hoje!): uma conversa sobre Índia, Butão e Nepal no Belezas do Mundo

08 de agosto de 2016 0
Cris Cury, divulgação

Cris Cury, divulgação

Nesta segunda-feira, a especialista em cultura indiana Cristiane Cury apresenta na Bazkaria, no projeto Belezas do Mundo, a Índia, o Nepal e o Butão.

Administradora de empresas com mestrado em Arqueologia, Cristiane, que viveu por anos na Índia, contará como o contato com a cultura indiana provocou mudanças em sua vida pessoal e profissional.

Ela já visitou mais de 40 países e morou também na África do Sul, na Alemanha e na Suíça e, desde 2011, conduz grupos de viagens para imersão cultural na Ásia.

Serviço

  • As belezas da Índia, Butão e Nepal, por Cris Cury
  • Nesta segunda, dia 8, às 19h30min
  • Na Bazkaria (Rua Comendador Caminha, 324, na Capital)
  • Evento gratuito, porém com lugares limitados!
  • Para confirmar presença: fones (51) 3061-6262, 9155-2926 ou rp@bazkaria.com.br

 

Agenda da semana (1): conversa sobre a Índia

14 de dezembro de 2015 0
Fotos Porto Alegre Hostel Boutique, divulgação

Fotos Porto Alegre Hostel Boutique, divulgação

Nesta segunda, a Índia vai ser tema de bate-papo no Porto Alegre Hostel Boutique.

A conversa será com duas irmãs: Marcia Merllo, turismóloga, coordenadora do Observatório de Turismo RS/Setel, que este ano foi visitar sua irmã, Graziela, em Bangalore, onde a fisioterapeuta e microempresária mora e trabalha há um ano – agora, quem está em visita ao Brasil é Graziela.

Elas falarão sobre curiosidades da cultura local e sobre destinos como o Triângulo Dourado: Agra-Jaipur-Delhi, o Conjunto Monumental de Hampi (patrimônio da humanidade pela Unesco) e o belíssimo litoral.

índiaencantador serpete

Para acompanhar, a chef Débora Herjean, formada pela escola Thierry Marx, em Paris, onde viveu 30 anos, vai oferecer aos convidados um cardápio tipicamente indiano.

índiaMercado

Serviço

  • Happy Hour “Impressões da Índia por brasileiras”
  • Hoje, dia 14h, às 19h30min
  • No Porto Alegre Hostel Boutique (Rua São Carlos, 545, bairro Floresta, na Capital)
  • Degustação de iguarias indianas: R$ 15 (bebidas e cardápio do hostel têm pagamento à parte)
  • Reservas: 3228-3802 ou www.hostel.tur.br

índiaTaj Mahal

 

 

Um relato sobre Rishikesh, na Índia

04 de novembro de 2015 0

Ele tinha mandado um relato sobre a Amazônia e, agora, o Eduardo Majewsky envia a descrição de uma viagem à Índia.

Sem mais, seguem abaixo o texto enviado e as fotos:

 

ÍNDIA – RISHIKESH

12. Rio Ganges e Shiva

Fotos arquivo pessoal

 

“Antes de viajar para a Índia me disseram, ou eu li em algum livro, que não era país de meios termos, quero dizer, ou você gosta tanto a ponto de querer voltar, ou você odeia a ponto de nunca mais querer saber.
Eu me incluo no primeiro grupo e ainda pretendo voltar, pois a Índia é como o Brasil, enorme, impossível de se conhecer numa única viagem.
Todas as cidades da Índia, mesmo as pequenas ou médias, são populosas.
O último censo apontou para 1 bilhão e 200 milhões de habitantes, algo como 6 Brasis…
Fomos em 2012, primeiro ao Nepal e de lá direto a Delhi, mas no dia seguinte já estávamos no trem que nos levou a Haridwar, uma das sete cidades sagradas para os indianos, banhada pelo Rio Ganges.
Haridwar fica a 220 km de Delhi, o que na Índia significa tanto de carro, bus ou trem , umas seis horas de viagem.
Mas este ainda não era o fim da linha.
Mais 20 km de carro por uma estradinha cujo asfalto precário só passava um veículo, para chegarmos finalmente a Rishikesh.
Rishikesh, conhecida como Tapo Bhumi (o local de meditação dos Deuses) também é banhada pelo Ganges (lá se chama Ganga), que nasce bem ali pertinho nas montanhas do Himalaia, por isso a água é bem mais limpa e transparente que em outros lugares.
A cidade é pequena, mas populosa, tanto em moradores como viajantes, muitos destes praticantes ou estudantes de Yoga.
Rishi é a capital mundial da Yoga. A espiritualidade está no ar, no rosto das pessoas, muito indianos viajam para cá com o mesmo objetivo dos estrangeiros : a busca de aperfeiçoamento e evolução na doutrina Yogue, ministrada pelos gurus nos Ashrams, que se situam nas margens do Ganges.
Ashrams são centros de Yoga, que hospedam os praticantes pelo tempo ou projeto desejado, mas se você quiser só se hospedar como pousada, só para estar no “clima”, no problem!

