Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Florença"

A história de uma famosa cúpula em Florença

03 de novembro de 2015 0
Fotos Rosane Tremea

Fotos Rosane Tremea

Imponente e dominante sobre a paisagem de Florença, na Itália, a catedral de Santa Maria del Fiore se destaca muito também por sua cúpula de tijolos vermelhos, a chamada Cúpula de Brunelleschi.

Pois nesta animação abaixo produzida pela National Geographic há uma explicação simples para uma construção complexa: a forma como Filippo Brunelleschi a projetou e construiu durante séculos foi considerada um mistério arquitetônico.

Até 1418, no lugar onde está a cúpula, havia um enorme buraco sobre o altar da construção iniciada quase 200 anos antes. Foi então aberto um concurso para projetá-la e construí-la.

DSC06871

 

O prêmio oferecido ao vencedor foi de 200 florins de ouro e surgiram muitos arquitetos dispostos a disputar por suas ideias. O vencedor acabaria sendo Brunelleschi, que morreu sem deixar vestígios de desenhos ou esboços.

Ainda que esta versão do link abaixo esteja em italiano, a animação dispensa legendas e dá uma ideia da complexidade da obra.

Que segue firme ali, mais de 500 anos depois, para ninguém botar defeito.

CLIQUE NESTE LINK PARA ASSISTIR A ANIMAÇÃO.

 

DSC06860

Roteiro de cicloturismo na Itália para comemorar os 70 anos do final da II Guerra Mundial

02 de julho de 2015 0
Fotos Clube de Cicloturismo do Brasil, divulgação

Fotos Clube de Cicloturismo do Brasil, divulgação

Criado em 2001 para incentivar viagens de bicicleta, o Clube de Cicloturismo do Brasil vai promover uma expedição pela Itália em comemoração aos 70 anos do final da II Guerra Mundial, entre agosto e setembro.

O roteiro, aberto a um grupo de 20 pessoas, partirá da cidade de Bolonha, cruzará os Apeninos e terá Florença, na Toscana, como ponto final, num percurso total de 250 quilômetros.

Uma equipe do Clube de Cicloturismo fez uma viagem de reconhecimento em 2014 e pretende ajudar para que a rota seja repetida por brasileiros.

249694_489433_velotour_italia_1_web_
No roteiro estão locais por onde passaram e combateram os pracinhas da FEB (Força Expedicionária Brasileira), como Montese e Monte Castelo, com museus e monumentos em homenagem aos nossos soldados.

Eu já publiquei sobre alguns desses pontos aqui no blog, se você quiser conferir.

Segundo o pessoal do Clube de Cicloturismo, o evento Velotour Itália é organizado em parceria com a agência Italy Bike Tour e a empresa de promoção turística PromoApenninno.

De 29 de agosto a 8 de setembro de 2015
De Bolonha a Florença, Itália
Informações: www.clubedecicloturismo.com.br

Eles têm um vídeo também para divulgar o roteiro:

Chá com Mussolini em Gramado

04 de julho de 2012 0

Esse pode entrar na lista dos filmes que eu adoro!

Chá com Mussolini, o tema do Cine Gourmet do próximo final de semana, em GRAMADO, é uma delícia de filme.

É na história que se passa em Florença, no período anterior à II Guerra Mundial, que será a inspiração para o jantar preparado pelo chef Felipe Barreto.

Com direção de Franco Zeffirelli, Chá com Mussolini tem no elenco duas atrizes que eu considero sensacionais: Judi Dench e Maggie Smith.

Veja o trailer:


Quando uma fatia de pão é mais que isso

09 de janeiro de 2012 3

COISAS PARA COMER EM VIAGEM

Num sábado de sol, num almoço casual (e especial) em Florença, na ITÁLIA, o garçom me ofereceu como entrada uma “fettunta”. Meu italiano razoável e, mais do que isso, meu dialeto, fizeram com que eu não precisasse de tradução e aceitasse prontamente a sugestão.

Fettunta significa fatia de pão untada.

Ainda assim, quis saber mais, e ele me explicou. Lembrei disso ao ler, na última quinta, o caderno PALADAR, de O Estado de S.Paulo, num especial sobre “Fatias com tudo”.

A fettunta, explicaram o garçom e o caderno, é típica da Toscana, a região de Florença. É preparada sempre para celebrar a primeira safra do azeite de oliva. É feita com pão branco, sem sal, marcado na grelha, esfregado com alho e regado com o azeite recém feito. Sobre a fatia de pão azeitado é polvilhado sal grosso. E o pão é servido quente. Simples e bom.

Dá para fazer em casa, ainda que o azeite não seja o da estação. Mas no dia e na hora teve um sabor especial.


Para entender Florença e o Renascimento

09 de novembro de 2011 4

Se você for ao RIO DE JANEIRO até 11 de dezembro, aproveite para ir a FLORENÇA, na Itália, e conheça mais sobre o Renascimento…

Explico: é que, até essa data, o Rio abriga uma exposição sobre os 500 anos de Giorgio Vasari, conhecido como o inventor do artista moderno e o primeiro historiador da arte.

A mostra (“Giorgio Vasari e a invenção do artista moderno”) está na Biblioteca Nacional, comemorando os cinco séculos do nascimento desse pintor e arquiteto italiano, nascido em 1511, reconhecido como o primeiro historiador da arte. Vasari morreu em 1574.

Incentivador de artistas como Michelangelo e amigo da poderosa família dos Medici, ele atendeu a encomendas de príncipes e papas.

É ele o idealizador da arquitetura da Galleria degli Uffizi, hoje sede do principal museu de Florença, e autor das pinturas que decoram o Palazzo Vecchio, a atual sede do governo da cidade, e fundou a primeira academia de belas artes da cidade.