09. Salão de Meditação II


A cidade é cortada pelo Ganges, mas tem duas pontes que a unem, a principal é a Lakshman Jhula, que é suspensa e tem uns 200 metros de extensão, porém bem estreita. Estreita a ponto de os macacos que vivem pendurados lhe roubarem alguma coisa. Tem que estar ligado. O alvo principal são as crianças, principalmente se estiverem com algum doce na mão. Por isso não estranhe se você enxergar um macaco pendurado comendo um sorvete, por exemplo…
A arquitetura local faz a gente confundir construções residenciais com ashrams ou com templos dedicados a santíssima trindade do hinduímo – Brahma, Vishnu e Shiva.

ATT_1446237504067_06. Oca 9

Outro atrativo imperdível em Rishikesh se refere à música, em especial aos Beatles. Em 1968, os Beatles viajaram a Rishikesh para mergulhar na Meditação Transcedental, cujo expoente era o guru Maharishi Mahesh Yogi, amigo dos Fab Four, especialmente de George Harrison, que sempre teve nitidamente uma antena voltada para a espiritualidade. Foram em um grupo de 60 pessoas, entre esposas, namoradas, outros músicos e o time da gravadora. Ringo e sua esposa não aguentaram mais do que uma semana, dizem que ele não conseguiu ficar lá sem carne e cerveja…(em Rishikesh não se encontram bebidas alcoólicas e a comida é 100 % vegetariana). Paul ficou um mês e John e George ficaram seis semanas. Nessa estada, passavam parte do tempo sob os ensinamentos do Guru ou meditando nas ocas numeradas. Na realidade, compondo. Foi nesse curto período que Lennon/McCartney compuseram a maioria das canções do Álbum Branco (The White Album), para mim o melhor dos Beatles – a revista Rolling Stone o coloca em 10º melhor de todos os tempos numa lista de 500 discos.

Hoje restam apenas ruínas daquilo que foi na década de 60 o maior templo de meditação transcedental da India, mas entre as ruínas estão as ocas, um tipo de iglu, brancos, arredondados, pequenos, cobertos de pedras, tem que se abaixar para entrar e dentro é difícil permanecer em pé. Um desses iglus tem o número 9 e, segundo o nosso “guru-guia”, era o preferido de John e Paul e/ou John e Yoko. Casualidade ou não, no White Album, uma das músicas chama-se “Revolution 9”, aonde na letra aparece em forma de mantra a frase ”number 9…” repetida dezenas de vezes e, mais tarde, em disco solo, John Lennon regravou a música com o nome “#9 Dream”…casualidades…

10. Ganga Aarti

11. Ganga II

 

Ao entardecer, acontece a cerimônia do “Ganga-Aarti”, às margens do Rio Ganges, que é sagrado aos hindus.

Antigos reis utilizavam a água do rio como purificação do corpo e da alma, passsou-se então a cremar os corpos de pessoas da família e espalhar as cinzas no rio.

Ganga vem do nome de uma deusa que é personificada nas águas do rio. Aarti é um ritual de devoção a Ganga, que usa o fogo como oferenda. Ele geralmente é feito na forma de uma lâmpada acesa, e, no caso do Rio Ganges, um pequeno suporte de apoio com uma vela e flores são colocados flutuando rio abaixo, tudo ocorre ao som de mantras, cânticos religiosos executados por músicos e toda a audiência.

Em poucos segundos você “decora” o mantra e sai cantando junto com a multidão, embalado por cítaras, flautas e percussão.

A sensação neste momento é que não termine mais…como disse Vinícius – que seja infinito enquanto dure…

O Ganga-Aarti mais tradicional em Rishikesh é o que acontece nas escadarias que descem ao Ganges, em frente ao Ashram Parmath Niketan.

No rio bem em frente à cerimônia, há uma enorme estátua de Shiva, o Deus guerreiro contra todos os males.

Assim acabam os dias em Rishikesh. Da cerimônia retornamos à pousada para um jantar vegetariano à luz de velas regado a água mineral…bem gelada!”

A Índia como inspiração e outros roteiros

13 de agosto de 2014 0
Fotos Clarisse Linhares, divulgação

Fotos Clarisse Linhares, divulgação

Nesta quarta-feira, as gurias do Viajando com Arte (Mylene Rizzo e Clarisse Linhares) lançam seu calendário de roteiros para 2015.

Eles incluem México e Marrocos.

A conversa das duas sobre os destinos será emoldurada por uma exposição: a Índia Inspirations, com 30 fotos de viagens recentes assinada pela dupla (algumas delas estão neste post!)

A partir das 19h, no Pátio Ivo Rizzo (Rua Félix da Cunha, esquina com Padre Chagas), em Porto Alegre.

 

Índia_2_crédito_Clarisse Linhares

 

Índia_crédito_Mylene Rizzo

Viagem pelo mundo com trabalho voluntário

17 de outubro de 2013 2

Conhecer outros lugares e ajudar pessoas. Taí uma boa ideia que a CI Moinhos de Vento vai divulgar num bate-papo no dia 21.

Na conversa será explicado como aliar viagens pelo mundo a trabalho voluntário.

Alguns dos destinos propostos: África do Sul, Namíbia, Índia e Peru.

Para participar dos programas é preciso ter no mínimo 18 anos e falar inglês intermediário, ou espanhol, no caso do Peru.

Os trabalhos têm duração média de duas a 12 semanas, com possibilidade de extensão, e atividades de cinco a sete dias por semana, com carga horária de quatro a oito horas por dia.

Além dos projetos sociais, os voluntários poderão conhecer e visitar locais históricos.

Alguns exemplos com a descrição feita pela CI:

 

ÁFRICA DO SUL - No projeto “Teach Kids on the Beach”, por exemplo, desenvolvido em Jeffreys Bay, berço do surfe mundial, voluntários trabalham em uma escola que não recebe ajuda do governo local e nacional. Espera-se que os voluntários trabalhem de maneira criativa fazendo bom uso dos poucos equipamentos disponíveis para cumprir os objetivos da escola. Os participantes são responsáveis por dar aulas para pequenas turmas de acordo com a idade e necessidades especiais. São 16 opções de cursos na África. Os valores variam de US$ 630 a US$ 2020.

 

CI, divulgação

CI, divulgação

NAMÍBIA - Um dos projetos desenvolve um papel na redução dos conflitos entre humanos e predadores. Os voluntários resgatam os animais que entram nessas fazendas e cuidam deles até estarem aptos a retornarem para a vida selvagem. Destaca-se também diversas atribuições diárias, como cuidar, limpar e alimentar os bebês cheetas e de outros animais selvagens, bem como construir cercas e também receber treinamento para trabalharem como guia nos tours diários que acontecem nos parques. Os valores variam de US$ 1143 a US$ 1668.

PERU - A partir da Intej, uma organização peruana sem fins lucrativos e engajada em projetos socioambientais, tem como objetivo capacitar comunidades do país em diversos aspectos através de um intercâmbio de culturas. Os participantes do programa têm a oportunidade de combinar entretenimento, conhecimento e habilidades ajudando no desenvolvimento e cuidado das pessoas que mais precisam. Os preços envolvendo os destinos Lima, Chiclayo e Trujillo variam de US$ 975 a US$ 2355. Para Cusco, os valores ficam entre US$ 1024 e US$ 1909.