Eu não soube tirar a foto com de dentro do vidro, mas ela dá uma ideia da grandiosidade da Galleria degli Uffizi.

O Palazzo Vecchio

O interior da Uffizi

Foi obra dele também, a pedido de um dos Medici, Cósimo, a ligação, entre o Palazzo Vecchio e o Palazzo Pitti, uma nova residência da família Médici, do outro lado do Rio Arno.

Esse caminho particular e elevado é conhecido como Corredor Vasari, que usava a galeria, a Ponte Vecchio sobre o Arno e uma passarela coberta sobre a rua.

O corredor fica sobre a ponte, onde aparecem as janelas pequenas

Conhecer esse corredor, onde está uma espetacular coleção de autorretratos, exige agendamento prévio. Em junho, fiz uma visita guiada por ali, com uma especialista em renascimento. Em função dos 500 anos de Vasari, há uma mostra especial na Uffizi, que se encerraria em outubro, mas foi prorrogada até 8 de janeiro. Eu recomendo.


Serviço

  • Giorgio Vasari e a invenção do artista moderno, até 11 de dezembro, no Espaço Cultural Eliseu Visconti
  • Na Rua México, s/n – Centro – Rio de Janeiro (acesso pelo jardim da Biblioteca Nacional)
  • De terça a sexta, das 10h às 18h
  • Sábados, das 10h às 17h
  • Domingos das 12h às 17h

A exposição faz parte do calendário de atividades do Momento Itália no Brasil.


Artistas de Barcelona e os cinemas

05 de março de 2010 2

Minha amiga Clarinha está estudando em BARCELONA, na Espanha. Nos seus relatos periódicos, tem enviado fotos de artistas de rua (veja as fotos abaixo), que são muitos pelas ramblas, e tem falado com curiosidade e estranheza sobre os cinemas locais, nos quais os filmes são dublados sempre para o espanhol, sem a opção da legenda. Só cinemas ou sessões especiais oferecem a possibilidade de ver o filme no idioma original.


Não sei como é em outros países da Europa, mas na Itália me chamou mesmo à atenção isso, o fato de os filmes todos serem dublados para o italiano. E mais: de fazerem intervalo, em geral de 10 a 15 minutos, para o público tomar um café, ir ao banheiro… É interessante, e às vezes dá margem para se conhecer gente no cinema, trocar impressões sobre a história etc e tal… Mas é chato também interromper o filme em momentos às vezes dramáticos…

Uma vez, para tentar ver uma produção não dublada, acabei no ODEON, em FLORENÇA, e fiquei encantada. O cinema fica num prédio construído em 1462, o Palazzo Strozzino, um dos mais interessantes exemplares da arquitetura renascentista. Virou cinema em 1922, conservando esculturas, tapeçarias e a cúpula com vitrais.

Por ali passaram músicos – Louis Armstrong e Ella Fitzgerald, por exemplo - e atrizes como Isabelle Adjani e Anjelica Huston, além dos diretores Bertolucci, Branagh, Salvatores e Benigni, entre muitos outros, por ocasião do Festival Internacional de Cinema de Florença. No caso do ODEON, adorei o intervalo. É que a sessão, no meio da tarde, era lotada de homens e mulheres ingleses que pareciam saídos do elenco de CHÁ COM MUSSOLINI (veja o trailer do filme abaixo).

Uma farmácia especial em Florença

15 de abril de 2008 2

Passados quase quatro anos, o sachê de lavanda conserva o perfume/Rosane Tremea
COISAS PARA COMPRAR EM VIAGENS

Sou do tipo de viajante que não faz compras. Não perco tempo nem dinheiro atrás de pechinchas. Gosto de trazer de viagens apenas pequenas lembranças — para mim e para os outros —, artesanato, suvenires para os quais já não há sequer espaço na minha casa.

Com o mundo cada vez mais plano, o risco de comprar produtos made in China é sempre presente. Aconteceu comigo uma vez: estava eu no Mercado da Palha, em Nassau, nas Bahamas, e achei que o mais legal seria trazer alguma coisa feita lá, de palha, e escolhi entre as muitas coisas uma pequena bolsa. Bonitinha.

Dias depois de minha volta, vi uma amiga com uma bolsa muito parecida e, ansiosa por dividir nossa sorte, perguntei onde ela a tinha comprado. A resposta: numa loja de departamentos de Porto Alegre. Só então fui ver a etiqueta na minha bolsa: Made in China.

Isso só serviu para fortalecer minhas convicções. Não perco tempo em compras.

Mas não resisto a algumas coisas. Como ao sachê da foto, que vem da OFFICINA PROFUMO FARMACEUTICA DI SANTA MARIA NOVELLA, em FLORENÇA, na Itália.

O pequeno luxo de lavanda custou alguns euros, mas passados quatro anos conserva o perfume de qualidade prometido por uma das farmácias mais antigas do mundo. A Officina foi fundada em 1221 por frades dominicanos, embora só em 1612 tenha sido aberta ao público e essa seja considerada a data de sua fundação. Ao longo dos séculos, as fórmulas dos frades conquistaram a preferência da nobreza européia.

Desde 1866, quando o governo italiano confiscou propriedades da igreja, a Officina acabou entregue à família Stefani, sobrenome do último frade a dirigi-la.

É desses pequenos luxos que eu acho que se deve permitir em viagens. E mesmo que não compre nada, vale a visita à farmácia, ao lado da igreja de mesmo nome.

Os produtos de Santa Maria Novella podem ser encontrados em São Paulo (na Rua da Consolação e no Shopping Iguatemi) e uma visita ao site pode dar uma idéia do que se encontra por lá.

Confira em www.santamarianovella.com.br

Postado por Rosane Tremea