ÍNDIA - Alguns programas como o “Kanjar Development Program” é destinado a conhecer e participar da cultura rural indiana, contribuindo para o desenvolvimento das comunidades. Os projetos de trabalho voluntário na Índia estão localizados nos estados de Rajasthan, Himachal Pradesh e Goa. Os valores variam de € 581 a € 1624.

 

Para saber mais

 

  • Bate-papo no dia 21 de outubro, às 19h, na CI Moinhos de Vento (Rua Padre Chagas, 80, em PORTO ALEGRE).
  • É aconselhável confirmar presença pelo telefone (51) 3346-4654
  • Com entrada franca

E a mesa e o cinema voltam a se unir

17 de abril de 2013 0

Vai deste dia 19 até o dia 21 a primeira edição do Cine Gourmet do Casa da Montanha, em GRAMADO.

O filme da vez é um grande vencedor do Oscar: Quem quer se um milionário?


A mesa indiana para acompanhar a sessão seguida de debate será preparada pelo chef Alexandre Sharin.

Confira o trailer do filme, que mostra um tantinho da Índia.


O projeto está no sétimo ano e, nesta edição, apresentará vencedores ou indicados ao Oscar. Confira a lista do primeiro semestre:


De 17 a 19 de maio

  • Meia Noite em Paris, pelo chef Rui Carneiro (Restaurante Chez Bernard /BA)


De 14 a 16 de junho

  • Quatro Casamentos e Um Funeral, pela chef Andrea Tinoco (Restaurante Rancho Inn /RJ)


De 12 a 14 de julho

  • Shakespeare Apaixonado, pelo chef Roberto Bento (BistrôD’Acampora /SC)

Cerimônia na fronteira Índia-Paquistão

26 de abril de 2012 1

Recebi o link com um vídeo que mostra a no mínimo curiosa cerimônia que marca o fechamento diário da fronteira Índia-Paquistão.

A fronteira de Wagah é a única ligação terrestre entre os dois países, que têm diferenças, especialmente religiosas, irreconciliáveis e disputam a região da Caxemira desde 1947, quando se tornaram independentes da Grã-Bretanha.

Quando chega o entardecer, a fronteira é fechada com essa cerimônia militar que virou atração turística.

A Índia no Papo Viajante

19 de março de 2012 0

Nesta terça, dia 20, o PAPO VIAJANTE do STB é sobre o sul da Índia.

E quem fala é o intrépido Beto Conte, que percorreu a região em trem de luxo, de Bangalore às praias de Kerala.

É nesse ponto do país onde as tradições hindus estão mais preservadas.

Povoado em Tamil Nadu

Serviço

  • Terça, 20 de março, às 19h30min
  • Espaço STB Brasas (Anita Garibaldi, 1.515)
  • Gratuito, mas com lugares limitados. Confirmar presença pelo telefone (51) 4001-3010.

Um roteiro por Singapura, Maldivas e sul da Índia

13 de fevereiro de 2012 1

O irrequieto BETO CONTE manda notícias da viagem iniciada na quarta-feira, dia 8, por Singapura e que segue pela Maldivas e pelo sul da Índia.

Ele enviou o post de chegada de seu diário, fotos e a dica para se acompanhar o roteiro por meio do blog. Veja o que ele conta:

“Chegamos dia 8/2 às 13h30min no superconfortável FAIRMONT hotel e em seguida visitamos o vizinho RAFFLES hotel.

Sir Raffles, em 1819, vislumbrou as possibilidades do porto dessa vila de pescadores e a transformou em importante centro naval e comercial britânico. Independente desde 1965, Singapura é um dos quatro tigres asiáticos.

Singapura é multicultural, com 77% de chineses budistas, 14% de malaios muçulmanos e 8% de sul indianos hindus, mas sobretudo contemporânea e próspera – o Marina Sands Bay representa sua modernidade com uma piscina ligando o topo de três edifícios de 57 andares.

Uma cidade-estado de apenas 700km² recebe 12 milhões de visitantes ao ano – o dobro dos turistas que visitam Brasil. Singapura é também referência na área da saúde, almejando atender 1 milhão de pacientes internacionais em 2012, que representará uma receita de 3 bilhões de dólares. Sua prosperidade além de centro financeiro e naval se deve ao refinamento de petróleo – o 3º maior centro mundial.

Comemoramos o primeiro dia com 1 drink temático: o Singapure Sling – do topo do Marina Sands Bay.


O roteiro começou com toda modernidade de Singapura e “grand finale” nas ilhas Maldivas – um paraíso terrestre no meio do Oceano Índico – com um tempero extra, o golpe de estado que muda a situação política do país.”

Acompanhe a viagem pelo blog www.betonomundo.wordpress.com

Roteiro pela Índia em trem de luxo

21 de agosto de 2011 1

Um roteiro que inclui uma semana pelo sul da Índia a bordo do  trem de luxo Splendour of the South, desde a movimentada Bangalore, a capital tecnologica do país, até as praias de Kerala.

O trajeto rico em templos, palácios e fortalezas é acompanhado pelo viajante Beto Conte, em fevereiro de 2012.

Informações: betoconte@stb.com.br


Roteiro pela Índia e pelo Nepal

02 de julho de 2011 1

No final de semana, li boa parte de Três Cidades Perto do Céu, livro da LUCIANA TOMASI que conta sua experiência de 16 dias para Caxemira, Índia e Nepal, na sua sexta ida àquela região.

O livro é muito bom, muito fácil de ler e dá uma ideia dessa rota que eu não conheço (e confesso que ainda não está na minha lista dos mais urgentes). Mas cada vez mais e mais gente busca aquela parte do planeta pra viver experiências como essa de Luciana ou a que propõe a LAURA MIGUEL, instrutora de yoga que morou dois anos na Ásia.

Em setembro/outubro, Laura fará um roteiro de três semanas pelo Nepal e Índia, fazendo uma combinação de arquitetura, cultura, religião, história, gastronomia.

Informações: betoconte@stb.com.br

Viagem para misturar yoga e aventura

17 de maio de 2011 1

Depois de viver dois anos na Ásia, a instrutora de yoga gaúcha Laura Miguel agora se dedica a levar para a região interessados em imergir na gastronomia, espiritualidade, nas danças e músicas.

A proposta é um roteiro de três semanas pelo Nepal, no meio dos Himalaias, cruzando a Índia de Norte a Sul, entre setembro e outubro.

Entre os destinos estão Kathmandu, Varanasi e vivencia em um ashram em Rishikesh, além de Dehli,  o Taj Mahal, o Rajasthan, Cochin e um resort nas praias de Kerala.

Informações: betoconte@stb.com.br

Veja um depoimento de Laura sobre sua experiência:

“Em 2007 decidi viajar à Índia por um período de três meses para buscar o yoga na sua fonte e na sua essência, e, depois, me inserir num trabalho voluntário por um curto período de tempo. Mas a Índia me deu muito mais que isso. Me presenteou com lindas experiências de vida, além de me mostrar uma cultura repleta de sabedoria que carrego sempre comigo. Não consegui voltar no período planejado. Permiti pela primeira vez que a Índia me levasse onde ela achava que eu deveria ir. Vivi lá dois anos e desde então volto com frequência para me nutrir de uma energia que só essa terra tem.

Uma concessão dos Gatos de Viagem aos cães

13 de novembro de 2010 1

Você que visita o blog sabe: temos aqui o GATOS DE VIAGEM. 
Não é que cães e gatos se deem mal, não é isso. É só uma questão de gosto de quem escreve aqui.
Adoro animais, mas os gatos são os favoritos. Por isso figuram nesse espaço. Mas não resisti às fotos que a CLAUDIA COSME enviou ao blog. Repare na sequência. Achei sensacional. Obrigada por compartilhar conosco, Claudia. Ela também enviou o seguinte recado:

“Oi Rosane, tudo bem? Sempre “viajo” com as fotos que colocas. Estive em setembro na Índia e no Nepal, tirei uma sequência de fotos de um cachorro em um templo. De todas, estou te mandando só 3 para ver se te interessas em colocar na seção.

Estava na hora da chamada para as orações muçulmanas, e ele correu para a janela e ficou olhando até acabar o chamamento. Este templo e outras edificações estão numa pequena cidade medieval chamada Orchha, a 18 km de Jhansi no estado de Madhya Pradesh – Índia.

Muito obrigada pela atenção. Claudia Cosme”